Produção Acadêmica dos Artigos Publicados em Revistas Científicas Nacionais Disponibilizadas na Base Atena sobre o Tema Gestão de Riscos de 2000 a 20151 Outros Idiomas

ID:
44341
Resumo:
Objetivo: este estudo teve como objetivo investigar o perfil e as particularidades da produção acadêmica do tema gestão de riscos divulgada nas revistas científicas disponibilizadas na Base Atena de 2000 a 2015. Fundamento: A gestão de riscos é uma ferramenta importante e basilar para o prosseguimento dos negócios de qualquer empresa. Com isso, sendo vista como fundamental para o equilíbrio da gestão destas empresas. Método: esta pesquisa enfocou nas técnicas de mensuração e análise bibliométrica e sociométrica nos 52 artigos identificados neste estudo. Resultados: Corrar e Capelletto foram os autores mais profícuos e também os pesquisadores com maior centralidade de grau; a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade de Brasília (UnB), foram as instituições de ensino superior (IESs) que se destacaram na produção acadêmica sobre gestão de riscos e também como as mais centrais. Sobre as redes sociais, foi observado que, tanto a rede de coautoria como a rede das IESs têm baixa densidade, influenciando em suas respectivas dispersões. Foram identificados 29 temas que se vinculam ao assunto ora estudado nesta pesquisa. Contribuições: A quantidade e heterogeneidade de temáticas identificadas, ajuda a entender a importância e a riqueza que o tema gestão de riscos tem no âmbito científico brasileiro, podendo com isso ser melhor trabalhado, sobretudo, no que se refere aos temas ainda pouco estudados, sendo que tais temas, são oportunidades de surgimento de novas pesquisas, impactando diretamente para o maior desenvolvimento, evidenciação e socialização da temática gestão de riscos no contexto literário científico no Brasil.
Citação ABNT:
RIBEIRO, H. C. M.Produção Acadêmica dos Artigos Publicados em Revistas Científicas Nacionais Disponibilizadas na Base Atena sobre o Tema Gestão de Riscos de 2000 a 20151 . Revista Evidenciação Contábil & Finanças, v. 5, n. 1, p. 75-93, 2017.
Citação APA:
Ribeiro, H. C. M.(2017). Produção Acadêmica dos Artigos Publicados em Revistas Científicas Nacionais Disponibilizadas na Base Atena sobre o Tema Gestão de Riscos de 2000 a 20151 . Revista Evidenciação Contábil & Finanças, 5(1), 75-93.
DOI:
10.18405/recfin20170105
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/44341/producao-academica-dos-artigos-publicados-em-revistas-cientificas-nacionais-disponibilizadas-na-base-atena-sobre-o-tema-gestao-de-riscos-de-2000-a-20151--/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Alves, C. A.; Cherobim, A. P. M. S. (2009). Análise do nível de divulgação do risco operacional segundo recomendações do Comitê da Basileia: estudo em bancos do país e do exterior. Revista de Administração Mackenzie, 10(2).

Amaral, C. A. L. V. D. (2003). Derivativos: o que são e a evolução quanto ao aspecto contábil. Revista Contabilidade & Finanças, 14(32), 71-80.

Amaral, C. A. L. V. D. (2003). Derivativos: o que são e a evolução quanto ao aspecto contábil. Revista Contabilidade & Finanças, 14(32), 71-80.

Amaral, I.; Neves, M. D. C. R.; de Freitas, A. F.; Braga, M. J. (2009). Gerenciamento dos riscos operacionais: os métodos utilizados por uma cooperativa de crédito. Revista de Contabilidade e Organizações, 3(7), 93-108.

Barros, P. M. J.; Madeira, F. L.; Portugal, G. T. (2014). Uma análise da produção científica sobre controladoria nos periódicos da base Atena. Revista de Gestão e Contabilidade da UFPI, 1(2), 109-120.

BASE ATENA. Base Atena. Disponível em: < http://www.atena.org.br/revista/ojs-2.2.3-06/index.php>. Acesso em: 09 jul.2016.

