A Percepção Ambiental do Consumidor Considerando a ACV e um Produto da Indústria de Erva-Mate Outros Idiomas

ID:
42605
Resumo:
Este estudo buscou identificar o grau de percepção do consumidor em relação às questões ambientais ao longo da Análise do Ciclo de Vida do produto (ACV) à base de Chá Mate. Para isso, o modelo Vapercom de Brandalise (2008) foi adaptado e aplicado ao público consumidor de chá mate gelado “Xima”, produzido por uma indústria localizada no município de Laranjeiras do Sul, Paraná. Esse modelo possibilita à organização desenvolver ações sobre a gestão do produto na ótica da redução, reutilização e possibilidade de reciclagem. A metodologia é quanti e qualitativa, aplicada a uma amostra de 138 potenciais consumidores do produto em um processo que envolveu a caracterização do produto e do público pesquisado, identificação da percepção ambiental, do consumo ecológico e das etapas ACV. Ao final foi possível descrever a importância para organizações em aplicar o modelo e obter maior conhecimento sobre sua clientela, propiciando ações norteadas pela conduta do consumidor em relação ao produto. Os principais resultados indicam que a organização deve desenvolver ações mercadológicas para informar as fortes características ecológicas presentes no produto, pouco percebidas pelos consumidores.
Citação ABNT:
SERAMIM, R. J.; BRANDALISE, L. T. A Percepção Ambiental do Consumidor Considerando a ACV e um Produto da Indústria de Erva-Mate. Revista de Gestão Social e Ambiental, v. 10, n. 2, p. 19-36, 2016.
Citação APA:
Seramim, R. J., & Brandalise, L. T. (2016). A Percepção Ambiental do Consumidor Considerando a ACV e um Produto da Indústria de Erva-Mate. Revista de Gestão Social e Ambiental, 10(2), 19-36.
DOI:
http://dx.doi.org/10.5773/rgsa.v10i2.1127
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/42605/a-percepcao-ambiental-do-consumidor-considerando-a-acv-e-um-produto-da-industria-de-erva-mate/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Debastiani, S. M.;Tugoz, J. E.; Brandalise, L. T. (2016). A percepção de educandos em relação às ações do PNAE voltadas ao desenvolvimento sustentável. Revista Ibero-Americana de Ciências Ambientais - RICA, 7(1).

Stadler, A.; Maioli, M. R. (2012). Organizações e desenvolvimento sustentável. Curitiba: InterSaberes.

Atkinson, L.; Rosenthal, S. (2014). Signaling the green sell: the influence of Eco-Label source, argument specificity, and product involvement on consumer trust. Journal of Advertising, 43(1), 33-45.

Back, V. T.; Brandalise, L. T. (2015). Videogames e a variável ambiental: análise da disposição dos consumidores em substituir a aquisição de seus jogos de mídia física, por jogos de mídia digital. Anais do Simpósio Internacional de Gestão de Projetos, Inovação e Sustentabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 4.

Barboza, M. N. L.; Filho, E. J. M. A. (2013). Ideologia verde e o comportamento do consumidor tecnológico: preferência de uso e justificação. Revista Pretexto, 14(4), 98-117.

Battistella, L. F.; Grohmann, M. Z.; Mello, C. I.; Radons, D. L. (2013). Consumo ecológico entre as mulheres: análise de antecedentes. Revista Gestão Organizacional, 6(2), 42-55.

Belk, R. W. (1975). Situational variables and consumer behavior. Journal of Consumer Research, v. 2, p. 157-64.

Belk, R. W.; Devinney, T.; Eckhardt, G. (2005). Consumer ethics across cultures. Consumption, Markets & Culture, 8(3), 275-89.

Bertolini, G. R. F. (2004). Modelo de avaliação da percepção dos consumidores em relação aos produtos ecologicamente corretos. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Bertolini, G. R. F.; Brandalise, L. T.; Rojo, C. A.; Lezana Correio, A. G. R. (2013). A viabilidade financeira no desenvolvimento de produtos ecológicos valorizados pelos consumidores. Revista de Gestão e Projetos - GeP, 4(3), 01-29.

Brandalise, L. T. (2008). A percepção do consumidor na análise do ciclo de vida do produto: um modelo de apoio à gestão empresarial. Cascavel, PR: Edunioeste.

Brandalise, L. T. (2012). Desenvolvimento sustentável e o setor público. In: L. T. Brandalise & R. K. Nazzari (Orgs). Políticas de sustentabilidade: responsabilidade social corporativa das questões ecológicas. p. 19-68. Cascavel, PR: Edunioeste.

Brandalise, L. T.; Bertolini, G. R. F.; Rojo, C. A.; Lezana, A. G. R. (2014). Classificação de produtos ecologicamente corretos. Revista Metropolitana de Sustentabilidade, 4(2), 3-24.

