Da Ideia à Inovação: O Caminho Percorrido por um Inventor Outros Idiomas

ID:
44787
Resumo:
Este caso de ensino narra o caminho percorrido por Rodrigo, dono da empresa Zeta, para colocar no mercado o projeto mais ousado que até então havia idealizado, a unidade de bombeio. Um inventor nato, Rodrigo viu-se ao longo dos anos com muitas ideias, mas poucas possibilidades de colocá-las em prática ou torná-las rentáveis. Os dados do caso de ensino foram obtidos por meio de entrevista semiestruturada e análise documental. A partir deste caso, espera-se que alunos dos cursos de gestão e que empreendedores possam compreender como é possível obter suporte e criar bases para transformar uma invenção em inovação. A fim de preservar a empresa e o gestor, este caso de ensino utiliza o nome fictício “Zeta” para se referir à empresa, e o nome “Rodrigo” para se referir ao gestor. Todas as demais informações são reais.
Citação ABNT:
SILVA, G.; DACORSO, A. L. R. Da Ideia à Inovação: O Caminho Percorrido por um Inventor. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, v. 6, n. 1, p. 217-233, 2017.
Citação APA:
Silva, G., & Dacorso, A. L. R. (2017). Da Ideia à Inovação: O Caminho Percorrido por um Inventor. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, 6(1), 217-233.
DOI:
10.14211/regepe.v6i1.387
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/44787/da-ideia-a-inovacao--o-caminho-percorrido-por-um-inventor/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Chesbrough, H. (2012). Inovação aberta: como criar e lucrar com a tecnologia. Porto Alegre: Bookman.

Clausen, T.; Pohjola, M.; Sappraserty, K.; Verspagen, B. (2011). Innovation strategies as a source of persistent innovation. Industrial and Corporate Change, 21(3), 553-585.

Forsman, H. (2011). Innovation capacity and innovation development in small enterprises: a comparison between the manufacturing and service sectors. Research Policy, 40, 739-750.

Inovação Aplicada. (2015). O que são e como funcionam as Patentes de Invenção (PI), 2013. Disponível em: . Acesso em 26, dezembro.

Organization for Economic Co-Operation and Development: OECD. (2005). Promoting innovation in services. Paris: OECD.

Parida, V.; Westerberg, M.; Frishammar, J. (2012). Inbound open innovation activities in high-tech SMEs: the impact on innovation performance. Journal of Small Business Management, 50(2), 283-309.

Schumpeter, J. (1982). A Teoria do Desenvolvimento Econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo Econômico. Ed. Abril S.A.Cultural e Industrial: São Paulo.

Silva, G.; Dacorso, A. L. R. (2013). Inovação Aberta como uma Vantagem Competitiva para a Micro e Pequena Empresa. Revista de Administração e Inovação, 10(3), 251-268.

Silva, G.; Dacorso, A. L. R.; Costa, V. B.; Di Serio, L. C. (2016). Relationships and Partnerships in Small Companies: Strengthening the Business Through External Agents. BAR.Brazilian Administration Review, 13(1), 1-18.

Silva, G.; Dacorso, A. L. R.; Montenegro, L. M. (2014). Mais do que negócios abertos, mentes abertas. In: XXXVIII Encontro da ANPAD. 2014. Rio de Janeiro.

Tether, B. S. (2003). What is innovation?Approaches to Distinguishing New Products and Processes from Existing Products and Processes. ESRC Centre for Research on Innovation and Competition (CRIC), University of Manchester and UMIST, working paper n° 12.

Tidd, J.; Bessant, J.; Pavitt, K. (2008). Gestão da inovação. 3. ed. Porto Alegre: Bookman.

Utterback, J. M. (1996). Dominando a dinâmica da inovação. Rio de Janeiro: Qualitymark.

44787 - 6/1/2017 Alsaaty, F. M. (2011). A model for building innovation capabilities in small entrepreneurial firms. Academy of Entrepreneurship Journal, 17(1).