Estruturação da Cadeia Reversa de Celulares e os Critérios Relevantes na Comercialização Pós-Consumo Outros Idiomas

ID:
42607
Resumo:
Este estudo tem por objetivo mapear a cadeia reversa de resíduos de celulares, por meio da aplicação do modelo de Lambert e Cooper (2000). Uma análise multicritério também foi proposta para entender quais são os principais critérios utilizados na comercialização desses resíduos, sob o ponto de vista da empresa focal. Neste caso, foram utilizadas duas empresas. Os resultados mostraram que a empresa A se posiciona mais a jusante, com ligações gerenciáveis nos elos adjacentes e foco em economias de escala; enquanto a empresa B tem uma posição central, gerencia elos adjacentes e distantes, portanto tem uma visão mais estratégica em termos de relacionamento colaborativo e com foco na melhoria dos aspectos ambientais, como menor índice de poluição no transporte, menos gastos de energia e menor grau de intoxicação com produtos. Este trabalho pode ser utilizado pelos atores da cadeia reversa de eletrônicos como referência para melhorar o fluxo de materiais e informações e por tomadores de decisões como meio estruturado para tomar decisões a partir de suas preferências dentro do ambiente de negócios.
Citação ABNT:
LEMOS, P. H.; VIEIRA, J. G. V. Estruturação da Cadeia Reversa de Celulares e os Critérios Relevantes na Comercialização Pós-Consumo. Revista de Gestão Social e Ambiental, v. 10, n. 2, p. 53-69, 2016.
Citação APA:
Lemos, P. H., & Vieira, J. G. V. (2016). Estruturação da Cadeia Reversa de Celulares e os Critérios Relevantes na Comercialização Pós-Consumo. Revista de Gestão Social e Ambiental, 10(2), 53-69.
DOI:
http://dx.doi.org/10.5773/rgsa.v10i2.1135
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/42607/estruturacao-da-cadeia-reversa-de-celulares-e-os-criterios-relevantes-na-comercializacao-pos-consumo/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Sergi, T. M. (2014). Resíduos eletroeletrônicos e seu descarte: um estudo baseado na visão dos consumidores sobre a logística reversa de computadores e celulares.

Abinee - Associação Brasileira da Indústria de Eletroeletrônico. (2015). Recuperado em maio de 2015, de: http://www.abinee.org.br/.

Achillas, C.; Vlachokostas, C.; Aidonis, D.; Moussiopoulos, Ν.; Iakovou, E.; Banias, G. (2010). Optimising reverse logistics network to support policy-making in the case of Electrical and Electronic Equipment. Waste Management, 30(12), 2592-2600.

Acosta, B.; Wegner, D.; Padula, A. D. (2008). Logística reversa como mecanismo para redução do impacto ambiental originado pelo lixo informático. Recadm, 7(1), 1-12.

Alves Filho, A. G.; Cerra, A. L.; Maia, J. L.; Sacomano Neto, M.; Bonadio, P. V. G. (2004). Pressupostos da gestão da cadeia de suprimentos: evidências de estudos sobre a indústria automobilística. Gestão & Produção, 11(3), 275-288.

Araujo, A. C. D.; Matsuoka, É. M.; Ung, J. E.; Hilsdorf, W. D. C.; Sampaio, M. (2013). Reverse logistics in the e-commerce: a case study. Gestão & Produção, 20(2), 303-320.

Barrat, M. (2004). Understanding the meaning of collaboration in the supply chain. Supply Chain Management: An International Journal, v. 9, p. 30-42.

Belton, V.; Stewart, T. (2002). Multiple criteria decision analysis: an integrated approach. Springer Science & Business Media.

Besen, G. R.; Günther, W. M. R.; Rodriguez, A.; Brasil, A. L. (2010). Resíduos sólidos: vulnerabilidades e perspectivas. In: Saldiva P. et al. Meio ambiente e saúde: o desafio das metrópoles. São Paulo: Ex Libris.

Betts, K. (2008). Producing usable materials from e-waste. Environ. Sci. Technol, 42(18), 6782-6783.

Bowersox, D. J.; Closs, D. J.; Cooper, M. B.; Bowersox, J. C. (2013). Gestão logística da cadeia de suprimentos. AMGH Editora.

Caldwell, B. (1999). Recuperado em julho de 2016, de://www.informationweek.com/729/logistics.htm.

Corsten, D.; Felde, J. (2005). Exploring the performance effects of key-supplier collaboration. International Journal of Physical Distribution, 35(6), 445-461.

Daher, C. E.; Silva, E. P. D. L. S.; Fonseca, A. P. (2006). Logística reversa: oportunidade para redução de custos através do gerenciamento da cadeia integrada de valor.

De Brito, M. P. (2003). Management reverse logistics or reversing logistics management. Erasmus Research Institute of Management (ERIM).

Demajorovic, J.; Huertas, M. K. Z.; Boueres, J. A.; da Silva, A. G.; Sotano, A. S. (2012). Logística reversa: como as empresas comunicam o descarte de baterias e celulares? / reverse logistics: how do companies report the disposal of batteries and cell phones?/logística reversa:¿ cómo las empresas comunican el descarte de bater ías y celulares? Revista de Administração de Empresas, 52(2), 165.

