Fatores Inibidores da Institucionalização em um Hospital Universitário Outros Idiomas

ID:
44615
Resumo:
O objetivo da pesquisa foi investigar os fatores que inibem a institucionalização do orçamento como ferramenta de controle gerencial em um hospital universitário em VitóriaES. Desta forma, a compreensão do problema norteou a opção por um estudo de caso, com abordagem qualitativa e de natureza descritiva, utilizando, como procedimentos técnicos de coleta de dados, a observação não participante, entrevista semiestruturada e análise documental. O levantamento dos dados ocorreu nos meses de março e abril de 2016. Como técnica de análise de dados foi utilizada Análise de Conteúdo de Bardin (1977), desenvolvida nos meses de abril e junho de 2016. Na análise dos dados foi analisado o processo orçamentário nos planos teórico e real. Como conclusão, foram verificados 27 fatores inibidores, tais como: cultura de controle, rigidez e impessoalidade. Foi verificado, também, que o orçamento no hospital ainda não foi institucionalizado como ferramenta de controle gerencial.
Citação ABNT:
CALIMAN, D. R.; CAETANO, A. M.; FRASSI, L. B.; CASTRO, S. M. Fatores Inibidores da Institucionalização em um Hospital Universitário. Revista Eletrônica de Estratégia & Negócios, v. 9, n. 3, p. 54-89, 2016.
Citação APA:
Caliman, D. R., Caetano, A. M., Frassi, L. B., & Castro, S. M. (2016). Fatores Inibidores da Institucionalização em um Hospital Universitário. Revista Eletrônica de Estratégia & Negócios, 9(3), 54-89.
DOI:
http://dx.doi.org/10.19177/reen.v9e3201654-89
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/44615/fatores-inibidores-da-institucionalizacao-em-um-hospital-universitario/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BRAGA, R. Fundamentos e técnicas de administração financeira. São Paulo: Atlas, 1995.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2009.

MACHADO-DA-SILVA, C. L.; FONSECA, V. S. da; CRUBELLATE, J. M. Estrutura, Agência e Interpretação: elementos para uma abordagem recursiva do processo de institucionalização. Revista de Administração Contemporânea-RAC, v. 14, p. 77-107, 2010.

SOUZA, A. A.; BRAGANÇA, C. G.; BRAGA, A. S.; SOARES, L. A. C. F. Análise da avaliação de desempenho por meio do orçamento em um hospital filantrópico: Estudo de Caso. In: XI Congresso Nacional de excelência em gestão. 2015. Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro, 2015.

TORRES, J. J. M. Teoria da complexidade: uma nova visão de mundo par a estratégia. I Encontro Brasileiro de Estudos da Complexidade-I EBEC. Curitiba-11 a 13 de jul. 2005.

YIN, R. K. Case Study Research-design and methods. Sage Publications Inc.; USA, 1989.

ALDRIDGE, J. V. RILEY, G. L. Governing Academic Organizations. Berkeley: IcCutchan Publishing Company, 1977.

ALMEIDA, L. B. MACHADO, E. A. RAIFUR, L.; NOGUEIRA, D. R. A Utilização do Orçamento como Ferramenta de Apoio à Formulação de Estratégia, de Controle e de interatividade: Um Estudo Exploratório nas Cooperativas Agropecuárias da Região Sul do Brasil. Revista Contabilidade Vista & Revista, v. 20, n. 3, 2009.

ANSOFF, H. I. A nova estratégia empresarial. São Paulo: Atlas, 1991.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. 1ª ed. Lisboa, Portugal: Edições 70, 1977.

BAZERMAN, M. H. Processo Decisório: para cursos de Administração, Economia e MBAs. Rio de Janeiro: Elsevier Editora, 2004.

BRYER, A. R. Participation in budgeting: A critical anthropological approach. Accounting, Organizations and Society, v. 39, p. 511-530, 2014.

BUCKLEY, P. J. MICHIE, J. Firms organizations and contracts. New York: Oxford University Press, 1996.

BURNS, J. SCAPENS, R. W. Conceptualizing management accounting change: an institutional framework. Management Accounting Research, v. 11, p. 3-25, 2000.

CALIMAN, D. R. Fatores que inibem a institucionalização do orçamento como ferramenta de controle gerencial de uma IFES. Dissertação de Mestrado, PPGADM, Universidade Federal do espírito Santo, Vitória/ES, 2014.

