O Ato de Presentear em Relações Amorosas Incipientes: Uma Investigação Interpretativa sobre o Reflexo do Amor em Bens Materiais Outros Idiomas

ID:
46734
Periódico:
Resumo:
O ato de presentear é uma das vias de expressão do amor. Como tal, o presente trabalho buscou realizar a investigação desse fenômeno à luz da Consumer Culture Theory (CCT), enriquecida, em um momento predecessor no referencial teórico, de breve debate acerca do amor e do ato de presentear. A condução do estudo se deu com inspiração na grounded theory, tendo nove entrevistas semiestruturadas como fonte dos dados. Sua análise revelou cinco categorias acerca do reflexo das relações amorosas nos bens materiais envolvidos em diversos momentos de trocas de presentes. Tais categorias incitam a percepção dos presentes como via de comunicação do dito e do não dito, reflexo de variados traços das relações amorosas, dos momentos em que estão inseridas e de seus arranjos futuros. Ao mesmo tempo que o presente representa um objeto de projeção do relacionamento, sua falta provoca um vazio que afeta os próprios sentimentos. Isto nos parece uma via de mão dupla, já que o presente recebe a impressão dos sentimentos e devolve aos sentimentos a possibilidade de expressão. Sua falta provoca a quebra dessa expressão, causando dúvidas das mais variadas acerca até mesmo da existência ou não do amor.
Citação ABNT:
ÁSSIMOS, B. M.; BATINA, G. L.; ALMEIDA, G. T.; PINTO, M. R. O Ato de Presentear em Relações Amorosas Incipientes: Uma Investigação Interpretativa sobre o Reflexo do Amor em Bens Materiais . Revista ADM.MADE, v. 21, n. 1, p. 17-0, 2017.
Citação APA:
ássimos, B. M., Batina, G. L., Almeida, G. T., & Pinto, M. R. (2017). O Ato de Presentear em Relações Amorosas Incipientes: Uma Investigação Interpretativa sobre o Reflexo do Amor em Bens Materiais . Revista ADM.MADE, 21(1), 17-0.
DOI:
http://dx.doi.org/10.21714/2237-51392017v21n1p017033
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/46734/o-ato-de-presentear-em-relacoes-amorosas-incipientes--uma-investigacao-interpretativa-sobre-o-reflexo-do-amor-em-bens-materiais-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AHUVIA, C. A. Beyond the Extended Self: Loved objects and consumers’ identity narratives. Journal of Consumer Research, n. 32, p. 171-184, 2005.

ARNOULD E. J.; THOMPSON C. J. Consumer Culture Theory (and We Really Mean Theoretics): Dilemmas and opportunities posed by an academic branding strategy. Research in Consumer Behaviour, n. 11, p. 3-22, 2007.

ARNOULD, E.; THOMPSON, C. J. Consumer Culture Theory (CCT): Twenty years of research. Journal of Consumer Research, v. 31, n. 4, p. 868-882, 2005.

ASKEGAARD, S.; LINNET, J. P. Towards an Epistemology of Consumer Culture Theory: Phenomenology and the context of context. Marketing Theory, v. 11, n. 4, p. 381-404, 2011.

BARBOSA, L. Sociedade de Consumo. 1a ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 2004.

BAUER, M. W.; GASKELL, G. Pesquisa Qualitativa com Texto, Imagem e Som. 5a ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

BELK, R. W; COON, G. S. Gift Giving as Agapic Love: An alternative to the exchange paradigm based on dating experiences. Journal of Consumer Research, p. 393-417, 1993.

BELK, R. W. Gift Giving Behavior. College of Commerce and Business Administration, University of Illinois at Urbana-Champaign, 1977.

BELK, R. W. Gift Giving Behavior in Research in Marketing 2. Greenwich, JAI Press, p. 95-126, 1979.

BELK, R. W. It's The Thought That Counts: A signed digraph analysis of gift giving. Journal of Consumer Research, p. 155-162, 1976.

BOURDIEU, P. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Campinas, SP: Papirus, 1996.

CAMPBELL, C. A Ética Romântica e o Espírito do Consumismo Moderno. 1a ed. Rio de Janeiro: Rocco, 2001.

CHARMAZ, K. A construção da teoria fundamentada. 1a ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

COELHO, M. C. O valor das intenções: Dádiva, emoção e identidade. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

CORBIN, J.; STRAUSS, A. Pesquisa Qualitativa: Técnicas e procedimentos para o desenvolvimento de teoria fundamentada. 2a ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.