Beuren, I. M.; Dani, A. C.; Dal Vesco, D. G.; Krespi, N. T. (2013). Redes Sociais na Estrutura de Capital das Empresas de Serviço de Utilidade Pública e de Telecomunicações. Revista Alcance (Online), 20(3), 309.

Botinha, R. A.; Marquez, E. M. L.; Borges, F. A.; Silva, P. M.; Martins, V. F. (2013). Gestão de riscos: levantamento da produção científica em eventos nacionais de contabilidade e administração entre 2008 E 2010. Cadernos da FUCAMP, 11(14).

Brito, G. A. S.; Neto, A. A. (2008). Modelo de risco para carteiras de créditos corporativos. Revista de Administração, 43(3), 263-274.

Burlá, L. A.; Gonçalves, E. D. L. (2010). Gestão de risco e os impactos da instrução normativa CVM nº 550: análise empírica. Revista Contabilidade & Finanças, 21(53), 1-21.

Camacho, F.; Rocha, K.; Fiuza, G. (2006). Custo de capital de distribuição de energia elétrica – revisão tarifária 2007-2009. Revista do BNDES, 13(25), 231-268.

Ceretta, P. S.; da Costa Jr, N. C. (2001). Avaliação e seleção de fundos de investimento: um enfoque sobre múltiplos atributos. Revista de Administração Contemporânea, 5(1), 7-22.

Cherobim, A. P. M. S. & Alves, C A de M. (2006). Investigação sobre evidenciação do risco operacional: estudo multicaso em instituições financeiras brasileiras. Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, 3(2), 124-138.

Chun-Hao, C.; Jian-Min, Y. (2012). A bibliometric study of financial risk literature: a historic approach. Applied Economics, 44(22), 2827-2839.

Cordeiro, F. N. B. (2009). Aplicação da teoria de cópulas para o cálculo do value at risk. 90 f. Dissertação (Mestrado em Finanças e Economia), FGV, São Paulo.

Dal Vesco, D. G.; Fernandes, F. C.; Roncon, A. (2014). Controles de gestão atrelados ao gerenciamento de risco: uma análise das produções científicas brasileiras sob a perspectiva de redes sociais. Redes: revista hispana para el análisis de redes sociales, 25(2), 163-185.

Darós, L. L.; Borba, J. A. (2005). Evidenciação de instrumentos financeiros derivativos nas demonstrações contábeis: uma análise das empresas brasileiras. Revista Contabilidade & Finanças, 16(39), 68-80.

de Souza Sedrez, C.; Fernandes, F. C. (2011). Gestão de riscos nas universidades e centros universitários do estado de Santa Catarina. Revista Gestão Universitária na América Latina-GUAL, 4(4), 70-93.

Enssiln, S. R.; Ensslin, L.; Borgert, A.; Kremer, A. W.; Chaves, L. C. (2014). Comportamentos dos custos: seleção de referencial teórico e análise bibliométrica. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, 19(3).

Favoreto, R. L.; Amâncio-Vieira, S. F.; Shimada, A. T. (2014). A produção intelectual em RBV: uma incursão bibliométrica nos principais periódicos nacionais. REBRAE-Revista Brasileira de Estratégia, 7(1), 37-55.

Félix, C. L.; Ribeiro, H. J.; Tostes, F. P. (2008). Uma contribuição à análise de fatores que influenciam o equilíbrio do sistema previdenciário. Pensar Contábil, 10(39).

Gambôa, F. A. R.; Caputo, M. S.; Bresciani Filho, E. (2004). Método para gestão de riscos em implementações de sistemas ERP baseado em factores críticos de suceso. JISTEM-Journal of Information Systems and Technology Management, 1(1), 46-63.

Gimenes, R. M. T. (2008). Gestão De Risco: análise da utilização de derivativos financeiros pelas cooperativas agropecuárias do Estado do Paraná. Revista de Contabilidade e Organizações, 2(4), 23-39.

