O Impacto das Políticas e Práticas de Recursos Humanos Sobre os Comportamentos de Cidadania Organizacional

ID:
47278
Resumo:
Este trabalho tem por objetivo analisar o impacto das políticas e práticas de recursos humanos (PPRH) sobre os comportamentos de cidadania organizacional (CCO). Os CCO refletem as contribuições extra papel das pessoas, fator esperado pelos gestores em tempos de mudança ou crises para a efetividade organizacional. No campo teórico, foram consideradas prioritariamente as obras de Milkovich e Boudreau (1994), Dessler (2002) e Demo (2012) para PPRH; e os trabalhos de Katz e Kahn (1978), Organ (1990) e Siqueira (2003) para CCO. Adotou-se uma abordagem quantitativa, envolvendo 156 trabalhadores de empresas privadas, públicas e mistas localizadas no estado de São Paulo, que responderam espontaneamente a questionários de autopreenchimento. Como resultados, identificou-se que, dentre as PPRH, somente o fator Envolvimento apresentou relação significativa com CCO. Já o conjunto de PPRH impacta com significância os fatores Divulgação da Imagem Organizacional e Sugestões Criativas.Os resultados indicam também áreas de atuação nas quais os gestores podem obter mais efetividade sobre os comportamentos extrapapel dos seus empregados.
Citação ABNT:
TINTI, J. A.; COSTA, L. V.; VIEIRA, A. M.; CAPPELLOZZA, A. O Impacto das Políticas e Práticas de Recursos Humanos Sobre os Comportamentos de Cidadania Organizacional. Brazilian Business Review, v. 14, n. 6, p. 636-653, 2017.
Citação APA:
Tinti, J. A., Costa, L. V., Vieira, A. M., & Cappellozza, A. (2017). O Impacto das Políticas e Práticas de Recursos Humanos Sobre os Comportamentos de Cidadania Organizacional. Brazilian Business Review, 14(6), 636-653.
DOI:
http://dx.doi.org/10.15728/bbr.2017.14.6.6
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/47278/o-impacto-das-politicas-e-praticas-de-recursos-humanos-sobre-os-comportamentos-de-cidadania-organizacional/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALBUQUERQUE, L. O papel estratégico de RH. Tese de livre-docência, FEA-USP, 1988.

ALFES, K.; SHANTZ, A.; TRUSS, C.; SOANE, E. The link between perceived human resource management practices, engagement and employee behavior: a moderated mediation model. The international journal of human resource management, v. 24, n. 2, p. 330-351, 2013.

ARAÚJO, L. C. G. Gestão de pessoas: Estratégia e Integração organizacional. São Paulo: Atlas, 2006

ARMSTRONG, M. Armstrong´s handbook of Human Resource Management practice. 11ª. ed. London: Kogan Page, 2009.

BARNARD, C. I. The Functions of the executive. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1938.

BASTOS, A. V. B.; SIQUEIRA, M. M. M; GOMES, A. C. P. Cidadania Organizacional. In: SIQUEIRA, M. M. M. (Org. )Novas medidas do comportamento organizacional: ferramentas de diagnóstico e de gestão, cap. 6,p. 79-103. Porto Alegre: Artmed, 2014.

BATEMAN, T. S.; ORGAN, D. W. Job Satisfaction and the Good Soldier: The Relationship between Affect and Employee “Citizenship”. The Academy of Management Journal, v. 26, n. 4, p. 587-595, 1983.

BECKER, B. E.; HUSELID, M. A. High Performance Work Systems and Firm Performance: a Synthesis of Research and Managerial Implications. Personnel and Human Resources Management, v. 16, p. 53-101, 1998.

BENZECRY, D. F.; PIRES, H. M. Comportamento De Cidadania Organizacional (CCO) E Desempenho Em Vendas. Encontro Nacional de Engenharia de Produção. Anais. . . Salvador: ABEPRO, 2009

CANTAL, C.; BORGES-ANDRADE, J. E.; PORTO, J. B. Cooperação, comportamentos proativos ou simplesmente cidadania organizacional? Uma revisão da produção nacional na área. Revista Psicologia Organizações e Trabalho, v. 15, n. 3, p. 286-297, 2015.

