O Patrimônio Histórico Cultural Reconhecido pela Unesco em Barcelona Utilizado pelo Turismo Outros Idiomas

ID:
45494
Resumo:
Turismo é uma atividade econômica, relacionada ao capitalismo, caracterizada pela mercantilização de produtos e serviços. Assim, o patrimônio histórico e cultural passa a ser considerado um produto, atrativo de demandas, resultante de diferentes estratégias criadas pela atividade turística. Percebe-se que há uma estreita correlação entre o desenvolvimento do turismo de alguns dos países que mais recebem turistas e os seus patrimônios, a exemplo do que ocorre na Espanha, um dos mais visitados. Dentre as cidades mais visitadas, consagra-se Barcelona – CAT/ES, possuidora de nove patrimônios históricos e culturais reconhecidos pela UNESCO, dentre eles, sete representantes do legado do arquiteto Gaudí. Este trabalho tem como objetivo analisar resultados preliminares acerca da importância desse patrimônio histórico e cultural reconhecido pela UNESCO, em vista de sua utilização como atrativo turístico. A metodologia da pesquisa se pautou no estudo de caso, devido aos procedimentos de coleta de dados e informações, provenientes de fontes secundárias e primárias, quantitativas e qualitativas. Dentre os resultados obtidos, aponta-se a necessidade de avanços nos processos de controle da demanda, principalmente nos legados de Gaudí, contratação de profissionais ligados ao turismo, ou à história, utilizando o referido patrimônio com ética, valorizando seus significados.
Citação ABNT:
PINHEIRO, M. T.; PEREIRA, R. M. F. A.; CERDAN, L. M. O Patrimônio Histórico Cultural Reconhecido pela Unesco em Barcelona Utilizado pelo Turismo. Turismo: Visão e Ação, v. 19, n. 2, p. 375-397, 2017.
Citação APA:
Pinheiro, M. T., Pereira, R. M. F. A., & Cerdan, L. M. (2017). O Patrimônio Histórico Cultural Reconhecido pela Unesco em Barcelona Utilizado pelo Turismo. Turismo: Visão e Ação, 19(2), 375-397.
DOI:
10.14210/rtva.v18n2.p375-397
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/45494/o-patrimonio-historico-cultural-reconhecido-pela-unesco-em-barcelona-utilizado-pelo-turismo/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Barcelona Turisme (2015) Estadístiques de turisme 2015. Barcelona, Recuperado em 21 de Julho, 2016, em http://professional.barcelonaturisme. com/ Professionals/publicacions-estadistiques/publicacions-estadistiquesestadistiques/_fRw6AmMgtpem12gxC4gvjBhsqgyODje3gTpO7UUhs2tnShYXrTF_rA.

Barcelona Turisme, Historia Un paseo por la historia de Barcelona. Recuperado em: 17 de março de 2017. De:

Barcelona Turisme. (2013).Estadístiques de turisme a Barcelona. (p.1 48). Recuperado em 20 de março, 2017, em http://professional.barcelonaturisme.com/files/8684-1176-pdf/ Est2013b_baixa.pdf

Barcelona Turisme. (2015). Informe Anual 2014. Barcelona. (p.1 – 94). Recuperado em 21 de julho, 2016, em http://professional.barcelonaturisme. com/Professionals/publicacions-estadistiques/publicacions-estadistiquesestadistiques/_fRw6AmMgtpem12gxC4gvjBhsqgyODje3gTpO7UUhs2tnShYXrTF_rA.

BCN, (2017). População de Barcelona, Recuperado em 17 de março de 2017, em: http://w141. bcn.cat/ubicat/index.php?option=com_wrapper&view= wrapper&Itemid=7&lang=es.

Boyer, M. (2003). História do turismo de massa. Bauru, SP: EDUSC.

Cabré, T., & Badia, M. (2015). Barcelona: 50 meravelles del Modernisme (1a ed.). Barcelona: Cossetània Edicions.

