Teoria de Base, Hipótese e Constructo nas Pesquisas de Ciências Contábeis Outros Idiomas

ID:
46075
Resumo:
Com a finalidade de contribuir para o entendimento dos distintos conceitos sobre teoria de base, hipótese e constructo, pretendeu-se apresentar, discutir, explicar e exemplificar os significados de teoria de base, hipótese, conceitos, definições conceituais, definições operacionais e constructos nas pesquisas em contabilidade. A teoria tem o papel no processo de desenvolvimento de conhecimento científico no qual representa o maior nível da epistemologia da ciência. As hipóteses são uma ferramenta poderosa para o avanço do conhecimento por que podem ser testadas. No entanto, para explorar empiricamente um conceito teórico, deve-se traduzir a assertiva do conceito em uma relação com o mundo real, baseada em variáveis e fenômenos observáveis e mensuráveis, ou seja, elaborar um constructo e operacionaliza-lo. Sendo assim, é possível que os interessados nos resultados do estudo compartilhem os mesmos entendimentos sobre os conceitos, definições, possíveis constructos e variáveis incluídas no estudo, compreendendo de maneira igual os resultados, conclusões e limitações da pesquisa. A contribuição do estudo versa sobre intenção do correto entendimento e utilização dessas essenciais categorias do discurso cientifico e profissional, de acordo com o quadro referencial.
Citação ABNT:
SILVA, T. B. J.; SANTOS, C. A. D.; LAY, L. A.; PANUCCI FILHO, L. Theoretical Basis, Hypothesis and Construct in Accounting Studies . Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, v. 7, n. 2, p. 240-264, 2017.
Citação APA:
Silva, T. B. J., Santos, C. A. D., Lay, L. A., & Panucci Filho, L. (2017). Theoretical Basis, Hypothesis and Construct in Accounting Studies . Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, 7(2), 240-264.
DOI:
http://dx.doi.org/10.18028/2238-5320/ rgfc.v7n2p240-264
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/46075/teoria-de-base--hipotese-e-constructo-nas-pesquisas-de-ciencias-contabeis--/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Inglês
Referências:
BEUREN, I. M.; RAUPP, F. M. Metodologia da pesquisa aplicável às Ciências Sociais. In: COLAUTO, R. D.; Longaray, A. A.; Porton, R. A. B.; Raupp, F. M.; Sousa, M. A. B.; Beuren, I. M. (Org.). Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. São Paulo: Atlas, 2012.

BUNGE, M. Epistemologia: curso de atualização. Tradução de Cláudio Navarra. 2ª ed. São Paulo: T. A. Queiroz: Editora da Universidade de São Paulo, 1980.

BUNGE, M. Philosophy of Science: from problem to theory. vol. 1. Revisão da edição. of: Scientific research. Berlin, New York: Springer-Velag, 1967, 2 vols. London: Transaction Publishers, 1998.

CRESWELL, J. W. Projeto de Pesquisa: Métodos Qualitativo, Quantitativo e Misto. 2ª ed. ARTMED, São Paulo, 2003.

FACHIN, Odília. Fundamentos de Metodologia. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2002.

FARIAS, M. R. S.; ALEIXO, D. C.; FARIAS, K. T. R; CUNHA, Y. R. Teoria e Resultado acumulado nas pesquisas sobre ensino da contabilidade. In: IX Congresso ANPCONT, 2015, Curitiba.

FARIAS, M. R. S.; FARIAS, K. T. R. Papel epistemológico da teoria e pesquisa em contabilidade. Enfoque: Reflexão Contábil, v. 33, n. 3, p. 121-135, 2014.

HAIR Jr., Joseph F.; BABIN, Barry; MONEY, Arthur H.; SAMOUEL, Phillip. Fundamentos de Métodos de Pesquisa em Administração. Porto Alegre: Bookman, 2005.