CHIN, W. W. Partial Least Square for researchers: a overview and presentation of recent advances using the PLS approach, 2000.

COSTA, V. F.; ANDRADE, T. Comportamentos de cidadania organizacional: caracterização da produção científica internacional no período de 2002 a 2012. RAM. Revista de Administração Mackenzie, v. 16, n. 2, p. 45-71, 2013.

DEMO, G. Desenvolvimento e validação da escala de percepção de políticas de gestão de pessoas (EPPGP). Revista de Administração Mackenzie, v. 9, n. 6, 2008.

DEMO, G.; MARTINS, P de R.; ROURE, P. Políticas de gestão de pessoas, comprometimento organizacional e satisfação no trabalho na Livraria Cultura. Revista Alcance - Eletrônica, v. 20, n. 2, p. 237-254, abr. /jun. 2013.

DEMO, G. Políticas de Gestão de Pessoas nas organizações: Estado da arte, Produção Nacional, Agenda de Pesquisa, Medidas e Estudos Relacionais. São Paulo: Atlas, 2012.

DESSLER, G. Administração de Recursos Humanos. 2ª. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

DUBRIN, A. J. Fundamentos do comportamento organizacional. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2003. EISENBERGER, R.;

ESTIVALETE, V. F. B.; COSTA, V. F.; ANDRADE, T.; LOBLER, M. L.; TANSCHEIT, F. D. Comportamento de cidadania organizacional: caracterização da produção científica internacional no período de 2002 a 2012. In: XXXVII Encontro da Associação de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, 37, 2013, Rio de Janeiro. Anais. . . Rio de Janeiro: ANPAD, 2013.

FERREIRA, M. C. O.; SILVA, J. G.; BIZARRIAS, F. S.; CARVALHO, J. B.; SOUZA, F. M. S.; FRANÇA, M. H.; GONÇALVES, M. S. Políticas e práticas de gestão de pessoas e suas relações com o absenteísmo: desafios ao desenvolvimento sustentável. Labor & Engenho, v. 9, n. 3, p. 87-97, Campinas/SP, 2015.

FISCHER, A. L. A constituição do modelo competitivo de gestão de pessoas no Brasil: um estudo sobre as empresas consideradas exemplares. Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, 1998.

FORNELL, C.; LARCKER, D. F. Evaluating structural equation models with unobservable variables and measurement error. Journal of Marketing Research, v. 18, p. 39-50, 1981.

HAIR, JR. , J. F.; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R. L.; BLACK, W. C. AnáliseMultivariada de Dados. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

HAIR, JR. , J. F.; HULT, G. T. M.; RINGLE, C. M.; SARSTEDT, M. A Primer on Partial Least Squares Structural Equation Modeling (PLS-SEM). Thousand Oaks: SAGE Publications, 2013.

HIPÓLITO, J. A. M.; REIS, G. G. As pessoas na organização. 16ª. ed. São Paulo: Editora Gente, 2002.

HUNTINGTON, R.; HUTCHISON, S.; SOWA, D. Perceived Organizational Support. JournalofAppliedPsychology, v. 71, n. 3, p. 500-507, 1986.

JANSSEN, O.; HUANG, X. Us and Me: Team Identification and Individual Differentiation as Complementary Drivers of Team Members’ Citizenship and Creative Behaviors. Journalof Management, v. 34, n. 1, p. 69-88, 2008.

JESUS, R. G; ROWE, D. E. O. Percepção de políticas de gestão de pessoas e comprometimento organizacional:o papel mediador da percepção de justiça organizacional. Tourism and Management Studies. v. 11, n. 2, p. 211-218, 2015.

KATZ, D.; KAHN, R. L. The social psychology of organizations. 2ª. ed. New York: John Wiley and sons, 1978.

KEHOE, R. R.; WRIGHT, P. M. The impact of high-performance human resource practices on employees’ attitudes and behaviors. Journal of Management, v. 39, n. 2, p. 366-391, 2013.

