Qualidade de Software Percebida pelos Usuários do Sistema SIAFI: Avaliação de um Instituto Federal em Minas Gerais Outros Idiomas

ID:
44150
Resumo:
Este artigo visa apresentar, através do prisma dos quesitos de qualidade de uso de software listados pela ISO/IEC 9126-1, a percepção dos usuários de um sistema utilizado nas instituições federais de governo, o SIAFI. A pesquisa realizada através de entrevista semi estruturada com servidores dos campi de Januária e Montes Claros destinou-se a registrar suas impressões de maneira a produzir uma interpretação da percepção de servidores públicos sobre o sistema SIAFI. Portanto, objetivou-se avaliar a percepção dos usuários dos níveis operacional e gerencial sobre qualidade de uso de software relativa ao sistema de informação SIAFI. A pesquisa apontou que a maioria dos servidores de nível operacional entrevistados se apresentaram satisfeitos com o software, ao passo que usuários detentores de cargo em comissão expressaram que o sistema ainda é ineficiente quanto a informações que deveriam auxiliar os gerentes. O sistema foi considerado seguro e rápido, apesar de alguns entenderem que existem falhas significativas, principalmente no que tange à entrada de dados e interface (sistema e usuário) que provocam retrabalho. Dentre as considerações da pesquisa, destacam-se maior ênfase em relação ao treinamento prévio dos usuários do SIAFI e reavaliação sobre níveis de acesso ao sistema praticados no Instituto.
Citação ABNT:
MUYLDER, C. F.; FALCE, J. L.; VELOSO, P. H. P. Qualidade de Software Percebida pelos Usuários do Sistema SIAFI: Avaliação de um Instituto Federal em Minas Gerais . Teoria e Prática em Administração, v. 6, n. 2, p. 200-228, 2016.
Citação APA:
Muylder, C. F., Falce, J. L., & Veloso, P. H. P. (2016). Qualidade de Software Percebida pelos Usuários do Sistema SIAFI: Avaliação de um Instituto Federal em Minas Gerais . Teoria e Prática em Administração, 6(2), 200-228.
DOI:
http://dx.doi.org/10.21714/2238-104X2016v6i2-26517
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/44150/qualidade-de-software-percebida-pelos-usuarios-do-sistema-siafi--avaliacao-de-um-instituto-federal-em-minas-gerais-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Abdi, A., Lind, H., & Birgisson, B. (2014). Designing appropriate contracts for achieving efficient winter road and railway maintenance with high performance quality. International Journal of Quality and Service Sciences, 6(4), 399–415.

Ammenwerth, E., Iller, C., & Mahler, C. (2006). IT-adoption and the interaction of task, technology and individuals: a fit framework and case of study. BMC medical informatics and decision making, 6(3).

Anastasia, F., & Melo, C. F. de. (2002). Accountability: Representação e Estabilidade Política no Brasil, In F. Abrúcio, & R. Loureiro (Orgs.), O Estado numa Era de Reformas: Os Anos FHC. Brasília, MP/Seges, 25-74.

Araújo, V. M. R. H. (1995). Sistemas de informação: nova abordagem teórico-conceitual. Ciência da Informação, Brasília, 24(1).

Associação Brasileira de Normas e Técnicas –ABNT.(2003). NBR ISO/ 9126-1 Engenharia de software Qualidade de produto Parte 1: Modelo de qualidade. Rio de Janeiro: ABNT.

Bardin, L. (1977). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Batista, E. (2012). Sistemas de informação: o uso consciente da tecnologia para o gerenciamento. 2 ed. São Paulo: Saraiva.

Bresser-Pereira, L. (2005). Reforma do estado e administração pública gerencial. 4 ed. Rio de Janeiro: FGV.

Chahin, A., Cunha, M., Kinight, P., & Pinto, S. (2004). A próxima revolução brasileira: eficiência, qualidade e democracia: o governo eletrônico no Brasil e no Mundo. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Costa, L. F. D., & Ramalho, F. A. (2010). A usabilidade nos estudos de uso da informação: em cena usuários e sistemas interativos de informação. Perspectivas em ciência da informação, Belo Horizonte, 15(1), p. 92-117, jan./abr.

Davenport, T., & Kim, J. (2014). Dados demais! Como desenvolver habilidades analíticas para resolver problemas complexos, reduzir riscos e decidir melhor. Rio de Janeiro: Elsevier. (Tradução de Afonso Celso da Cunha.)

Do Vale, C. C. (2013). Teoria geral do sistema: histórico e correlações com a geografia e com o estudo da paisagem. Entre-Lugar, Dourados, 3(6), p. 85-108, jul./dez. 2013.

