Determinantes da Remuneração dos Executivos e sua Relação com o Desempenho Financeiro das Companhias Outros Idiomas

ID:
47328
Resumo:
Os incentivos financeiros são mecanismos utilizados para alinhar os objetivos do agente aos do principal. Este estudo objetiva verificar a relação dos determinantes da remuneração dos executivos, com o desempenho financeiro e de mercado das companhias brasileiras de capital aberto, listadas na BM&FBovespa. Os dados foram obtidos através de análise dos formulários de referência, disponibilizados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O presente estudo classifica-se como exploratório com abordagem quantitativa. Foram encontradas 228 empresas após levantamento das companhias que disponibilizavam essas informações, sendo essa, a amostra que compõe a pesquisa. Foi utilizado o teste de regressão linear múltipla, com dados em painel, para testar a relação entre remuneração e desempenho das companhias entre os anos de 2011 a 2013. Foram encontrados fatores financeiros e fatores não financeiros como determinantes da remuneração nas companhias brasileiras de capital aberto. O teste de regressão identificou que há relação positiva e significativa do desempenho financeiro, com as remunerações baseadas em indicadores financeiros e não financeiros, em conjunto, e remunerações baseadas apenas em indicadores não financeiros. O desempenho de mercado não obteve significância estatística com a remuneração dos executivos. Estes resultados evidenciam que planos de incentivos que se baseiam em indicadores financeiros, não alinham os interesses dos agentes aos dos principais. A ausência de resultado entre desempenho de mercado com os sistemas de remuneração, afirma que os planos de remuneração não alinham os interesses do principal e agente.
Citação ABNT:
SOUZA, P. V. S.; CARDOSO, R. L.; VIEIRA, S. S. C. Determinantes da Remuneração dos Executivos e sua Relação com o Desempenho Financeiro das Companhias. REAd. Revista Eletrônica de Administração, v. 23, n. N. Especial, p. 4-28, 2017.
Citação APA:
Souza, P. V. S., Cardoso, R. L., & Vieira, S. S. C. (2017). Determinantes da Remuneração dos Executivos e sua Relação com o Desempenho Financeiro das Companhias. REAd. Revista Eletrônica de Administração, 23(N. Especial), 4-28.
DOI:
http://dx.doi.org/10.1590/1413-2311.175.63859
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/47328/determinantes-da-remuneracao-dos-executivos-e-sua-relacao-com-o-desempenho-financeiro-das-companhias/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BEBCHUK, L.A.; SPAMANN, H. Regulating bankers’pay. Georgetown Law Journal, v. 98, n. 1, p. 247-287, 2010.

BEBCHUK, L.; FRIED, J. M. Executive compensation as an agency problem. Journal of Economic Perspectives, v. 17, n. 3, p. 71-92, 2003.

BEUREN, I. M.; KAVESKI, I. D. S.; RIGO, V. P. Associação das medidas de desempenho para pagamento de bônus aos executivos com dependência de capital humano. Revista Contemporânea de Contabilidade, v. 11, n. 22, p. 3-24, 2014.

BEUREN, I. M.; MAZZIONI, S.; SILVA, MaM. Z. da. Remuneração dos executivos versus desempenho das empresas. R. Adm. Faces, v. 13, n. 2, p. 8-25, 2014.

BEZERRA, F. A. et al. Remuneração variável dos gestores e o conservadorismo contábil. In: Associação Nacional dos Programas de Pós Graduação em Ciências Contábeis (ANPCONT), 6, 2012, Florianópolis (SC). Anais... Florianópolis: ANPCONT, 2012.

BRASIL. Instrução Normativa nº 480, de 07 de janeiro de 2009. Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Disponível em: http://www.cvm.gov.br/. Acesso em: 13 jul. 2009.

CAMARGOS, MarcM. A. de; HELAL, D. Remuneração executiva, desempenho econômicofinanceiro e a estrutura de governança corporativa de empresas brasileiras. In: Encontro ANPAD, 31, 2007. Anais ANPAD. Rio de Janeiro, 2007.

CHEN, Y.; MA, Y. Revisiting the risk-taking effect of executive stock options on firm performance. Journal of Business Research, v. 64, n. 6, p. 640-648, 2011.

COUGHLAN, A. T.; SCHMIDT, R. M. Executive compensation, management turnover, and firm performance: An Empirical Investigation. Journal of Accounting and Economics, v. 1, n. 7, p. 43-66, 1985.

EISDORFER, A.; GIACCOTTO, C.; WHITE, R. Capital structure, executive compensation, and investment efficiency. Journal of Banking & Finance, v. 37, n. 2, p. 549-562, 2013.

FARRELL, Anne M.; KADOUS, Kathryn; TOWRY, Kristy L. Contracting on Contemporaneous versus Forward-Looking Measures: An Experimental Investigation. Contemporary Accounting Research, v. 25, n. 3, p.773-802, 2008.

GHOSHAL, S. Bad management theories are destroying good management practices. Academy of Management learning & education, v. 4, n. 1, p. 75-91, 2005.

GONZAGA, R. P.; YOSHINAGA, C. E.; EID JUNIOR, W. Relação Entre os sistemas de incentivos oferecidos aos gestores e desempenho das empresas brasileiras. Revista Contabilidade Vista & Revista, v. 24, n. 3, p. 103-118, 2013.

