Consciência Política e Participação Cidadã de Estudantes de Administração: Um Estudo Exploratório em uma Universidade Pública no Brasil Outros Idiomas

ID:
44559
Resumo:
Este artigo analisa a dinâmica da consciência política dos estudantes de graduação em Administração de uma universidade pública federal brasileira quanto à participação cidadã em lugares públicos participativos. A discussão se baseia no modelo de análise da consciência política para compreensão da participação em ações coletivas de Sandoval (2001). Os dados foram coletados e analisados em duas etapas, por meio de questionários e entrevistas semiestruturadas em 2014, submetidos à análise de conteúdo (BARDIN, 2004). Os resultados revelam como justificativas citadas pelos estudantes que participam o interesse em exercer a cidadania, em melhorar as políticas públicas, o gosto por assuntos públicos e defesa de seus interesses em circunstâncias de conflito. Nos estudantes com participação mais ativa, evidenciam-se crenças, valores e expectativas societais, articuladas à eficácia política, identidade coletiva, interesses antagônicos, sentimentos de justiça e injustiça, favorecendo a vontade de agir coletivamente, devido à percepção de conexão de seus interesses com as metas e ações coletivas dos movimentos que se envolvem. Os estudantes que não participam desconfiam dos lugares públicos participativos e demonstram desinteresse pelos assuntos públicos, embora apontem um desconforto em não participar. Suas crenças, valores e expectativas societais, associadas aos sentimentos de ineficácia política dificultam o desenvolvimento da consciência política. Conclui-se que estes estudantes possuem uma consciência política de senso comum, demonstrando valores inerentes aos modismos presentes na vida cotidiana das pessoas. Já os estudantes com participação mais ativa apresentam uma consciência política de conflito, motivando-os à participação nos lugares avaliados como eficazes às suas proposições. Entretanto, o Centro Acadêmico, principal lugar de representação e participação dos interesses dos estudantes dos cursos em estudo, encontrase sem direção e participação nas instâncias institucionalizadas na universidade.
Citação ABNT:
PALASSI, M. P.; MARTINS, G. F.; PAULA, A. P. P. Consciência Política e Participação Cidadã de Estudantes de Administração: Um Estudo Exploratório em uma Universidade Pública no Brasil. REAd. Revista Eletrônica de Administração, v. 22, n. 3, p. 154-179, 2016.
Citação APA:
Palassi, M. P., Martins, G. F., & Paula, A. P. P. (2016). Consciência Política e Participação Cidadã de Estudantes de Administração: Um Estudo Exploratório em uma Universidade Pública no Brasil. REAd. Revista Eletrônica de Administração, 22(3), 154-179.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/44559/consciencia-politica-e-participacao-cidada-de-estudantes-de-administracao--um-estudo-exploratorio-em-uma-universidade-publica-no-brasil/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AKTOUF, O. Ensino de Administração: por uma pedagogia para a mudança. Revista Organizações e Sociedades, Salvador, v. 12, n. 35, p. 152-159, 2005.

ANSARA, S. Memória política: construindo um novo referencial teórico na Psicologia Política. Psicologia Política, v. 8, n. 15, p. 31-56, jan./jun. 2008.

AVRITZER, L. Modelos de deliberação democrática: uma análise do orçamento participativo no Brasil. In SANTOS, B. S. (ed.). Democratizar a democracia participativa: os caminhos da democracia participativa. p. 561-598. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. 2002.

BAQUERO, M.; BORBA, J. A (re)valorização dos partidos políticos no Brasil via capital social. Revista de Estudos e Pesquisas sobre as Américas, v. 2, n. 1, p. 1-17, jan./jun. 2008.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. 3ª ed. Lisboa, Edições 70, 2004.

BAUER, M. W.; GASKELL, G. Qualidade, quantidade e interesses do conhecimento - Evitando confusões. In: BAUER, M. W.; GASKELL, G. (Dir.), Pesquisa Qualitativa com texto, imagem e som. 2. ed. p. 17-36. Petrópolis: Vozes, 2003.

BERGANTINÕS, N. Participación y (des)afecciones ciudadanas: algunas experiencias del País Vasco. In X Congresso: La Política en la Red, 2011, Murcia, p. 1-27.

BORDENAVE, J. E. D. O que é participação São Paulo. Brasiliense, 8ª ed. n. 95, 2004.

BRASIL. Decreto Presidencial nº 8.243, de 23 de maio de 2014. Disponível em: . Acesso em: 03 jun. 2014.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em: . Acesso em: 02 jun. 2013. 1996.

BRASIL. Projeto de Decreto Legislativo nº 1491/2014, Disponível em . Acesso em: 03 jan.2015. 2014.

COSTA, G. P. Um estudo sobre cidadania e políticas públicas em Porto Alegre. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, Taubaté, v. 3, n. 4 (número especial), p. 75-103, nov. 2007.

