Análise dos Níveis de Estresse no Ambiente Hospitalar: Um Estudo com Profissionais da Área de Enfermagem Outros Idiomas

ID:
45120
Resumo:
Este trabalho tem como objetivo identificar, com base no Inventário de Sintomas de Stress de Lipp (ISSL), qual o nível de estresse dos profissionais técnicos de enfermagem de um hospital público. Realizou-se uma pesquisa com abordagem quantitativa, utilizando um questionário que foi aplicado a uma amostra de profissionais lotados no hospital em estudo, no caso, o Hospital Universitário Walter Cantídio, selecionado para estudo por ser considerado um dos nosocômios mais utilizados na cidade de Fortaleza. Em suma, pôde-se perceber a aplicabilidade prática do ISSL em uma amostra de 100 técnicos de enfermagem, composta em sua maioria por profissionais experientes.
Citação ABNT:
FELIX, D. B.; MACHADO, D. Q.; SOUSA, E. F. Análise dos Níveis de Estresse no Ambiente Hospitalar: Um Estudo com Profissionais da Área de Enfermagem. Revista de Carreiras e Pessoas, v. 7, n. 2, p. 530-543, 2017.
Citação APA:
Felix, D. B., Machado, D. Q., & Sousa, E. F. (2017). Análise dos Níveis de Estresse no Ambiente Hospitalar: Um Estudo com Profissionais da Área de Enfermagem. Revista de Carreiras e Pessoas, 7(2), 530-543.
DOI:
http://dx.doi.org/10.20503/recape.v7i2.32749
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/45120/analise-dos-niveis-de-estresse-no-ambiente-hospitalar--um-estudo-com-profissionais-da-area-de-enfermagem/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BRITTO, E. S.; CARVALHO, A. M. P. Stress, coping (enfrentamento) e saúde geral dos enfermeiros que atuam em unidades de terapia intensiva e problemas renais. Enfermaria Global, Espanha, n. 4, 2004.

CAMELO, S. H. H.; ANGERAMI, E. L. S. Sintomas de estresse nos trabalhadores atuantes em cinco núcleos de saúde da família. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 12, n. 1, p. 14-21, 2004.

CAVALHEIRO, A. M. Estresse em enfermeiros com atuação em unidades de terapia intensiva. São Paulo, 2008. 141f. Tese (Doutorado em Enfermagem). Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo, 2008.

ELIAS, M. A.; NAVARRO, V. L. A relação entre o trabalho, a saúde e as condições de vida: negatividade e positividade no trabalho das profissionais de enfermagem de um hospital escola. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 14, n.4, p. 517-525, 2006.

FERREIRA, M. C.; ASSMAR, E. M. L. Fontes Ambientais de Estresse Ocupacional e Burnout: Tendências Tradicionais e Recentes de Investigação. In: TAMAYO, A. (Org.). Estresse e Cultura Organizacional. São Paulo: 2008. Cap.1, p.21-73.

FORNÉS, J. Respuesta emocional al estrés laboral. Rol de Enfermería, v. 186, p. 31-39, 1994.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2010.

KARASEK, R. A.; THEÖRELL, T. Healthy work-stress, productivity, and the reconstruction of working life. New York: Basic Books, 1990.

LIPP, M. E. N. Stress e suas implicações. Estudos de Psicologia, v. 1, n. 3/4, p. 5-19, 1984.

LIPP, M. E. N.; TANGANELLI, M. S. Stress e qualidade de vida em magistrados da justiça do trabalho: diferenças entre homens e mulheres. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 15, n. 3, p. 537-548, 2002.

MUROFUSE, N. T. O adoecimento dos trabalhadores de enfermagem na Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais: reflexo das mudanças no mundo do trabalho. São Paulo, 2004, 298f. Tese (Doutorado em Enfermagem Fundamental). Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, USP, 2004.

PASCHOAL, T.; TAMAYO. A. Validação da escala de estresse no trabalho. Estudos de Psicologia, v. 9, n. 1, p. 45-52, 2004.

PEIRÓ, J. M. Psicología de la organizacion. Madrid: Universidad Nacional de Educación a Distancia, 1992.

PESCAR, C. P.; NELSON, C. A. Medical companion: a guide to symptoms and illnesses. Finland, 1983.

ROSSETTI, M. O. O inventário de sintomas de stress para adultos de Lipp (ISSL) em servidores da polícia Federal de São Paulo. Rev. Bras. Ter. Cogn., v. 4, n. 2, p. 108-120, 2008.

ROSSI, A. M. Stress e qualidade de vida no trabalho: perspectivas atuais da saúde ocupacional. São Paulo: Atlas, 2005.

SADIR, M. A.; BIGNOTTO, M. M.; LIPP, M. E. N. Stress e qualidade de vida: influência de algumas variáveis pessoais. Paideia, v. 20, n. 45, p.73-81, 2010.

STACCIARINI, J. M.; TRÓCCOLI, B. T. O estresse na atividade ocupacional do enfermeiro. Rev. Latinoamericana de Enfermagem, v. 9, n. 2, p. 17-25, 2001.

TELES, M. L. S. O que é stress. São Paulo: Brasiliense, 1999.

ULHÔA, M. D. L.; GARCIA, F. C. Estresse ocupacional dos trabalhadores de um hospital público de Belo Horizonte: um estudo de caso nos centros de terapia intensiva. Gestão de Pessoas em Organizações, v. 18, n. 3, p. 409-426, 2011.

VIANEY, E. L.; BRASILEIRO, M. E. Saúde do trabalhador: condições de trabalho do pessoal de enfermagem em hospital psiquiátrico. Rev. Bras. Enferm., v. 56, n. 5, p. 555-557, 2003.

WITTER, G. P. O Stress e suas implicações. Simpósio sobre Stress e suas implicações: um encontro internacional. 1. 1996. Anais... 1996.

ZANELLI, C. P. Estresse nas organizações de trabalho: compreensão e intervenção baseadas em evidências. Porto Alegre: Artmed, 2010.

BIANCHI, E. R. F. Escala Bianchi de Stress. Revista da escola de enfermagem da USP, v. 43, n. Spe, p. 1055-1062, 2009.

COUTO, H. A. Ergonomia Aplicada ao Trabalho: conteúdo básico. Belo Horizonte: Ergo, 2007.