Estratégias de Criação de Valor Compartilhado a Serem Adotadas diante de Cenários Prospectados para a Indústria da Construção Civil no Ceará Outros Idiomas

ID:
44024
Resumo:
Devido à repercussão no mundo empresarial do desenvolvimento sustentável, observou-se um setor que impacta diretamente os resultados de negócios e resultados sociais. A indústria da construção civil é um setor que exerce grande influência no crescimento e desenvolvimento de um país, gerando grande impacto econômico, social, cultural e ambiental sendo fundamental para a sustentabilidade do futuro. Diante desse contexto, nesta pesquisa o objetivo geral é identificar como a indústria da construção civil deverá posicionar-se frente ao mercado de criação de valor compartilhado para tornar-se mais competitiva. Esta pesquisa classifica-se como descritiva, com uma fase teórica e outra empírica de natureza qualitativa. Para tanto, foi realizada uma pesquisa bibliográfica e entrevistas exploratórias com cinco especialistas para identificar práticas de criação de valor compartilhado (CSV) da indústria da construção civil no estado do Ceará, conforme modelo proposto por Porter e Kramer. Após isso, foram coletados dados de 22 empresas a fim de identificar o nível de CSV e o perfil das empresas que já se inserem no modelo CSV. A análise dos dados permitiu evidenciar que a indústria da construção civil no estado do Ceará já está inserida no que se refere a CSV, realizando práticas moderadas e destacando-se com essas práticas dentre as médias empresas. Quanto ao nível de CSV, precisa aprofundar-se especificamente no nível 3 (que permite o desenvolvimento de cluster). Por fim, como recomendações para esta indústria, foram listadas 17 estratégias de cunho socialmente responsáveis, sustentáveis e empresariais que buscaram contribuir com ações norteadoras para consolidação de uma construção sustentável.
Citação ABNT:
SILVA, M. C.; FORTE, S. H. A. C. Estratégias de Criação de Valor Compartilhado a Serem Adotadas diante de Cenários Prospectados para a Indústria da Construção Civil no Ceará. Future Studies Research Journal: Trends and Strategies, v. 8, n. 3, p. 227-254, 2016.
Citação APA:
Silva, M. C., & Forte, S. H. A. C. (2016). Estratégias de Criação de Valor Compartilhado a Serem Adotadas diante de Cenários Prospectados para a Indústria da Construção Civil no Ceará. Future Studies Research Journal: Trends and Strategies, 8(3), 227-254.
DOI:
10.7444/future.v8i3.294
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/44024/estrategias-de-criacao-de-valor-compartilhado-a-serem-adotadas-diante-de-cenarios-prospectados-para-a-industria-da-construcao-civil-no-ceara/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Bardin, L. (2009). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Bezold, C. (2010). Lessons from using scenarios for strategic foresight. Technological Forecasting & Social Change, 77(9), 1513-1518.

Blanning, R. W.; Reinig, B. A. (1998). Building scenarios for Hong Kong using EMS. Long Rang Planning, 31(6), 900-910.

Bockstette, V.; Stamp, M. (2011). Creating shared value: a how-to guide for new corporate evolution. Recuperado em 14 de abril, 2015, de http://www.fsg.org/publications/creating-shared-value-how-guide-newcorporate-revolution#download-are.

Câmara Brasileira da Indústria da Construção - CBIC. (2015). Desenvolvimento com sustentabilidade. Câmara Brasileira da Indústria da Construção. Recuperado em 18 de janeiro, 2016, de http: www.cbic.com.br.

Coates, J.; Durance, P.; Godet, M. (2010). Strategic foresight issue: introduction. Technological Forecasting & Social Change, 77(9), 1423-1425.

Collis, I.; Hussey, R. (2005). Pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman.

Confederação Nacional da Indústria - CNI. (2012). Construção verde: desenvolvimento com sustentabilidade. Brasília: CNI.

Conselho Brasileiro de Construção Sustentável - CBCS. (2014). Aspectos da construção sustentável no Brasil e promoção de políticas públicas: subsídios para a promoção da construção civil sustentável (1). novembro. Brasília: Ministério do Meio Ambiente.

