Uma Teoria Substantiva sobre o Processo de Implementação de Sistemas de Melhoria de Desempenho Operacional Outros Idiomas

ID:
44954
Resumo:
Neste estudo, teve-se como objetivo apresentar categorias teóricas sobre o fenômeno da implementação de sistemas de melhoria de desempenho em organizações. O método utilizado foi a Grounded Theory, seguindo os procedimentos apresentados por Strauss and Corbin (2008). Desta forma, a pesquisa foi conduzida baseada nos princípios da amostragem teórica, sendo que a coleta e análise dos dados foram realizadas em sequências alternadas, e compreenderam 05 (cinco) grupos amostrais. A amostra teórica foi composta por 26 (vinte e seis) entrevistas, realizadas em 12 (doze) empresas. Os participantes foram gestores que já tiveram experiência com implementações de sistemas de avaliação e melhoria de desempenho. Desta forma, construiu-se a teoria substantiva “Uma fase de mudança e aprendizado”. Esta se constitui de 09 (nove) categorias, além da categoria central. De acordo com os resultados entende-se o fenômeno da implementação de sistemas de melhorias de desempenho como uma fase de mudança e aprendizado que envolve aspectos comportamentais e estruturais da organização. Conclui-se que estes aspectos devem ser considerados a partir de uma visão sistêmica, a fim de integrar estrutura, tecnologias, comportamentos e processos que fazem parte do fenômeno da implementação.
Citação ABNT:
ROMAN, D. J.; OSINSKI, M.; ERDMANN, R. H. A Substantive Theory on the Implementation Process of Operational Performance Improvement Methods. RAUSP Management Journal, v. 52, n. 2, p. 148-162, 2017.
Citação APA:
Roman, D. J., Osinski, M., & Erdmann, R. H. (2017). A Substantive Theory on the Implementation Process of Operational Performance Improvement Methods. RAUSP Management Journal, 52(2), 148-162.
DOI:
dx.doi.org/10.1016/j.rausp.2016.12.005
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/44954/uma-teoria-substantiva-sobre-o-processo-de-implementacao-de-sistemas-de-melhoria-de-desempenho-operacional/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Inglês
Referências:
Al-Mashari, M.; Zairi, M. (1999). BPR implementation process: An analysis of key success and failure factors. Business Process Management Journal, 5(1), 87-112.

Attadia, L. C. L.; Martins, R. A. (2003). Medição de desempenho como base para a evolução da melhoria contínua. Revista Produção, 13(2), 33-41.

Beber, S. J. N.; Ribeiro, J. L. D.; Neto, F. J. K. (2006). Análise da causa do fracasso em implantações de BSC. Revista Produção, 6(2), 1-22.

Bourne, M.; Neely, A.; Mills, J.; Platts, K. (2003). Why some performance measurement initiatives fail: Lessons from the change management literature. International Journal of Business, 5(2/3), 245-269.

Bourne, M.; Neely, A.; Platts, K.; Mills, J. (2002). The success and failure of performance measurement initiatives: Perceptions of participating managers. International Journal of Operations & Production Management, 22(11), 1288-1310.

Büscher, A. (2007). Negotiating helpful action: A substantive theory on the rela tionship between formal and informal care Thesis (Academic Dissertation). Finland: Department of Nursing Science, University of Tampere.; 195 p.

Charmaz, K. (2009). A construção da teoria fundamentada: guia prático para análise qualitativa. Porto Alegre: ARTMED.

de Sena, A. S.; Guarnieri, P. (2015). Enterprise resource planning governamen tal: A percepção dos servidores atuantes do projeto Ciclo do Ministério da Justiça quanto à implementação. Revista de Administração Pública, 49(1), 207-230.

Deus, R. M.; Seles, B. M. R. P.; Vieira, K. R. O. (2014). As organizações e a ISO 26000: Revisão dos conceitos, dos motivadores e das barreiras de implementação. Gestão & Produção, 21(4), 793-809.

Dolci, D. B.; Lunardi, G. L.; Salles, A. C. (2015). Implementation of green IT in organizations: A structurational view. Revista de Administração de Empresas, 55(5), 486-497.

Frederico, G. F.; Martins, R. A. (2012). Modelo para alinhamento entre a maturidade dos sistemas de medição de desempenho e a maturidade da gestão da cadeia de suprimentos. Gestão & Produção, 19(4), 857-871.

Glaser, B. G.; Strauss, A. L. (1967). The discovery of grounded theory: Strategics for qualitative research. New York: Aldine de Gruyter.

