O papel da burocracia de nível de rua na implementação e (re) formulação da Política Nacional de Humanização dos serviços de saúde de Porto Alegre (RS) Outros Idiomas

ID:
44524
Resumo:
Este artigo analisa a implementação da Política Nacional de Humanização nas unidades básicas de saúde de Porto Alegre. Para isso, foi utilizada a abordagem de análise baseada na interação que enfatiza o processo de influência mútua entre o plano da política pública e as características dos espaços locais de implementação. Assim, situa o olhar nos contextos de atuação das burocracias de nível de rua, ressaltando o papel exercido por sua discricionariedade. A pesquisa foi qualitativa com a utilização de dados primários e secundários. Averiguou-se que os implementadores, diante da falta de treinamento nos marcos da política, da percepção de carência de recursos e do baixo grau de apoio, forjaram um entendimento peculiar dos objetivos e das estratégias da política. Eles criaram uma visão do que seria humanizar os serviços, inspirada pela estrutura normativa e ajustada às preferências e necessidades locais.
Citação ABNT:
LIMA, L. L.; D’ASCENZI, L. O papel da burocracia de nível de rua na implementação e (re) formulação da Política Nacional de Humanização dos serviços de saúde de Porto Alegre (RS) . Revista de Administração Pública, v. 51, n. 1, p. 46-63, 2017.
Citação APA:
Lima, L. L., & D’ascenzi, L. (2017). O papel da burocracia de nível de rua na implementação e (re) formulação da Política Nacional de Humanização dos serviços de saúde de Porto Alegre (RS) . Revista de Administração Pública, 51(1), 46-63.
DOI:
http://dx.doi.org/10.1590/0034-7612145223
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/44524/o-papel-da-burocracia-de-nivel-de-rua-na-implementacao-e--re--formulacao-da-politica-nacional-de-humanizacao-dos-servicos-de-saude-de-porto-alegre--rs--/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BRASIL.Ministério da Saúde. HumanizaSUS: Política Nacional de Humanização: a humanização como eixo norteador das práticas de atenção e gestão em todas as instâncias do SUS. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

BRASIL.Ministério da Saúde. HumanizaSUS: Política Nacional de Humanização: documento base para gestores e trabalhadores do SUS. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

BRASIL.Ministério da Saúde. Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão do SUS. O HumanizaSUS na atenção básica. Brasília: Ministério da Saúde, 2009. (Série B. Textos Básicos de Saúde).

BRODKIN, Evelyn Z. Policy work: street-level organizations under new managerialism. Journal of Public Administration Research and Theory, n. 21, p. 253-277, 2011.

BROWNE, Angela; WILDAVSKY, Aaron. What should evaluation mean to implementation? In: PRESSMAN, Jeffrey L.; WILDAVSKY, Aaron (Ed.). Implementation. 3. ed. Berkeley: University of California, 1984. p. 232-256.

GOFEN, Anat. Mind the gap: dimensions and influence of street-level divergence. Journal of Public Administration Research and Theory, n. 24, p. 473493, 2014.

HILL, Michael; HUPE, Peter. Implementing public policy. Londres: Sage, 2014.

HOWLETT, Michael et al. Política pública. Seus ciclos e subsistemas. Uma abordagem integral. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013.

HUPE, Peter et al. Studying implementation beyond deficit analysis: the top-down view reconsidered. Public Policy and Administration, v. 29, n. 2, p. 145163, 2014.

LIMA, Luciana L. A implementação da regulação dos prestadores privados no sistema municipal de saúde: os casos de Belo Horizonte/MG e Porto Alegre/RS. In: FARIA, Carlos Aurélio P. (Org.). Implementação de políticas públicas: teoria e prática. Belo Horizonte: Editora PUC Minas. 2012. p. 154-181.

LIMA, Luciana L.; D’ASCENZI, Luciano. Estrutura normativa e implementação de políticas públicas. In: MADEIRA, Lígia M. (Org.). Avaliação de políticas públicas. Porto Alegre: UFRGS/Cegov. 2014. p. 50-63.