Drucker, P. (1977). A nova era da administração. São Paulo: Pioneira Thompson.

Fadel, M., & Regis Filho, G. (2009). Percepção da qualidade em serviços públicos de saúde: um estudo de caso. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, 43(1), p. 07-22, jan./fev. 2009.

Faria, L. (2009, setembro). Nova Administração Pública: o processo de inovação na Administração Pública Federal Brasileira visto pela experiência do concurso inovação na gestão Pública Federal. In Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, São Paulo, SP, Brasil.

Fortes, J. (2012). Contabilidade Pública. 10 ed. Brasília: Franco & Fortes.

Franco, M. (2008). Análise do Conteúdo. 3 ed. Brasília: Líber livro.

Gil, A. (1999). Sistemas de informações: contábil, financeiros. 3 ed. São Paulo: Atlas.

Graeml, A. (2003). O Alinhamento da Estratégia de TI com a Estratégia Corporativa. 2 ed. São Paulo: Editora Atlas.

Grönroos, C. (2009). Marketing: gerenciamento e serviços. 3 ed. Rio de Janeiro: Campus.

Hall. (Trad. Bazan Tecnologia e Linguística.) La Falce, J., & De Muylder, C. (2013) Inovação, qualidade em serviços e empreendedorismo: analise de uma empresa franqueada do setor de varejo no ramo da moda. Gestão e Planejamento, 14(3).

Howells, J., & Tether, B. (2004). Innovation in Services: Issues at Stake and Trends. Final Report, Commission of the European Communities, Brussels-Luxembourg.

Johnson, M., & Fornell, C. (1991). A framework for comparing customer satisfaction across individuals and product categories. Journal of Economic Psychology, 12(2) 267-86.

Kon, A. (2004). Economia de serviços: teoria e evolução no Brasil. São Paulo: Elsevier.

Kon, A. (2013). Atividades de serviços como indutoras do desenvolvimento. Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política, 34 (57).

Kotler, P. (2012). Administração de marketing: a edição do novo milênio. 14 ed. São Paulo: Prentice

La Falce, J. De Muylder, C., Pressot, I., & Toivanen; M. L. (2012). Qualidade no serviço Público: Um estudo de caso em uma fundação pública em Minas Gerais. Amazônia, Organizações e Sustentabilidade, 3(2).

Laudon, K., & Laudon, J. (2012). Sistemas de informações gerencias. 9 ed. São Paulo: Pearson Prentive Hall.

Martins, P., & Laugeni, F. P. (2015). Administração da produção. 3 ed. São Paulo: Saraiva.

Mattos, A. (2010). Sistemas de informação: uma visão executiva. 2 ed. São Paulo: Saraiva.

Melo, E. (2002). A Lei de Responsabilidade Fiscal e a gestão financeira municipal: um estudo sobre impactos nos mecanismos de controle financeiro da administração municipal de Salvador. Dissertação. Salvador: UNIFACS.

Milan, G., & Trez, G. (2005). Pesquisa de satisfação: um modelo para planos de saúde, RAE-eletrônica, 4(2), jul./dez.

Moresi, E. A. D. (2001). Delineando o valor do sistema de informação de uma organização. Ciência da Informação, Brasília, 29(1) p. 14-24, maio/ago.

Parasuraman, A., Zeithaml, V., & Berry. L. (1985). A conceptual model for service quality and its implications for future research. Journal al marketing, 49, 41-50.

Paulk, M. (1994) A comparison of ISO9001 and the Capability Maturity Model for Software. Technical Report.

Pencarelli, T., Splendiani, S., & Cini, (2013). Quality and value in university services, International Journal of Quality and Service Sciences,5(2), 140–154.

Pêssoa, M. (2005). Modelo Integrado de Maturidade da Capacidade de Processo. Lavras: UFLA/FAEPE.

Pressman, R. (2011). Engenharia de Software. 7 ed. São Paulo: Makron Books.

Raja, M., & Kumar, A. (2011) Service Quality: A measure tool for improving quality in education. New York: Lambert Academic Publisher. 216 p.

Rezende, D. (2013). Sistemas de informações organizacionais: guia prático para projetos em cursos de administração, contabilidade e informática. 5 ed. São Paulo: Atlas.

Vergara, S. C. (2013). Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 14 ed. São Paulo: Atlas.

Villas Boas, A. (2007). Qualidade e avaliação de produto de software. Lavras: UFLA/FAEPE.

Wisniewski, M., & Donnelly, M. (1996). Measuring service quality in the public sector: the potential for SERVQUAL. Total Quality Management. 7(4), 357-365.