Godoy, M. B.; Minadeo, R.; Borges, P. C. R. (2011). Análise do processo de gestão de riscos operacionais em uma instituição financeira. Gestão Contemporânea, (10).

Guimarães, I do C. (2006). Uma pesquisa de campo sobre a contribuição da controladoria à gestão de riscos nas empresas não-financeiras de capital aberto da cidade de São Paulo. 2006. 209 f. Dissertação (Mestrado em Controladoria e Contabilidade Estratégica), FECAP, São Paulo.

Helou, A. R. H. A. (2009). Método de gestão integrada de riscos no contexto da administração pública. 2009. 210 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia e Gestão do Conhecimento), UFSC, Santa Catarina.

Hommel, U.; Li, W.; Pastwa, A. M. (2016). The state of risk management in business schools. Journal of Management Development, 35(5).

Kimura, H. (2002). Ferramentas de análise de riscos em estratégias empresariais. RAE-eletrônica, 1(2), 1-14.

Kimura, H.; Perera, L. C. J. (2005). Modelo de otimização da gestão de risco em empresas não financeiras. Revista Contabilidade & Finanças, 16(37), 59-72.

Leite, P. H. D. C.; Alves, C. A. D. M.; Machado Filho, C. A. P. (2011). Gestão de risco operacional em uma instituição financeira pública que atua no Brasil: um estudo de caso. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, 15(2), 32-48.

Machado, A. O.; Garcia, F. G. (2014). A gestão do risco cambial corporativo por meio de derivativos na produção científica brasileira: Análise bibliométrica entre 1999 e 2013. Race: Revista de Administração, Contabilidade e Economia, 13(3), 1001-1030.

Machado, D. G.; Beuren, I. M. (2014). Gerenciamento de resultados: análise das publicações em periódicos brasileiros de contabilidade. Enfoque: Reflexão Contábil, 33(1), 19-36.

Martins, T. J.; Boente, D. R.; Mól, A. L. R. (2013). A relação entre os níveis de divulgação das práticas de gestão de risco e a oscilação do preço das ações das companhias listadas na bovespa. Registro Contábil, 4(3), 1-18.

Minussi, J. A.; Damacena, C.; Ness Jr, W. L. (2002). Um modelo de previsão de solvência utilizando regressão logística. Revista de Administração Contemporânea, 6(3), 109-128.

Mishra, U.; Naidu, M. P. (2016). A Study on Credit Risk Management and Appraisal Process at Punjab National Bank, Nagpur. International Journal of Multifaceted and Multilingual Studies, 3(2).

Oliveira, D. T.; Santana, C. M.; de Araujo Neto, L. M.; de Araujo, J. D. C. (2012). Pesquisa em contabilidade no Brasil: estudo bibliométrico de três periódicos. REAVI-Revista Eletrônica do Alto Vale do Itajaí, 1(2), 65-75.

Pazos, D. V. (2013). Modelo de organização adaptável a cenários turbulentos: O caso do setor empresarial energético brasileiro. Revista Portuguesa e Brasileira de Gestão, 12(3), 11-20.

Peleias, I. R.; Caetano, G.; Parisi, C.; Pereira, A. C. (2013). Produção científica sobre controle interno e gestão de riscos no EnANPAD e Congresso USP: análise bibliométrica no período 2001-2011. Revista Universo Contábil, 9(4), 29-49.

Pereira, M. V. S. (2003). Gerenciamento de risco cambial na Fiat Automóveis S/A com utilização de hedge sem caixa. 2003. 127 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção), UFSC, Santa Catarina.

Polo, E.; Peixe, M.; Galegale, G. (2013). Estudo Bibliométrico da Produção Científica de Gerenciamento de Riscos entre os Anos de 2000 e 2012. Association for Information Systems AIS Electronic Library (AISeL), 5.

Ribeiro, H. C.; Corrêa, R. (2014). 10 anos de pesquisa da revista brasileira de inovação sob a ótica da bibliometria e da rede social. Administração: Ensino e Pesquisa, 15(4), 729.

