São João de Campina Grande como Megaevento: Imbricamento entre Sistema e Mundo da Vida na Mercadorização da Cultura Outros Idiomas

ID:
45174
Resumo:
Um dos maiores eventos do Brasil, o São João de Campina Grande incorporou elementos modernos ao seu caráter cultural e regional, adquirindo contornos de espetáculo, em um processo de “mercadorização” da cultura. Tal aspecto remete-nos à discussão de esfera pública proposta por Jürgen Habermas, cuja abordagem aponta para a concepção dualista entre sistema e mundo da vida. Com o intuito de analisar como o mundo da vida e o sistema coexistem no São João de Campina Grande, realizamos a presente pesquisa, de abordagem crítica, por meio de entrevistas em profundidade com quatro grupos de agentes envolvidos na organização do megaevento. Nossos achados apontam para uma clara primazia da ação estratégica, na qual o consenso do espaço público tende a se diluir nos imperativos políticos e mercadológicos implicados na “profissionalização” de um festejo que nasce na esfera pública.
Citação ABNT:
LEÃO, A. L. M. S.; PERDIGÃO, J. G. L.; FRANCO, S. M.; FERREIRA, B. R. T. São João de Campina Grande como Megaevento: Imbricamento entre Sistema e Mundo da Vida na Mercadorização da Cultura . Administração Pública e Gestão Social, v. 9, n. 2, p. 87-94, 2017.
Citação APA:
Leão, A. L. M. S., Perdigão, J. G. L., Franco, S. M., & Ferreira, B. R. T. (2017). São João de Campina Grande como Megaevento: Imbricamento entre Sistema e Mundo da Vida na Mercadorização da Cultura . Administração Pública e Gestão Social, 9(2), 87-94.
DOI:
http://dx.doi.org/10.21118/apgs.v1i2.1085
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/45174/sao-joao-de-campina-grande-como-megaevento--imbricamento-entre-sistema-e-mundo-da-vida-na-mercadorizacao-da-cultura-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Lubenow, J. A. (2007). A categoria de esfera pública em Jürgen Habermas: para uma reconstrução da autocrítica. Cadernos de Ética e Filosofia Política, 10(1), 103-123.

ACCG - Associação Comercial De Campina Grande. (2012). Movimento no Aeroporto João Suassuna cresce 23% em junho. Recuperado de: .

Aguiar, M. M.; Heller, L.; Melo, E. M. (2012). A ação comunicativa na gestão de um serviço privatizado de água e esgoto: uma avaliação em Cachoeiro do Itapemirim (ES). Revista de Administração Pública, 46(6), 1505-1527.

Carvalho, J. B. C. L. de. (2012). Conselhos gestores de políticas públicas: institucionalidades ofensivas ou espaços de burocratização do “Mundo da Vida”? Revista Democracia Digital e Governo Eletrônico, v. 6, p. 1-16.

Embratur - Instituto Brasileiro de Turismo. (2012). Eventos realizados no Brasil. Recuperado de: .

Farias, E. (2005). Economia e cultura no circuito das festas populares brasileiras. Sociedade e Estado, 20(3), 647-688.

Flick, U. (2009). Introdução à pesquisa qualitativa. (3a ed.). Porto Alegre: Artmed.

Gill, R. (2002). Análise de Discurso. In: Bauer, M. W.; Gaskell, G. (Orgs.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático (2a ed. - pp. 244-270). Petrópolis: Vozes.

Gobbi, M. C. (2007). Folkmarketing e o maior São João do Mundo. Revista Internacional de Folkcomunicação, 5(10), 1-8.

Goulart, J. O.; Farias, C. C. (2012). Cultura, comunicação e cidadania: o caso do Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo. Intercom - RBCC, 5(2), 331-349.

Gutierrez, G.L.; & Almeida, M. A. B. (2013). Teoria da Ação Comunicativa (Habermas): estrutura, fundamentos e implicações do modelo. Veritas, 58(1), 151-173.

Habermas, J. (1990). Pensamento pós-metafísico: estudos filosóficos. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro.

Hansen, G. L.; Pereira, J. E. T.; Silva, R. D.; Blanco, S. M.; Kale, T. M. (2012). Mudança estrutural da esfera pública: cinquenta anos de um texto atual e multifacetado. Problemata, 3(2), 101-126.

