Tecnologia e Competências Tecnológicas em Educação a Distância: um Estudo Exploratório Outros Idiomas

ID:
46779
Resumo:
Nesta pesquisa o objetivo geral foi identificar os elementos componentes das competências tecnológicas em serviços por meio do estudo do uso da tecnologia e de seus impactos nas práticas organizacionais. A abordagem de pesquisa incluiu uma etapa qualitativa, baseada em entrevistas com desenvolvedores, usuários e gestores de tecnologia. A principal contribuição da pesquisa foi a identificação das tecnologias utilizadas a partir de uma perspectiva que reúne tanto a ótica do usuário quanto a do desenvolvedor, pela qual são analisados os desdobramentos em termos de práticas organizacionais e desempenho no segmento de Educação a Distância (EAD). A análise das entrevistas sugere que ainda há resistência em relação à adoção da tecnologia, e que o desenvolvimento da competência tecnológica ainda se encontra nos estágios iniciais. Nos casos em que a tecnologia é utilizada com intensidade, as mudanças nas práticas e no desempenho ocorrem indistintamente, com benefícios claros em termos de rapidez, eficiência e ganhos de escala.
Citação ABNT:
MEIRELLES, D. S.; LEON, F. H. A. D.; SANTOS, L. A. P. D.; FRANCISCO, R. N. D. Tecnologia e Competências Tecnológicas em Educação a Distância: um Estudo Exploratório . Future Studies Research Journal: Trends and Strategies, v. 9, n. 2, p. 140-166, 2017.
Citação APA:
Meirelles, D. S., Leon, F. H. A. D., Santos, L. A. P. D., & Francisco, R. N. D. (2017). Tecnologia e Competências Tecnológicas em Educação a Distância: um Estudo Exploratório . Future Studies Research Journal: Trends and Strategies, 9(2), 140-166.
DOI:
http://dx.doi.org/10.7444/future.v9i2.302
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/46779/tecnologia-e-competencias-tecnologicas-em-educacao-a-distancia--um-estudo-exploratorio-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Afuah, A. (2002). Mapping technological capabilities into product markets and competitive advantage: the case of cholesterol drugs. Strategic Management Journal, 23(2), 171-179.

Anderson, T.; Dron, J. (2012). Três gerações de pedagogia de educação a distância. EAD em Foco, 2(1).

Assis, E. M. (2012). Satélites artificiais e a EAD. In F. M. Litto, & M. Formiga, Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson Education do Brasil.

Behar, P. A.; Ribeiro, A. C. R.; Schneider, D.; Silva, K.; Machado, L. R.; Longhi, M. T. (2013). Educação à distância e competências: uma articulação necessária. In P. A. Behar (Org.), Competências em Educação a Distância. pp. 42-54. Porto Alegre: Penso.

Blaikie, N. (2003). Analyzing quantitative data: From description to explanation. London: Sage.

Clarenc, C. A.; Castro, S. M.; Carmen López, M. E. M.; Tosco, N. B. (2013). Analizamos 19 plataformas de e-Learning: investigación colaborativa sobre LMS. Grupo GEIPITE, Congreso Virtual Mundial de eLearning. Recuperado de: http://www.congresoelearning.org.

Danneels, E. (2002). The dynamics of product innovation and firm competences. Strategic Management Journal, 23(12), 1095-1121.

Fernandes, R. R.; Fernandes, A. P. L. M.; Silva, A. C. M. da; Araújo, M. O.; Cavalcante, M. C. T. (2010). Moodle: uma ferramenta on-line para potencializar um ambiente de apoio à aprendizagem no curso Java Fundamentos (JSE). Anais do Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, 7, Resende, RJ, Brasil.

Fischer, A. L.; Dutra, J. S.; Ruas, R. L.; Nakata, L. E. (2006). Absorção do conceito de competência em gestão de pessoas: a percepção dos profissionais e as orientações adotadas pelas empresas. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, 30, Salvador, BA, Brasil.

Flores, J. G. (1994). Análisis de datos cualitativos: aplicaciones a la investigación educativa. Barcelona: Promociones y Publicaciones Universitarias.