DAGNINO, E. Sociedade Civil, espaços públicos e a construção democrática no Brasil: limites e possibilidades. In DAGNINO, E. (ed.). Sociedade civil e espaços públicos no Brasil, São Paulo: Paz e Terra, 2002, p. 279-301.

GASKELL, G. Entrevistas individuais e grupais. In BAUER, M. W; GASKELL, G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som, Rio de Janeiro: Vozes, 2002, p. 64-89.

GOHN, M. G. Empoderamento e participação das comunidades em políticas sociais. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 13, n. 2, p. 20-31, mai./ago. 2004.

HEWSTONE, M. Causal attribution: from cognitive processes to colective beliefs. Londres, Basil Blackwell, 1989.

LUCHMANN, L. H.; BORBA, J. Inclusão política, desigualdades e novas institucionalidades: uma análise a partir de instituições participativas em Santa Catarina. Revista de Ciências Sociais Unisinos, v. 44, n. 158, p. 58-68, jan./abr. 2008.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MARANHÃO, C. S.; PAES DE PAULA, A. P. Pedagogia crítica e ensino em Administração: em busca de novas abordagens. Gestão.Org - Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, v. 9, p. 438-460, 2011.

MILANI, C. R. S. O princípio da participação social na gestão de políticas públicas locais: uma análise de experiências latino-americanas e europeias. Revista Administração Pública. Rio de Janeiro, v. 42, n. 3, p. 551-79, mai./jun. 2008.

PAES DE PAULA, A. P. Administração pública brasileira entre o gerencialismo e a gestão social. Revista de Administração de Empresas, v. 45, n. 1, p. 36-49, jan.-mar. 2005.

PAES DE PAULA, A. P. Estilhaços do Real: O ensino da Administração em uma perspectiva benjaminiana. Curitiba: Juruá, 2012.

PALASSI, M. P. Ações coletivas e consciência política no mundo do trabalho: dilemas subjetivos da participação nos processos de privatização. Curitiba: Juruá, 2011, p. 109-143.

PETINELLI-SOUZA, S; MENDES, E. S. Administradores: por uma formação para além da grande empresa. In: XVIII Colóquio sobre Gestão Universitária das Américas, 2013, Buenos Aires. XVIII Colóquio sobre Gestão Universitária das Américas, 2013

PETINELLI-SOUZA, S.; SOUZA, E. M. de. O trabalho docente no curso de administração: algumas (re) significações. Educação em Revista (UFMG. Impressp), v. 28, p. 83-102, 2012.

RECK, J. A consciência política dos cooperados do MST: o caso do Coopac - Campo Verde/MS. Tese (doutorado) - Programa Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação. Campinas, 2005, p. 95-117.

RENNÓ, L. R. Instituições, cultura política e lógica da desconfiança numa cidade brasileira. In: BAQUERO, M. (Ed.). Desafios da democratização na América Latina. p. 103-134. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 1999.

SÁ E SILVA, F. de. Juristas e acadêmicos lançam manifesto em favor da Política Nacional de Participação. Política, Carta Maior, 12 jun. 2014. Disponível em: . Acesso em: 21 jun 2014.

SANDOVAL, S. A. M. Considerações sobre aspectos micro-sociais na análise dos movimentos sociais. Psicologia e Sociedade, São Paulo, v. 34, p. 122-129, set. 1989.

SANDOVAL, S. A. M. The Crisis of the Brazilian of labor movement and the emergence of alternatives of working-class contention in the 1990s. Psicologia Política, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 173-195, jan./jul. 2001.

SILVA, A. S. A identificação de adversários, de sentimentos antagônicos e de (in) eficácia política na formação da consciência política no MST Paulista. Estudos e Pesquisas em Psicologia, Rio de Janeiro: UERJ, v. 7, n. 1, p. 105-126, abr. 2007.

TATAGIBA, L. Os desafios da articulação entre sociedade civil e sociedade política, sob o marco da democracia gerencial: o caso do projeto Rede Criança, em Vitória-ES, In: SILVA, M. Z.; BRITO JUNIOR, B. T. (Ed.), Participação social na gestão pública: olhares sobre as experiências de Vitória-ES. p. 148-193. São Paulo: ANNABLUME, 2009.

TEIXEIRA, E. C. As dimensões da participação cidadã. Caderno CRH, Salvador, v. 26, n. 27, p. 179-209, jan./dez. 1997.

THIRY-CHERQUES, H. R. Saturação em pesquisa qualitativa: estimativa empírica de dimensionamento. Revista Brasileira de Pesquisas de Marketing, Opinião e Mídia, v. 3, n. 1, p. 20-27, 2009.

VIEIRA, C. M.; BARROS, M. N. F. Cidadania: entre o compromisso e a indiferença: desvendando as representações sociais de universitários. Psicologia em Estudo, v. 13, n. 3, p. 513-522, jul./set. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pe/v13n3/v13n3a12.pdf. Acesso em: 02 jul 2013. 2008.