CARNEIRO. M.; MATIAS, A. B. Orçamento Empresarial: teoria, prática e novas técnicas. 1. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

CASTANHEIRA, D. F. R.; LUPORINI, C. E.; SOUSA, A. F.; ROJO, C. A. O uso do orçamento empresarial como ferramenta de apoio á tomada de decisão e ao controle gerencial: Um estudo comparado em indústrias farmacêuticas de médio porte. Revista de Finanças Aplicadas, pp. 1-20, 2013.

CHEN, Q. Cooperation in the budgeting process. Journal of Accounting Research, v. 41, n. 5, p. 775-796, December, 2003.

CHONG, V. K. CHONG, K. M. Budget goal commitment and informational effects of budget participation on performance: a structural equation modeling approach. Behavioral Research in Accounting, v. 14, p. 65-86, 2002.

COVALESKI, M. A.; EVANS III, J. H.; LUFT, J. L.;SHIELDS, M. D. Budgeting research: three theoretical perspectives and criteria for selective integration. Journal of Management Accounting Research, v. 15, n. 1, p. 3-49, 2003.

DAVILA, A. WOUTERS, M. Managing budget emphasis through the explicit design of conditional budgetary slack. Accouting, Organizations and Society, v. 30, n. 7/8, p. 587-608, 2005.

DIMAGGIO, P. J.; POWELL, W. W. The iron cage revisited: Institutional isomorphism and collective retionality in organizational fields. American Sociological Review, v. 48, n. 2, p. 147-160, 1983.

DUNK, A. NOURI, H. Antecedents of budgetary slack: a literature review and synthesis. Journal of Accounting Literature, vol. 17, p. 72-96, 1998.

ESTRADA, A. A. Os fundamentos da teoria da complexidade em Edgar Morin. Akropolis-Revista de ciências humanas da UNIPAR, p. 85-90, abr./jun. 2009.

ETHERINGTON, L. TJOSVOLD, D. Managing budget conflicts: contribution of goal interdependence and interaction. Canadian Journal of Administrative sciences, v. 15, n. 2, p. 142-151, 1998.

ETZIONI, A. Modern Organizations. New Jersey: Prentice-Hal, 1964.

FREZATTI, F Orçamento empresarial: planejamento e controle gerencial. 5 ed. São Paulo: Atlas, 2009.

FREZATTI, F.; GUERREIRO, R.; AGUIAR, A. B.; GOUVEA, M. A. Análise do relacionamento entre a contabilidade gerencial e o processo de planejamento das Organizações Brasileiras. Revista de Administração Contemporânea-RAC. p. 33-54, 2005.

FREZATTI, F.; NASCIMENTO, A. R.; JUNQUEIRA, E.; RELVAS,T. R. S. Processo orçamentário: uma aplicação da análise substantiva com utilização da Grounded Theory. Revista Organizações e Sociedade-O&S, Salvador, v. 18, n. 58, p.445-446, 2011.

FREZATTI, F.; RELVAS, T. R. S. JUNQUEIRA, E.; NASCIMENTO, A. R.; OYADOMARI, J. C. Críticas ao Orçamento: Problemas com o Artefato ou a Não Utilização de uma Abordagem Abrangente de Análise? ASAA-Advances in Scientific and Applied Accounting, v. 3, n. 2, 2010.

GARRISON, R.; NOREEN, E. Managerial Accounting. McGraw-Hill, 2000.

GUERREIRO, R. PEREIRA, C. A. REZENDE, A. J. AGUIAR, A. B. Fatores Determinantes do Processo de Institucionalização de uma Mudança na Programação Orçamentária: uma pesquisa ação em uma organização brasileira. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, v. 10, n. 1, p. 59-76, 2005.

GUERREIRO, R.; FREZATTI, F.; LOPES, A. B.; PEREIRA, C. A. O entendimento da contabilidade gerencial sob a ótica da teoria institucional. Revista Organizações e Sociedade-O&S, Salvador, v. 12, n. 35, 2005.

HANSEN, S. C. VAN DER STEDE, W. A. Multiple facets of budgeting: an exploratory analysis. Management Accounting Research, v. 15, n. 4, p. 415-439, 2004.

HANSEN, S. C.; OTLEY, D. T.; VAN DER STEDE, W. A. Practice development in budgeting: an overview and research perspective. Journal of Management Accounting Research, v. 15, n.1, p. 95-116, 2003.