Kumar, K. (2006). Da Sociedade Pós-industrial à Pós-moderna: novas teorias sobre o mundo contemporâneo. 2a ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Leão, A. L. M. S.; Mello, S C. B, & Vieira, R. S. G. (2009). O papel da teoria no método de pesquisa em Administração. Organizações em Contexto, 10, 1-16.

Leão, A. L. M. S.; Mello, S C. B. (2008). Uma crítica à crítica da economia política do signo: um resgate do “valor de uso” inspirado na segunda filosofia de Ludwig Wittgenstein. Alceu, 8(16), 70-85.

Lima, E. C. A. (2008). A Fábrica dos Sonhos: a invenção da festa junina no espaço urbano. (2a ed.). Campina Grande: EDUFCG.

Lima, E. C. A. (2013). A festa de São João e a invenção da cultura popular. RIF, 11(23), 13-29.

Lincoln, Y. S.; Guba, N. K. (2005). Paradigmatic controversies, contradictions, and emerging confluences. In Denzin, N. K.; Lincoln, Y. S. (Eds.). The Sage handbook of qualitative research. 3 ed. p.191-216. Thousand Oaks: Sage Publications, Inc.

Lucena, S. A.; Filho. (2009). O maior São João do Mundo em Campina Grande-PB: um evento gerador de discursos culturais. Rumos (João Pessoa), 1, 123-140.

Mattos, P. L. C. L. (2005). A entrevista não-estruturada como forma de conversação: razões e sugestões para sua análise. Revista de Administração Pública, 39(4), 23-47.

Nóbrega, Z. S. (2007, maio). Apontamentos sobre o lúdico em o maior São João do mundo. Terceiro Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, III Enecult, Salvador, BA.

Nóbrega, Z. S. (2009, maio). Os usos da festa do maior São João do mundo. Quinto Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, V Enecult, Salvador, BA.

Oliveira, V. A. R.; Cançado, A. C.; Pereira, J. R. (2010). Gestão social e esfera pública: aproximações teórico-conceituais. Cadernos EBAPE.BR (FGV), 8(4), 613-626.

Paiva, F. G.; Jr.; Leão, A. L. M. S.; Mello, S. C. B. (2011). Validação e confiabilidade na pesquisa qualitativa em administração. Revista de Ciências da Administração, 13(31), 190-209.

PBTUR. Eventos na Paraíba. Recuperado de: .

Pereira, L. H. M. (2011). Mídia e esfera pública: o valor emancipatório de um conceito. O Cabo dos Trabalhos. Revista Electrónica dos Programas de Doutoramento do CES/ FEUC/ FLUC, 3(6), 1-29.

Plastino, C. A. (2001). O primado da afetividade: a crítica freudiana ao paradigma moderno. Rio de Janeiro: Relume Dumará.

Souza, P. R. B.; Saldanha, A. N. K.; Ichicawa, E. Y. (2004). Teoria Crítica na Administração. Caderno de Pesquisas em Administração, 11(3), 1-9.

Souza, S.; Borges, L. de O. (2010). A profissão de músico conforme apresentada em jornais paraibanos. Psicologia & Sociedade, 22(1), 157-168.

Vainer, C. B. (2000). Pátria, empresa e mercadoria: notas sobre a estratégia discursiva do Planejamento Estratégico Urbano. In Arantes, O.; Vainer, C.; Maricato, E. A cidade do pensamento único: desmanchando consensos (pp. 75-104). Petrópolis: Vozes.

Vasconcelos, I. F. F. G.; Pesqueux, Y.; Cyrino, A. B. (2014). A Teoria da Ação Comunicativa de Habermas e Suas Aplicações nas Organizações: Uma Proposta de Pesquisa. Cadernos EBAPE.BR (FGV), 12(1).

Vizeu, F. (2005). Ação Comunicativa e Estudos Organizacionais. Revista de Administração de Empresas, 45(4), 10-21, 2005.

Zwick, E.; Silva, I. C.; Brito, M. J. (2014). Estratégia como prática social e teoria da ação comunicativa: possíveis aproximações teóricas. Cadernos EBAPE.BR (FGV), 12, 384-400.