Variabilidade de Mecanismos na Aprendizagem Individual sobre Software Livre Outros Idiomas

ID:
47335
Resumo:
Dentre os diversos aspectos da aprendizagem individual nas organizações, a variabilidade dos mecanismos de aprendizagem empregados é um dos mais importantes. Estudos sobre o assunto afirmam que a utilização de uma maior variedade de mecanismos de aprendizagem individual proporcionaria uma aprendizagem mais efetiva. No entanto, esta visão não é unânime, pois há questionamentos da relação entre a variedade de mecanismos e maior aprendizagem, o que serve como estímulo a novas investigações. O presente artigo apresenta os mecanismos de aprendizagem individual mais significativos identificados na Superintendência de Desenvolvimento de Sistemas (Supde) de uma empresa pública de tecnologia da informação vivenciados na aquisição de conhecimentos sobre softwares livres, e o levantamento da sua variabilidade. A investigação dos mecanismos de aprendizagem individual que são empregados em uma organização é relevante por duas grandes razões: para identificar os mecanismos de aprendizagem individual mais significativos e como forma de eliminar de futuras análises os mecanismos de aprendizagem individual que não apresentem real importância para população estudada. Não foi encontrada associação estatística entre maior variabilidade dos mecanismos de aprendizagem adotados e a aprendizagem obtida, o que gerou novos questionamentos sobre esta relação. A pesquisa abordou tanto as modalidades de aprendizagem individual formal quanto informal.
Citação ABNT:
LEOPOLDINO, C. B.; SOUZA, E. R. L. C. Variabilidade de Mecanismos na Aprendizagem Individual sobre Software Livre. REAd. Revista Eletrônica de Administração, v. 23, n. N. Especial, p. 210-231, 2017.
Citação APA:
Leopoldino, C. B., & Souza, E. R. L. C. (2017). Variabilidade de Mecanismos na Aprendizagem Individual sobre Software Livre. REAd. Revista Eletrônica de Administração, 23(N. Especial), 210-231.
DOI:
http://dx.doi.org/10.1590/1413-2311.151.54506
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/47335/variabilidade-de-mecanismos-na-aprendizagem-individual-sobre-software-livre/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ARAÚJO, M. F. de. Impacto de treinamento e desenvolvimento: uma análise integrada quantitativa e qualitativa. 2005. 250f. Tese (Doutorado em Mestrado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal de Santa Catarina - Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Florianópolis.

BELL, S. J.; MENGÜÇ, B.; WIDING II, R. E. Salesperson learning, organizational learning, and retail store performance. Journal of the Academy of Marketing Science, v. 38, n. 2, p. 187-201. 2009.

BULL, G. et al. Connecting informal and formal learning: Experiences in the age of participatory media. Contemporary Issues in Technology and Teacher Education, v. 8, n. 2, p. 100-107, 2008.

CASTRO, E. C. de; FIGUEIREDO; P. N. Aprendizagem Tecnológica Compensa?Implicações da Acumulação de Competências Tecnológicas parada Acumulação de Competências Tecnológicas para o Aprimoramento de Performance Técnico-econômica em uma Unidade de Aciaria no Brasil. RAC - Revista de Administração Contemporânea. Curitiba: ANPAD, Edição Especial, n. 1, p. 109-133. 2005.

COELHO JÚNIOR, F. A.; BORGES-ANDRADE, J. E. Uso do conceito de aprendizagem em estudos relacionados ao trabalho e organizações. Paidéia, v. 18, n. 40, p. 221-234. 2008.

CONLON , T. J. A review of informal learning literature, theory and implications for practice in developing global professional competence. Journal of European Industrial Training, v. 28, n. 2/3/4, p. 283-295. 2004.

CORREIA, M. P. L. Aprendizagem e Compartilhamento de Conhecimento em Comunidades Virtuais de Prática: estudo de caso na comunidade virtual de desenvolvimento de software livre Debian-BR-CDD. 2007. 215f. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Administração) - Escola de Administração da UFBA, Salvador.

CZERKAWSKI, B. Blending formal and informal learning networks for online learning. The International Review of Research in Open and Distributed Learning, v. 17, n. 3, 2016.

D'AMELIO, M. Aprendizagem de Competências Gerenciais - um estudo com gestores de diferentes formações. 2007. 246f. Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) - Universidade Presbiteriana Mackenzie - Programa de Pós-Graduação em Administração de Empresas, São Paulo.

ERAUT, M. Informal learning in the workplace. Studies in continuing education, v. 26, n. 2, p. 247-273, 2004.

HANKE, C. Impacto do Treinamento no Trabalho: Análise de Ações de Capacitação de Auditores do Banco do Brasil. 2006. 118f. Dissertação (Mestrado em Gestão Social e Trabalho) - Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação - FACE - Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA, Brasília.

