Inovações institucionais participativas: uma abordagem exploratória da produção brasileira em Administração Pública na RAP e no EnAPG (1990-2014) Outros Idiomas

ID:
42638
Periódico:
Resumo:
O objetivo deste artigo é fazer um levantamento exploratório da literatura brasileira sobre Administração Pública, para verificar as investigações conduzidas pela comunidade de pesquisadores sobre as inovações institucionais de caráter participativo, tendo em vista traçar um panorama dos limites e avanços dessas pesquisas, apontando lacunas e estabelecendo uma agenda de investigação. Para isso, discutimos as mudanças nas relações Estado e sociedade e as inovações institucionais de caráter participativo. Em seguida, abordamos a metodologia da pesquisa, que consistiu em uma pesquisa de caráter qualitativo e quantitativo, a fim de selecionar e classificar artigos sobre inovações institucionais participativas, na Revista de Administração Pública (RAP), no período de 1990 a 2014, e nas edições de 2004, 2006, 2008, 2010, 2012 e 2014 do Encontro de Administração Pública e Governança da Associação Nacional de Pós-Graduação em Administração (EnAPG). Para analisar os dados e discutir os resultados, recorremos às distribuições de frequência absoluta e relativa, dispostas em tabelas e gráficos. Na conclusão, apresentamos o status das pesquisas sobre inovações institucionais participativas na área, bem como uma agenda de pesquisa para orientar futuras investigações sobre o tema.
Citação ABNT:
PAULA, A. P. P.; KEINERT, T. M. M. Inovações institucionais participativas: uma abordagem exploratória da produção brasileira em Administração Pública na RAP e no EnAPG (1990-2014) . Cadernos EBAPE.BR, v. 14, n. 3, p. 744-758, 2016.
Citação APA:
Paula, A. P. P., & Keinert, T. M. M. (2016). Inovações institucionais participativas: uma abordagem exploratória da produção brasileira em Administração Pública na RAP e no EnAPG (1990-2014) . Cadernos EBAPE.BR, 14(3), 744-758.
DOI:
http://dx.doi.org/10.1590/1679-395130829
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/42638/inovacoes-institucionais-participativas--uma-abordagem-exploratoria-da-producao-brasileira-em-administracao-publica-na-rap-e-no-enapg--1990-2014--/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALMEIDA, C.; TATAGIBA, L. Os conselhos gestores sob o crivo da política: balanços e perspectivas. Serviço Social & Sociedade, n. 109, p. 68-92, 2012.

AVRITZER, L. Conferências nacionais: ampliando e redefinindo os padrões de participação social no Brasil. Texto para Discussão IPEA, n. 1739, p. 1-24, 2012.

AVRITZER, L. Instituições participativas e desenho institucional: algumas considerações sobre a variação da participação no Brasil democrático. Opinião Pública, v. 14, n. 1, p. 43-64, 2008.

BAVA, S. C. Os conselhos como instrumentos da sociedade civil. In: CARVALHO, M. C.; TEIXEIRA, A. C. Conselhos gestores de políticas públicas. Pólis, n. 37, p. 68-69, 2000.

BRASIL. Decreto n° 8.243, de 23 de maio de 2014. 2014. Política Nacional de Participação Social. Disponível em: . Acesso em: 2 jun. 2014.

BREMAEKER, F. E. J. Os conselhos municipais existentes no Brasil. Estudos Especiais IBAM, v. 23, p. 1-14, 2001.

BRESSER-PEREIRA, L. C. Democracia participativa. 2014. Disponível em: . Acesso em: 1º jul. 2014.

CARVALHO, M. C.; FELGUEIRAS, D. Orçamento participativo no ABC. Pólis, n. 34, 2000.

CONSTANTINO, R. PT quer amordaçar sociedade civil. 2014. Disponível em: . Acesso em: 3 jul. 2014.

FARAH, M. F. S. Inovação e governo local no Brasil contemporâneo. In: JACOBI, P.; PINHO, J. A. Inovação no campo da Gestão Pública local. Novos desafios, novos patamares. 41-76 p. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2006.

KEINERT, T. M. M. Administração Pública no Brasil. Crise e mudanças de paradigmas. São Paulo: Annablume/Fapesp, 2000.

Nd. DECRETO sobre conselhos fere a lei e a separação de poderes, diz Alves. 2014. Disponível em: . Acesso em: 3 jul. 2014.

Nd. MANIFESTO reúne artistas e intelectuais em apoio à participação social no governo. 2014. Disponível em: . Acesso em: 3 jul. 2014.

Nd. PARTICIPAÇÃO popular: entenda o novo (e controverso) decreto. 2014. Disponível em: . Acesso em: 3 jul. 2014.

PAES DE PAULA, A. P. Por uma nova Gestão Pública. Limites e potencialidades da experiência contemporânea. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2003.

PINHO, J. A. G.; SANTANA, M. W. Inovação na Gestão Pública no Brasil: uma aproximação teórico-conceitual. 1998. Disponível em: . Acesso em: 14 dez. 2015. 1998.

PÓLIS. Audiências públicas. Repente, n. 24, 2005.

RAICHELIS, R. Os conselhos de gestão no contexto internacional. In: CARVALHO, M. C.; TEIXEIRA, A. C. Conselhos gestores de políticas públicas. Pólis, n. 37, p. 41-47, 2000.

ROCHA, E. A Constituição Cidadã e a institucionalização dos espaços de participação social: avanços e desafios. 2008. Disponível em: . Acesso em: 5 jul. 2014. 2008.

SPINK, P. A inovação na perspectiva dos inovadores. In: JACOBI, P.; PINHO, J. A. Inovação no campo da Gestão Pública local. Novos desafios, novos patamares. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2006. 23-40 p.

TATAGIBA, L. Os conselhos gestores e a democratização das políticas públicas no Brasil. In: DAGNINO, E. Sociedade civil e espaços públicos no Brasil. São Paulo: Paz e Terra, 2002. 47-106 p.

TEIXEIRA, E. C. Efetividade e eficácia dos conselhos. In: CARVALHO, M. C.; TEIXEIRA, A. C. Conselhos gestores de políticas públicas. Pólis, n. 37, p. 92-96, 2000.

TENÓRIO, F. G.; MARQUES FILHO, H. Cidadania deliberativa: um estudo de caso. In: JACOBI, P.; PINHO, J. A. Inovação no campo da Gestão Pública local. Novos desafios, novos patamares. 97-116 p. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2006.