Conexões Políticas nas Maiores Companhias Listadas na BM&FBovespa Outros Idiomas

ID:
42560
Resumo:
As conexões políticas podem ser caracterizadas como relações entre empresas e políticos, em que as empresas procuram obter vantagens e os políticos geralmente buscam financiamento de campanha. Nesse contexto, o estudo tem como objetivo geral analisar a relação entre as conexões políticas das maiores empresas listadas na BM&FBovespa e seus respectivos desempenhos. Para tanto, foram analisados os dados de 132 companhias, utilizando-se estatística descritiva, teste de diferença entre médias, Análise de Correspondência (Anacor) e Análise de Correspondência Múltipla (ACM). A conexão política de cada empresa foi representada pelo valor de sua doação para campanhas eleitorais de 2014, sendo o desempenho medido pelo Retorno sobre o Patrimônio Líquido (ROE). Os resultados indicam que a maior parte dos recursos doados para a campanha eleitoral de 2014 foi destinada à disputa pela Presidência da República e o Partido dos Trabalhadores foi a agremiação política que mais recebeu doações de campanha das empresas. A empresa JBS doou mais de 65% do total das contribuições efetuadas pelas empresas da amostra. O Ceará foi o estado que mais recebeu doações de empresas para as eleições de 2014. Amapá, Amazonas e Roraima foram os únicos estados em que os candidatos não receberam recursos para financiamento de campanhas eleitorais das empresas investigadas. A partir dos testes realizados, verificou-se não haver diferença de desempenho na comparação das empresas com conexões políticas com aquelas sem qualquer conexão política. Constatou-se uma associação entre altas conexões políticas e expressivo tamanho das empresas.
Citação ABNT:
PINHEIRO, B. G.; LUCA, M. M. M.; VASCONCELOS, A. C. Conexões Políticas nas Maiores Companhias Listadas na BM&FBovespa . REAd. Revista Eletrônica de Administração, v. 22, n. 2, p. 394-418, 2016.
Citação APA:
Pinheiro, B. G., Luca, M. M. M., & Vasconcelos, A. C. (2016). Conexões Políticas nas Maiores Companhias Listadas na BM&FBovespa . REAd. Revista Eletrônica de Administração, 22(2), 394-418.
DOI:
http://dx.doi.org/10.1590/1413-2311.1622015.60360
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/42560/conexoes-politicas-nas-maiores-companhias-listadas-na-bm-fbovespa---/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AMORE, M. D.; BENNEDSEN, M. The value of local political connections in a lowcorruption environment. Journal of Financial Economics, v. 110, p. 387-402, 2013.

BAZUCHI, K. R. V.; ZACHARIAS, S. A. S.; BROERING, L. W.; ARREOLA, M. F.; BANDEIRA-DE-MELLO, R. The role of home country political resources for Brazilian multinational companies. Brazilian Administration Review, Rio de Janeiro, v. 10, n. 4, p. 415-438, 2013.

BORINI, F. M.; LUCHESI, E. P. Gestão das empresas multinacionais e os conflitos de agência. Revista Eletrônica de Ciência Administrativa, Campo Largo, v. 6, n. 2, 2007.

BOUBAKRI, N.; GUEDHAMI, O.; MISHRA, D.; SAFFAR, W.Political connections and the cost of equity capital. Journal of Corporate Finance, v. 18, p. 541-559, 2012.

BRAAM, G.; NANDY, M.; WEITZEL, U.; LODH, S. Accrual-based and real earnings management and political connections. The International Journal of Accounting, v. 50, n. 2, p. 111-141, 2015.

BREY, N. K.; CAMILO, S. P. O.; MARCON, R.; ALBERTON, A. A. A estrutura de propriedade das corporações: conexões políticas sob a perspectiva da dependência de recursos. Revista Ibero-Americana de Estratégia, São Paulo, v. 10, n. 3, p. 126-146, 2011.

BREY, N. K.; CAMILO, S. P. O.; MARCON, R.; BANDEIRA-DE-MELLO, R. Conexões políticas das empresas por estruturas de propriedade: uma abordagem do governo como acionista. Revista de Administração, Contabilidade e Economia, Joaçaba, v. 11, n. 2, p. 319-350, 2012.

BREY, N. K; CAMILO, S. P. O.; MARCON, R.; BANDEIRA-DE-MELLO, R. Conexões políticas em estruturas de propriedade: o governo como acionista em uma análise descritiva. Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 15, n. 1, p. 98-124, 2014.

