Influência da Folga Financeira no Retorno por Ações em Empresas Brasileiras e Chilenas Outros Idiomas

ID:
44227
Resumo:
Devido ao fato de o mercado de ações ser instável e passar por constantes turbulências, o controle do desempenho organizacional torna-se indispensável para uma gestão sustentável. As empresas necessitam, assim, de estratégias que melhorem seus desempenhos, tornando-as mais competitivas. Desse modo, a presente pesquisa destina-se à análise da influência da folga financeira no retorno por ações nas empresas brasileiras e chilenas que fazem parte do IBrX-50 e IPSA-40, respectivamente. Para o alcance desse objetivo, realizou-se uma pesquisa descritiva, documental e quantitativa. O período analisado compreendeu cinco anos (2010 a 2014), e a amostra final foi composta de 27 empresas chilenas e 25 empresas brasileiras. Todos os dados foram tabulados em planilha eletrônica e analisados por meio do software SPSS. Os resultados evidenciam que as empresas brasileiras possuem menos folga financeira do que as empresas chilenas. No entanto, as empresas do Brasil apresentaram melhores índices de retornos por ações em comparação com as empresas do Chile, o que sugere que nem sempre possuir maior folga resultará em um melhor retorno de mercado. Os dados desta pesquisa indicam, também, que, considerando-se o modelo utilizado e o período analisado, não existe influência da folga financeira no retorno por ações tanto nas empresas brasileiras quanto nas empresas chilenas.
Citação ABNT:
HEINZEN, C.; SELL, F. F.; SILVA, T. P. Influência da Folga Financeira no Retorno por Ações em Empresas Brasileiras e Chilenas . Revista de Administração da UFSM, v. 9, n. Ed. Especial XVII Engema 2015, p. 39-54, 2016.
Citação APA:
Heinzen, C., Sell, F. F., & Silva, T. P. (2016). Influência da Folga Financeira no Retorno por Ações em Empresas Brasileiras e Chilenas . Revista de Administração da UFSM, 9(Ed. Especial XVII Engema 2015), 39-54.
DOI:
10.5902/19834659 21973
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/44227/influencia-da-folga-financeira-no-retorno-por-acoes-em-empresas-brasileiras-e-chilenas-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AKTAS, Nihat; CROCI, Ettore; PETMEZAS, Dimitris. Is working capital management valueenhancing?Evidence from firm performance and investments. Journal of Corporate Finance, v. 30, p. 98-113, 2015.

ALTMAN, Edward I. Railroad bankruptcy propensity. The Journal of Finance, v. 26, n. 2, p. 333-345, 1971.

ANDERSON, Keith; BROOKS, Chris. The LongTerm Price-Earnings Ratio. Journal of Business Finance & Accounting, v. 33, n. 7-8, p. 1063-1086, 2006.

AQUEGAWA, Haroldo Paulo; SOUZA, Emerson Santana de. Sustentabilidade financeira a partir dos índices de liquidez e ciclo financeiro: uma análise setorial do portfólio ISE frente à crise de 2008. 2010.

ASSAF NETO, Alexandre. Finanças corporativas e valor. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

ASSAF NETO, Alexandre; SILVA, César Augusto Tibúrcio. Administração do Capital de Giro. 3 ed. São Paulo. Ed. Atlas, 2002.

BANCO MUNDIAL. World Bank national accounts data, and OECD National Accounts data files. Disponível em: Acesso em: 28 jul.2015.

BASTOS, Douglas Dias; NAKAMURA, Wilson Toshiro. Determinantes da estrutura de capital das companhias abertas no Brasil, México e Chile no período 2001-2006. Revista Contabilidade & Finanças-USP, v. 20, n. 50, p. 75-94, 2009.

BEAVER, William H. Financial ratios as predictors of failure. Journal of accounting research, v. 4, p. 71-111, 1966.

BRAGA, Roberto; NOSSA, Valcemiro; MARQUES, José Augusto Veiga da Costa. Uma proposta para a análise integrada da liquidez e rentabilidade das empresas. Revista Contabilidade & Finanças, v. 15, n. especial, p. 51-64, 2004.

BRIGHAM, Eugene; EHRHARDT, Michael. Administração financeira: teoria e prática. São Paulo: Thomson, 2006.

BROMILEY, Philip. Testing a causal model of corporate risk taking and performance. Academy of Management journal, v. 34, n. 1, p. 37-59, 1991.

