Implicações de um Centro de Serviços Compartilhados na Contabilidade Gerencial: Uma Abordagem Institucional Outros Idiomas

ID:
47365
Resumo:
Este estudo analisa, sob a abordagem institucional, as implicações da implantação de um Centro de Serviços Compartilhados (CSC) nas funções da Contabilidade Gerencial. Para tal, foi realizada uma pesquisa de natureza descritiva com abordagem qualitativa, a partir de um estudo de caso em empresa situada na região Sul do Brasil, constituída sob a forma de um CSC. Sob a lente da Teoria Institucional, consubstanciada no modelo proposto por Burns e Scapens (2000), foi analisada a institucionalização de regras e rotinas na Contabilidade Gerencial da empresa. Os resultados da pesquisa mostram que a implantação do CSC teve implicações diretas e indiretas nas funções da Contabilidade Gerencial, visto que foi necessário alterar várias de suas funções, atividades, divisionalizações, inclusive profissionais, portanto, uma reestruturação ampla e profunda em todo o setor. Quanto às dicotomias de mudanças ocorridas com a implantação do CSC, foram observadas mais mudanças formais do que informais, evolucionárias do que revolucionárias e progressivas do que regressivas nas funções da Contabilidade Gerencial. Conclui-se com base na análise triangulada dos dados coletados, que a implantação do CSC na empresa pesquisada teve implicações significativas na estrutura organizacional e na natureza das funções da Contabilidade Gerencial, as quais resultaram na institucionalização de novas regras e rotinas nos moldes preconizados por Burns e Scapens (2000). Os resultados do estudo contribuem para o desenvolvimento de novos papéis na Contabilidade Gerencial, sob o argumento que o modelo de CSC gerou novas regras e rotinas em toda a corporação, com implicações diretas e indiretas nos papéis gerenciais institucionalizados.
Citação ABNT:
BEUREN, I. M.; SOUZA, L. R. B.; FEUSER, H. O. L. Implicações de um Centro de Serviços Compartilhados na Contabilidade Gerencial: Uma Abordagem Institucional. REAd. Revista Eletrônica de Administração, v. 23, n. 3, p. 32-61, 2017.
Citação APA:
Beuren, I. M., Souza, L. R. B., & Feuser, H. O. L. (2017). Implicações de um Centro de Serviços Compartilhados na Contabilidade Gerencial: Uma Abordagem Institucional. REAd. Revista Eletrônica de Administração, 23(3), 32-61.
DOI:
http://dx.doi.org/10.1590/1413-2311.162.61627
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/47365/implicacoes-de-um-centro-de-servicos-compartilhados-na-contabilidade-gerencial--uma-abordagem-institucional/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AFFONSO, H. J.; MARTINS, H. C.; GONÇALVES, C. A. Centro de Serviços Compartilhados em modelo próprio ou terceirizado: um estudo comparativo multicasos. In: SIMPÓSIO DE ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO, LOGÍ12STICA E OPERAÇÕES INTERNACIONAIS, 15., 2012, São Paulo. Anais... São Paulo: FGV/SP, 2012.

BAIN & COMPANY. Centro de Serviços Compartilhados: uma solução definitiva para os processos administrativos? 2005. Disponível em: . Acesso em: 17 maio 2014. 2005.

BAINES, A.; LANGFIELD-SMITH, K. Antecedents to management accounting change: a structural equation approach. Accounting, Organizations and Society, v. 28, n. 7/8, p. 675-693, 2003.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 3. ed. Lisboa: Edições 70, 2004.

BERDEJO, L. M. A. Fatores de resistência ao processo de implementação de um Centro de Serviços Compartilhados: uma abordagem segundo a teoria institucional. 2009. 184fls. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

BERGERON, B. Essentials of shared services. 2. ed. New Jersey: John Wiley & Sons, 2003.

BURNS, J.; SCAPENS, R. Conceptualizing management accounting change: an institutional framework. Management Accounting Research, v. 11, n. 1, p. 3-25, 2000.

BURNS, J. The dynamics of accounting change: inter-play between new practices, routines, institutions, power and politics. Accounting, Auditing and Accountability Journal, v. 13, n. 5, p. 566-586, 2000.

CLEGG, S. R.; HARDY, C. Introdução: organização e estudos organizacionais. In: CLEGG, S. R.; HARDY, C.; NORD, W. R. (orgs.). Handbook de estudos organizacionais: modelos de análise e novas questões em estudos organizacionais. 3. ed. São Paulo: Atlas. 2006. p 437-460.

