A Instituição, a Coordenação e o Desempenho Acadêmico dos Alunos de Ciências Contábeis Outros Idiomas

ID:
46612
Resumo:
A avaliação educacional permite que as instituições de ensino superior (IES) conheçam tanto as suas fragilidades quanto as suas potencialidades e realizações, levando em conta, ainda, o fato de alguns estudiosos, no contexto internacional, já terem identificado que o desempenho acadêmico pode ser explicado por meio de variáveis relacionadas à coordenação de curso. Este estudo focou, principalmente, em testar o efeito dos atributos da coordenação de curso sobre o rendimento acadêmico dos estudantes de graduação em Ciências Contábeis no ENADE, controlados pelas características dos estudantes, dos antecedentes da família e das IES. Para tanto, foram estimados parâmetros com base em um modelo de componentes de variância, tendo sido avaliadas 32.607 observações.Os resultados encontrados indicaram que titulação do coordenador é uma variável explicativa do rendimento estudantil. A respeito dos recursos das IES, as estimativas evidenciaram que os incentivos à participação em iniciação científica, em eventos e em congressos, também, são fatores importantes. Assim, infere-se acercada relevância de a instituição viabilizar a participação dos estudantes em eventos e de dar condições aos docentes para submeterem projetos junto aos órgãos de fomento. Essas iniciativas podem trazer, além de outros benefícios, bolsas de pesquisa de iniciação científica para os alunos. Sob outra perspectiva, também foi identificado ser relevante que a instituição valorize e estimule a qualificação do coordenador.
Citação ABNT:
RODRIGUES, B. C. O.; MIRANDA, G. J.; SANTOS, N. A.; PEREIRA, J. M. A Instituição, a Coordenação e o Desempenho Acadêmico dos Alunos de Ciências Contábeis . Contabilidade, Gestão e Governança, v. 20, n. 2, p. 231-251, 2017.
Citação APA:
Rodrigues, B. C. O., Miranda, G. J., Santos, N. A., & Pereira, J. M. (2017). A Instituição, a Coordenação e o Desempenho Acadêmico dos Alunos de Ciências Contábeis . Contabilidade, Gestão e Governança, 20(2), 231-251.
DOI:
http://dx.doi.org/10.21714/1984-3925_2017v20n2a4
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/46612/a-instituicao--a-coordenacao-e-o-desempenho-academico-dos-alunos-de-ciencias-contabeis-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Al-Tamimi, H. A. H.; AL-Shayeb, A. R. (2002). Factors affecting student performancein the introductory finance course. Journal of Economic & Administrative Sciences, 18(2), 76-86.

Barbosa, G. C.; Freire, F. S.; Crisóstomo, V. L. (2011). Análise dos indicadores de gestão das IFEs e o desempenho discente no ENADE. Avaliação, 16(2), 317-344.

Bowles, S. (1970). Towards and educational production function. In: Hansen, W. L. (Ed). Education, Income, and Human capital. National Bureau of Economic Research, p. 9-70. Recuperado de http://www.nber.org/chapters/c3276.

Branch, G. F.; Hanushek, E. A.; Rivkin, S. G. (2013). School leaders matter. Education Next, 13(1), 63-69.

Brewer, D. J. (1993). Principals and student outcomes: Evidence from US high schools. EconomicsofEducationReview, 12(4), 281-292.

Castro, R. F. (2009). Fatores associados ao desempenho escolar na 4.ª série do ensino fundamental. Recuperado de http://books.scielo.org/id/wd/pdf/lordelo-9788523209315-13.pdf.

Censo do Ensino Superior CES. (2013). Diretoria de Informações e Estatísticas Educacionais (INEP/SEEC). Recuperado de http://download.inep.gov.br/educacao_superior/censo_superior/apresentacao/2014/coletiva_censo_superior_2013.pdf.

Conselho Federal de Contabilidade [CFC]. (2016). Resultado do Exame de Suficiência é Publicado. Recuperado de http://cfc.org.br/noticias/resultado-do-exame-de-suficiencia-e-publicado/.

Cullen, J. B.; Mazzeo, M. J. (2008). Implicit performance awards: An empirical analysis of the labor market for public school administrators. University of California, San Diego, Kellogg School of Management, Northwestern University, Unpublished Draft. Recuperado de http://www.kellogg.northwestern.edu/faculty/mazzeo/htm/txppals_1207.pdf.

Diaz, M. D. M. (2007). Efetividade no ensino superior brasileiro: Aplicação de modelos multinível à análise de resultados do exame nacional de cursos. Revista EconomiA, 8(1), 93-120.

Draper, N. R.; Smith, H. A. (1998). Applied regression analysis. 3 ed. New York, USA: John Wiley.

Eberts, R. W.; Stone, J. A. (1988). Student achievement in public schools: Do principals make a difference? Economics of Education Review, 7(3), 291-299.

Eikner, A. E.; Montondon, L. (2001).Evidence on factors associated with success in intermediate accounting I. The Accounting Educators’Journal, 13(1), 1-17.

Ferreira, M. A. (2015). Determinantes do desempenho discente no ENADE em cursos de Ciências Contábeis. (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG, Brasil. Recuperado de https://repositorio.ufu.br/bitstream/123456789/12620/1/DeterminantesDesempenhoDiscente.pdf.

