Pesquisa Científica no Curso de Ciências Contábeis: Limites e Contribuições ao Aluno na Elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso Outros Idiomas

ID:
46871
Resumo:
Objetivo: - O objetivo deste estudo foi identificar os fatores que possam ser considerados como benéficos ou limitadores na percepção dos estudantes de Ciências Contábeis em relação ao desenvolvimento da pesquisa científica por meio do Trabalho de Conclusão de Curso. Método: - A pesquisa é descritiva e com abordagem quantitativa. A amostra é composta de 75 estudantes concluintes do curso Ciências Contábeis de uma instituição pública de ensino superior localizada em uma cidade do Triângulo Mineiro. Para a análise dos dados, utilizou-se a análise fatorial exploratória. Resultados: - Como resultado, observou-se que os estudantes de contabilidade demonstraram vários aspectos favoráveis que motivam o desenvolvimento da pesquisa científica por meio do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) na sua formação acadêmica. Foram reconhecidas também as dificuldades pertinentes à realização do mesmo. Os estudantes apontaram a relevância da participação dos professores orientadores para o sucesso da realização do TCC na graduação, reconhecendo que o acompanhamento do orientador é essencial para a execução e a qualidade da pesquisa. Por meio da análise fatorial, foram identificados três fatores que agruparam as variáveis relacionadas aos benefícios referentes ao ensino com pesquisa, sendo: desenvolvimento de pesquisas e incentivos na formação acadêmica; formação profissional, competências interpessoais e comunicação; e contribuições acadêmicas do ensino com pesquisa. Contribuições: - Espera-se que o estudo possa colaborar para a discussão sobre a inserção da pesquisa no ensino, e contribuir no campo teórico sobre o impacto da utilização da pesquisa cientifica no processo de formação do aluno no curso superior.
Citação ABNT:
SANTOS, C. K. S.; LEAL, E. A.; NUNES, I. V.; SILVA, T. D. Pesquisa Científica no Curso de Ciências Contábeis: Limites e Contribuições ao Aluno na Elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso . Revista Evidenciação Contábil & Finanças, v. 5, n. 3, p. 140-156, 2017.
Citação APA:
Santos, C. K. S., Leal, E. A., Nunes, I. V., & Silva, T. D. (2017). Pesquisa Científica no Curso de Ciências Contábeis: Limites e Contribuições ao Aluno na Elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso . Revista Evidenciação Contábil & Finanças, 5(3), 140-156.
DOI:
10.18405/recfin20170308
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/46871/pesquisa-cientifica-no-curso-de-ciencias-contabeis--limites-e-contribuicoes-ao-aluno-na-elaboracao-do-trabalho-de-conclusao-de-curso--/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Almeida, D. M.; de Vargas, A. J.; Rausch, R. B. (2011). Relação entre ensino e pesquisa em controladoria nos cursos de pós-graduação stricto senso em ciências contábeis brasileiros. Comunicação oral, apresentado no Congresso ANPCONT, Vitória, ES, Brasil, 5.

Barros, A. J. D. S.; Lehfeld, N. A. D. S. (2000). Fundamentos de Metodologia Científica: um guia para a iniciação científica. São Paulo: Makron.

Bazin, M. J. (1983). O que é iniciação científica. Revista de Ensino de Física, 5(1), 81-88.

Beuren, I. M. (Org). (2006). Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. 3ª ed. São Paulo: Atlas.

Breglia, V. L. A. (2002). A Formação na graduação: contribuições, impactos e repercussões do PIBIC. 2002. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Bridi, J. C. A.; Pereira, E. M. (2004). O impacto da iniciação científica na formação universitária. Olhar de professor, 7(2), 77-88.

Caberlon, V. (2003). Pesquisa e graduação na Furg: em busca de compreensões sob distintos horizontes. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

CAPES. (2014). Consulta ao número de cursos de pós-graduação por área. Disponível em . Acesso em 21 jan. 2014.

Cardoso, R. L.; de Mendonça Neto, O. R.; Riccio, E. L.; Sakata, M. C. G. (2005). Pesquisa científica em contabilidade entre 1990 e 2003. RAE-revista de administração de empresas, 45(2), 34-45.