HAMBRICK, D. C.; FINKELSTEIN, S.; MOONEY, A.C. Executive Job Demands: New Insights for Explaining Strategic Decisions and Leader Behaviors. Academy of Management Review, v. 30, n. 3, p. 472-491, 2005.

HITZ, J.-M.; MÜLLER-BLOCH, S. Market reactions to the regulation of executive compensation. European Accounting Review, v. 24, n. 4, p. 1-26, 2015.

JENSEN, M. C.; MECKLING, W. H. Theory of the firm: managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of Financial Economics, v. 3, n. 4, p. 305-360, 1976.

JENSEN, M. C.; MURPHY, K. J.; WRUCK, E. G. Remuneration: where we’ve been, how we got to here, what are the problems, and how to fix them. Harvard Nom Working Paper, v. 28, n. 4, p. 1-105, 2004.

KRAUTER, E. Remuneração de Executivos e desempenho financeiro: um estudo com empresas brasileiras. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, v. 7, n. 3, p. 259-273, 2013.

LIMA, R. E. de; ARAÚJO, M. B. V. de; AMARAL, H. F. Conflitos de agência: um estudo comparativo dos aspectos inerentes a empresas tradicionais e cooperativas de crédito. Revista de Contabilidade e Organizações, Ribeirão Preto, v. 2, n. 4, p. 148-157, 2008.

MACHADO, D. G.; BEUREN, I. M. Política de remuneração de executivos: um estudo em empresas industriais brasileiras, estadunidenses e inglesas. Gestão & Regionalidade, Bento Gonçalves/RS, v. 31, n. 92, p. 1-16, 2013.

MOURA, F. de et al. Conflitos de agência, legitimidade e o discurso sobre governança corporativa: o caso Petrobras. In: Congresso USP de Iniciação Científica em Contabilidade, 11, 2014. Anais... . São Paulo, 2014.

NASCIMENTO, C. do; FRANCO, L. M. G.; CHEROBIM, A. P. Associação Entre Remuneração Variável e Indicadores Financeiros: Evidências do Setor Elétrico. Revista Universo Contábil, v. 8, n. 1, p. 22-36, 2012.

NUNES, A de A. Concessão de opções de ações a funcionários: um problema contábil. Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, v. 5, n. 1, p. 32-41, 2008.

OLIVA, E.; ALBUQUERQUE, L. Sistema de Remuneração de Executivos e Conselheiros Como Suporte à Estrutura de Governança Corporativa. Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, v. 4, n. 1, p. 61-73, 2007.

ORDU, U.; SCHWEIZER, D. Executive compensation and informed trading in acquiring firms around merger announcements. Journal of Banking & Finance, v. 55, p. 260-280, jun. 2015.

PFEFFER, J. Why do bad management theories persist?A comment on Ghoshal. Academy of Management Learning & Education, v. 4, n. 1, p. 96-100, 2005.

RAVIV, A.; SISLI-CIAMARRA, E. Executive compensation, risk taking and the state of the economy. Journal of Financial Stability, v. 9, n. 1, p. 55-68, abr. 2013.

RIBEIRO, M. G. C.; MACEDO, M. Á da S.; MARQUES, J. A. Análise da relevância de indicadores financeiros e não financeiros na avaliação de desempenho organizacional: um estudo exploratório no setor brasileiro de distribuição de energia elétrica. Revista de Contabilidade e Organizações, Ribeirão Preto, v. 6, n. 15, p. 60-79, 2012.

SAUSET, J.; WALLER, P.; WOLFF, M. CEO contract design regulation and risktaking. European Accounting Review, v. 24, n. 4, p. 685-725, 2014.

SILVA, A. L. C. da; CHIEN, A. C. Y. Remuneração executiva, valor e desempenho das empresas brasileiras listadas. Revista Brasileira de Finanças, Rio de Janeiro, v. 11, n. 4, p. 481-502, 2013.

SOUZA, F.; BORBA, J. A. Governança corporativa e remuneração de executivos: uma revisão de artigos publicados no exterior. Revista Contabilidade Vista & Revista, Belo Horizonte, v. 18, n. 2, p. 35-48, 2007.

SOUZA, P. V. S. de; FARIAS, K. T. R. Remuneração dos executivos e desempenho financeiro das companhias abertas brasileiras. In: Congresso USP de Iniciação Científica em Contabilidade, 12. 2015. São Paulo. Anais... São Paulo: 2015. p. 1 - 16.

SUNDER, S. Teoria da contabilidade e do controle. São Paulo: Atlas, 2014.

TEIXEIRA, A. J. C. et al. Sistemas de incentivos gerenciais e o risco das empresas do estado do Espírito Santo. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, Brasília, v. 5, ed. especial, p. 23-44, 2011.

WATTS, R. L.; ZIMMERMAN, J. L. Positive accounting theory: a ten years perspective. The Accounting Review, v. 65, n. 1, p. 131-156, 1990.

WATTS, R. L.; ZIMMERMAN, J. L. The demand for and supply of accounting theories: the market for excuses. The Accounting Review, v. 4, n. 2, p. 273-305, 1979.

WATTS, R. L.; ZIMMERMAN, J. L. Towards a positive theory of the determination of accounting standards. The Accounting Review, v. 3, n. 1, p. 112-134, 1978.