Inovação no Setor Público: Uma Instituição Pública de Ensino sob a Ótica dos Servidores e Colaboradores Outros Idiomas

ID:
45774
Resumo:
O presente trabalho tem por objetivo avaliar a tendência à inovação no âmbito administrativo da reitoria de uma instituição pública de ensino superior, com base na percepção de seus servidores e colaboradores. A coleta de dados foi realizada por meio do questionário desenvolvido pelo Centre for Public Sector Innovation – CPSI (2008) e adaptado para a realidade brasileira. Assim, foi possível verificar, por meio da média, que o nível de tendência à inovação na unidade investigada corresponde a 37,04 pontos, classificando-a como “situacionalmente inovadora”, ou seja, verificam-se ações e pensamentos inovadores na instituição. Porém, devido ao fato de a média estar muito próxima do nível anterior, que classifica as organizações como tendentes a serem “preguiçosas”, verificou-se que tal instituição não está orientada para inovação, a qual acaba acontecendo ao acaso; isto é, nem todos os procedimentos estão voltados para estimular e promover a criatividade, tampouco apresenta-se uma cultura altamente inovadora institucionalizada por toda a organização.
Citação ABNT:
DÓRIA, A. S.; SANO, H.; LIMA, J. P.; SILVA, A. F. S. B. S. Inovação no Setor Público: Uma Instituição Pública de Ensino sob a Ótica dos Servidores e Colaboradores. Revista do Serviço Público, v. 68, n. 2, p. 285-318, 2017.
Citação APA:
Dória, A. S., Sano, H., Lima, J. P., & Silva, A. F. S. B. S. (2017). Inovação no Setor Público: Uma Instituição Pública de Ensino sob a Ótica dos Servidores e Colaboradores. Revista do Serviço Público, 68(2), 285-318.
DOI:
https://doi.org/10.21874/rsp.v68i2.1801
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/45774/inovacao-no-setor-publico--uma-instituicao-publica-de-ensino-sob-a-otica-dos-servidores-e-colaboradores/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Ilieva, J.; Baron, S.; Healey, N. M. Online surveys in marketing research: pros and cons. International Journal of Marketing Research, 2002. .

Lourenço, Fernando Miguel Gomes. Inovação de técnicas administrativas para o melhoramento de desempenho das atividades organizacionais: um estudo feito nas Direções Provinciais do Setor Público no Cuanza Norte. Dissertação de Mestrado. Mestrado em Assessoria de Administração Porto. Instituto Politécnico do Porto – Junho de 2015. Disponível em:

Abrucio, Fernando Luiz. O impacto do modelo gerencial na administração pública: um breve estudo sobre a experiência internacional recente. Cadernos ENAP, São Paulo, 1997.

Abrucio, Fernando Luiz. Três agendas, seus resultados e um desafio: balanço recente da administração pública federal brasileira. Revista Desigualdade & Diversidade, p. 119-142, n. segundo semestre, 2011.

Alencar, Eunice Lima Soriano de. Desenvolvendo a criatividade nas organizações: o desafio da inovação. Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 6, p. 6-11, 1995.

Alencar, Eunice Lima Soriano de. Promovendo um ambiente favorável à criatividade nas organizações. Revista de Administração de Empresas, v. 38, n. 2, p. 18-25, 1998.

Ayres, Ana Beatriz et al. Análise dos resultados da implantação do Programa GESPÚBLICA na Fundação Oswaldo Cruz. XXXVIII ENANPAD. Rio de Janeiro, 2014.

Birkinshaw, Julian; Hamel, Gary; Mol, Michael J. Management innovation. Academy of Management Review, v. 33, n. 4, p. 825-845, 2008. .

Borges, M. R.; GUNISKI, R. M. F.; HILGEMBERG, E. M. Retenção de Talentos no Serviço Público do Estado do Paraná: uma proposta de política pública. In: PEIXE, Blênio et al. (Orgs). Formulação e Gestão de Políticas Públicas no Paraná: reflexões, experiências e contribuições. Paraná: Edunioeste, 2010. p. 765-785.

Borges, Mauro Ribeiro; Gurniski, Rosane Maria Fonseca; Hilgemberg, Emerson Martins. Retenção de talentos no serviço público do Estado do Paraná: uma proposta de política pública. 2008.

Brasil. (2005). Decreto nº 5.378 de 23 de fevereiro de 2005. Institui o Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização - GESPÚBLICA e o Comitê Gestor do Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização, e dá outras providências.