DILLARD, J.; RIGSBY, J.; GOODMAN, C. The making and remaking of organization context: duality and the institutionalization process. Accounting, Auditing & Accountability Journal, v. 17, n. 4, p. 506-542, 2004.

FACHIN, R.; MENDONÇA, R. O conceito de profissionalização e da teoria institucional. In: VIEIRA, M. F.; CARVALHO, C. A. (Orgs.). Organizações, instituições e poder no Brasil. Rio de Janeiro: FGV. 2003. p. 19-41.

FATOR BRASIL. Os benefícios dos Centros de Serviços Compartilhados. Revista Fator Brasil, 2012. Disponível em: . Acesso em: 20 nov 2012.

GIANESI, I.; CORREA, H. Administração estratégica de serviços. São Paulo: Atlas, 1994.

GOSPEL, H.; SAKO, M. The unbundling of corporate functions: the evolution of shared services and outsourcing. Industrial and Corporate Change, v. 19, n. 5, p. 1367-1396, 2010.

GUERREIRO, R.; FREZATTI, F.; CASADO, T. Em busca de um melhor entendimento da contabilidade gerencial através da integração de conceitos da psicologia, cultura organizacional e teoria institucional. Revista Contabilidade & Finanças, v. 17, n. spe., p. 7-21, 2006.

GUERREIRO, R.; PEREIRA, C. A. A avaliação do processo de mudança da contabilidade gerencial sob enfoque da teoria institucional: o caso do Banco do Brasil. In. EnANPAD, 29,. Brasília, 2005. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2005.

GUERREIRO, R.; PEREIRA, C. A.; FREZATTI, F. Aplicação do modelo de Burns e Scapens para avaliação do processo de institucionalização da contabilidade gerencial. Organizações & Sociedade, v. 15, n. 44, p. 45-62, 2008.

HERBERT, I.; SEAL, W. Shared services as a new organizational form: some implications for management accounting. The British Accounting Review, v. 44, n. 2, p. 83-97, 2012.

HOPPER, T.; MAJOR, M. Extending institutional analysis through theoretical triangulation: Regulation and activity based costing in Portuguese Telecommunications. European Accounting Review, v. 16, n. 1, p. 59-97, 2007.

JOIA, E.; MATTOS, M. Conceitos e definições de um centro de serviços compartilhados. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia) - Escola Politécnica da UFRJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 2008.

LOZINSKY, S. Serviços compartilhados como melhor prática. São Paulo: IBM Global Business Services, 2006. Disponível em: . Acesso em: 17 maio 2014. 2006.

MARTINS. V.; AMARAL, F. A consolidação da prática de serviços compartilhados. Egesta, v. 4, n. 1, p. 158-189, 2008.

PEREIRA, N. Impactos da implantação do Centro de Serviços Compartilhados sobre Sistemas de Controles: estudo de caso. 2004. Dissertação (Mestrado em Administração) - Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, PR, Brasil, 2004.

PORTULHAK, H.; ESPEJO, M. M. S. B.; GARCIAS, P. M.; MARTINS, D. B. Papéis, responsabilidades e desafios na implantação e na manutenção de Centro de Serviços Compartilhados: uma análise empírica em uma multinacional instalada no Brasil. Revista Iberoamericana de Contabilidad de Gestión, v. 11, n. 22, p. 1-16, 2013.

QUINN, B.; COOKE, R.; KRIS, A. Shares services: mining for corporate gold. London: Financial Times Prentice Hall, 2000.

RAMOS, L. Serviços compartilhados como forma de estruturação organizacional. 2005. 128 fls. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil, 2005.

SCHULMAN, D.; HARMER, M.; DUNLEAVY, J. Shared services: adding value to the business units. John Wiley & Sons Inc. 1999.

SHULZ, V.; BRENER, W. Characteristic Shared Service Centers. Transforming Government: People, Process and Police, v. 4, n. 3, p. 210-219, 2010.

SOUZA, R. Uma reflexão acerca da construção de conhecimento na investigação do ensino de línguas. Estudos Anglo-Americanos, v. 1, n. 29/30, p. 163-184, 2006.

SUM, F.; PAULA, I. Definição de diretrizes para o business case para implantação de um CSC. 2011. Disponível em: . Acesso em: 17 maio 2011.

YIN, R. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.