CAMILO, S. P. O.; MARCON, R.; BANDEIRA-DE-MELLO, R. Conexões políticas das firmas e seus efeitos na performance: uma convergência entre as perspectivas da governança e da dependência de recursos – um ensaio teórico. Revista Alcance, Biguaçu, v. 19, n. 2, p. 241-258, 2012.

CERVI, E. U. Financiamento de campanhas e desempenho eleitoral no Brasil: análise das contribuições de pessoas físicas, jurídicas e partidos políticos às eleições de 2008 nas capitais de Estado. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n. 4, p. 135-167, 2010.

CHEN, C. J. P.; LI, Z.; SU, X.; SUN, Z. Rent-seeking incentives, corporate political connections, and the control structure of private firms: Chinese evidence. Journal of Corporate Finance, v. 17, p. 229-243, 2011.

CLAESSENS, S.; FEIJEN, E.; LAEVEN, L. Political connections and preferential access to finance: the role of campaign contributions. Journal of Financial Economics, v. 88, n. 3, p. 554-580, 2008.

COOPER, D. R.; SCHINDLER, P. S. Métodos de pesquisa em administração. 10. ed. Porto Alegre: Bookman, 2011.

COOPER, M. J.; GULEN, H.; OVTCHINNIKOV, A. V. Corporate political contributions and stock returns. The Journal of Finance, v. 65, n. 2, p. 687-724, 2010.

CORREIA, L. F.; AMARAL, H. F. Arcabouço teórico para os estudos de governança corporativa: os pressupostos subjacentes à teoria da agência. Revista de Gestão, São Paulo, v. 15, n. 3, p. 1-10, 2008.

CORREIA, M. M. Political connections and SEC enforcement. Journal of Accounting and Economics, v. 57, p. 241-262, 2014.

COSTA, M.; BANDEIRA-DE-MELLO, R.; MARCON, R. Influência da conexão política na diversificação dos grupos empresariais brasileiros. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 53, n. 4, p. 376-387, 2013.

DALLABONA, L. F.; KROETZ, M.; MASCARELLO, G. Relação entre os indicadores de desempenho e o valor adicionado distribuído aos agentes colaboradores de empresas listadas na BM&FBovespa. Revista Catarinense da Ciência Contábil, Florianópolis, v. 13, n. 39, p. 49-63, 2014.

ECCO, I. L.; CAMILO, S. P. O. Conselhos de administração das empresas reguladas no Brasil: conexões políticas e o seu desempenho. In: ENCONTRO DE ESTUDOS EM ESTRATÉGIA, 6.; 2013, Bento Gonçalves. Anais... Bento Gonçalves: Anpad, 2013.

FÁVERO, L. P.; BELFIORE, P.; SILVA, F. L.; CHAN, B. L. Análise de dados: modelagem multivariada para a tomada de decisões. Rio de Janeiro: Campus, 2009.

GODOY, P.; MARCON, R. Teoria da agência e os conflitos organizacionais: a influência das transferências e das promoções nos custos de agência em uma instituição bancária. Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 7, n. 4, p. 168-210, 2006.

GOLDMAN, E.; ROCHOLL, J.; SO, J. Do politically connected boards affect firm value? The Review of Financial Studies, v. 22, n. 6, p. 2331-2360, 2009.

GRAY, D. E. Pesquisa no mundo real. 2. ed. Porto Alegre: Penso, 2012.

GRAY, S.; HARYMAWAN, I.; NOWLAND, J. (2014). Political and government connections on corporate boards in Australia: good for business? Australian Journal of Management, p. 124, 2014. In Press. DOI:10.1177/0312896214535788

HE, L.; WAN, H.; ZHOU, X. How are political connections valued in China? Evidence from market reaction to CEO succession. International Review of Financial Analysis, v. 36, p. 141-152, 2014.

HILLMAN, A. J. Politicians on the board of directors: do connections affect the bottom line? Journal of Management, v. 31, n. 3, p. 464-481, 2005.

HOW, J.; VERHOEVEN, P.; WAHAB, E. A. A. Institutional investors, political connections and analyst following in Malaysia. Economic Modelling, v. 43, p. 158-167, 2014.

INFANTE, L.; PIAZZA, M. Political connections and preferential lending at local level: some evidence from the Italian credit market. Journal of Corporate Finance, v. 29, p. 246-262, 2014.