CRESWELL, J. W. Investigação Qualitativa & Projeto de Pesquisa. 3a ed. Porto Alegre: Penso, 2014.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. O Planejamento da Pesquisa Qualitativa. 2a ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

FARIAS, S. A. de; DIAS et al. O Comportamento de Presentear: Dimensões Motivacionais Relevantes para o Marketing. In: Anais do Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, 25, Campinas/SP: ANPAD, 2001.

FLICK, U. Uma introdução à Pesquisa Qualitativa. 2a ed. Porto Alegre: Bookman, 2004.

GOODWIN, C.; SMITH, K. L.; SPIGGLE, S. Gift Giving: Consumer motivation and the gift purchase process. Advances in Consumer Research, Association for Consumer Research, n. 17, p. 690-698, 1990.

GUEDES, D.; ASSUNÇÃO, L. Relações amorosas na contemporaneidade e indícios do colapso do amor romântico (solidão cibernética?). Mal-Estar e Subjetividade, v. 6, n. 2, p. 396-425, 2006.

KANT, I. (1797) Metaphysische Anfangsgründe der Tugendlehre, tradução de. J.W. Ellington, Metaphysical Principles of Virtue, Indianapolis, IN: Hackett Publishing Company, 1964.

KOZINETS, R. V. Utopian Enterprise: Articulating the meaning of Star Trek’s culture of consumption. Journal of Consumer Research, v. 28, n. 1, p. 67-89, 2001.

LIEB, K. J.; SHAH, D. V. Consumer Culture Theory, Nonverbal Communication and Contemporary Politics: Considering context and embracing complexity. Journal of Nonverbal Behavior, v. 34, n. 2, p. 127-136, 2010.

MAUSS, M. Ensaio sobre a dádiva: Formas e razão da troca nas sociedades arcaicas. Sociologia e antropologia, São Paulo: Cosac e Naify, 2003.

McCRACKEN. G. Cultura e Consumo: Uma explicação teórica da estrutura e do movimento do significado cultural dos bens de consumo. Revista de Administração de Empresas, v. 47, n. 1, p. 99-115, 2007.

MICK, D. G. Self-gifts. In: OTNES, C.; BELTRAMINI, R.F. Gift giving: A research anthology. Bowling Green State University Popular Press: Bowling Green, OH, 1996. p. 99-120.

MILLER, D. Consumo como cultura material. Horizontes Antropológicos, v. 13, n. 28, p. 33-63, 2007.

PEÑALOSA, L.; MISH, J. The Nature and Processes of Marketing Co-creation in Triple Bottom Line Firms: Leveraging insights from consumer culture theory and service dominant logic. Marketing Theory, v. 11, n. 1, p. 9-34, 2011.

PINHEIRO, M. C. T. Publicidade: a procura amorosa do consumo. Comunicação, Mídia e Consumo, v. 3, n. 8, p. 169-187, 2006.

ROCHA, E. Cenas do Consumo: Notas, Ideias, Reflexões. Semear, n. 6, Rio de Janeiro: PUC – Rio, 2002.

SHERMANN, N. Making a Necessity of Virtue: Aristotle and Kant on virtue. Nova York: Cambridge University Press, 1997.

SHERRY JR, J. F. Gift Giving in Anthropological Perspective. Journal of Consumer Research, p. 157-168, 1983.

TASCHNER, G. Comunicação, sociedade e imaginários do consumo. Comunicação, Mídia e Consumo, v. 7, n. 20, p. 37-57, 2010.

VERGARA, S.; CALDAS, M. Paradigma Interpretativista: A busca da superação do objetivismo funcionalista nos anos 1980 e 1990. Revista de Administração de Empresas, v. 45, n. 4, p. 66-72, 2005.

WARD, M. K.; BRONIARCZYK, S. M. It’s Not Me, It’s You: How gift-giving creates giver identity threat as a function of social closeness. Journal of Consumer Research, v. 38, n. 1, p. 164-181, 2011.

WARSHAW, P. R. Buying a Gift Product Price Moderation of Social Normative Influences on Gift Purchase Intentions. Personality and Social Psychology Bulletin, v. 6, n. 1, p. 143-147, 1980.

WOLFINBARGER, M. F.; GILLY, M. C. An Experimental Investigation of Self-Symbolism in Gifts. Advances in Consumer Research. v. 23, p. 458-462, 1996.

WOLFINBARGER, M. F. Motivations and Symbolism in Gift Giving Behavior. Advances in Consumer Research, v. 17, n. 1, p. 699-706, 1990.