Dallabona, L. F.; de Oliveira, A. F.; Rausch, R. B. (2014). Avanços pessoais e profissionais adquiridos por meio da titulação de mestre em ciências contábeis. Contabilidade Vista & Revista, 24(2), 39-62.

Fávero, L. P.; Belfiore, P.; Silva, F. D.; Chan, B. L. (2009). Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. Rio de Janeiro: Elsevier.

Hair, J. F.; Black, W. C.; Babin, B. J.; Anderson, R. E.; Tatham, R. L. (2005). Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman.

Krüger, L. M.; Valmorbida, S. M. I.; Ensslin, L.; Ensslin, S. R.; Vicente, E. F. R. (2013). Inserção dos alunos de Ciências Contábeis na pesquisa científica: uma análise nas universidades federais do sul do Brasil. ConTexto, 13(24), 51-63.

Leite Filho, G. A. (2008). Padrões de produtividade de autores em periódicos e congressos na área de contabilidade no Brasil: um estudo bibliométrico. Revista de Administração Contemporânea, 12(2), 533-554.

Masetto, M. T. (2012). Competência pedagógica do professor universitário. São Paulo: Summus.

Massi, L.; Queiroz, S. L. (2010). Estudos sobre iniciação científica no Brasil: uma revisão. Cadernos de Pesquisa, 40(139), 173-197.

Mitchell, F. (2002). Research and practice in management accounting: improving integration and communication. European Accounting Review, 11(2), 277-289.

Nascimento, M.; Bezerra, A.; Morosini, M. C. (2014). Política de Iniciação Científica no Brasil-Expectativas dos professores-orientadores de projeto. CIAIQ 2014, 3.

Nd. (2004). RESOLUÇÃO CNE/CES 10. Diário Oficial da União, Brasília, DF: Conselho Nacional de Educação.

OASTER, T. R. F. (1989). Number of alternatives per choice point and stability of Likert-type scales. Perceptual and Motor Skills. 68(2), 549–550.

Oliveira, D. T.; Santana, C. M.; de Araujo Neto, L. M.; de Araujo, J. D. C. (2012). Pesquisa em contabilidade no Brasil: estudo bibliométrico de três periódicos. REAVI-Revista Eletrônica do Alto Vale do Itajaí, 1(2), 65-75.

Oliveira, M. C. (2002). Análise dos periódicos brasileiros de contabilidade. Revista Contabilidade & Finanças, 13(29), 68-86.

Peleias, I. R.; da Silva, G. P.; Segreti, J. B.; Chirotto, A. R. (2007). Evolução do ensino da contabilidade no Brasil: uma análise histórica. Revista Contabilidade & Finanças, 18(spe), 19-32.

Santos, C. K. S.; Leal, E. A. (2014). A iniciação científica na formação dos graduandos em ciências contábeis: um estudo em uma instituição pública do triângulo mineiro. Revista Contemporânea de Contabilidade, 11(22), 25-48.

Silva, A. C. B. D.; Oliveira, E. C. D.; Ribeiro Filho, J. F. (2005). Revista Contabilidade & Finanças USP: uma comparação entre os períodos 1989/2001 e 2001/2004. Revista Contabilidade & Finanças, 16(39), 20-32.

Silva, A. P. B.; Ott, E. (2012). Um estudo sobre a interação entre a pesquisa científica e a prática profissional contábil. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade - REPeC, 6(2), 204-220.

Silva, R. B. B.; Bianchi, M. (2015). A Pesquisa Científica na Graduação do Curso de Ciências Contábeis da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Envolvendo da Leitura a Publicação. Revista de Contabilidade Dom Alberto, 1(8), 105-135.

Silveira, T. P.; Ensslin, S. R.; Valmorbida, S. M. I. (2012). Desmistificando o ensino da pesquisa científica na graduação em Ciências Contábeis: Um estudo na Universidade Federal de Santa Catarina. Revista de Contabilidade da UFBA, 6(1), 48-65.

Walter, S. A.; Cruz, A. P. C. D.; Espejo, M. M. D. S. B.; Gassner, F. P. (2009). Uma análise da evolução do campo de ensino e pesquisa em contabilidade sob a perspectiva de redes. Revista Universo Contábil, 5(4), 76-93.