Casellas, D. V. (2005) L’imaginari monumental i artístic del turisme cultural: El cas de la revista Barcelona Atracción. Tese de doutorado. Universitat de Girona. Departament de Geografia, Història i Història de l’Art.

Choay, F. (2001). A alegoria do Patrimônio. São Paulo: UNESP.

Cordeiro, I. D., Korossy, N. & Selva, V. (2013, Abril). Determinação da Capacidade de Carga Turística a partir do método Cifuentes et al. (1992): Aplicação à Praia dos Carneiros (Tamandaré/PE). Revista Turismo Visão e Ação, 152(4), 20-21.

ECONOMIASC. (2016). Arteris patrocina exposição de Gaudí em Florianópolis. Recuperado em 24 de Setembro, 2016, de http://economiasc.com.br/arteris-patrocina-exposicao-deGaudí-em-florianopolis/.

Fernandes, A. M. V. (2016). Turismo e Patrimônio na cidade de Barcelona. Recuperado em 28 de Julho, 2016, de http://observatoriogeograficoamericalatina.org.mx/egal15/ Geografiasocioeconomica/Geografiaturistica/21.pdf.

Ferrer, T. N. (2014). La construcción simbólica de una capital. Planeamiento, imagen turística y desarrollo urbano em Barcelona a principios de siglo XX. Recuperado em http://www. ub.edu/geocrit/sn/sn-493/493-13.pdf

Hobsbawm. E. J. (1995) Era dos extremos: o breve século XX: 1914 -1991; tradução Marcos Santa Rita: revisão técnica Maria Célia Paoli, São Paulo: Companhia das Letras.

Hughes, R. (1995).Barcelona. (Bottman D.) São Paulo: Companhia das Letras.

Hughes, R. (2008). Barcelona: Um Passeio Pela Grande Feiticeira. (Lyra M. H. Trad.) Rio de Janeiro: Agir.

Lefevbre, H. (1991). O direito à cidade. (Frias. R. E., Trad.). São Paulo, SP: Editora Moraes Ltda.

Marx, K. (1996). O Capital. Crítica Da Economia Política, Coordenação e Revisão de Paul Singer. Tradução de Regis Barbosa E Flávio R. Kothe, São Paulo – SP: Nova Cultural.

Ruschmann, D. V. de M.; Paolucci, Luciana; Maciel, Nelson A. L. Capacidade de Carga no Planejamento Turístico: estudo de caso da Praia Brava – Itajaí frente à implantação do complexo turístico habitacional canto da brava. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo. v.2, n.2, p.41-63, jul. 2008.

Ruschmann, D. V. M. (1997). Turismo e planejamento sustentável: A proteção do meio ambiente. Campinas: Papirus.

Sans, A. A. (2016) La regulación del acceso al Park Güell. Un análisis de la controversia desde em giro relacional híbrido. Revista Pasos, Tarragona, v.14, n.3, p.631-644.

Severino, A. J. (2007). Metodologia do trabalho científico. 23. ed. São Paulo: Cortez.

UNESCO. (2016). World Heritage List. Recuperado em 22 de fevereiro, 2016, em http:// whc.unesco.org/en/list/.

UNWTO. (2015). Tourism Highlights. Recuperado em 17 de Outubro, 2016 em http://www.eunwto.org/doi/pdf/10.18111/9789284416899.

Urry, J. (2001). O olhar do turista: lazer e viagens nas sociedades contemporâneas. São Paulo: SESC. Recuperado em 21 de Setembro, 2016, em https://books.google.com.br/books?id=5 wLJ2bbsOcgC&pg=PA33&dq=turismo+de+massa&hl=en&sa=X&ved=0ahUKEwiW_IqKv aDPAhWKiJAKHadGD58Q6AEIKzAC#v=onepage&q=turismo%20de%20massa&f=false.