Cooper, D. R.; Schindler, P. S. (2008). Métodos de pesquisa em administração. 7a ed. Porto Alegre: Bookman.

Crane, A.; Palazzo, G.; Spence, L. J.; Matten, D. (2014). Contesting the value of creating shared value. California Management Review, 56(2), 130-153.

Crivits, M.; Paredis, E.; Boulanger, P. M.; Mutombo, E. J. K.; Bauler, T.; Lefin, A.-L. (2010). Scenarios based on sustainability discourses: constructing alternative consumption and consumer perspectives. Futures, 42(10), 1187-1199.

Demo, P. (2000). Metodologia do conhecimento científico. São Paulo: Atlas.

Destatte, P. (2010). Foresight: a major tool in tackling sustainable development. Technological Forecasting & Social Change, 77(9), 1575-1587.

Godet, M. (2010). Future memories. Technological Forecasting & Social Change, 77(9), 1457-1463.

Godet, M.. (1993). Manual de prospectiva estratégica: da antecipação à ação (J. Freitas e Silva Trad.). Lisboa: Dom Quixote.

Homrich, A. S.; de carvalho, M. M.; laurindo, F. J. B. (2015). Sustentabilidade e backcasting: a abordagem participativa na criação de valor compartilhado – uma contribuição bibliométrica-simpep 2014. Gestão e saúde, 1(1), 1087-1103,

Husted, B. W.; Allen, D. B.; Kock, N. (2012). Value creation through social strategy. Business & Society, 54(2), 147-186.

Larson, R.; Farber, B. (2010). Estatística aplicada. 4a ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Malhotra, N. K.; Rocha, M. C.; Altheman, E.; Borges, F.M. (2005). Introdução à pesquisa de marketing. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Marcial, E. C.; Grumbach, R. J. S. (2006). Cenários prospectivos: como construir um futuro melhor. 4a ed. Rio de Janeiro: FGV.

Marinotti, M. (2000). Categorização: agrupando comportamentos ou eventos em classes. Texto elaborado para uso interno na disciplina observação como fonte de dados na análise do comportamento do Programa de Pós-graduação em Psicologia Experimental: Análise do Comportamento da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Mello, L. C. B. B.; Amorim, S. R. L. (2009). O subsetor de edificações da construção civil no Brasil: uma análise comparativa em relação à União Europeia e aos Estados Unidos. Produção, 19(2), 388-399.

Morais Neto, S. de. (2013). Criação de valor compartilhado: um estudo de caso na empresa WEG S.A. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina: Florianópolis, SC, Brasil.

Oliveira, O. V.; Forte, S. H. A. C. (2009). A indústria bancária brasileira: construindo cenários prospectivos e identificando as estratégias de utilização mais provável. Revista Portuguesa e Brasileira de Gestão, 8(2), 64-77.

Pfitzer, M.; Bockstette, V.; Stamp, M. (2013). Innovating for shared value. Harvard Business Review, September, p. 100-107. Recuperado em 10 de junho, 2016, de https://hbr.org/2013/09/innovating-for-shared-value.

Porter, M. E. (1986). Estratégia competitiva: técnicas para análise de indústrias e da concorrência. 7a ed. Rio de Janeiro: Campus.

Porter, M. E.; Hills, G.; Pfitzer, M.; Patscheke, S.; Hawkins, E. (2011). Measuring shared value: how to unlock value by linking social and business results. Recuperado em 14 de agosto, 2015, de http://www.fsg.org.

Porter, M. E.; Kramer, M. R. (2011). The big idea: creating shared value. Harvard Business Review, 84(12), 78-92.

Schwartz, B. (2000). Self-determination: The tyranny of freedom. American Psychologist, (55), 79-88.

Silverman, D. (2009). Interpretação de dados qualitativos: métodos para análise de entrevistas, textos e interações. Porto Alegre: Artmed/Bookman.

Wright, P.; Mark, J. K.; Parnell, J. (2000). Administração estratégica: conceitos. São Paulo: Atlas.

Barney, J. B.; Hesterly, W. S. (2007). Administração estratégica e vantagem competitiva. São Paulo: Pearson Prentice Hall.