Modernização do Estado e construção de capacidade burocrática para a implementação de políticas federalizadas Outros Idiomas

ID:
44523
Autores:
Resumo:
O artigo analisa o processo de modernização do Estado brasileiro associando-o ao conceito de capacidade do Estado, em especial, a profissionalização da burocracia federal que atua na formulação e implementação de políticas públicas. O artigo conclui que, a despeito da ocorrência de múltiplos mecanismos utilizados pelos diferentes governos e regimes políticos para o recrutamento da sua burocracia, o Executivo federal sempre foi capaz de gerar capacidade para implementar suas políticas preferenciais. Nas duas últimas décadas, contudo, o Executivo federal passou a recrutar sua burocracia majoritariamente por meio de concursos públicos, havendo hoje uma burocracia consolidada atuando no controle de regras e procedimentos e no controle fiscal, mas ainda incompleta em algumas áreas de políticas públicas. Essas novas características do sistema burocrático federal indicam que algumas das dimensões de uma burocracia weberiana foram construídas enquanto outras aguardam institucionalização, afetando, portanto, a capacidade do Estado em determinadas políticas.
Citação ABNT:
SOUZA, C.Modernização do Estado e construção de capacidade burocrática para a implementação de políticas federalizadas . Revista de Administração Pública, v. 51, n. 1, p. 27-45, 2017.
Citação APA:
Souza, C.(2017). Modernização do Estado e construção de capacidade burocrática para a implementação de políticas federalizadas . Revista de Administração Pública, 51(1), 27-45.
DOI:
http://dx.doi.org/10.1590/0034-7612150933
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/44523/modernizacao-do-estado-e-construcao-de-capacidade-burocratica-para-a-implementacao-de-politicas-federalizadas-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALVES, Jorge A. (Un?)Healthy politics: the political determinants of subnational health systems in Brazil. Latin American Politics and Society, v. 57, n. 4, p. 119-142, 2015.

ARANTES, Rogério B. et al. Controles democráticos sobre a administração pública no Brasil: Legislativo, tribunais de contas, Judiciário e Ministério Público. In: LOUREIRO, Maria Rita; ABRUCIO, Fernando L.; PACHECO, Regina S. (Org.). Burocracia e política no Brasil: desafios para o Estado democrático no século XXI. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2010. p. 109-148.

BOZEMAN, Barry. Causas, efectos y eficacia de la burocratización en las administraciones públicas nacionales: desarrollando reformas sensibles a culturas políticas singulares. Revista del Clad Reforma y Democracia, n. 63, p. 5-32, 2015.

CHUBB, John; PETERSON, Paul (Ed.). Can the government govern? Washington: The Brookings Institution, 1989.

CORPORACIÓN ANDINA DE FOMENTO. Capacidades estatales. Diez textos fundamentales. Buenos Aires: CAF, 2015.

D’ARAUJO, Maria Celina (Org.). Governo Lula: contornos sociais e políticos da elite do poder. Rio de Janeiro: CPDOC, 2007.

DINIZ, Eli; BOSCHI, Renato. Empresariado nacional e Estado no Brasil. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1978.

DRAIBE, Sônia. Rumos e metamorfoses: um estudo sobre a constituição do Estado e as alternativas da industrialização no Brasil: 1930-1960. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

EVANS, Peter B. O Estado como problema e solução. Lua Nova, n. 28-29, p. 107-157, 1993.

EVANS, Peter B. The state as problem and solution: predation, embedded autonomy, and adjustment. In: HAGGARD, Stephan; KAUFMAN, Robert R. (Ed.). The politics of economic adjustment. Princeton, NJ: Princeton University Press, 1992. p. 139-191.

EVANS, Peter B.; RUESCHEMEYER, Dietrich; SKOCPOL, Theda. Bringing the state back in. Nova York: Cambridge University Press, 1985.

FAORO, Raymundo. Os donos do poder: formação do patronato político brasileiro. São Paulo: Globo, 1958.

FIGUEIREDO, Argelina. Executivo e burocracia. In: LESSA, Renato (Org.). Horizontes das ciências sociais no Brasil: ciência política. São Paulo: Anpocs, 2010. p. 191-216.

GAETANI, Francisco; HEREDIA, Blanca. The political economy of civil service reform in Brazil: the Cardoso years. Document prepared for the Red de Gestión y Transparencia del Diálogo Regional de Política del Banco Interamericano de Desarrollo. Mimeografado. 2002.

GEDDES, Barbara. Politician’s dilemma: building state capacity in Latin America. Berkeley: University of California Press, 1994.

GOUVÊA, Gilda P. Burocracia e elites burocráticas no Brasil. São Paulo: Pauliceia, 1994.

GRINDLE, Merilee. Jobs for the boys: patronage and the state in comparative perspective. Cambridge, MA: Harvard University Press, 2012.

HUBER, John D.; MCCARTY, Nolan. Bureaucratic capacity, delegation, and political reform. American Political Science Review, v. 98, n. 3, p. 481-494, 2004.

HUNTINGTON, Samuel. Political order in changing societies. New Haven: Yale University Press, 1968.

ABRUCIO, Fernando; PEDROTI, Paula; PÓ, Marcos. A formação da burocracia brasileira: a trajetória e o significado das reformas administrativas. In: LOUREIRO, Maria Rita; ABRUCIO, Fernando; PACHECO, Regina S. (Org.). Burocracia e política no Brasil: desafios para o Estado democrático no século XXI. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2010. p. 27-72.

