Programas de Endomarketing na Indústria de Produtos Orgânicos: Estudo do Marketing de Relacionamento Outros Idiomas

ID:
43850
Resumo:
O estudo buscou este trabalho buscou investigar a aplicabilidade da utilização, no agronegócio da ferramenta do marketing de relacionamento nos Programas de endomarketing (voltados ao público interno, os colaboradores). Foram investigadas na pesquisa 12 empresas, tendo assim uma amostra por conveniência. Pode-se concluir que os objetivos dos Programas de Endomarketing estão direcionados para promover o bem-estar, buscar o comprometimento e a capacitação, e informar os colaboradores. Os maiores benefícios oferecidos pelos Programas de Endomarketing, apontados pelas empresas, são: Estimulam à participação de todos os colaboradores da organização; Melhoram as atitudes e comportamentos dos colaboradores com relação ao emprego; Criam e promovem idéias nas organizações voltadas ao bom atendimento ao cliente; Contribuem para a melhoria dos índices de produtividade; Favorecem o recrutamento e seleção; e Incluem os planos de carreira como instrumentos de motivação. Este estudo representa a assunção do Marketing de Relacionamento em 50% das empresas contatadas, já que a investigação nos pontos de venda permitiu a verificação de 24 empresas.
Citação ABNT:
GRAZIANO, G. O.; OSWALDO, Y. C.; PIZZINATTO, A. K.; SPERS, V. R. E. Programas de Endomarketing na Indústria de Produtos Orgânicos: Estudo do Marketing de Relacionamento. Revista Brasileira de Marketing, v. 15, n. 5, p. 626-641, 2016.
Citação APA:
Graziano, G. O., Oswaldo, Y. C., Pizzinatto, A. K., & Spers, V. R. E. (2016). Programas de Endomarketing na Indústria de Produtos Orgânicos: Estudo do Marketing de Relacionamento. Revista Brasileira de Marketing, 15(5), 626-641.
DOI:
10.5585/remark.v15i5.3410
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/43850/programas-de-endomarketing-na-industria-de-produtos-organicos--estudo-do-marketing-de-relacionamento/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Camelo, Marjony Barros; Vidal, Mauricelia Bezerra. (2006). O Endomarketing A Partir Da Perspectiva De Aprendizado E Crescimento Do Balanced Scorecard. In: Iv Simpósio De Gestão E Estratégia Em Negócios, Seropédica, Rj, Brasil, Setembro.

Aaker, D. A.; Kumar, V.; Day, G. S. (2001). Pesquisa De Marketing. São Paulo: Atlas.

Bekin, S. F. (1995). Conversando sobre Endomarketing. São Paulo: Makron Books.

Berlin, L.; Lockeretz, W.; Bell, R. (2009). Purchasing foods produced on organic, small and local farms: a mixed method analysis of New England consumers.Renewable agriculture and food systems. Cambridge, 24(Dec.), 267-276.

Berry, L.L (1983). Relationship Marketing. In: Berry, L.L.; Shostack, G.L.; Upah, G.D. Emerging Perspectives on Services Marketing. pp. 25-28. Chicago, American Marketing Association.

Bitner, M. J.; Booms, B. H.; Mohr, L. A. (1994). Critical Service Encounters: The Employee's Viewpoint. Journal of Marketing, v. 58, pp. 95-106.

Borden, N.H. (1964). The Concept of the Marketing Mix. Journal of Advertising Research, 4(June), 2-7.

Boyd, H. W.; Westfall, R. (1996). Pesquisa Mercadológica. São Paulo: FGV.

Brodie, Roderick J.; Coviello, Nicole E, Winklhofer, Heidi. (2008). Contemporary Marketing Practices Research Program: A Review of The First Decade. The Journal of Business & Industrial Marketing. Santa Barbara, 23(2), 84-94.

Brum, Analisa de Medeiros. (2010). Endomarketing De A A Z: Como Alinhar O Pensamento Das Pessoas À Estratégia Da Empresa. São Paulo: Integrare.

Cerqueira Neto, E. P (1994). Reengenharia do negócio. São Paulo: Pioneira.

Cobra, Marcos. (2009). Administração de marketing no Brasil. 3 ed. Rio de Janeiro: Campus.

Darolt, M. (2002). Agricultura Orgânica: Inventando o Futuro. Londrina: IAPAR.

Dwyer, F. Robert; Schurr, Paul H.; Oh, Sejo. (1987). Developing Buyer-Seller Relationships. Jornal Of Marketing, v. 51, n. 2, april.

Embrapa. (2011). Empresa Brasileira De Pesquisa Agropecuária. Disponível Em: http://www21.sede.embrapa.br. Acessado Em Mar.

