Relação entre o nível de intangibilidade dos ativos e o valor de mercado das empresas

ID:
44332
Resumo:
Este estudo tem por objetivo avaliar, no âmbito do mercado de capitais brasileiro, a associação entre o nível de intangibilidade dos ativos e o valor de mercado das ações das empresas. O pressuposto é que modelos de negócio baseados significativamente em conhecimento e tecnologias devem promover vantagens competitivas, o que deve se refletir no valor de mercado das empresas. Para a realização dos testes empíricos foram consideradas as informações trimestrais, de 2008 a 2014, das empresas que compõem o índice IBrX 100 da BM&FBovespa. Os resultados da estimação de modelos de regressão de dados em painel com efeitos fixos seccionais e duplo efeitos fixos confirmaram a associação positiva e estatisticamente relevante entre o nível de intangibilidade dos ativos e o grau de valorização das ações, representado pela relação market-to-book. Isso demonstra que maiores investimentos em ativos intangíveis proporcionam uma valorização do preço de mercado da empresa.
Citação ABNT:
MEDRADO, F.; CELLA, G.; PEREIRA, J. V.; DANTAS, J. A. Relação entre o nível de intangibilidade dos ativos e o valor de mercado das empresas . Revista de Contabilidade e Organizações, v. 10, n. 28, p. 32-44, 2016.
Citação APA:
Medrado, F., Cella, G., Pereira, J. V., & Dantas, J. A. (2016). Relação entre o nível de intangibilidade dos ativos e o valor de mercado das empresas . Revista de Contabilidade e Organizações, 10(28), 32-44.
DOI:
http://dx.doi.org/10.11606/rco.v10i28.119480
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/44332/relacao-entre-o-nivel-de-intangibilidade-dos-ativos-e-o-valor-de-mercado-das-empresas-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AMARAL, H. F. et al. Avaliação de ativos intangíveis: modelos alternativos para determinação do valor de patentes. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, v. 4, n. 1, p. 123-143, 2014.

ARIFF, A. M.; CAHAN, S. F.; EMANUEL, D. M. Institutional Environment, Ownership, and Disclosure of Intangibles: Evidence from East Asia. Journal of International Accounting Research, v. 13, n. 1, p. 33-59, 2013.

BASSO, L. F. C. et al. (2015). The impact of intangibles on value creation: Comparative analysis of the Gu and Lev methodology for the United States software and hardware sector. Investigaciones Europeas de Dirección y Economía de la Empresa, 21(2), 73-83, 2015.

CAMARGOS, M. A.; CAMARGOS, M. C. S.; RACCHUMI, J. A. R. Análise financeira tradicional e análise dinâmica: um estudo comparativo do poder de explicação do retorno acionário. In: XXIX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, Salvador. Anais... Salvador: ENEGEP, 2009.

CAMARGOS, M. A.; COUTINHO, E. S. A Teoria da Firma e a Fundamentação Teórica para Fusões e Aquisições: uma análise de suas interfaces. RAC-Eletrônica, v. 2, n. 7, p. 273-295, 2008.

CARVALHO, F. M.; KAYO, E. K.; MARTIN, D. M. L. Tangibilidade e intangibilidade na determinação do desempenho persistente de firmas brasileiras. Revista de Administração Contemporânea, v. 14, n. 5, p. 871-889, 2010.

CHOI, W. W.; KWON, S. S.; LOBO, G. J. Market valuation of intangible assets. Journal of Business Research, v. 49, n. 1, p. 35-45, 2000.

COASE, R. H. The institutional structure of production. The American Economic Review, v. 82, n. 4, p. 713-719, 1992.

COLAUTO, R. D.; NASCIMENTO, P. S.; AVELINO, B. C. Evidenciação de ativos intangíveis não adquiridos nos relatórios da administração das companhias listadas nos níveis de governança corporativa da Bovespa. Contabilidade Vista & Revista, v. 20, n. 1, p.143-169, 2009.

GILIO, L. Análise da Capacidade Explicativa de Informações Contábeis para o Índice Market-To-Book de Empresas Listadas no IBOVESPA. In CONGRESSO USP DE CONTROLADORIA E CONTABILIDADE, 10.; 2010, São Paulo. Anais... São Paulo: USP, 2010.

GU, F.; LEV, B. Overpriced Shares, Ill-Advised Acquisitions, and Goodwill Impairment. The Accounting Review, vol. 86, n. 6, pp. 1995-2022, 2011.