CAMPELO DE SOUZA, Maria do Carmo. Estado e partidos políticos no Brasil. São Paulo: Alfa-Ômega, 1976.

EVANS, Peter B. Embedded autonomy: states and industrial transformation. Princeton, NJ: Princeton University Press, 1995.

FERRAREZI, Elisabete; ZIMBRÃO, Adélia; AMORIM, Sônia N. A experiência da Enap na formação inicial para a carreira de especialista em políticas públicas e gestão governamental — EPPGG: 1988 a 2006. Brasília: Cadernos Enap, 2008.

GRAEF, Aldino. A organização de carreiras do Poder Executivo da administração pública federal brasileira. In: CONFERÊNCIA NACIONAL DE RECURSOS HUMANOS, 2009, Brasília.

IPEA. A Agenda Contemporânea de Gestão Pública e seus Desafios, na Visão de Francisco Gaetani. Bole¬tim de Análise Político-Institucional no. 2. Brasília: Ipea, 2012.

LOPEZ, Felix G. (Org.) Cargos de confiança no pre¬sidencialismo de coalizão brasileiro. Brasília: Ipea, 2015.

LOUREIRO, Maria Rita; ABRUCIO, Fernando. Po¬lítica e burocracia no presidencialismo brasileiro: o papel do Ministério da Fazenda no primeiro governo Fernando Henrique Cardoso. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 14, n. 41, p. 69-89, 1999.

LOUREIRO, Maria Rita; OLIVIERI, Cecília; MAR¬TES, Ana C. B. Burocratas, partidos e grupos de interesse: o debate sobre política e burocracia no Brasil. In: LOUREIRO, Maria Rita; ABRUCIO, Fernando L.; PACHECO, Regina S. (Org.). Buro¬cracia e política no Brasil: desafios para o Estado democrático no século XXI. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2010. p. 73-108.

MANN, Michael. The autonomous power of the state: its origins, mechanisms and results. European Journal of Sociology, v. 25, n. 2, p. 185-213, 1984.

MARGETTS, Helen. Modernization dreams and public policy reform. In: MARGETTS, Helen; PER¬RI, Henri; HOOD, Christopher (Ed.). Paradoxes of modernization: unintended consequences of public policy reform. Oxford: Oxford University Press, 2010. p. 20-33.

MARTINS, Luciano. Estado capitalista e burocracia no Brasil pós-64. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991.

MPOG/SRH. Boletim estatístico de pessoal. Brasília, dez. 2010.

NUNES, Edson. A gramática política do Brasil: clien¬telismo e insulamento burocrático. Rio de Janeiro: Zahar, 1997.

O’DONNELL, Guillermo. Contrapontos: autorita¬rismo e democratização. São Paulo: Vértice, 1986.

OCDE. Avaliação da gestão de recursos humanos no governo — relatório da OCDE: Brasil 2010. Brasília: OCDE, 2010.

OLIVIERI, Cecilia. Os controles políticos sobre a burocracia. Rev. Adm. Pública, v. 45, n. 5, p. 1395- 1424, set./out. 2011.

OLSEN, Johan P. Maybe it is time to rediscover bu¬reaucracy. Journal of Public Administration Research and Theory, v. 16, n. 1, p. 1-24, 2005.

PACHECO, Regina. Profissionalização, mérito e proteção da burocracia no Brasil. In: LOUREIRO, Maria Rita; ABRUCIO, Fernando L.; PACHECO, Regina (Org.). Burocracia e política no Brasil: desafios para o Estado democrático no século XXI. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2010. p. 277-306.

PETERS, Guy. The politics of bureaucracy. Londres: Longman Publishers USA, 1995.

PIRES, Roberto R. C.; GOMIDE, Alexandre A. Va¬riações setoriais em arranjos de implementação de programas federais. Revista do Serviço Público, v. 66, n. 2, p. 195-226, 2015.

REPETTO, Fabián. Capacidad estatal: requisito ne¬cesario para uma mejor política social en América Latina. In: CONGRESO INTERNACIONAL DEL CLAD SOBRE LA REFORMA DEL ESTADO Y DE LA ADMINISTRACIÓN PÚBLICA, VIII, 2003, Panamá.

ROUANET, Sérgio P. Criação no Brasil de uma Escola Superior de Administração Pública. Mimeografado. 1982.

SCHNEIDER, Ben R. Politics within the state: elite bureaucrats and industrial policy in authoritarian Brazil. Pittsburgh: University of Pittsburgh Press, 1991.

SKOCPOL, Theda. Bringing the state back in: strat¬egies of analysis in current research. In: EVANS, Peter B.; RUESCHEMEYER, Dietrich; SKOCPOL, Theda (Ed.). Bringing the state back in. Nova York: Cambridge University Press, 1985. p. 3-43.

SKOCPOL, Theda; FINEGOLD, Kenneth. State capacity and economic intervention in the early New Deal. Political Science Quarterly, v. 97, n. 2, p. 255-278, 1982.

TILLY, Charles. War making and state making as or¬ganized crime. In: EVANS, Peter B.; RUESCHEMEY¬ER, Dietrich; SKOCPOL, Theda (Ed.). Bringing the state back in. Nova York: Cambridge University Press, 1985. p. 169-191.

WAHRLICH, Beatriz M. S. Reforma administrativa na era de Vargas. Rio de Janeiro: Editora FGV, 1983.