BROOKS, Cris. Introductory Econometrics for Finance. New York: Cambridge University Press, 2002.

BUEREN, Ilse Maria; STAROSKY FILHO, Loriberto; KRESPI, Nayane Thais. Folga organizacional versus desempenho financeiro Um estudo nas empresas da BM & FBovespa. Contaduría y Administración: Revista Internacional, v. 59, n. 2, 2014.

CAMPOS, Anderson; NAKAMURA, Wilson Toshiro. Folga Financeira Avaliada como Endividamento Relativo e Estrutura de Capital. Revista de Finanças Aplicadas, v. 1, p. 1-19, 2013.

CARNEIRO JUNIOR, João Bosco Arbués; MARQUES, José Augusto Veiga da Costa. Uma avaliação crítica dos modelos dinâmicos de curto prazo e sua integração à análise vertical da demonstração das origens e aplicações de recursos. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, v. 10, n. 1, p. 91-108, 2010.

CHIARELLO, Tânia Cristina. Influência da estrutura de capital e da política de dividendos no desempenho financeiro de empresas familiares brasileiras e chilenas, 2014. 140 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) - Universidade Regional de Blumenau, Blumenau, 2014.

CLEARY, Sean. Corporate investment and financial slack: international evidence. International Journal of Managerial Finance, v. 1, n. 3, p. 140-163, 2005.

CORRAR, Luiz J; PAULO, Edilson; DIAS FILHO José Maria. Análise multivariada: para os cursos de administração, ciências contábeis e economia. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

DA SILVA, Júlio Orestes et al. Nível informacional entre a análise tradicional e avançada do capital de giro. Revista Pretexto, v. 13, n. 2, 2012.

DAMODARAN, Aswath. Avaliação de investimentos: ferramentas e técnicas para a determinação do valor de qualquer ativo. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1997.

DANIEL, Francis; LOHRKE, Franz; FORNACIARIC, Charles; TURNER JR, Andrew. Slack resources and firm performance: a meta-analysis. Journal of Business Research, v. 57, n. 6, p. 565-574, 2004.

DE AFÔNSECA, Suzana Melgaço; VIEIRA, Adriane. A gestão da cultura organizacional de uma empresa multinacional: Brasil X Chile. Revista de Administração FEAD, v. 4, p. 103-120, 2007.

DE ALMEIDA, Juliano Ribeiro; EID, William. Access to finance, working capital management and company value: Evidences from Brazilian companies listed on BM&FBOVESPA. Journal of Business Research, v. 67, n. 5, p. 924-934, 2014.

DE SOUZA, Milanez Silva; FAMÁ, Rubens. Gestão do Capital de Giro na Corporação Virtual. Contabilidade Vista & Revista, v. 9, n. 2, p. 15-30, 1998.

DE SOUZA, Sandra Marinho; BRUNI, Adriano Leal. Risco de crédito, capital de giro e solvência empresarial: um estudo na indústria brasileira de transformação de cobre. Revista Universo Contábil, v. 4, n. 2, p. 59-74, 2008.

DOWNING, D.; WESTERNFIELD , R. W.; BRADFORD, D. J. Princípios da administração financeira. São Paulo: Saraiva, 1998.

EHRHARDT, Michal C.; BRIGHAM, Eugene F. Administração Financeira: teoria e prática. 13. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2012.

FIELD, Andy. Descobrindo a estatística usando o SPSS. 2. ed. São Paulo: Artmed, 2009.

FUSCO, José Paulo Alves. Necessidade de capital de giro e nível de vendas. Revista de Administração de Empresas, v. 36, n. 2, p. 53-66, abr./jun. 1996.

GEORGE, Gerard. Slack resources and the performance of privately held firms. The Academy of Management Journal, v. 48, n. 4, 2005.

GITMAN, Lawrence Jeffrey. Princípios de administração financeira. 10. ed. São Paulo: Addison Wesley, 2004.

GITMAN, Lawrence Jeffrey. Princípios de administração financeira. 12. ed. São Paulo: Pearson, 2010.

GUSE, Jaqueline Carla et al. Analysis of financial and economic performance technology companies leveraging information brazilian and chilean. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON INFORMATION SYSTEMS AND TECHNOLOGY MANAGEMENT, 11, 2014, São Paulo. Anais… São Paulo: FEA-USP, 2014. p 1573-1595. 2014.