HEGENBERG, Leônidas. Etapas da investigação científica. São Paulo: E.P.U./EDUSP, 1976.

KERLINGER, F. N. Behavioral research: A conceptual approach. New York: Holt, Rinehart and Winston, 1979.

KERLINGER, F. N. Metodologia da pesquisa em ciências sociais: um tratamento conceitual. São Paulo: EPU/EDUSP, 1980.

KÖCHE, J.C. Fundamentos de metodologia cientifica: teoria da ciência e prática da pesquisa. 14. ed. Petrópolis: Vozes, 1997

LABOVITZ, S.; HAGEDORN, R. An analysis of suicide rates among occupational categories. Sociological Inquiry, v. 41, n. 1, p. 67-72, 1971.

LEGRAND, G. Dictionnaire de philosophie. 1983.

LIMA FILHO, Raimundo Nonato et al. Self-Regulated Learning in Accounting: Diagnosis, Dimensions and Explanations. Brazilian Business Review, v. 12, n. 1, p. 36-54, 2015.

MARCELLO, I. E. Relação entre indicadores do ensino superior e indicadores das contas públicas e sociais nos municípios do estado do Paraná. 2012. 136 f., il. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) - Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Regional de Blumenau, Blumenau, 2012.

MARTINS, G. A.; THEÓPHILO, C. Renato. Metodologia da Investigação Científica para Ciências Sociais Aplicadas. São Paulo: Ed. Atlas, 2007.

MARTINS, Gilberto de Andrade. Falando sobre teorias e modelos nas ciências contábeis. BBR-Brazilian Business Review, v. 2, n. 2, p. 131-144, 2005.

MARTINS, Gilberto DE ANDRADE. Sobre conceitos, Definições e Constructos nas Ciências Administrativas. Gestão & Regionalidade, v. 22, n. 62, p. 28-35, 2005.

MARTINS, Gilberto DE ANDRADE; PELISSARO, Joel. On concepts, definitions and constructs in accounting make-to-order: an exploratory study. BASE-Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, v. 2, n. 2, p. 78-84, 2005.

OLIVEIRA, J. R. S.; MARTINS, G. A. Avaliação da Qualidade da Pesquisa em Contabilidade: elementos para reflexão. In: XIV Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, 2014, São Paulo. Anais do XIV Congresso USP de Controladoria e Contabilidade e XI Congresso USP de Iniciação Científica em Contabilidade, 2014. v. 1. p. 1-16.

POLITELO, Leandro. Mecanismos de governança corporativa e desempenho de empresas familiares listadas na BM&FBovespa. 2013. 166f. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) - Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Regional de Blumenau, Blumenau, 2013.

PUNCH, K. Introduction to Social Research: Quantitatie and Qualitative Approaches, London, Sage, 1998.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa Social: métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

ROTH, P. A. The Epistemology Of Science After Quine. IN: The Routledge Companion To Philosophy Of Science, Cap. 1. New York: Routledge Philosophy Companions, 2008.

RYAN, B.; SCAPENS, R. W.; THEOBALD, M. Research Method & Methodology in Finance & Accounting. 2 ed. Singapure: South-Western Cengage Learning, 2002.

SELLTIZ, C.; WRIGHTMAN. L. S; COOK, S.W.; KIDDER, L. H. Método de pesquisa nas relações sociais. São Paulo: EPU, 1987.

SMITH, M. Research Methods in Accounting. 2 ed. London: SAGE Publications, 2011.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo, Atlas, 1987.

WATTS, R. L.; ZIMMERMAN, J. L. Positive Accounting Theory. Prentice-Hall, Engelwood Cliffs, New Jersey, 1986.

ZIMMERMAN, J. L. Conjectures regarding empirical managerial accounting research. Journal of Accounting and Economics, v. 32, 2001, pp. 411-427.

ABBAGNANO, N. Dicionário de Filosofia. Trad. Alfredo Bosi. São Paulo: Mestre Jou, 1970.