A propaganda como estratégia de diferenciação no varejo: construção de uma escala baseada no modelo ARM Outros Idiomas

ID:
44419
Resumo:
O varejo de eletrodomésticos representa um setor altamente concorrido e concentrado, sendo que os principais varejistas utilizam-se amplamente de propagandas como estratégia de comunicação e promoção de vendas. O presente trabalho visou identificar os elementos execucionais dos comerciais televisivos e os seus impactos sobre a avaliação de qualidade das propagandas e sobre a imagem das redes de lojas de eletrodomésticos, com repercussões sobre as intenções de compra dos consumidores e a comunicação boca a boca. Para compreender melhor tais relações, a presente pesquisa contou com duas fases, sendo a primeira qualitativa e a segunda quantitativa. Na fase qualitativa foram realizadas análises semióticas das propagandas das quatro principais redes de varejistas do país, grupos de foco e entrevistas em profundidade com consumidores de lojas de eletrodomésticos. Já na fase quantitativa descritiva da pesquisa foram conduzidos dois levantamentos do tipo survey, totalizando 1038 questionários válidos. Os resultados obtidos mostram que as propagandas televisivas exercem influência significativa na decisão de compra e na imagem percebida das redes varejistas pesquisadas. Para se chegar a essa conclusão, construiu-se uma escala para mensurar o construto imagem e utilizouse o modelo ARM como base para medir a eficácia das propagandas. Isso permitiu constatar a relevância dos elementos execucionais da propaganda – em especial, aqueles estéticos – como promotores da persuasão. Tal conclusão evidencia a relevância da pesquisa, ao demonstrar que as propagandas podem se constituir em um elemento diferenciador nas estratégias competitivas de empresas no mercado analisado.
Citação ABNT:
BRANDÃO, E. A.; SOUKI, G. Q.; GONÇALVES FILHO, C.; MARTINS, H. C.; MUNIZ, R. M. A propaganda como estratégia de diferenciação no varejo: construção de uma escala baseada no modelo ARM. Revista Ciências Administrativas, v. 22, n. 2, p. 693-724, 2016.
Citação APA:
Brandão, E. A., Souki, G. Q., Gonçalves Filho, C., Martins, H. C., & Muniz, R. M. (2016). A propaganda como estratégia de diferenciação no varejo: construção de uma escala baseada no modelo ARM. Revista Ciências Administrativas, 22(2), 693-724.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/44419/a-propaganda-como-estrategia-de-diferenciacao-no-varejo--construcao-de-uma-escala-baseada-no-modelo-arm/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AAKER, D. A. Administração Estratégica de Mercado. Porto Alegre: Bookman, 2001.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE FABRICANTES DE PRODUTOS ELETROELETRÔNICOS (ELETROS). Disponível em: . Acesso em: 28 fev.2013.

AZEVEDO, L. G. M. R. P. P.; MOURA, L. R. C.; SOUKI, G. Q. Os atributos e suas respectivas dimensões considerados na avaliação do consumidor no processo de escolha de restaurantes In: Encontro da ANPAD – ENANPAD, 39., 2015. Anais… Belo Horizonte: ANPAD, 2015. v.1. p. 1–17. 2015.

BAGOZZI, R. P.; YI, Y.; PHILIPS, L. W. Assessing construct validity in organizational research. Administrative Science Quartely, v. 36, n. 3, p. 421-458, 1991.

BEASLEY, R.; DANESI, M. Persuasive Signs: the semiotics of advertising. Nova Iorque: Mouton de Gruyter, 2002.

BLACKWELL, R. D.; MINIARD, P. W.; ENGEL, J. F. Comportamento do Consumidor. São Paulo: Thomson, 2005.

BOHNER, G.; DICKEL, N. Attitudes and attitude change. Annual Review of Psychology, v. 62, p. 391-417, Jan. 2011.

BRANDÃO, E. A.; MUNIZ, R. M.; GONÇALVES FILHO, C.; ROCCHICCIOLI, G.F.; SOUKI, G. Q.; MENDES, R.L. Brand relationships on retailing: the impact of image on behavioral intentions of consumers. Revista de Administração da UFSM, v.4, n. 1, p. 170-186, 2011.

CAIVANO, J. L.; LOPEZ, M. A. El movimiento como signo en el proceso de visión. In: OLIVEIRA, A. C.; FECHINE, Y. Semiótica da arte: teorizações, análises e ensino. p. 133-143. São Paulo: Hacker, Centro de Pesquisas Sócio semióticas, 1998.