Fransman, M. (1984). Technological capability in the Third World: an overview and introduction to some of the issues raised in this book. In M. Fransman, & K. King (Eds), Technological capability in the Third World. pp. 3-30. London: Macmillan.

Giddens, A. (1984). A constituição da sociedade. São Paulo: Martins Fontes.

Ko, Hsien-Tang; Lu, Hsi-Peng. (2010). Measuring innovation competencies for integrated services in the communications industry. Journal of Service Management, 21(2), 162-190.

Lall, S. (1992). Technological capabilities and industrialization. World development, 20(2), 165-186.

Le Boterf, G. (2003). Desenvolvendo a competência dos profissionais. Porto Alegre: Artmed.

Machado, L. R.; Longhi, M. T.; Behar, P. A. (2013). Domínio tecnológico: saberes e fazeres. In P. A. Behar (Org.), Competências em Educação a Distância. pp. 56-80. Porto Alegre: Penso.

Maia, M. (2012). Ferramentas da Web 2.0 associadas aos LMS no ensino presencial. In F. M. Litto, & M. Formiga, Educação a Distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson Education do Brasil.

McKelvey, B. (1982). Organizational systematics - taxonomy, evolution, classification. Berkeley, CA: University of California Press.

Meirelles, D. S. (2006). The concept of service. Revista de Economia Política, 26(1), 119-136.

Nelson, R. R.; Winter, S. G. (1982). An evolutionary theory of economic change. Cambridge, MA: Harvard University Press.

Oakey, R. P. (2003). Technical entrepreneurship in high technology small firms: some observations on the implications for management. Technovation, 23(8), 679-688.

Orlikowski, W. J. (1992). The duality of technology: rethinking the concept of technology in organizations. Organization Science, 3(3), 398-427.

Orlikowski, W. J. (2000). Using technology and constituting structures: A practice lens for studying technology in organizations. Organization Science, 11(4), 404-428.

Orlikowski, W. J. (2009). The sociomateriality of organisational life: considering technology in management research. Cambridge Journal of Economics, 34, 125-141.

Patton, M. Q. (2002). Qualitative research & evaluation methods. London: Sage.

Penrose, E. T. (2006). A teoria do crescimento da firma. Campinas: Editora da Unicamp.

Peters, O. (1973). A estrutura didática da educação a distância. São Paulo: Olho d’Água.

Ruas, R. (2005). Gestão por competências: uma contribuição à estratégia das organizações. In R. Ruas, C. S. Antonello, & L. H. Boff, Os novos horizontes de gestão: aprendizagem organizacional e competências. (pp. 34-55). Porto Alegre: Bookman.

Rumble, G. (2000). A tecnologia da educação a distância em cenários do terceiro mundo. In O. Preti (Org.), Educação a distância: construindo significados. (pp. 43-63). Cuiabá: NEAD/IE-UFMT.

Sandberg, J. (2000). Understanding human competence at work: an interpretative approach. Academy of Management Journal, 43(1), 9-25.

Santos, J. R. (2012). A Moodle nas práticas pedagógicas de uma escola básica: realidade ou ficção na inserção das TIC em sala de aula. Educação, Formação & Tecnologias, 5(1), 72-83.

Saraiva, T. (1995). Avaliação da educação a distância: sucessos, dificuldades e exemplos. Boletim Técnico do Senac, 21(3).

Taylor, J. C. (2002). Automating e-Learning: the higher education revolution. Proceedings of the Annual Conference of the German Informatics Society. 32, Dortmund, Germany.

Teece, D. J.; Rumelt, R.; Dosi, G.; Winter, S. (1994). Understanding corporate coherence: theory and evidence. Journal of Economic Behavior & Organization, 23(1), 1-30.

Versuti, A. (2004). Avaliação formativa e qualidade em Ead. Anais do Congresso Internacional de Educação a Distância. 11, Salvador, BA, Brasil.

Zarifian, P. (2008). Objetivo competência: por uma nova lógica. São Paulo: Atlas.

Associação Brasileira de Educação a Distância - ABED. (n.d). Nd. Recuperado em 4 de setembro, 2012, de http://www2.abed.org.br/