Resíduos Perigosos do Porto de Santos: Impacto Populacional e no Armazenamento Outros Idiomas

ID:
45664
Resumo:
O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência causada à população pela disposição de resíduos perigosos do Porto de Santos nas empresas de tratamento e analisar o armazenamento dos resíduos no interior do mesmo. Um Sistema de Informações Geográficas (SIG) permitiu contabilizar a população possivelmente afetada pela disposição dos resíduos e o inventário de resíduos sólidos do porto, e verificar a quantidade produzida nos anos de 2013 e 2014. Os resultados demonstraram uma tendência ao menor impacto sobre a população mais distante das empresas, além do maior controle operacional do porto contribuir para a melhoria no gerenciamento de resíduos sólidos.
Citação ABNT:
VENTURA, K. S.; GUERREIRO, T. C. M. Resíduos Perigosos do Porto de Santos: Impacto Populacional e no Armazenamento . Revista Eletrônica de Estratégia & Negócios, v. 10, n. Ed. Especial 2, p. 103-132, 2017.
Citação APA:
Ventura, K. S., & Guerreiro, T. C. M. (2017). Resíduos Perigosos do Porto de Santos: Impacto Populacional e no Armazenamento . Revista Eletrônica de Estratégia & Negócios, 10(Ed. Especial 2), 103-132.
DOI:
http://dx.doi.org/10.19177/reen.v10e02017103-132
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/45664/residuos-perigosos-do-porto-de-santos--impacto-populacional-e-no-armazenamento-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 10157 Aterros de resíduos perigosos Critérios para projeto, construção e operação. Rio de Janeiro: ABNT, 1987. 13p.

ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 13896 Aterros de resíduos não perigosos Critérios para projeto implantação e operação. Rio de Janeiro: ABNT, 1997. 12p.

ANTAQ – Agência Nacional de Transporte Aquaviário. Manual Detalhado para Instalações Portuárias para Recepção de Resíduos. Brasília, 2004. Disponível em: . Acesso em: 10 mai. 2016.

ANTAQ – Agência Nacional de Transporte Aquaviário. O Índice de Desempenho Ambiental – IDA 2015. Disponível em: . Acesso em: 25 jul. 2016.

ANTAQ – Agência Nacional de Transporte Aquaviário. Relatório de Gestão Ambiental – Avaliação da gestão ambiental no Porto de Santos 2006. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2016.

ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC nº 217 de 21/11/2001 que trata do Regulamento técnico vigilância sanitária de embarcações, portos de controle sanitário e da prestação de serviços de interesse da saúde pública e da produção e circulação de bens. Disponível em: . Acesso em: 21 jul. 2016.

AVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Regulamento Sanitário Internacional RSI, 2005. Disponível em: . Acesso em: 01 jan. 2015.

BRASIL. Decreto nº 4.333 de 12 de Agosto de 2002. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2016.

BRASIL. Lei Federal 12.305 de 2 de agosto de 2010. Institui Política Nacional de Resíduos Sólidos. Brasília: 2010. Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2016.

BRASIL. Lei Federal no 12.815 de 05 de junho de 2013. Disponível em: . Acesso em: 31 maio 2016.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Resolução CONAMA nº 2, de 22 de agosto de 1991. Disponível em: . Acesso em 01 jul. 2016.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Resolução CONAMA nº 5, de 5 de agosto de 1993. Disponível em: . Acesso em 01 jul. 2016.

CODESP; COELHO, S. Vista geral do Porto de Santos. Santos SP: 2012 (imagem autorizada pela CODESP).

CODESP Companhia Docas do Estado de São Paulo Panorama do Porto de Santos. Santos: 2016b. Disponível em: . Acesso em: 01 jul. 2016.

CODESP Companhia Docas do Estado de São Paulo. Porto de Santos – Autoridade Portuária. Santos: 2016a. Disponível em: . Acesso em: 31 jul. 2016.

IBAMA Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. Instrução Normativa IBAMA n. 13, 2012.

IBAMA Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. Portaria

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Bases cartográficas 2016. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2016.

MARPOL Convenção Internacional para a Prevenção da Poluição por Navios 1978. Disponível em: . Acesso em: 31 mai. 2016.

MMA N° 424, de 26 de outubro de 2011. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2016.

PORTO DE SANTOS. Inventário de Resíduos Sólidos CODESP 2016. Santos: 2016. Disponível em: . Acesso em: 29 ago. 2016.

PORTO DE SANTOS. Notas das avaliações pelo IDA em portos brasileiros 2º semestre 2015. Santos: 2015. Disponível em: . Acesso em: 31 jul. 2016.

PORTO DE SANTOS. Relatório Anual de Geração de Resíduos Sólidos. Santos: 2013. Disponível em: . Acesso em: 25 jul. 2016.

PORTO DE SANTOS. Relatório Anual de Geração de Resíduos Sólidos. Santos: 2014. Disponível em: . Acesso em: 31 jul. 2016.

SEP – Secretaria de Portos; UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro. Guia de boas práticas portuárias 2013. Disponível em: . Acesso em: 01 ago. 2016.

VENTURA, K.S.; IPEA Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Diagnóstico dos Resíduos Sólidos de Transportes Aéreos e Aquaviários (2012). Disponível em: . Acesso em: 01 jan. 2013.