DIMAGGIO, P. J.; POWELL, W. W. The iron cage revisited: institutional isomorphism and collective rationality in organizational fields. American Sociological Review, v. 48, p. 147-160, 1983.

ECO, U. A Estrutura Ausente. São Paulo: Perspectiva, 1976.

FETSCHERIN, M.; BOULANGER, M.; GONÇALVES FILHO, C.; SOUKI, G. Q. The effect of product category on consumer brand relationships. The Journal of Product & Brand Management, v. 23, n. 2, p.78-89, 2014.

FORNELL, C.; LARCKER, D. F. Evaluating structural equation models with unobservable variables and measurement error. Journal of Marketing Research, v. 18, n. 1, p. 39-50, 1981.

HAIR, JR, J.; ANDERSON, R.; TATHAM, R.; BLACK, W. Análise Multivariada de Dados. Trad: Adonai Schlup Sant’Anna e Anselmo Chaves Neto. São Paulo: Bookmam, 2005.

HUERTAS, M. K. Atitude do consumidor frente à propaganda: um estudo sobre os apelos racionais e emocionais da propaganda na indústria farmacêutica. 2005. 367f. Tese (Doutorado em Administração). Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2005.

HUNT, Shelby D. Foundations of Marketing Theory. New Delhi: Prentice-Hall, 2003.

IBOPE MONITOR. Almanaque Ibope. Disponível em: Acesso em: 28 fev.2013.

MALHOTRA, N. K. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

MATHUR, S. S. Talking straight about competitive strategy. Journal of Marketing Management, v. 8, n. 3, p. 199-217, 1992.

MCFALL, L. Advertising: A Cultural Economy. Londres: Sage, 2004.

MEHTA, A. How advertising response modeling (ARM) can increase ad effectiveness. Journal of Advertising Research, v. 34, n. 3, p. 62-74, May-June. 1994,

MEHTA, A.; PURVIS, S. C. Evaluating Advertising Effectiveness Through Advertising Response Modeling (ARM). Journal of Advertising Research, Newhouse School of Public Communications, v. 34, n.3, p. 62-74, 1994.

MELHORES E MAIORES. Revista Exame. São Paulo: Abril, 2010.

MINGOTI, S. Análise de dados através de métodos de estatística multivariada: uma abordagem aplicada. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005.

NETEMEYER, R. G.; BEARDEN, W. O.; SHARMA, S. Scaling procedures: issues and applications. London: Sage, 2003.

PARENTE, J. Varejo no Brasil: Gestão e Estratégia. São Paulo: Atlas, 2000.

PETTY, R. E.; BRIÑOL, P. Attitude change. In: BAUMEISTER, R. F.; FINKEL, E. J. (Ed.). Advanced social psychology: The state of the science. New York: Oxford University Press, 2010. p. 177-216

PETTY, R. E.; CACCIOPPO, J. T.; SCHUMAN D. Central and peripheral routes to advertising effectiveness: the moderating role of involvement. Journal of Consumer Research, v. 10, n. 2, p. 135-146, 1983.

PORTER, M. E. Vantagem Competitiva. Rio de Janeiro: Campus, 1989.

RIBEIRO, J.; EUSTACHIO, J. Entenda propaganda: 101 perguntas e respostas sobre como usar o poder da propaganda para gerar negócios. São Paulo: Senac, 2003.

SANTOS, A. A.; GONÇALVES FILHO, C.; BRANDÃO, E. A.; SOUKI, G. Q. Brand Relationships in the Commodity Market In: FETSCHERIN, Marc; HEILMANN, Tobias (Ed.). Consumer Brand Relationships: meaning, measuring, managing. v. 1, p. 198-223. London : Palgrave Macmillan, 2015.

SCHMITT, B. Experiential Marketing. New York: The Free Press, 1999.

SHIMP, T. A. Propaganda e promoção: aspectos complementares da comunicação integrada de marketing. Porto Alegre: Bookman, 2002.

TABACHNICK, B. G.; FIDELL, L. S. Using Multivariate Statistics. 3. ed. New York: HarperCollins, 2001.

TELLIS, G. J. Advertising’s role in capitalist markets: what do we know and where do we go from here? Journal of Advertising Research, v. 45, n. 2, p. 162-170, 2005.

URDAN, F. T.; URDAN, A. T. Gestão do composto de marketing. São Paulo: Atlas, 2006.

WERNERFELT, B. A Resource-based View of the Firm. Strategic Management Journal, v. 5, n.2, p. 171-180, 1984.

YORAM, W.; ROBERTSON, T. S. Marketing strategy: new directions for theory and research. Journal of Marketing, v. 47, n. 2, p. 12-25, 1983