JACKOWICZ, K.; KOZLOWSKI, L.; MIELCARZ, P. Political connections and operational performance of non-financial firms: new evidence from Poland. Emerging Markets Review, v. 20, p. 109-135, 2014.

JENSEN, M. C.; MECKLING, W. H. Theory of the firm: managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of Financial Economics, v. 3, p. 305-360, 1976.

KLANN, R. C.; GOMES, E. C. O.; GREUEL, M. A.; BEZERRA, F. A. Influência do risco moral e da accountability nas tomadas de decisões. Revista Contabilidade Vista & Revista, Belo Horizonte, v. 25, n. 1, p. 99-118, 2014.

KRAUSE, S.; REBELLO, M. M.; SILVA, J. G. O perfil do financiamento dos partidos brasileiros (2006-2012): autores, objetivos, êxito e fracasso (1988-2010). Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n. 16, p. 247-272, 2015.

LAMEIRA, V. J.; BERTRAND, H. Ethics, corruption, governance and emerging markets. Revista Eletrônica de Administração, Porto Alegre, v. 14, n. 1, 2008.

LI, G.; ZHOU, H. Political connections and access to IPO markets in China. China Economic Review, v. 33, p. 76-93, 2015.

LI, J.; ZHAO, L. The costs of socializing with government officials: a new measure of corporate political connections. China Journal of Accounting Research, v. 8, p. 25-39, 2015.

LIMONGI, F.; GUARNIERI, F. A base e os partidos: as eleições presidenciais no Brasil pósredemocratização. Novos estudos – Cebrap, São Paulo, n. 99, p. 5-24, 2014.

LIN, K. J.; TAN, J.; ZHAO, L.; KARIM, K. In the name of charity: political connections and strategic corporate social responsibility in a transition economy. Journal of Corporate Finance, v. 32, p. 327-346, 2015.

MARCON, R.; BANDEIRA-DE-MELLO, R.; ALBERTON, A. Teoria instrumental dos stakeholders em ambientes turbulentos: uma verificação empírica utilizando doações políticas e sociais. Brazilian Business Review, Vitória, v. 5, n. 3, p. 289-308, 2008.

NYS, E.; TARAZI, A.; TRINUGROHO, I. (2015). Political connections, bank deposits, and formal deposit insurance. Journal of Financial Stability, 2015. In Press. DOI:10.1016/J.JFS.2015.01.004

OZER, M.; ALAKENT, E. The influence of ownership structure on how firms make corporate political strategy choices. Business & Society, v. 52, n. 3, p. 451-472, 2012.

POLSIRI, P.; JIRAPORN, P. Political connections, ownership structure, and financial institution failure. Journal of Multinational Financial Management, v. 22, p. 39-53, 2012.

ROSSETTI, J. P.; ANDRADE, A. Governança corporativa: fundamentos, desenvolvimento e tendências. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2014.

SENA, T. S.; MARCON, R.; LANA, J. A influência da conexão política nos ativos intangíveis. In: CONGRESSO ANPCONT, 9.; 2015, Curitiba. Anais... Curitiba: Anpcont, 2015.

SILVEIRA, A. D. M.; BARROS, L. A. B. C. Determinantes da qualidade da governança corporativa das companhias abertas brasileiras. Revista Eletrônica de Administração, Porto Alegre, v. 14, n. 3, 2008.

WEYMER, A. S. Q.; CASTOR, B. V. J. As estratégias de contratação de mão de obra no setor portuário à luz da teoria da agência. Revista Brasileira de Estratégia, Curitiba, v. 2, n. 3, p. 223-245, 2009.

WU, H. L. Can minority state ownership influence firm value? Universal and contingency views of its governance effects. Journal of Business Research, v. 64, n. 8, p. 839-845, 2011.

XU, K.; TIHANYI, L.; HITT, M. A. (2014). Firm resources, governmental power, and privatization. Journal of Management, p. 1-27, 2014. In Press. DOI: 10.1177/0149206314546194

ZHENG, W.; SINGH, K.; CHUNG, C. N. (2015). Ties to unbind political ties and firm sell-offs during institutional transition. Journal of Management, p. 1-32, 2015. In Press. DOI:10.1177/0149206315575553

ZHU, H.; CHUNG, C. N. Portfolios of political ties and business group strategy in emerging economies: evidence from Taiwan. Administrative Science Quarterly, v. 59, n. 4, p. 599-638, 2014.