Goessler, L. G. M. (2009). Uso de Sistemas de Medição de Desempenho para Melhoria Contínua: Um estudo da Influência do Estilo de Gestão Tese (Mestrado). São Carlos: - Universidade Federal de São Carlos.; 120 p.

Gomes, L. C.; Neto, F. J. K. (2015). Métodos colaborativos na gestão de cadeias de suprimentos: Desafios de implementação. Revista de Administração de Empresas, 55(5), 563-577.

Gonzalez, R. V. D.; Martins, M. F. (2007). Melhoria contínua no ambiente ISO 9001:2000: Estudo de caso em duas empresas do setor automobilístico. Revista Produção, 17(3), 592-603.

Hashmi, H.; Khan, N. R.; Haq, M. A. (2015). The impact of lean management implementation on organizational operational performance. LogForum, 11(4), 375-385.

Hwang, D.; Yang, M. G.; Hong, P. (2015). Mediating effect of IT-enabled capa bilities on competitive performance outcomes: An empirical investigation of ERP implementation. Journal of Engineering and Technology Management, 36, 1-23.

Lage, M. C. (2011). Utilização do software NVivo em pesquisa qualitativa: uma experiência em EaD. ETD Educação Temática Digital, 12(1), 198-226.

Lima, G. B.; Carvalho, N. C.; Herkenhoff, D. A. (2010). Avaliação de desem penho baseada na ISO 9004:2000: Estudo de caso em uma empresa de manutenção. INGEPRO - Inovação, Gestão e Produção, 2(6), 96-107.

Madapusi, A.; D’Souza, D. (2012). The influence of ERP system imple mentation on the operational performance of an organization. International Journal of Information Management, v. 32, 24-34.

Neely, A.; Bourne, M. (2000). Why measurement initiatives fail. Measuring Business Excellence, 4(4), 3-7.

Prieto, V. C.; Pereira, F. L. A.; de Carvalho, M. M.; Laurindo, F. J. B. (2006). Fatores críticos na implementação do Balanced Scorecard. Gestão & Produção, 13(1). São Carlos.

Rocha-Pinto, S.; Del Carpio, G. (2011). Fatores críticos para a implantação do balanced scorecard: A visão de consultores organizacionais. Revista Base, 8(4), 311-324.

Rosa, C. A.; Cauchick Miguel, P. A. (2012). Adoção do programa Seis Sigma em um fornecedor automotivo: Análise de fatores relevantes na implementação. Teoria e Prática em Administração, 2(2), 151-172.

Scherer, J. O.; Ribeiro, J. L. D. (2013). Proposição de um modelo para análise dos fatores de risco em projetos de implantação da metodologia lean. Gestão e Produção [online], 20(3), 537-553.

Schmidt, P.; Santos, J. L.; Martins, M. A. (2006). Avaliação de empresas: Foco na análise de desempenho para o usuário interno. São Paulo: Atlas.

Silva, C. E. S.; Araújo, F. (2006). Relação entre melhoria contínua e o sis tema de avaliação de desempenho - estudo de caso em malharias retilíneas. GEPROS, 1(2), 149-162.

Spessatto, G.; Beuren, I. M. (2013). Análise das diferenças na implantação do Balanced Scorecard nas maiores empresas da região sul do Brasil. Gestão e Produção, 20(2).

Strauss, A.; Corbin, J. (2008). Pesquisa qualitativa: Técnicas e procedimen tos para o desenvolvimento de teoria fundamentada. 2a ed. Porto Alegre: Artmed.

Trad, S.; Maximiano, A. C. A. (2009). Seis sigma: Fatores críticos de sucesso para sua implantação. Revista de administração contemporânea, 13(4). Curitiba.

Valentim, O. A.; Politano, P. R.; Pereira, N. A.; Araujo Filho, T. (2014). Análise comparativa entre a implementação e atualização do sistema ERP R/3 da SAP considerando os fatores críticos de sucesso descritos na literatura. Gestão & Produção, 21(1), 111-124.

Waal, A. A.; Counet, H. (2009). Lessons learned from performance management systems implementations. International Journal of Productivity and Performance Management, 58(4), 367-390.

Wali, S.; Boujelbene, Y. (2011). Cultural influences on TQM implementation and financial performance in Tunisian firms. Ekonomika a Management, 30(3), 30-45.

Walter, O. M. F. C.; Tubino, D. F. (2013). Métodos de avaliação da implantação da manufatura enxuta: Uma revisão da literatura e classificação. Gestão e Produção, 20(1), 23-45.

Albertin, A. L. (1996). Aumentando as chances de sucesso no desenvolvimento e implementação de sistemas de informações. Revista de Administração de Empresas, 36(3), 61-69.