Brasil. (2009). Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização — GesPública; Prêmio Nacional da Gestão Pública — PQGF. Documento de referência: FÓRUM NACIONAL 2008/2009. Brasília: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Subsecretaria de Planejamento, Desenvolvimento e Gestão; MP; SEGES, 2009.

Bresser Pereira, Luiz Carlos. Reforma do Estado para a cidadania: a reforma gerencial brasileira na perspectiva internacional. São Paulo; Brasília: Ed. 34; Enap, 1998 .

Bresser Pereira, Luiz Carlos. Uma reforma gerencial da administração pública no Brasil. RSP- Revista do Serviço Público, v. 49, n. 1, p. 5-42, 1998.

Brulon, Vanessa; Ohayon, Pierre; Rosenberg, Gerson. A reforma gerencial brasileira em questão: contribuições para um projeto em construção. RSP- Revista do Serviço Público, v. 63, n. 3, p. 265-284, 2012.

Cajazeira, Jorge Emanuel Reis; Cardoso, Claudio. Comunicação e inovação: correlações e dependências. In: Congresso Brasileiro Científico de Comunicação Organizacional e de Relações Públicas. 3. 2009. São Paulo. Anais... UFBA – Universidade Federal da Bahia e ABERJE Associação Brasileira de Comunicação Organizacional, 2009.

Centre for Public Sector Innovation (CPSI). A pocket guide to innovation in the South African public sector, 2008. .

Correa, S. M. B. B. Probabilidade e estatística. 2. ed. Belo Horizonte: PUC Minas Virtual, 2003.

Costa, F. L. 200 anos de administração pública; 200 anos de reforma. Revista de Administração Pública, n. 42, 2008.

Costa, V. M. F. A dinâmica institucional da reforma do Estado: um balanço do período FHC. In: Abrucio, Fernando Luiz; Loureiro, Maria Rita (Orgs.). O Estado numa era de reformas: os anos FHC. Brasília: Ministério do Planejamento/Pnud/OCDE. 2002.

Downs, G. W.; Mohr, L. B. Conceptual issues in the study of innovation. Administrative Science Quarterly, v. 21, p. 700-714, 1976.

Escola Nacional de Administração Pública (Enap). Ações premiadas no 19º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal – 2014. Organizado por Flavio Schettini Pereira. Brasília: Enap, 2014.

Farah, Marta Ferreira Santos. Disseminação de inovações e políticas públicas e espaço local. O&S - Organizações & Sociedade, v. 15, p. 107-126, 2008.

Faria, Luciana Jacques. Nova administração pública: o processo de inovação na administração pública federal brasileira visto pela experiência do Concurso Inovação na Gestão Pública Federal. XXXIII ENCONTRO DA ANPAD. São Paulo/SP. 2009. .

Ferreira, Victor Paulo Paradela. Administração Pública Gerencial. In: Sanabio, Marcos Tanure; Santos, Gilmar José dos; David, Marcus Vinicius (Orgs.). Administração pública contemporânea: política democracia de gestão. Juiz de Fora: Ed. UFJF. 2013.

Freitas, Henrique et al. O método de pesquisa survey. Revista de administração, v. 35, n. 3, p. 105-112, 2000.

Freitas, Henrique; Janissek-Muniz, Raquel; Moscarola, Jean. Uso da internet no processo de pesquisa e análise de dados, 2004. .

Gallouj, F.; Savona, M. Innovation in services: a review of the debate and a research agenda. Journal of Evolutionary Economics, v. 19, n. 2, p. 149-172, 2009.

Gallouj, Faïz. Innovation in the service economy: the new wealth of nations. Cheltenham, UK: Edward Elgar Publishing Limited, 2002.

Gallouj, Faïz; Weinstein, Olivier. Innovation in services. Research Policy, n. 26, p. 537-556, 1997.

Garland, R. The mid-point on a rating scale: is it desirable? Marketing Bulletin, v. 2, n. 1, p. 66-70, 1991.

Gil, A. C. Como elaborar projetos de pesquisas. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

Hamel, G. The why, what and how of management innovation. Harvard Business Review, v. 2, n. 84, p. 72-84, 2006. .

Hill, Stephen. Uma exploração inicial da literatura sobre a inovação. Brasília: Enap, 2006.

Jacques, J.; Ryan, E. J. Does management by objectives stifle organizational innovation in the public sector? Administração Pública Canadense, v. 21, p. 17-25, 1978.

Kim, Y. Stimulating entrepreneurial practices in the public sector: the roles of organizational characteristics. Administration & Society, p. 780-814, 2010.

Koch, Per; Hauknes, Johan. On innovation in the public sector. Publin Report n. D20. Oslo: NIFU STEP. 2005.