KHAN, A. S.; RASHEED, F. Human resource management practices and project success, a moderating role of Islamic Work Ethics in Pakistani project-based organizations. International Journal of Project Management, v. 33, n. 2, p. 435-445, 2015.

KUMAR, K.; BAKHSHI, A.; RANI, E. Linking the “big five” personality domains to organizationalcitizenship behavior. InternationalJournalofPsychologicalStudies, v. 1, n. 2, p. 73-81, 2009.

LACOMBE, F. Recursos Humanos: Princípios e Tendências. São Paulo: Saraiva, 2005.

LAM, W.; CHEN, Z.; TAKEUCHI, N. Perceived human resource management practices and intention to leave of employees: the mediating role of organizational citizenship behavior in a Sino-Japanese joint venture. The International Journal of Human Resource Management, v. 20, n. 11, p. 2250-2270, November 2009.

LEGGE, K. Human resource management. In: ACKROYD, S.; BATT, R.; THOMPSON, P.; TOLBERT, P. S. (Eds). The Oxford handbook of work and organization. New York: Oxford University Press, 2006, pp. 220-241.

LEPAK, D. P.; LIAO, H.; CHUNG, Y.; HARDEN, E. E. A Conceptual Review of Human Resource Management Systems in Strategic Human Resource Management Research. Research in Personnel and Human Resource Management, v. 25, n. 06, p. 217-271, 2006.

LUTHANS, F. Positive Organizational Behavior: Developing and Managing Psychological Strenghts. Nova York: Academyof Management Executive, 2002.

MACCALI, N.; KUABARA, P. S. S.; TAKAHASHI, A. R. W.; ROGLIO, K. D.; BOEHS, S. T. M. As práticas de recursos humanos para a gestão da diversidade: a inclusão de deficientes intelectuais em uma federação pública do Brasil. RAM, Rev. Adm. Mackenzie, Abr 2015, vol. 16, no. 2, p. 157-187.

MACDUFFIE, J. Human resource bundles and manufacturing performance: Organizational logic and flexible production systems in the world auto industry. Industrial and Labor Relations Review, v. 48, n. 2, p. 197-221, 1995.

MARRAS, J. P. Administração de Recursos Humanos: do operacional ao estratégico. São Paulo: Futura. 3ª ed. 2000.

MILKOVICH, G. T.; BOUDREAU, J. W. Human Resource Management. McGraw-Hill HigherEducation, 1994.

OLIVEIRA, A. M. B.; OLIVEIRA, A. J. Gestão de Recursos Humanos: uma metanálise de seus efeitos sobre desempenho organizacional. Revista de Administração Contemporânea - RAC, v. 15, n. 4, p. 650-669, 2011.

OLIVEIRA, L. M. B.; GUEIROS, M. G. Clientes internos satisfeitos com as práticas de RH conduzem à satisfação dos clientes externos: Um estudo no setor hoteleiro. XXVIII Encontro Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração. Anais. . . Curitiba/PR: ANPAD, 2004

OLIVEIRA, M. M.; DEMO, G. Bem-estar no trabalho na Disney: o papel das políticas e práticas de gestão de pessoas. Gestão e Saúde, v. 4, n. 3, p. pag. 3605-3632, 2014.

ORGAN, D. W. Organizational Citizenship Behavior: it’s construct clean-up time. Human Performance, v. 10, n. 2, 85-97, 1997.

ORGAN, D. W.; PODSAKOFF, P. M.; MACKENZIE, S. B. Organizational Citizenship Behavior. Its nature, antecedents and consequences. London: Sage Publication, 2006.

ORGAN, D. W. The motivational basis of organizational citizenship behavior. In: STAW, B. M.;CUMMINGS, L. L. (Eds). Research in organizational behavior, v. 12. Greenwich, CT: Jai Press, 1990, p. 43-72.

PAVALACHE-ILIE, M. Organizational citizenship behaviour, work satisfaction and employee’s personality. Procedia - Social and Behavioral Sciences, v. 127, n. 1983, p. 489-493, 2014.