HOLLAND, J. H. Hidden Order: How Adaptation Builds Complexity. Oxford: Helix Books, 1996.

HORNGREN, C. T. SUNDEM, G. L. STRATTON, W. O. Contabilidade gerencial. 12 ed. São Paulo: Prentice Hall, 2004.

JUNQUEIRA, E. R. M.; CALIMAN, D. R.; PASCUCI, L. M.; GONZAGA, R. P.; FREZATTI, F. Academia Pratica o Que Ensina? Análise da Institucionalização do Processo Orçamentário em Uma Ifes. XXXIX Encontro da ANPAD, Belo Horizonte, 2015.

LINO, K. M. S.; GONÇALVES, M. F.; FEITOSA, S. L. Administração hospitalar por competência: O administrador como gestor hospitalar. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Administração)-Escola Superior da Amazônia. Belém, PA, 2008.

LISSACK, M. R.; LETICHE, H. Complexity, Emergence, Resilience, and Coherence: gaining perspective on organizations and their study. Emergence, n. 4, v. 3, p. 72-94, 2002.

LIVOVSCHI, F. R. Fatores socioculturais facilitadores do processo orçamentário eficaz nas organizações. Dissertação de mestrado (Mestrado em Desenvolvimento Profissional e Gerencial) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2013.

LUFT, J.; SHIELDS, M. Maping management accounting graphics and guidelines. Accouting organization and society, v. 28, p. 169-249, 2003.

MEYER JUNIOR, V. A escola como organização complexa. In: EYING, A. GHISI, M.L. Políticas e Gestão da Educação Superior. Curitiba: Champagnat, 2007.

MEYER JUNIOR, V. PASCUCCI, L. Estratégia em Contextos Complexos e Pluralísticos. Revista de Administração Contemporânea-RAC, v. 17, n. 5, p. 536-555, 2013.

MEYER, J. W. ROWAN, B. Instituionalized organizations: formal structure as myth and ceremony. American Journal of Sociology, v. 83, n. 2, p. 340-363, 1977.

MINTZBERG, H. Tracking strategies: toward a general theory of strategy formation. New York: Oxford University Press, 2007.

MÓL, A. L. R.; ARAÚJO FILHO, G. M. Administração financeira e orçamentária. Brasília: Sistema MEC/UAB, 2008.

MORIN, E. Ciência com consciência. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 8 ed.; 2005.

NORTH, D. Towards a theory of institutional change. Quaterly Review of Econimics and Business. [S.1], inverno, 1991.

OYADOMARI, J. C.; MENDONÇA NETO, O. R.; CARDOSO, R. L.; LIMA, M. P. Fatores que influenciam a adoção de artefatos de controle gerencial nas empresas brasileiras: um estudo exploratório sob ótica da teoria institucional. Revista de Contabilidade e Organizações-FEARP/USP, v. 2, n. 2, p. 55-70, 2008.

PADOVEZE, C. L. Contabilidade Gerencial: um enfoque em sistema de informação contábil. 7 ed. São Paulo: Atlas, 2010.

PADOVEZE, C. L. TARANTO, F. C. Orçamento empresarial: novos conceitos e técnicas. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2009.

PASCUCCI, L.; MEYER JUNIOR, V. Formação de estratégias em sistemas complexos: Estudo comparativo de organizações hospitalares sob a perspectiva pratica. XXXV Encontro da ANPAD, 4 a 7 de set.; Rio de Janeiro, RJ, 2011.

PASSOLONGO, C.; ICHIKAWA, E. Y.; REIS, L. G. dos. Contribuição da teoria institucional para os estudos organizacionais: o caso da universidade estadual de londrina. Revista Negócios, v. 9, n. 1, p. 19-26, 2004.

PATTIO, M. L. P. O impacto do sistema ABC no controle organizacional da Casa de Saúde Santa Maria. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção)-Universidade Federal de Santa Catarina, Santa Catarina, 2001.

PICCHIAI, D. Mudanças em Instituições Hospitalares: Análise do Processo e Estudo da Ação do Administrador Hospitalar. Relatório de Pesquisa apresentado ao NPP-Núcleo de Pesquisas e Publicações-EAESP-FGV. São Paulo, 1998.

REIS, C. Z. T.; OLIVEIRA, A. R.; SILVEIRA, S. F. R.; CUNHA, N. R. S. Variáveis discriminantes do Nível de Institucionalização do Modelo Orçamentário nas Universidades Federais. Revista de Ciências da Administração, v. 16, n. 39, p. 83-100, 2014.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa Social: Métodos e Técnicas. 3 ed. São Paulo: Atlas, 1999.