LIMA, Luciana L.; D’ASCENZI, Luciano. Implementação de políticas públicas: perspectivas analíticas. Revista de Sociologia e Política, v. 21, n. 48, p. 101-110, 2013.

LOTTA, Gabriela S. Desvendando o papel dos burocratas de nível de rua no processo de implementação: o caso dos agentes comunitários de saúde. In: FARIA, Carlos Aurélio P. (Org.). Implementação de políticas públicas: teoria e prática. Belo Horizonte: Editora PUC Minas. 2012. p. 221-259.

LOTTA, Gabriela S. O papel das burocracias do nível de rua na implementação de políticas públicas: entre o controle e a discricionariedade. In: FARIA, Carlos Aurélio P. (Org.). Implementação de políticas públicas: teoria e prática. Belo Horizonte: Editora PUC Minas, 2012. p. 20-49.

MAJONE, Giandomenico; WILDAVSKY, Aaron. Implementation as evolution. In: PRESSMAN, Jeffrey L.; WILDAVSKY, Aaron. Implementation. Califórnia: University of California Press, 1984. p. 163-180.

MARQUES, Eduardo. As políticas públicas na ciência política. In: MARQUES, Eduardo; FARIA, Carlos Aurélio P. de. (Org.). A política pública como campo multidisciplinar. São Paulo: Unesp, 2013. p. 23-46.

MULLER, Pierre; SUREL, Yves. A análise das políticas públicas. Pelotas: Educat, 2002.

OLIVEIRA, Antonio. Burocratas da linha de frente: executores e fazedores das políticas públicas. Rev. Adm. Pública, v. 46, n. 6, p. 1551-1573, nov./dez. 2012.

PINTO, Elisabeth L.; MIDLEJ, Suylan. Programa Pró-Equidade de Gênero: uma discussão sobre relações entre homens e mulheres na Caixa Econômica Federal. Rev. Adm. Pública, v. 46, n. 6, p. 1529-1550, nov./dez. 2012.

PIRES, Roberto R. C. Estilos de implementação e resultados de políticas públicas: fiscais do trabalho e o cumprimento da lei trabalhista no Brasil. Dados, v. 52, n. 3, p. 735-769, 2009.

SOSS, Joe et al. The organization of discipline: from performance management to perversity and punishment. Journal of Public Administration Research and Theory, n. 21, p. 203-232, 2011.

TUMMERS, Lars. Explaining the willingness of public professionals to implement new policies: a policy alienation framework. International Review of Administrative Sciences, v. 77, n. 3, p. 555-581, 2011.

WILSON, James Q. Bureaucracy: what government agencies do and why they do it. Nova York: Basic Books, 2000.

ZANI, Felipe Barbosa; COSTA, Frederico Lustosa da. Avaliação da implementação do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar - novas perspectivas de análise. Rev. Adm. Pública, v. 48, n. 4, p. 889-912, jul./ago. 2014.

BASTIEN, Joelle. Goal ambiguity and informal discretion in the implementation of public policies: the case of Spanish immigration policy. International Review of Administrative Sciences, v. 75, n. 4, p. 665-685, 2009.

BRASIL.Ministério da Saúde. HumanizaSUS: documento base para gestores e trabalhadores do SUS. Brasília: Ministério da Saúde, 2008.

BRODKIN, Evelyn Z. Bureaucracy redux: management reformism and the welfare state. Journal of Public Administration Research and Theory, n. 17, p. 1-17, 2007.

HUPE, Peter. What happens on the ground: persistent issues in implementation research. Public Policy and Administration, v. 29, n. 2, p. 164-182, 2014.

LIPSKY, Michael. Street-level bureaucracy: dilemmas of the individual in public services. Nova York: Russel Sage Foundation, 2010.

MAY, Peter J. Policy design and implementation. In: PETERS, B. Guy; PIERRE, Jon (Ed.). The Sage handbook of public administration. Londres: Sage, 2012. p. 279-291.

SECCHI, Leonardo. Políticas públicas. Conceitos, esquemas de análise, casos práticos. 2. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2015.