Análise da Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) sob a Perspectiva das Diferenças entre Gêneros Outros Idiomas

ID:
43170
Periódico:
Resumo:
Esta pesquisa objetivou analisar as diferenças na qualidade de vida no trabalho (QVT) de homens e mulheres nas organizações. Como método de pesquisa, optouse pela realização de um levantamento de campo. O instrumento de pesquisa foi elaborado com base no Protocolo Biopsicossocial e Organizacional. A amostra de pesquisa foi composta por 310 indivíduos e, para análise dos dados coletados, efetuaram-se testes t para testar a igualdade das médias de respostas entre homens e mulheres. Como resultados, foi possível constatar que as mulheres estão menos satisfeitas do que os homens em relação ao salário recebido, às oportunidades de crescimento profissional, aos critérios de recrutamento e seleção (tanto internos quanto externos) e à possibilidade de participação em comitês de decisão. Além disso, as mulheres tendem a se mostrar menos satisfeitas quanto à interferência que o trabalho causa em sua vida pessoal e ao suporte recebido dos colegas. A partir dos resultados obtidos, identificaram-se três desafios para as organizações no que se refere à diversidade de gênero: equalização salarial e de oportunidades de crescimento profissional entre os gêneros; flexibilização do trabalho, atrelada a uma política de suporte direcionada aos filhos dos funcionários, para que as mulheres possam adequar demandas familiares e profissionais; e implantação de uma política de estímulo à inserção da mulher nos órgãos colegiados de decisão.
Citação ABNT:
CERIBELI, H. B.; CERIBELI, M. C. B.; FERREIRA, F. J. R. Análise da Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) sob a Perspectiva das Diferenças entre Gêneros. Reuna, v. 21, n. 3, p. 5-24, 2016.
Citação APA:
Ceribeli, H. B., Ceribeli, M. C. B., & Ferreira, F. J. R. (2016). Análise da Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) sob a Perspectiva das Diferenças entre Gêneros. Reuna, 21(3), 5-24.
DOI:
http://dx.doi.org/10.21714/2179-8834/2016v21n3p05-24
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/43170/analise-da-qualidade-de-vida-no-trabalho--qvt--sob-a-perspectiva-das-diferencas-entre-generos/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALVES, M. A.; GALEÃO-SILVA, L. G. A crítica da gestão da diversidade nas organizações. RAE - Revista de Administração de Empresas, v. 44, n. 3, p. 20-29, 2004.

BADAL, S.; HARTER, J. K. Gender diversity, business-unit engagement, and performance. Journal of Leadership & Organizational Studies, v. 21, n. 4, p. 354-365, 2014.

BARBOSA, A. J. G.; CAMPOS, R. A.; VALENTIM, T. A. A diversidade em sala de aula e a relação professor-aluno. Estudos de Psicologia, v. 28, n. 4, p. 453-461, 2011.

CATHO. As diferenças salariais entre homens e mulheres, 2007. Disponível em: . Acesso em: 24 nov.2015. 2007.

FERNÁNDES, J. The impact of gender diversity in foreign subsidiaries’ innovation outputs. International Journal of Gender and Entrepreneurship, v. 7, n. 2, p. 148-167, 2015.

FERREIRA, R. R.; FERREIRA, M. C.; ANTLOGA, C. S.; BERGAMASCHI, V. Concepção e implantação de um programa de qualidade de vida no trabalho no setor público: o papel estratégico dos gestores. Revista de Administração, v. 44, n. 2, p. 147-157, 2009.

FITZSIMMONS, S. R. Women on boards of directors: why skirts in seats aren’t enough? Business Horizons, v. 55, n. 6, p. 557-566, 2012.

GANESH, S.; GANESH, M. P. Effects of masculinity-femininity on quality of work life. Gender in Management: An International Journal, v. 29, n. 4, p. 229-253, 2014.

GRANT THORNTON. Women in business: turning promise into practice. Grant Thornton International, 2016. Disponível em: . Acesso em: 07 jul. 2016.

HAIR JUNIOR, J. F.; BABIN, B.; MONEY, A. R.; SAMOUEL, P. Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman, 2005.

HAIR JUNIOR, J. F.; BLACK, W. C.; BABIN, B. J.; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R. L. Análise multivariada de dados. 6. ed. Porto Alegre: Bookman, 2009.

HOOGENDOORN, S.; OOSTERBEEK, H.; VAN PRAAG, M. The impact of gender diversity on the performance of business teams: evidence from a field experiment. Management Science, v. 59, n. 7, p. 1514-1528, 2013.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua. Rio de Janeiro: IBGE, 2015. Disponível em: . Acesso em: 05 set. 2015.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2013. Disponível em: . Acesso em: 05 Set. 2013.

INTERNATIONAL LABOUR ORGANIZATION. Women in business and management: gaining momentum. Geneva: ILO, 2015. Disponível em: . Acesso em: 04 ago. 2015.

JESUS, J. G. O desafio da convivência: assessoria de diversidade e apoio aos cotistas (2004-2008). Psicologia: Ciência e Profissão, v. 33, n. 1, p. 222-233, 2013.

KAKABADSE, N. K.; FIGUEIRA, C.; NICOLOPOULOU, K.; YANG, J. H.; KAKABADSE, A. P.; ÖZBILGIN, M. F. Gender diversity and board performance: women’s experiences and perspectives. Human Resource Management, v. 54, n. 2, p. 265-281, 2015.

KREITZ, P. A. Best practices for managing organizational diversity. The Journal of Academic Librarianship, v. 34, n. 2, p. 101-120, 2008.

LAZZARETTI, K.; GODOI, C. K.; CAMILO, S. P. O.; MARCON, R. Gender diversity in the boards of directors of Brazilian businesses. Gender in Management: An International Journal, v. 28, n. 2, p. 94-110, 2013.