Brandalise, L. T.; Bertolini, G. R. F.; Rojo, C. A.; Lezana, A. G. R.; Possamai, O. (2009). A percepção e o comportamento ambiental dos universitários em relação ao grau de educação ambiental. Revista Gestão & Produção, 16(2), 273-285.

Castanho, S. C. R.; Spers, E. E.; Farah, O. E. (2006). Custos e benefícios para o consumidor na ação da reciclagem. Revista de Administração Mackenzie - RAM, 7(4), 78-98.

Chehebe, J. R. B. (1998). Análise do ciclo de vida de produtos: ferramenta gerencial da ISO 14000. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Costa Neto, P L de O. (1977). Estatística. São Paulo: Edgard Blucher.

Dutra, C. J. C.; Mazza, A. A.; Menezes, L. M. L. de. (2014). Innovation in sustainable products: crosscultural analysis of bi-national teams. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade - GeAS, 3(2), 149-164.

Dutta, S. (2014). Components of ecological behaviour and consumer attitude towards sustainable green environment: an empirical analysis on kolkata citizens. Globsyn Management Journal, 8(1/2), 53-63.

Eckert, A.; Neto, S. L. H. C.; Boff, D. S. (2015). Iniciativas e práticas ambientais das pequenas e médias empresas do Vale do Caí - RS. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade - GeAS, 4(1), 108-123.

Forlin, A. M.; Brandalise, L. T.; Bertolini, G. R. F. (2014). Análise do ciclo de vida do produto em uma indústria de Isopor®. Revista Gestão Sustentabilidade Ambiental, 3(1), 201-228.

Frederico, E.; Quevedo-Silva, F.; Freire, O B de L. (2013). Conquistando a confiança do consumidor: minimizando o gap entre consciência ambiental e consumo ambiental. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade - GeAS, 2(2), 50-70.

Gomes, G.; Gorni, P. M.; Dreher, M. T. (2011). Consumo sustentável e o comportamento de universitários: discurso e práxis. Revista Eletrônica de Ciência Administrativa - Recadm, 10(2), 80-92.

Grohmann, M. Z.; Battistella, L. F.; Velter, A. N.; Casasola, F. (2012). Comportamento ecologicamente consciente do consumidor: adaptação da escala ECCB para o contexto brasileiro. Revista de Gestão Social e Ambiental - RGSA, 6(1), 102-116.

Koenig-Lewis, N.; Palmer, A.; Dermody, J.; Urbye, A. (2014). Consumers’ evaluations of ecological packaging - rational and emotional approaches. Journal of Environmental Psychology, Elsevier, v. 37, p. 94-105.

Leite, P. R. (2003). Logística reversa: meio ambiente e competitividade. São Paulo: Prentice Hall.

Lemke, F.; Luzio, J. P. P. (2014). Exploring green consumers’ Mind-Set toward Green Product Design and Life Cycle Assessment: the case of skeptical brazilian and portuguese green consumers. Journal of Industrial Ecology, 18(5), 619-630.

Martins, G de A.(2001). Estatística geral e aplicada. São Paulo: Atlas.

Monteiro, T. A.; Giuliani, A. C.; Zambon, M. S.; Pizzinatto, N. K.; Cunha, C. F. da. (2012). Consciência ecológica e atitudes dos consumidores: um estudo exploratório sobre seus impactos diante de produtos e marcas. Revista de Administração da Unimep, 10(3), 183-198.

Peixoto, A. F.; Pereira, R de C de F. (2013). Discurso versus ação no comportamento ambientalmente responsável. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade - GeAS, 2(2), 71-103.

Pilger, R. R. (2013). Administração e meio ambiente. Curitiba: InterSaberes.

Raupp, F. M.; Beuren, I. M. (2009). Metodologia da pesquisa aplicável às ciências sociais. In I. M. Beuren (org). Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. p.76-97. São Paulo: Atlas.

Reyes-Ricon, M. (2010). Conhecimento e afeto ecológico: antecedentes do consumo ecológico. Dissertação de Mestrado, Fundação Getúlio Vargas, Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas, São Paulo, SP, Brasil. Recuperado em: 17 de fev.2015, de: http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/7891.

Romeiro, M. do C.; Prearo, L. C.; Cordeiro, M. dos S. (2011). O comportamento de descarte seletivo do lixo domiciliar: um estudo exploratório para selecionar fatores de influência da adoção desse comportamento. Revista Gestão & Regionalidade, 27(79), 108-123.

Tamashiro, H R da S.; Silveira, J. A. G. da.; Mantovani, D. M. N.; Campanário, C R A de A. (2014). Aspectos determinantes do consumo de produtos cosméticos verdes. Revista de Administração e Inovação - RAI, 11(1), 238-262.

Thomas, J. A.; Sontag, A. G.; Brandalise, L. T. (2014). A percepção ambiental dos industriais quanto ao ciclo de vida dos produtos (ACV). Anais do Simpósio Internacional de Gestão de Projetos, Inovação e Sustentabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 3, novembro.