Leung, Shing-On. A comparison of psychometric properties and normality in 4-, 5-, 6-, and 11-Point Likert Scales. Journal of Social Service Research, v. 37, n. 4, 2011.

Machado, Filipe Molinar; Rupphental, Janis Elisa. Desafios à inovação para o setor público brasileiro. II FÓRUM INTERNACIONAL ECOINNOVAR. Santa Maria/RS – Setembro de 2013. .

Marconi, M. A.; Lakatos, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2005.

Marconi, M. A.; Lakatos, E. M. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

Marconi, Nelson. Políticas integradas de recursos humanos para o setor público. Biblioteca Virtual TOP sobre Gestión Pública. 2003. .

Mattar, Fauze et al. Pesquisa de marketing – metodologia, planejamento, execução e análise. 7. ed. Brasil: Elsevier. 2014.

Matthews, Mark; Lewis, Chris; Cook, Grahame. Public sector innovation: a review of the literature. Australian National Audit Office, Canberra, 2009.

Mattosinhos, Eduardo Nunes. O impacto das relações interpessoais na qualidade do serviço público brasileiro: análise da estrutura informal entre os servidores. Estação Científica, n. 12, 2014. http://portal.estacio.br/docs%5Crevista_estacao_cientifica/08.pdf.

Merritt, R. L. Innovation in the public sector: an introduction. In: Merritt, Richard L.; Merritt, Anna J. (Eds.). Innovation in the public sector. Beverley Hills: Sage Publications. 1985. p. 9-16.

Moreira, Samantha Thais Baião et al. Uma proposta de modelo analítico para a inovação na gestão pública. Revista do Serviço Público, v. 67, p. 59-84, 2016.

Mulgan, G.; Albury, D. Innovation in the public sector. London: Cabinet Office Strategy Unit, 2003.

Nadler, Joel T.; Weston, Rebecca; Voyles, Elora C. Stuck in the middle: the use and interpretation of mid-points in items on questionnaires. Journal The Journal of General Psychology, v. 142, n. 2, 2015.

Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Manual de Oslo: diretrizes para a coleta e interpretação de dados sobre inovação. 3. ed. Finep. 2005.

Palotti, Pedro; Freire, Alessandro. Perfil, composição e remuneração dos servidores públicos federais: trajetória recente e tendências observadas. In: Palotti, Pedro; Freire, Alessandro (Orgs.). Servidores públicos federais: novos olhares e perspectivas. Brasília: Enap, 2015.

Rogers, E. M.; Kim, J. I. Diffusion of innovations in public organizations. In: Merritt, Richard L.; Merritt, Anna J. (Eds.). Innovation in the public sector. Beverley Hills: Sage Publications, 1985. p. 85-108.

Schumpeter, Joseph A. Teoria do desenvolvimento econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico. São Paulo: Abril Cultural, 1982.

Secchi, L. Modelos organizacionais e reformas da administração pública. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 43, n. 2, p. 347-69, março/abril 2009.

Silva Neto, J. M. et al. O que se discute sobre inovação no setor público brasileiro: análise do período entre 2000 (pós LRF) e 2014. Revista de Estudos Sociais (UFMT), v. 17, n. 35, p. 217-237, 2015. .

Spink, P. K. Inovação na perspectiva dos inovadores: a experiência do Programa Gestão Pública e Cidadania, Cad. EBAPE.BR, v. 1, n. 2. 2003.

Thompson, Victor A. Bureaucracy and innovation. Administrative Science Quarterly, n. 10, p. 1-20, 1965.

Trevisan, Maria Auxiliadora et al. Liderança e comunicação no cenário da gestão em enfermagem. Rev. Latino-Americana de Enfermagem, v. 6, n. 5, p. 77-82, 1998.

Van De Ven, Andrew H.; Angle, Harold L.; Poole, Marshall S. An introduction to the Minnesota Innovation Research Program. In: Van De Ven, Andrew Harold; Angle, H. L.; Poole, Marshall S. (Orgs.). Research on the management of innovation. The Minnesota studies. Nova York: Oxford University Press. 2000. p. 9-9.

Vergara, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

Worcester, R. M.; Burns, T. R. A statistical examination of the relative precision of verbal scales. Journal of Market Research Society, v. 17, n. 3, p. 181-197, 1975.

Zimmermann, R. A.; Wielewicki, P. F. Facilitadores e barreiras externas para o processo de inovação: revisão sistemática da literatura. Vozes dos Vales, v. 7, p. 1-26, 2015.