LEOPOLDINO, C. B. Avaliação de Riscos em Desenvolvimento de Software. 2004. 151f. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Administração) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

LIMA, B. C. C.; LIMA, T. C. B. de; CABRAL, A. C. De A. Estilos de Funcionamento e Mecanismos de Aprendizagem em uma Indústria Criativa de Publicidade e Propaganda. Revista de Carreiras e Pessoas - ReCaPe, v. 3, n. 3, 2013.

LOIOLA, E.; PEREIRA, M. E.; GONDIM, S. M. G. Aprendizagem e mecanismos de aprendizagem de trabalhadores em empresas da fruticultura irrigada do Baixo Médio São Francisco. Gestão & Produção (UFSCAR. Impresso), v. 18, p. 91-104, 2011.

LOIOLA, E; PORTO, G. Aprendizagem organizacional das empresas do Prêmio Finep de Inovação. Revista Economia & Gestão, v. 8, n. 18, p. 32-52. 2008.

LÓPEZ, J. A. C. El Impacto del Aprendizaje en el Rendimiento de las Organizaciones. 2006. 133f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidad Nacional de Colombia - Sede Manizales - Facultad de Ciencias y Administración, Colômbia.

NERIS, J. S. Microprocessos de Aprendizagem em Organizações do Baixo Médio São Francisco. 2005. 209f. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Administração) - Escola de Administração da UFBA, Salvador.

RASHMAN, L.; WITHERS, E.; HARTLEY, J. Organizational learning and knowledge in public service organizations: A systematic review of the literature. International Journal of Management Review, v. 11, n. 4, p. 463-494. 2009.

ROCHA, L. A. Software livre e produção colaborativa na internet: um estudo de caso dos instrumentos de comunicação do projeto Gnome. 2007. 81f. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Cultura Contemporânea) - Universidade Federal da Bahia - UFBA, Salvador.

ROSAL, A. C. L.; FIGUEIREDO, P. N. Aprendizagem Corporativa e Acumulação Tecnológica: a trajetória de uma Empresa de Transmissão de Energia Elétrica no Norte do Brasil. Gestão e Produção. v. 13, n. 1, p. 31-43, jan-abr. 2006.

SINGH, P. V.; YOUN, N.; TAN, Y. A Hidden Markov Model of Developer Learning Dynamics in Open Source Software Projects. Information Systems Research. 2010. Disponível em: . Acesso em 24 Jan. 2010.

SOUZA, Y. L. de. A Contribuição do Compartilhamento do Conhecimento para o Gerenciamento de Riscos em Projetos: um estudo na Indústria de Software. 2007. 136f. Dissertação de Mestrado Profissional - Faculdades Integradas de Pedro Leopoldo, Pedro Leopoldo.

WILLE, R. B. Educação musical formal, não formal ou informal: um estudo sobre processos de ensino e aprendizagem musical de adolescentes. Revista da ABEM, v. 13, n. 13, 2005.

ZERBINI, T. Avaliação da Transferência de Treinamento em Curso à Distância. 2007. 321f. Tese (Doutorado em Psicologia) - Universidade de Brasília - UNB, Brasília.

ANTONELLO, C. S.; GODOY, A. S. Uma Agenda Brasileira para os Estudos em Aprendizagem Organizacional. RAE - Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 49, n. 3, p. 266-281, Jul./Set. 2009.

CAMILLIS, P. K. de; ANTONELLO, C. S. Um estudo sobre os processos de aprendizagem dos trabalhadores que não exercem função gerencial. RAM - Revista de Administração Mackenzie, v. 11, n. 2, p. 4-42. 2010.

COOK, D. A.; GARSIDE, S.; LEVINSON, A. J.; DUPRAS, D. M.; MONTORI, V . M. What do we mean by web-based learning?A systematic review of the variability of interventions. Medical Education, v. 44, p. 765-774, 2010.

FIGUEIREDO, P. Capacidade tecnológica e Inovação em Organizações de Serviços Intensivos em Conhecimento: evidências de institutos de pesquisa em Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs) no Brasil. Revista de Inovação Brasileira, v. 5, n. 2, p. 403-454. 2006.

LAI, K.-W., KHADDAGE, F.; KNEZEK, G. Blending student technology experiences in formal and informal learning. Journal of Computer Assisted Learning. v. 29, p. 414-425. 2013.

LOIOLA, E. Microprocessos de aprendizagem em organizações na Bahia. Relatório de pesquisa - CNPq. Salvador, 2007.

PANTOJA, M. J.; BORGES-ANDRADE, J. E. Estratégias de Aprendizagem no Trabalho em Diferentes Ocupações Profissionais. RAC-Eletrônica, v. 3, n. 1, p. 41-62, Jan./Abr. 2009.

SIMON, H. A. Bounded Rationality and Organizational Learning. Organizational Science, v. 2, n. 1, p. 125-134. 1991.

TACLA, C. L.; FIGUEIREDO P. N. Processos de aprendizagem e acumulação de competências tecnológicas: evidências de uma empresa de bens de capital no Brasil. RAC - Revista de Administração Contemporânea. Curitiba: ANPAD, v. 3, n. 7, p. 101-126. 2003.