Gonçalves, Cid Filho; Guerra, Renata S.; Moura, Alexandre. (2003). Mensuração de satisfação, qualidade, lealdade, valor e expectativa em instituições de ensino superior: um estudo do modelo através de equações estruturais. Anais: ENANPAD.

Gronroos, Christian. (1991). The Marketing Strategy Continuum: Towards A Marketing Concept For The 1990s. Management Decision, 29(1), 7-13.

Grönroos, Christian. (2003). Marketing, Gerenciamento E Serviços. 2 ed. Rio De Janeiro: Campus.

Gummesson, Evert. (2010). Marketing de Relacionamento total. 3 ed. São Paulo: Bookman.

Hoof, C. H. Y. (2005). A Era Dos Produtos Orgânicos. 2000. Disponível Em: http://www.janssencilag.com.br/dicassaude/dicas_saude3.asp?area=&item=&dica=19. Acesso em outubro.

Kotler, Philip; Armstrong. G. (1998). Princípios De Marketing. 7 ed. Rio De Janeiro: Prentice-Hall.

Lages, Natalia de Sales; Neto, Alcivio Vargas (2003). Mensurando a Consciência Ecológica do Consumidor: Um Estudo Realizado na Cidade de Porto Alegre. Anais ENANPAD.

Limongi-França, Ana Cristina. (2009). Práticas de recursos humanos: conceitos ferramentas e procedimentos. São Paulo: Atlas.

Malhotra, N. K. (2005), Introdução à Pesquisa de Marketing. São Paulo: Prentice Halll do Brasil.

Mattar, F.N. (1996). Pesquisa De Marketing. São Paulo: Atlas.

Mccarthy, E. J. (1990). Basic Marketing Homewood: Irwin 240. Michael John Harker And John Egan.

Mcgarry, E. D. Some Functions Of Marketing Reconsidered. In: Cox, R.; Alderson, W. (1950). Theory Of Marketing Chicago: Irwin.

Mckena, Regis. (1992). Marketing De Relacionamento: Estratégias Bem-Sucedidas Para A Era Do Cliente. 9 ed. Rio De Janeiro: Campus.

Mckenna, R. (1996). Marketing De Relacionamento: Estratégias Bem-Sucedida Para A Era Do Cliente. Traduzido Por Outras Palavras Consultoria Lingüística E Serviços De Informática. Rio De Janeiro: Campus.

Neves, Marco Fava (2008). Uma Proposta para Construção de Métodos de Planejamento e Gestão (Seqüência de Passos) nos Agronegócios. In: XXXII Encontro da ANPAD.

O'malley, L.; Patterson, M. Vanishing. (1998). Point: The Mix Management Paradigm Re-Viewed. Journal Of Marketing Management. v. 14, 829-851.

Olbrzymek, Juliana Regiani; Olbrzymek, Marilda Regiani; Bretzke, Renato Osvaldo. (2005). Marketing De Relacionamento: Grandes Projetos Não Envolvem Somente Tecnologia. In: Agathos: Revista Cientifica Da Assevim, 1(1). Outubro.

Ribeiro, Áurea; Cobra, Marcos. (2000). Marketing: Magia E Sedução. São Paulo: Cobra.

Severino, A. J. (1993). Metodologia do Trabalho Científico. 19 ed. São Paulo: Cortez.

Sheth, J. N.; Parvatiyar, A. (1995). The evolution of relationship marketing. International Business Review, v. 4, n. 4,p. 471-481

Takala, T Uusitalo. (1996). O. Na Alternative View Of Relationship Marketing: A Framework For Ethical Analysis. European Journal Of Marketing, v. 30, n. 2.

Thomas, B. (1976). The Characteristics Of A Marketing Relationship. Quarterly Review Of Marketing, Vol. 2.

Tofoli, Eduardo Teraoka; Tofoli, Irso; Santos, André Ricardo Ponce dos. (2006). Estratégia Do Marketing De Relacionamento Em Empresa Orientada Para O Mercado Na Conquista De Uma Maior Participação Do Mercado, In: Iv Simpósio De Gestão E Estratégia Em Negócios, Seropédica, Rj, Brasil, Setembro.

Vergara, S. C. (2005). Métodos De Pesquisa Em Administração. São Paulo: Atlas.

Waterschoot, W.; Van Den, Bulte. (1992). The 4p Classification Of The Marketing Mix Revisited. Journal Of Marketing, 56(October), 83-93.

Whiteley, R. (1996). A empresa totalmente voltada para o cliente, Rio de Janeiro: Campus.

Yamashita, Sandra Sayuri; Gouvêa, Maria Aparecida. (2004). Impactos e Implicações da Internet sobre o Marketing de Relacionamento. In: Enanpad.