El-Ansary, A. I. (1992). A strategic perspective of communication and information systems in marketing channels. Journal of Marketing Channels, 1(4), 3-16.

El Faro, O.; Calia, R. C.; Pavan, V. H. G. (2013). A logística reversa do lixo tecnológico: um estudo sobre a coleta do e-lixo em uma importante universidade brasileira. Revista de Gestão Social e Ambiental, 6(3), 142-153.

Ellram, L. M.; Cooper, M.C. (1990). Supply chain management, partnership, and the shipper - third party relationship. The International Journal of Logistics Management, 1(2), 1-10.

Fernando, A. S.; Jorge, M. (2015). Cost assessment and benefits of using RFID in reverse logistics of waste electrical & electronic equipment (Weee). Procedia Computer Science, 55, 688-697.

Fleury, A. C.; Fleury, M. T. (2004). Alinhando estratégia e competência. In: Bertero, Carlos Osmar. Gestão empresarial: estratégias organizacionais. São Paulo: Atlas.

Flynn, B. B.; Huo, B.; Zhao, X. (2010). The impact of supply chain integration on performance: a contingency and configuration approach. Journal of Operations Management, v. 28, p. 58-71.

Franke, C.; Basdere, B.; Ciupek, M.; Seliger, S. (2006). Remanufacturing of mobile phones - capacity, program and facility adaptation planning. Omega, 34(6), 562-570.

Geyer, R.; Blass, V. D. (2010). The economics of cell phone reuse and recycling. The International Journal of Advanced Manufacturing Technology, 47(5/8), 515-525.

Guarnieri, P. (2011). Logística reversa: em busca do equilíbrio econômico e ambiental. Patricia Guarnieri.

Hagelaar, G. J.; Van der Vorst, J. G. (2001). Environmental supply chain management: using life cycle assessment to structure supply chains. The International Food and Agribusiness Management Review, 4(4), 399-412.

Heide, J. B.; John, G. (1990). Alliances in industrial purchasing: the determinants of joint action in buyersupplier relationship. Journal of Marketing Research, v. 27, p. 24-36

Hori, M. (2010). Custos da logística reversa de pós-consumo: um estudo de caso dos aparelhos e das baterias de telefonia celular descartados pelos consumidores. (Doctoral dissertation, Universidade de São Paulo).

Jayant, A.; Gupta, P.; Garg, S. K.; Khan, M. (2014). Topsis-AHP based approach for selection of reverse logistics service provider: a case study of mobile phone industry. Procedia Engineering, v. 97, p. 2147-2156.

Keeney, R. L. (1992). Value-focused thinking: a path to creative decision analysis.

Lambert, D. M.; Cooper, M. C. (2000). Issues in supply chain management. Industrial marketing management, 29(1), 65-83.

Leite, P. R.; Lavez, N.; Souza, V. M. (2009). Fatores da logística reversa que influem no reaproveitamento do “lixo eletrônico”- um estudo no setor de informática. Simpo I.

Miguez, E. C. (2010). Logística reversa como solução para o problema do lixo eletrônico: benefícios ambientais e financeiros. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Moraes, D. G. S.; Rocha,T. B.; Edwald, M. R.; Pimentel, M. B. C.; Silva, J. R. A. (2012). Logística reversa de celulares: avaliação de cenários. Production, 24(4), 735-741.

Novaes, A. G. (2001). Logística e gerenciamento da cadeia de distribuição: estratégia.Operação e avaliação. Rio de Janeiro: Editora Campus.

Pires, N. (2007). Modelo para a logística reversa dos bens de pós-consumo em um ambiente de cadeia de suprimentos.

Prahinski, C.; Kocabasoglu, C. (2006). Empirical research opportunities in reverse supply chains. Omega, 34(6), 519-532.

Ramos, T. R. P.; Gomes, M. I.; Barbosa-Póvoa, A. P. (2014). Planning a sustainable reverse logistics system: Balancing costs with environmental and social concerns. Omega, v. 48, p. 60-74.

Rodrigues, D. F.; Rodrigues, G. G.; Leal, J. E.; Pizzolato, N. D. (2002). Logística reversa-conceitos e componentes do sistema. Curitiba: Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 22.

Rogers, D. S.; Tibben-Lembke, R. (2001). An examination of reverse logistics practices. Journal of Business Logistics, 22(2), 129-148.

Ruas, R.; Antonello, C. S.; Boff, L. H. (2005). Os novos horizontes de gestão: aprendizagem organizacional e competências. Bookman Editora.

Vieira, J. G. V, Lustosa, L. J.; Yoshizaki, H. Y. (2003). Análise da cadeia de suprimentos da indústria de laticínio da Zona da Mata Mineira: integração das empresas. Revista Pesquisa e Desenvolvimento Engenharia de Produção, (1), 30-46.

Whipple, J. M.; Frankel, R.; Daugherty, P. J. (2002). Information support for alliances: performance implications. Journal of Business Logistics, 23(2), 67-82.