PODSAKOFF, P. M.; AHEARNE, M.; MACKENZIE, S. B. Organizational citizenship behavior and the quantity and quality of work group performance. The Journal of applied psychology, v. 82, n. 2, p. 262-70, 1997.

PODSAKOFF, P. M.; MACKENZIE, S. B.; MOORMAN, S. B.;FETTER, R. Transformational leader behaviors and their effects on followers’ trust in leader, satisfaction, and organizational citizenship behaviors. The Leadership Quarterly, v. 1, n. 2, p. 107-142, 1990.

PODSAKOFF, P. M.; MACKENZIE, S. B.; PAINE, J. B.; BACHRACH, D. G. Organizational citizenship behaviors: a critical review of the theoretical and empirical literature and suggestions for future research. Journalof Management, v. 26, n. 3, p. 513-563, 2000.

PORTO, J.; TAMAYO, A. Desenvolvimento e validação da escala de valores do trabalho - EVT. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 19, n. 2, p. 145-152, 2003.

RIBEIRO, A. L. Gestão de Pessoas. 2 ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

RINGLE, C. M.; WENDE, S.; BECKER, J. M. SmartPLS. Hamburg: SmartPLS,2014. Disponívelem: (Acessoem 17. 12. 2014).

RUBIN, B. A.; BRODY, C. J. Operationalizing Management Citizenship Behavior and Testing Its Impact on Employee Commitment, Satisfaction, and Mental Health. Work and occupations, v. 38, n. 4, p. 465-499, 2011.

SILVA, F. M. As Práticas de Gestão de Recursos Humanos e o processo de identificação de competências coletivas: um estudo de caso na área de gestão de pessoas do centro administrativo do Sicredi. Tese de doutorado. Escola de Administração. Rio Grande do Sul: UFRGS, 2013.

SILVA, M. P. Relação das Práticas de Gestão de Recursos Humanos com turnover: um estudo com empresas do norte do Paraná. Dissertação de mestrado. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto. USP, 2013.

SIQUEIRA, M. M. M. Antecedentes de comportamentos de cidadania organizacional: a análise de um modelo pós-cognitivo. Tese de Doutorado. Brasília: Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília, 1995.

SIQUEIRA, M. M. M. (org. )Novas medidas do comportamento organizacional: ferramentas de diagnóstico e de gestão. Porto Alegre:Artmed, 2014, pp. 79-103.

SIQUEIRA, M. M. M. Proposição e análise de um modelo para comportamentos de cidadania organizacional. São Paulo: Revista de Administração Contemporânea, edição especial, p. 165-184, 2003.

SNAPE, E.; REDMAN, T. HRM Practices, Organizational Citizenship Behavior, and Performance: A Multi-Level Analysis. Journal of Management Studies, v. 47, n. 7, p. 1219-1247, November, 2010

SOUZA, E. P.; MARQUES, A. L. Práticas de recursos humanos e comprometimento organizacional: considerações teóricas sobre como o comprometimento pode ser tratado nas organizações. VIII Encontro de Estudos Organizacionais da ANPAD - EnEO. Anais. . . Gramado/RS : ANPAD, 2014.

TABACHNICK, B. G.; FIDELL, L. S. Using multivariate statistics, 4a. ed. Boston: Allyn and Bacon, 2001.

TAGHINEZHAD, F. et al. Antecedents of organizational citizenship behavior among Iranian nurses: a multicenter study. BMC, v. 8, n. 547, p. 1-9, 2015.

TANG, T. W.; TANG, Y. Y. Promoting service-oriented organizational citizenship behaviors in hotels: The role of high-performance human resource practices and organizational social climates. International Journal of Hospitality Management, v. 31, p. 885-895, 2012.

WILLIAMS, L. J.; ANDERSON, S. E. Job satisfaction and organizational commitment as predictorsof organizational citizenship and in-role behaviors. Journal of Management, v. 17, n. 3, p. 601-617, 1991.