SANVICENTE, A. Z; SANTOS, C. C. Orçamento na administração de empresas: planejamento e controle. 2 ed. São Paulo: Atlas, 1983.

SARKIS, C. D. Características do processo orçamentário nas Cooperativas de Crédito do Estado de Minas Gerais. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis)-Programa de PósGraduação em Contabilidade e Controladoria da Universidade Federal de Minas Gerais. Minas Gerais, 2013.

SHIELDS, J.; SHIELDS, M. Antecedents of participative budgeting. Accounting, Organizations and Society, v. 23, n. 1, p. 49-76, 1998.

SOUZA, A. A.; GUERRA, M.; LARA, C. O.; GOMIDE, P. L. R.; PEREIRA, C. M.; FREITAS, D. A. Controle de gestão em organizações hospitalares. Revista de Gestão, v. 16, n. 3, p. 15-29, 2009.

SOUZA, A. A.; MOREIRA, D. R.; SILVA, E. A.; PEREIRA, A. C. C. Avaliação de sistemas de informações de hospitais com base na análise fatorial: uma pesquisa survey em hospitais da região metropolitana de belo horizonte. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde-RGSS, v. 1, n. 2, p. 04-40, jul./dez. 2012.

SOUZA, A. A.; OLIVEIRA, L. F.; SOUZA, A. D.; XAVIER, D. O.; XAVIER, A. G. Custeio Baseado em Atividades em Hospitais: Modelagem das Atividades do Setor de Engenharia Clínica. In: XIX Congresso Brasileiro de Custos-Bento Gonçalves, RS, Brasil, 12 a 14 de novembro de 2012. Anais... Rio Grande do Sul, 2012.

STACEY, R. D. Complexity and creativity in organizations. San Francisco: Berret-Koehler, 1996.

TOLBERT, P. S. ZUCKER, L. G. A institucionalização da Teoria institucional. In: CLEGG, S. R. HARDY; C. NORD; W. R. CALDAS. (Org), M. FACHIN; R. FICHER, T. Handbook de estudos organizacionais: modelos e novas questões em estudos organizacionais. p. 196-219. São Paulo: Atlas, 1999.

TOLBERT, P. S.; ZUCKER, L. G. A Institucionalização da Teoria Institucional. In: CLEGG, S. R.; HARDY, C.; NORD, W. R.; CALDAS, M.; FACHIN, R.; FICHER, T. Handbook de estudos organizacionais: modelos e novas questões em estudos organizacionais, v. 1. São Paulo: Atlas, 2006.

VANDERBECK, E. J.; NAGY, C. F. Contabilidade de Custos. 11 ed. São Paulo: Editora Pioneira-Thomson Learning, 2001.

WEICK, K. E. Educational Organizations as Loosely Coupled System. Administrative Science Quarterly, v. 1, n. 21, p. 1-19, 1976.

WELSC, G. A. Orçamento Empresarial. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1983.

YUEN, D. C. Y. Goal characteristics, Communication and Reward Systems, and Managerial Propensity to Create Budgetary Slack. Managerial Auditing Journal, v. 19, n. 4, p. 517-532, 2004.

ZAN, A. Mudanças na contabilidade gerencial de uma organização: Estudo de caso com diagnóstico institucional. São Paulo, SP, 2006.

AGOSTINHO, M. C. E. Administração complexa: Revendo as bases cientificas da administração. Revista de Administração de Empresas-RAE-Eletrônica, v. 2, n. 1, 2003.

ARNABOLDI, M. LAPSLEY, I. STECCOLINI, I. Performance Management in the Public Sector: the ultimate challenge. Financial Accountability & Management, v. 31, n. 1, p. 245-261, 2015.

FREZATTI, F. Orçamento Empresarial: planejamento e controle gerencial. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2007.

GERSHENSON, C. HEYLIGHEN, F. How can we think complex? In: Managing organizational complexity: philosophy, theory and application. Editor: RICHARDSON, Kurt. Greenwich: IAP, 2005.

HEINZMANN, L. M. LAVARDA, C. E. F. Cultura organizacional e o processo de planejamento e controle orçamentário. Revista de Contabilidade e Organizações-RCO, v. 5, n. 13, p. 19-19, 2011.