Estrutura de Propriedade e Remuneração dos Executivos Outros Idiomas

ID:
47420
Resumo:
O estudo objetiva verificar a relação da estrutura de propriedade com a remuneração dos executivos das empresas listadas na BM&FBovespa. Pesquisa descritiva com abordagem quantitativa foi realizada a partir de investigação documental em uma amostra de 172 empresas, as que evidenciaram os dados necessários para a realização deste estudo. A coleta dos dados foi realizada no Formulário de Referência, tanto os relativos à remuneração dos executivos, como os da estrutura de propriedade. Os resultados da relação dos direitos sobre os fluxos de caixa e dos direitos de controle em excesso com a remuneração dos executivos revelaram que somente os direitos de controle em excesso apresentaram relação negativa com remuneração dos executivos. Assim, conclui-se que existe uma relação negativa entre a estrutura de propriedade e a remuneração dos executivos das companhias abertas no Brasil, o que indica quanto mais concentrada for a propriedade menor será a remuneração dos executivos.
Citação ABNT:
THEISS, V.; BEUREN, I. M. Estrutura de Propriedade e Remuneração dos Executivos . Revista de Administração da UFSM, v. 10, n. 3, p. 533-550, 2017.
Citação APA:
Theiss, V., & Beuren, I. M. (2017). Estrutura de Propriedade e Remuneração dos Executivos . Revista de Administração da UFSM, 10(3), 533-550.
DOI:
10.5902/19834659 13062
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/47420/estrutura-de-propriedade-e-remuneracao-dos-executivos-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALDRIGHI, D. M.; MAZZER NETO, R. Estrutura de propriedade e de controle das empresas de capital aberto no Brasil. Revista de Economia Política, v. 25, n. 2, p. 115-137, 2005.

ALDRIGHI, D. M.; POSTALI, F. A. S. Propriedade piramidal das empresas no Brasil. Revista Economia, v. 12, n. 1, p. 27-48, 2011.

ARRUDA, G. S.; MADRUGA, S. R.; FREITAS JUNIOR, N. I. A governança corporativa e a Teoria da Agência em consonância com a controladoria. Revista de Administração da UFSM, v. 1, n. 1, p. 71-84, 2008.

ASSAF NETO, A. Estrutura e análise de balanços: um enfoque econômico financeiro. 9. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

BARONTINI, R.; BOZZI, S. CEO compensation and performance in family firms. SSRN. Social Science Research Network. Working Paper. Feb. 2010. Disponível em: . Acesso em: 01 maio 2010.

BASU, S.; HWANG, L. S.; MITSUDOME, T.; WEINTROP, J. Corporate governance, top executive compensation and firm performance in Japan. Pacific-Basin Finance Journal, v. 15, p. 56-79, 2007.

BELMONTE, V. A. B.; FREITAS, W. R. S. Empresas familiares e a profissionalização da gestão: estudo de casos em empresas paulistas. Revista de Administração da UFSM, v. 6, n. 1, p. 71-90, 2013.

BERLE, A. A.; MEANS, G. C. The modern corporation & private property. Hartcourt: Brace & World. 1932.

BERTRAND, M.; MULLAINATHAN, S. Agents with and without principals. SSRN. Social Science Research Network. Working Paper No. 00-31. Jan. 2000. Disponível em: . Acesso em: 01 maio 2000.

BORTOLON, P. M. Determinantes e consequências das decisões de estrutura de propriedade: estrutura piramidal e unificação de ações. 2010. 97f. Tese (Doutorado em Administração) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

BORTOLON, P. M.; LEAL, R. P. C. Determinantes da estrutura piramidal de controle. In: ENCONTRO BRASILEIRO DE FINANÇAS, 10.; 2010, São Paulo. Anais eletrôncios... São Paulo, FGV, 2010. Disponível em: . Acesso em: 01 maio 2010.

CAO, J.; PAN, X.; TIAN, G. Disproportional ownership structure and pay–performance relationship: Evidence from China’s listed firms. Journal of Corporate Finance, v. 17, p. 541-554, 2011.

CHEN, C. J. P.; LI, Z.; SU, X.; SUN, Z. Rent-seeking incentives, corporate political connections, and the control structure of private firms: Chinese evidence. Journal of Corporate Finance, v. 17, n. 2, p. 229-243, 2011.

CLAESSENS, S.; DJANKOV, S.; JOSEPH, P. H. F.; LANG, L. H. P. Disentangling the incentive and entrenchment effects of largest shareholdings. Journal Finance, v. 57, n. 6, p. 274-277, 2002.

CLAESSENS, S.; Klingebiel, D.; Lubrano, M. Corporate governance reform issues in the Brazilian equity markets. World Bank. working paper. 2001. Disponível em: . Acesso em: 01 maio 2012. 2001.

COASE, R. H. The Nature of the firm. Econômica, v. 4, n. 16, p, 331-351, 1937.