LEITE, D. F.; NASCIMENTO, D. D. G.; OLIVEIRA, M. A. C. Qualidade de vida no trabalho de trabalhadores do NASF no município de São Paulo. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 24, n. 2, p. 507-525, 2014.

LIMONGI-FRANÇA, A. C. Indicadores empresariais de Qualidade de Vida no Trabalho: uma análise com critérios biopsicossociais de esforço da empresa e satisfação dos empregados em manufaturas com certificação ISO 9000. Revista da Associação Brasileira de Medicina Psicossomática, v. 1, n. 1, p. 178-179, 1997.

LIMONGI-FRANÇA, A. C. Qualidade de vida no trabalho - QVT: conceitos e práticas nas empresas da sociedade pós-industrial. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

MACCALI, N.; KUABARA, P. S. S.; TAKAHASHI, A. R. W.; ROGLIO, K. D.; BOEHS, S. T. M. As práticas de recursos humanos para a gestão da diversidade: a inclusão de deficientes intelectuais em uma federação pública do Brasil. RAM - Revista de Administração Mackenzie, v. 16, n. 2, p. 157-187, 2015.

MALHOTRA, N. K. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. Porto Alegre: Bookman, 2006.

MELO, L. Número de mulheres na chefia cresce a passos lentos no país, 2015. Disponível em: . Acesso em: 19 nov. 2015.

MOEHLECKE, S. As políticas de diversidade na educação no governo Lula. Cadernos de Pesquisa, v. 39, n. 137, p. 461-487, 2009.

MOEN, P. An institutional/organizational turn: getting to work-life quality and gender equality. Work and Occupations, v. 42, n. 2, p. 174-182, 2015.

NIEDERLE, M.; SEGAL, C.; VESTERLUND, L. How costly is diversity?Affirmative action in light of gender differences in competitiveness. Management Science, v. 59, n. 1, p. 1-16, 2013.

NKOMO, S. M.; COX JUNIOR, T. Diversidade e identidade nas organizações. In: CLEGG, S. R.; HARDY, C.; NORD, W. R. (Orgs.). Handbook de estudos organizacionais: modelos de análises e novas questões em estudos organizacionais. v. 3. p. 332-353. São Paulo: Atlas, 2004.

OLIVEIRA, R. R.; SILVA, I. B.; CASTRO, D. S. P.; LIMONGI-FRANÇA, A. C. Qualidade de vida no trabalho - QVT dos professores de ensino técnico Federal: os fatores biopsicossociais e organizacionais de satisfação. Revista de Administração da UNIMEP, v. 11, n. 2, p. 143-173, 2013.

OPSTRUP, N.; VILLADSEN, A. R. The right mix?Gender diversity in top management teams and financial performance. Public Administration Review, v. 75, n. 2, p. 291-301, 2015.

ORGANIZAÇÃO PARA COOPERAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO. Education at a glance 2015: OECD indicators. OECD Publishing, 2015. Disponível em: . Acesso em: 05 set. 2015.

OSTERGAARD, C. R.; TIMMERMANS, B.; KRISTINSSON, K. Does a different view create something new?The effect of employee diversity on innovation. Research Policy, v. 40, n. 3, p. 500-509, 2011.

PAROLA, H. R.; ELLIS, K. M.; GOLDEN, P. Performance effects of top management team gender diversity during the merger and acquisition process. Management Decision, v. 53, n. 1, p. 57-74, 2015.

PEREIRA, J. B. C.; HANASHIRO, D. M. M. Ser ou não ser favorável às práticas de diversidade?Eis a questão. Revista de Administração Contemporânea, v. 14, n. 4, p. 670-683, 2010.

PUFF, J. Mais escolarizadas, mulheres ainda ganham menos e têm dificuldades de subir na carreira, 2015. Disponível em: . Acesso em: 19 nov. 2015.

SANT’ANNA, L. L.; PASCHOAL, T.; GOSENDO, E. E. M. Bem-estar no trabalho: relações com estilos de liderança e suporte para ascensão, promoção e salários. Revista de Administração Contemporânea, v. 16, n. 5, p. 744-764, 2012.

SCHIRRMEISTER, R.; LIMONGI-FRANÇA, A. C. A qualidade de vida no trabalho: relações com o comprometimento organizacional nas equipes multicontratuais. Revista Psicologia, Organizações e Trabalho, v. 12, n. 3, p. 283-298, 2012.

SERRANO, C.; BRUNSTEIN, J. O gestor e a PcD: reflexões sobre aprendizagens e competências na construção da diversidade nas organizações. REAd, v. 17, n. 2, p. 360-395, 2011.

SONNABEND, S. Gender diversity in the corporate boardroom: creating a tipping point for change. Journal of Management Inquiry, v. 24, n. 2, p. 212-213, 2015.

TIMOSSI, L. S.; FRANCISCO, A. C.; SANTOS JUNIOR, G.; XAVIER, A. A. P. Análise da qualidade de vida no trabalho de colaboradores com diferentes níveis de instrução através de uma análise de correlações. Produção, v. 20, n. 3, p. 471-480, 2010.

VIANA, A. B. N. Pesquisa quantitativa aplicada ao varejo. In: MERLO, E. M. (Org.). Administração de varejo com foco em casos brasileiros. Rio de Janeiro: LTC, 2011.

WILLIAMS, C. L.; KILANSKI, K.; MULLER, C. Corporate diversity programs and gender inequality in the Oil and Gas Industry. Work Occupations, v. 41, n. 4, p. 440476, 2014.

ZHANG, Y.; HOU, L. W. The romance of working together: benefits of gender diversity on group performance in China. Human Relations, v. 65, n. 11, p. 1487-1508, 2012.