Ribeiro, H. C. M. (2014). Quinze anos de produção acadêmica do tema contabilidade internacional: uma análise bibliométrica em periódicos brasileiros. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC), 8(3).

Ribeiro, H. C. M. (2015). Análise das Pesquisas sobre Auditoria Publicadas em Periódicos Brasileiros. Advances in Scientific and Applied Accounting, 8(1), 088-112.

Ribeiro, H. C. M. (2016). Produção acadêmica do tema internacionalização divulgada nos periódicos nacionais: Um estudo bibliométrico. Internext, 11(1), 1-20.

Ribeiro, H. C. M.; Muritiba, S. N.; Muritiba, P. M.; Domingues, L. M. (2012). Entender para progredir: análise da pesquisa em governança corporativa no Brasil. Gestão Contemporânea, (12).

Rocha, D. T. D.; Cruz, J. A. W.; Silva, W. V. D.; Martins, T. S. (2010). Análise de risco: um estudo bibliométrico e sociométrico da produção científica da área de finanças do EnANPAD 1997-2008. Revista Pensar Contábill, 12(47).

Rossoni, L.; Guarido Filho, R. (2007). Cooperação interinstitucional no campo dapesquisa em estratégia. Revista de Administração de Empresas, 47(4), 1-15.

Silva de Melo, D. L.; Ferreira da Silva, A. P.; Falk, J. A.; Nascimento, R. G. (2013). Controladoria: um estudo bibliométrico dos artigos publicados em periódicos avaliados pela CAPES. Revista de Contabilidade e Controladoria, 5(3), 66-82.

Silva Netto, A.; da Silveira, M. A. P. (2007). Gestão da segurança da informação: fatores que influenciam sua adoção em pequenas e médias empresas. JISTEM-Journal of Information Systems and Technology Management, 4(3), 375-397.

Silveira, M de A M da. (2007). Avaliação do risco de crédito agregado: aplicação do creditrisk em instituições brasileiras não-financeiras. 2007. 43 f. Dissertação (Mestrado em Finanças e Economia Empresarial. Fundação Getúlio Vargas.

Souza, C. D. de. (2013). A organização do conhecimento: Estudo bibliométrico na base de dados ISI Web of Knowledge. Biblios: Revista de Bibliotecología y Ciencias de la Información, 51, 20-32.

Souza, F. C.; Rover, S.; Gallon, A. V.; Ensslin, S. R. (2009). Análise das IES da Área de Ciências Contábeis e de seus Pesquisadores por meio de sua Produção Científica. Contabilidade Vista & Revista, 19(3), 15-38.

Souza, M. S.; Famá, R. (2009). Gestão de Risco Bancário: Acordo de Basiléia. Contabilidade Vista & Revista, 9(3), 38-51.

Teixeira, E. A.; Nossa, V.; Funchal, B. (2011). O índice de sustentabilidade empresarial (ISE) e os impactos no endividamento e na percepção de risco. Revista Contabilidade & Finanças, 22(55), 29-44.

Trapp, A. C. G.; Corrar, L. J. (2005). Avaliação e gerenciamento do risco operacional no Brasil: análise de caso de uma instituição financeira de grande porte. Revista Contabilidade & Finanças, 16(37), 24-36.

Wang, C. H.; Lee, Y. D.; Chou, H. L.; Kuo, J. H. (2014, May). Identifying the intellectual structure of risk management studies. In Electronics, Computer and Applications, 2014 IEEE Workshop on (pp. 964-968). IEEE.

Zonatto, V. C. D. S. & Beuren, I. M. (2010). Categorias de Riscos Evidenciadas nos Relatórios da Administração de Empresas Brasileiras com ADRs. Revista Brasileira de Gestão de negócios, 12(35), 141.

Zonatto, V. C. D. S. & Beuren, I. M. (2010). Evidenciação da gestão de riscos do COSO (2004) nos relatórios de administração de empresas com ADR’s. Contabilidade, Gestão e Governança, 12(3).