'A Estratégia do Ceder para Não Se Perder': o Maracatu Rural como um Campo de Luta Outros Idiomas

ID:
43242
Resumo:
Em um mundo em que as relações mercantis orientam a sociedade contemporânea, vive-se uma dinâmica de disputas de espaços. Inserido em um mercado de entretenimento e na indústria do turismo, o Maracatu Rural de Pernambuco tem sido formatado como produto cultural. Adotando-se a sociologia econômica de Pierre Bourdieu como suporte teórico, o presente estudo buscou compreender como se configura o campo do Maracatu Rural em Pernambuco diante de uma lógica econômica. Para tal, realizou-se a presente pesquisa qualitativa, de caráter etnográfico e interpretativista, por meio de observações, bem como de entrevistas decorrentes de interações com agentes do campo.
Citação ABNT:
PEREIRA, R. A.; LEÃO, A. L. M. S. 'A Estratégia do Ceder para Não Se Perder': o Maracatu Rural como um Campo de Luta. Revista Organizações em Contexto, v. 12, n. 24, p. 253-281, 2016.
Citação APA:
Pereira, R. A., & Leão, A. L. M. S. (2016). 'A Estratégia do Ceder para Não Se Perder': o Maracatu Rural como um Campo de Luta. Revista Organizações em Contexto, 12(24), 253-281.
DOI:
http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v12n24p253-281
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/43242/-a-estrategia-do-ceder-para-nao-se-perder---o-maracatu-rural-como-um-campo-de-luta/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BONAMINO, A.; ALVES, F.; FRANCO, C. “Os efeitos das diferentes formas de capital no desempenho escolar: um estudo à luz de Bourdieu e de Coleman.” Revista Brasileira de Educação, v. 15, n. 45, set./dez., 2010.

BOURDIEU, P. Razão práticas: Sobre a teoria da ação, Campinas, SP: Papirus, 1996.

BOURDIEU, Pierre. “O campo econômico”. Política & Sociedade, 6: 15-58 (tradução de “Le champ économique”. Actes de la Recherche em Sciences Sociales, 119: 48-66, 1997), 2005.

BOURDIEU, Pierre. A Distinção: crítica social do julgamento; tradução Daniela Kern; Guilherme J. F. Teixeira, São Paulo: Edusp; Porto Alegre, RS: Zouk, 2008.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas; introdução, organização e seleção Sérgio Miceli, 7. ed., São Paulo: Perspectiva, 2011.

BOURDIEU, Pierre. La fabrique de l’habitus économique. Actes de la recherche en sciences sociales, n. 150: 79-90, 2003.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico; tradução Fernando Tomaz, 16. ed., Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

EMPETUR – Empresa de Turismo de Pernambuco. Turismo. Disponível em Acessado em 15 de agosto de 2013.

FLICK, Uwe. Uma introdução à pesquisa qualitativa, 2. ed., Porto Alegre: Bookman, 2004.

GAIÃO, B.; LEÃO, A. A Configuração do Campo de Consumo do Vinho do Vale do São Francisco: Uma Luta por Preservação ou Subversão da Ordem Vigente no Consumo Vínico, XXXVI Encontro ANPAD, Rio de Janeiro, janeiro, 2012.

GARCIA-PARPET, Marie-France. “A sociologia da economia de Pierre Bourdieu”. Sociologia & Antropologia, Rio de Janeiro, v. 03.05: 91-117, junho, 2013.

GAY, Paul do; PRYKE, Michael. Cultural Economy: cultural analysis and commercial life, London. Sage publications, 2002.

GOFFMAN, E.; The neglected Situation. American Anthropologist, 66 (6): 133-166, dezembro 1964.

GRILLO, Maria. Cavalo-marinho: um folguedo Pernambucano. Revista Esboços, Florianópolis, v. 18, n. 26, p. 138-152, dez., 2011.

HEYL, Barbara. Ethnographic Interviewing. Handbook of ethnography. Sage: London, 2001.

LACERDA. Angela. Maracatu de baque solto se multiplica; Olinda faz encontro anual. O Estadão de São Paulo, São Paulo, 16 de fevereiro de 2010. Disponível em: Acessado em 15 de maio de 2012.

LEÃO, André L. M. S.; MELLO, Sérgio C. B. Apresentando a Etnografia da Comunicação ao Campo da Pesquisa em Administração. In: I EnEPQ, 2007, Recife. I EnEPQ, 2007.

LEÃO, André; MELLO, Sérgio. Atividades Marcárias na Vida Cotidiana dos Consumidores: Descoberta de uma Nova Forma de se Pensar as Marcas? RAC – Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 13, n. 1, art. 6, p. 92-116, jan./mar., 2009.

MORAES, Ulisses. Pierre Bourdieu: Campo, habitus e capital simbólico. Um método de análise para as políticas públicas para a música popular e a produção musical em Curitiba (19711983). Escola de Música e Belas Artes do Paraná, Curitiba, 2006-2007.

NASCIMENTO, Denise e MARTELETO, Regina. A “Informação Construída” nos meandros dos conceitos da Teoria Social de Pierre Bourdieu. Data Grama Zero. Artigo 05, out., 2004. Disponível em Acessado em 15 de agosto de 2013.

NOVAES, Marcos. GIL, Antônio. A pesquisa-ação participante como estratégia metodológica para o estudo do empreendedorismo social em administração de empresas. RAM – revista de administração Mackenzie, v. 10, n. 1, 2009.

OLIVEIRA, Afonso. Maracatu Rural – A magia dos canaviais. Exposição Correios, Recife, 10 de mar., 2013.

PAIVA, F.; LEÃO, A. MELLO, S. Validade e Confiabilidade na Pesquisa Qualitativa em Administração. EnEPQ, Recife/PE, novembro, 2007.

RAUD, Cécile. “Bourdieu e a nova sociologia econômica.” Tempo Social, revista de sociologia da USP, v. 19, n. 2: 202-232, novembro, 2007.

SHINOHARA, N.; MARTINS, C.; OLIVEIRA, K.; PADILHA, M.; PINTO, I. O bolo Souza Leão: Pernambuco dos sabores culturais. Contexto da Alimentação – comportamento, cultura e sociedade. Volume 2, Número 1, Ano 2013.

SILVA, Severino. Culturas do Açúcar em Pernambuco. Artigo de revista de Pesquisa Histórica – n. 26-2, 2008.

SINDETUR – Sindicato das Empresas de Turismo do Estado de Pernambuco. Projeto Pernambuco conhece Pernambuco. Publicado em 17 de abril de 2012. Disponível em Acessado em 15 de agosto de 2013.

TESSER, Paula. Mangue beat: húmus cultural e social. LOGOS 26: comunicação e conflitos urbanos, Rio de Janeiro, ano 14, 1º. semestre 2007.

ULLRICH, D.; OLIVEIRA, J.; BASSO, K.; VISENTINI, M. Reflexões teóricas sobre confiabilidade e validade em pesquisas qualitativas: em direção à reflexividade analítica. Análise – Revista de Administração da PUCRS, Porto Alegre, v. 23, n. 1, p. 19-30, jan./abr. 2012.