HAIR JR, Joseph F.; ANDERSON, Rolph E.; TATHAM, Ronald L; BLACK, Willian C. Análise multivariada de dados. 5. ed. São Paulo: Bookman, 2005.

KIM, Hicheon; KIM, Heechun; LEE, Peggy M. Ownership structure and the relationship between financial slack and R&D investments: Evidence from Korean firms. Organization Science, v. 19, n. 3, p. 404-418, 2008.

LEITE, Maurício; GUSE, Jaqueline Carla; SILVA, Tarcísio Pedro. Análise de desempenho econômico financeiro de empresas de logística brasileiras e chilenas. In: SIMPÓSIO DE ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO, LOGÍSTICA E OPERAÇÕES INTERNACIONAIS, 7, 2014, São Paulo. Anais... FGV-EAESP, 2014.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, análise e interpretação de dados. São Paulo: Atlas, 2011.

MAROCO, João; BISPO, Regina. Estatística aplicada às ciências sociais e humanas. 2003.

MARQUES, José Augusto Veiga da Costa; BRAGA, Roberto. Análise dinâmica do capital de giro: o modelo Fleuriet. RAE-Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 3, p. 49-63, 1995.

MARQUES, Leandro; DOS SANTOS, Vanderlei; BEUREN, Ilse Maria. Abordagem dinâmica do capital de giro em artigos publicados nos periódicos nacionais do Qualis CAPES. Revista de Economia e Administração, v. 11, n. 1, 2012.

MARTINSONS, Maris G.; DAVISON, Robert M. Strategic decision making and support systems: Comparing American, Japanese and Chinese management. Decision Support Systems, v. 43, n. 1, p. 284-300, 2007.

MEDEIROS, Otávio Ribeiro de; RODRIGUES, Fernanda Fernandes. Questionando empiricamente a validade do Modelo Fleuriet. Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, p. 25-32, 2004.

MYERS, Stewart C.; MAJLUF, Nicholas S. Corporate financing and investment decisions when firms have information that investors do not have. Journal of financial economics, v. 13, n. 2, p. 187-221, 1984.

O’SHAUGHNESSY, James P. What works on Wall Street. 3 ed. New York: McGraw-Hill, 2005.

PATZELT, Holger; SHEPHERD, Dean A. DEEDS, David; BRADLEY, Steven W. Financial slack and venture managers’ decisions to seek a new alliance. Journal of Business venturing, v. 23, n. 4, p. 465-481, 2008.

PINHEIRO, Juliane Lima. Mercado de Capitais. 3 ed. São Paulo: Atlas, 2005.

PINHEIRO, Juliane Lima. Mercado de capitais: fundamentos e técnicas. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2012.

PIRES, Eder Alexandre; PANHOCA, Luiz; DA ROCHA BANDEIRA, Goubert Laertes. Análise da influência do modelo dinâmico na geração de valor econômico agregado nas empresas calçadistas listadas na Bovespa nos anos de 2005, 2006 e 2007. Revista Gestão Organizacional, v. 3, n. 2, p. 225-237, 2010.

PÓVOA, Alexandre. Valuation: como precificar ações. São Paulo: Globo, 2004.

REILLY, Frank K.; BROWN, Keith C. Investment analysis and portfolio management. 7. ed. Cincinnati: Thomson-South Western, 2003.

SANVICENTE, Antonio Zoratto. Como fazer e como não fazer uma análise dos fundamentos dos valores de ações ordinárias. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, v. 19, n. 2, 1984.

SILVA, Sabrina Soares da; FERREIRA, Patrícia Aparecida; CALEGARIO, Cristina Lelis Leal. Estratégias financeiras empresariais para criação e destruição de valor. Revista GESTÃO.Org, v. 7, n. 3, p. 348-362, 2009.

SUTTAPONG, Ketsaraporn; TIAN, Zhilong. Performance Benchmarking for Building Best Practice in Small and Medium Enterprises (SMEs). International Journal of Business and Commerce, v. 1, n. 10, p. 46-60, 2012.

TAVARES, Adilson de Lima; SILVA, César Augusto Tibúrcio. A análise financeira fundamentalista na previsão de melhores e piores alternativas de investimento. Revista Universo Contábil, v. 8, n. 1, p. 37-52, 2012.

TERRA, Paulo Renato Soares. Estrutura de capital e fatores macroeconômicos na América Latina. Revista de Administração, v. 42, n. 2, p. 192-204, 2007.