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS (CVM). Instrução CVM nº 480, de 7 de dezembro de 2009. Disponível em: . Acesso em: 12 dez. 2009.

DEMSETZ, H.; LEHN, K. The structure of corporate ownership: causes and consequences. Journal of Political Economy, v. 93, n. 6, 1985.

EISENHARDT, K. M. Agency theory: an assessment and review. Academy of Management Review, v. 14, n. 1, p. 57-74, 1989.

FARMER, M.; ARCHBOLD, S.; ALEXANDROU, G. CEO compensation and relative company performance evaluation: UK Evidence. Compensation & Benefits Review, v. 45, p. 88-96, 2013.

FÁVERO, L. P. Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. Rio de Janeiro: Elsevier, Campus, 2009.

FIRTH, M.; FUNG, P. M. Y.; RUI, O. M. Corporate performance and CEO compensation in China. Journal of Corporate Finance, v. 12, n. 4, p. 693-714, 2006.

FRONNINGEN, L. A.; WIJST, N. V. D. Ownership structure and performance of the largest German companies. SSRN. Social Science Research Network. Working Paper. Feb. 2009. Disponível em: . Acesso em: 01 maio2009.

FUNCHAL, J. A. Determinantes da remuneração de executivos em empresas de capital aberto latino-americanas. 2005. 172f. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) — Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2005.

GHENO, R.; BERLITZ, J. Remuneração estratégica e pacote de benefícios: Um estudo de caso aplicado ao nível operacional de uma multinacional. Revista de Administração da UFSM, v. 4, n. 1, p. 268-287, 2011.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA (IBGC). Código das melhores práticas de governança corporativa. Jul. 2010. Disponível em: . Acesso em: 15 maio 2010.

JENSEN, M. C.; MECKLING, W. H. Theory of the firm: managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of Financial Economics, v. 3, n. 4, p. 305-360, 1976.

Jensen, M. C.; Murphy, K. J. Performance pay and top-management incentives. Journal of Political Economy, v. 98, n. 2, p. 225-264, 1990.

JENSEN, M. C. The modern industrial revolution, exit, and the failure of internal control systems. Journal of Finance, v. 48, n. 3, p. 831-880, 1993.

JIANG, H. Ownership concentration and CEO compensation pay-for-performance sensitivity in New Zealand. 2008. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2008.

LA PORTA, R.; LOPEZ-DE-SILANES, F.; SHLEIFER, A. Corporate ownership around the world. The Journal of Finance, v. 54, n. 2, p. 471-518, 1999.

MASULIS, R. W.; WANG, C.; XIE, F. Agency problems at dual-class companies. The Journal of Finance, v. 64, n. 4, p. 1697-1727, 2009.

MURPHY, K. J. Executive compensation. In: ASHENFELTER, O.; CARD, D. (Eds.). Handbook of Labor Economics. North-Holland, Amsterdam, 1998. Vol. 3. pp. 2485-2563.

OKIMURA, R. T.; SILVEIRA, A. D.; ROCHA, K. C. Estrutura de propriedade e desempenho corporativo no Brasil. RAC-Eletrônica, v. 1, n. 1, p. 119-135, 2007.

PEDERSEN, T.; THOMSEN, S. European patterns of corporate ownership: a twelve-country study. Journal of International Business Studies, v. 28, n. 4, p. 759-778, 1997.

SEGATTO-MENDES, A. P. Teoria de agência aplicada à análise de relações entre os participantes dos processos de cooperação tecnológica universidade–empresa. 2001. 260f. Tese (Doutorado em Administração) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

SHLEIFER, A.; VISHNY, R. W. A survey of corporate governance. The Journal of Finance, v. 52, n. 2, p. 737-783, 1996.

SILVA, A. L. C. Governança corporativa e sucesso empresarial: melhores práticas para aumentar o valor da firma. São Paulo: Saraiva, 2006.

SILVA, A. L. C. Governança corporativa, valor, alavancagem e política de dividendos das empresas brasileiras. RAUSP - Revista de Administração, v. 39, n. 4, p. 348-361, 2004.

SILVEIRA, A. D.; BARROS, L. A. B. C.; FAMÁ, R. Determinantes do nível de governança corporativa das companhias abertas brasileiras. In: SEMINÁRIOS EM ADMINISTRAÇÃO, 7.; 2004, São Paulo. Anais... São Paulo: FEA-USP, 2004.

SILVEIRA, A. D. Governança corporativa e estrutura de propriedade: determinantes e relação com o desempenho das empresas no Brasil. 2004. 250f. Tese (Doutorado em Administração) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

SOUZA, I. B. Eficiência em estruturas de propriedade concentradas e compensação de executivos: novas evidências para o Brasil. Tese (Doutorado em Administração) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

WOOD JR, T.; PICARELLI FILHO, V. Remuneração estratégica: a nova vantagem competitiva. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2004.

Yurtoglu, B. B.; Haid, A. Ownership structure and executive compensation in Germany. 2006. Disponível em: . Acesso em: 11 nov.2011. 2006.