GU, F.; WANG, W. Intangible Assets, Information Complexity, and Analysts’ Earnings Forecasts. Journal of Business Finance & Accounting, v, 32, n. 9/ 10, p. 1673-1701, 2005.

GUJARATI, D. N.; PORTER, D. C. Econometria Básica-4. Porto Alegre: AMGH Editora, 2006.

JONES, S. Does the Capitalization of Intangible Assets Increase the Predictability of Corporate Failure? Accounting Horizons, v. 25, n. 1, p. 41-70, 2011.

KAYO, E. K. A estrutura de capital e o risco das empresas tangível e intangível-intensivas: uma contribuição ao estudo da valoração de empresas. 110 f. Tese de Doutorado em Administração. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

KAYO, E. K. et al. Ativos intangíveis, ciclo de vida e criação de valor. Revista de Administração Contemporânea, v. 10, n. 3, p. 73-90, 2006.

KAYO, E. K.; FAMÁ, R. A estrutura de capital e o risco das empresas tangível-intensivas e intangível-intensivas. Revisa de Administração da USP, São Paulo, v. 39, n. 2, p. 164-176, 2004.

KENNEDY, P. A Guide to Econometrics. 4 ed. Cambridge: Mass, 1998.

KNOTT, A. M.; BRYCE, D. J.; POSEN, H. E. On the strategic accumulation of intangible assets. Organization Science, v. 14, n. 2, p. 192-207, 2003.

LEITE, T. S.; SANTOS, D. F. L. A relação dos ativos intangíveis e o valor de mercado na indústria de materiais básicos do Brasil. Revista Brasileira de Administração Científica, v. 4, n. 1, p. 104-121, 2013.

LEV, B. Intangibles: management, measurement, and reporting. Washington: Brookings, 2001.

MACHADO, J. H.; FAMÁ, R. (2011). Ativos Intangíveis e Governança Corporativa no Mercado de Capitais Brasileiro. Revista Contemporânea de Contabilidade, v. 8, n. 16, p. 89-110, 2011. DOI: 10.5007/2175-8069.2011v8n16p89.

MARQUES, L. D. Modelos dinâmicos com dados em painel: revisão de literatura. Centro de estudos Macroeconómicos e Previsão, faculdade de Economia do Porto, 2000.

NASCIMENTO, E. M. et al. Ativos intangíveis: análise do impacto do grau de intangibilidade nos indicadores de desempenho empresarial. Enfoque: Reflexão Contábil, v. 31, n. 1, p. 37-52, 2012.

NUNES, J. G. et al. Análise das variáveis que influenciam a adesão das empresas ao índice BM&FBOVESPA de sustentabilidade empresarial. BASE-Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, v. 7, n. 4, p. 328-340, 2010.

OLIVEIRA, L.; RODRIGUES, L. L.; CRAIG, R. Intangible assets and value relevance: Evidence from the Portuguese stock exchange. The British Accounting Review, v. 2, p. 241-252, 2010.

PEREZ, M.; FAMÁ, R. Características estratégicas dos ativos intangíveis e o desempenho econômico da empresa. Unisanta Law and Social Science, v. 4, n. 2, p. 107-123, 2015.

RITTA, C. D. O.; ENSSLIN, S. R. Investigação sobre a relação entre ativos intangíveis e variáveis financeiras: um estudo nas empresas brasileiras pertencentes ao Índice Ibovespa nos anos de 2007 e 2008. In: Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, 10, 2010, São Paulo. Anais...São Paulo: USP, p. 1-16, 2010

SVEIBY, K. E. Methods for measuring intangible assets. Disponível em: http://www.sveiby.com/articles/ IntangibleMethods.htm. Acesso em: 30/01/2015.

TEH, C. C.; KAYO, E. K.; KIMURA, H. Marcas, patentes e criação de valor. Revista de Administração Mackenzie, v. 9, n. 1, p. 86-106, 2008.

TIGRE, P. B. Paradigmas tecnológicos e teorias econômicas da firma. Revista Brasileira de Inovação, v. 4, p. 187-223, 2005.

WHITWELL, G. J.; LUKAS, B. A.; HILL, P. Stock analysts’ assessments of the shareholder value of intangible assets. Journal of Business Research, v. 60, n. 1, p. 84-90, 2007.

ZAGO, C.; MELLO, G. R.; ROJO, C. A. Influência dos ativos intangíveis no desempenho das empresas listadas no índice Bovespa. Revista de Finanças e Contabilidade da Unimep, v. 2, n. 2, p. 92-107, 2015.