Hair Jr, J.; Babin, B.; Money, A.; Samouel, P. (2005). Fundamentos de métodos de pesquisa em Administração. 5 ed. Porto Alegre: Bookman.

Hanushek, E. A. (1979). Conceptual and empirical issues in the estimation of educational productions functions. The Journal of Human Resources, 14(3), 351-388.

Hanushek, E. A. (1987) Educational production functions. In: Psacharopoulos, G. (Ed.). (1987). Economics of education research and studies. pp. 33-42. New York, USA: Pegarmon Press.

Hanushek, E. A.; Woessmann, L. (2011).The economics of international differences in educational achievement. In: E. A. Hanushek, S. Machin, S.; L. Woessmann (Ed.). Handbook of the economics of education. p. 89-200). Amsterdam, The Netherlands: North Holland.

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais AnísioTeixeira.INEP. Nd. Recuperado de http://portal.inep.gov.br/.

Jehle, G. A.; Reny, P. J. (2000).Advanced microeconomic theory. 2 ed. New York, USA: Harvard University, p. 19-44.

Khan, S. R. & Kiefer, D. (2007). Educational production functions for rural Pakistan: A comparative institutional analysis. Education Economics, 15(3), 327-342.

Laros, J. A.; Marciano, J. L. P. (2008). Análise multinível aplicada aos dados do NELS: 88. Estudos em Avaliação Educacional, 19(40), 263-278.

Lemos, K. C. S.; Miranda, G. J. (2015). Alto e baixo desempenho no ENADE: Que variáveis explicam? Revista Ambiente Contábil, 7(2), 101-118.

Lima, P. G. (2013). Políticas de educação superior no Brasil na primeira década do século XXI: Alguns cenários e leituras. Avaliação, 18(1), 85-105.

Machado, A. F.; Moro, S.; Martins, L.; Rios, J. (2008). Qualidade do ensino em matemática: Determinantes do desempenho de alunos em escolas públicas estaduais mineiras. Revista EconomiA, 9(1), 23-45.

Masasi, N. J. (2012). How personal attribute affect students’performance in undergraduate accounting course: Acase of adult learnerin Tanzania. International Journal of Academic Research in Accounting, Finance and Management Sciences, 2(2), 201-211.

Ministério da Educação - MEC. (2003). Bases para uma nova proposta de avaliação da educação superior. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/sinaes.pdf.

Miranda, G. J. (2011). Relações entre as qualificações do professor e o desempenho discente nos cursos de graduação em contabilidade no Brasil. (Tese de doutorado). Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, SP, Brasil. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde-16032012-190355/pt-br.php.

Miranda, G. J.; Casa Nova, S. P. C.; Cornacchione Jr, E. B. (2013). The accounting education gap in Brazil. China-USA Business Review, 12(4), 361-372.

Miranda, G. J.; Leal, E. A.; Miranda, A. B.; Ferreira, M. A. (2016). ENADE, os estudantes estão motivados a fazê-lo? Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa. Costa do Sauípe, BA. Brasil, 40.

Miranda, G. J.; Lemos, K. C. S.; Pimenta, A. S. O.; Ferreira, M. A. (2015). Determinantes do desempenho acadêmico na área de negócios. Meta: Avaliação, 7(20), 175-209.

Puente-Palacios, K. E.; Laros, J. A. (2009). Análise multinível: contribuições para estudos sobre efeito do contexto no comportamento individual. Estudos de Psicologia (PUCCAMP), 26, 349-361.

Rodrigues, B. C. O.; Resende, M. S.; Miranda, G. J.; Pereira, J. M. (2016). Determinantes do desempenho acadêmico dos alunos dos cursos de ciências contábeis no ensino a distância. Enfoque: Revista Contábil, 35(2), 139-153.

Sacerdote, B. (2011). Peer effects in education: How might they work, how big are they and how much do we know thus far?In: Hanushek, E.; Mchin, S.; Woessmann, L. (Ed.). Handbook of the economics of education. pp. 249-277. Oxford, UK: Elsevier Science.

Santos, N. A. (2012). Determinantes do desempenho acadêmico dos alunos dos cursos de ciências contábeis. (Tese de doutorado). Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde-11062012-164530/pt-br.php.

Santos, N. A.; Amaral, A. B. (2016). Relação entre características do coordenador de curso e o desempenho dos estudantes de Ciências Contábeis. Anais do Congresso USP de Controladoria e Contabilidade. São Paulo, SP, Brasil, 16.

Silva, P. R. (2006). Coordenador de curso: Atribuições e desafios atuais. Revista Gestão Universitária. Recuperado dehttp://gestaouniversitaria.com.br/artigos/o-coordenador-de-curso-atribuicoes-e-desafios-atuais.

Silva, V. R.; Miranda, G. J. (2016). ENADE e fluxo curricular nos cursos de graduação em ciências contábeis no Brasil. Revista Universo Contábil, 12(4), 30-47.

Uyar, A.; Güngörmüş, A. H. (2011). Factors associated with student performance in financial accounting course. European Journal of Economic and Political Studies, 4(2), 139-154.