As Contribuições da Internet nos Efeitos da Sazonalidade: Um Estudo Realizado em um Hotel de Pequeno Porte Outros Idiomas

ID:
47468
Resumo:
O turismo vivencia crescimento intenso ao longo dos anos, passando a ser entendido como um fenômeno. Sua efetivação conta com atividades diversas, sendo uma das principais a hotelaria. Os gestores se deparam com o desafio de formular estratégias e políticas capazes de conduzir ao desenvolvimento turístico, requerendo conhecimento técnico e especializado. Os clientes vêm apresentando mudanças comportamentais: eles estão mais informados e preferem escolher os destinos turísticos e os locais aonde se hospedarão. O mercado do turismo é, então, sazonal, exigindo o desenvolvimento de métodos inovadores e análises amplas, de maneira a favorecer a tomada de decisão. A Tecnologia da Informação é vista como uma ferramenta oportuna, sobretudo o uso da internet. O presente estudo objetiva investigar o impacto que o uso da internet provoca na comercialização das diárias de um hotel, quando verificada a taxa de ocupação do estabelecimento. A pesquisa, de caráter descritivo e de natureza qualitativa e quantitativa, constitui um Estudo de Caso, centrando-se na análise de dados obtidos em um hotel de pequeno porte localizado na rota turística do litoral brasileiro, na cidade do Natal/RN. Os dados foram coletados a partir de entrevista com o gestor/proprietário do empreendimento, observação direta e análise documental, abrangendo as reservas de diárias consolidadas no período de janeiro de 2011 a outubro de 2013, sendo analisados a partir da triangulação dos dados. Os resultados evidenciam a importância da internet nas operações do hotel investigado, expresso por um incremento aproximado de 20% na venda de diárias.
Citação ABNT:
ROCHA, F. A. F.; TEIXEIRA, J. C. M.; CALAZANS, D. L. M. S.; ROCHA, A. V.; MADRUGA, M. As Contribuições da Internet nos Efeitos da Sazonalidade: Um Estudo Realizado em um Hotel de Pequeno Porte. Revista Brasileira de Gestão e Inovação, v. 4, n. 2, p. 42-63, 2017.
Citação APA:
Rocha, F. A. F., Teixeira, J. C. M., Calazans, D. L. M. S., Rocha, A. V., & Madruga, M. (2017). As Contribuições da Internet nos Efeitos da Sazonalidade: Um Estudo Realizado em um Hotel de Pequeno Porte. Revista Brasileira de Gestão e Inovação, 4(2), 42-63.
DOI:
10.18226/23190639.v4n2.03
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/47468/as-contribuicoes-da-internet-nos-efeitos-da-sazonalidade--um-estudo-realizado-em-um-hotel-de-pequeno-porte/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
Acevedo, C. R.; Nohara, J. J. (2006). Monografia no curso de administração: guia completo de conteúdo e forma. 2a ed. São Paulo: Atlas.

Almeida, A. T. (2013). Processo de decisão nas organizações: construindo modelos de decisão multicritério. São Paulo: Atlas.

Andrade, M. M. (2010). Introdução à metodologia do trabalho científico. 10a ed. São Paulo: Atlas.

Ansarah, M. G. (2001). Turismo: como aprender, como ensinar. São Paulo: SENAC.

Beni, M. C. (1998). Análise estrutural do turismo. 2a ed. São Paulo: SENAC.

Biz, A. A.; Ceretta, F. (2008). Modelo de gerenciamento do fluxo de informação dos portais turísticos governamentais uma abordagem teórica. Revista Turismo Visão e Ação - Eletrônica, 10(3), 399-414.

Bogado, C.; Teles, A. A. (2003). Tecnologia da informação na indústria do turismo: fatos, perspectivas e uma visão brasileira. Observatório de Inovação do Turismo - Área Temática: Tecnologia da Informação. Recuperado em 7 Agosto, 2015, de http://www.institutoapoiar.org.br/imagens/bibliotecas/A_Tecnologia_da_Informacao_na_indu stria_do_turismo.pdf

Brito, B. D. M. (2005). Os efeitos da sazonalidade na exploração do fenômeno turístico. Revista Turismo. Recuperado em 21 Agosto, 2015, de http://www.revistaturismo.com.br/artigos/sazofenomenotur.html

Buhalis, D. (1998). Strategic use of information technologies in the tourism industry. Tourism Management, 19(5), 409-421. Retrieved August 7, 2015, from http://epubs.surrey.ac.uk/1123/

Butler, R. (2001). Seasonality in tourism: issues and implications. In T. Baum, & S. Lundtorp(Orgs.). Seasonality in tourism. Oxford: Pergamon.

Castelli, G. (1992). Administração hoteleira. 5a ed. Caxias do Sul: Educs.

Castelli, G. (1996). Turismo atividade marcante do século XX. 3a ed. Caxias do Sul: Educs.

Dencker, A. F. M. (1998). Métodos e técnicas de pesquisa em turismo. 3a ed. São Paulo: Futura.

Dias, M. A. P. (2011). Administração de materiais: princípios, conceitos e gestão. 6a ed. São Paulo: Atlas.

Flecha, A. C.; Costa, J. I. P. (2004). O impacto das novas tecnologias nos canais de distribuição turística: um estudo de caso em agências de viagens. Caderno virtual de turismo, 4(4), 44-56. Recuperado em 5 Agosto, 2015, de http://www.redalyc.org/pdf/1154/115417710005.pdf

Flecha, A. C.; Damiani, W. B. (2000). Avanços da tecnologia da informação: resultados comparados de sites da indústria hoteleira. In XX Encontro Nacional de Engenharia de Produção [ENEGEP]. Anais do CDRom. São Paulo.

Freitas, A. L. P. (2007). Uma abordagem multicritério para a classificação de hotéis. RAUSP - Revista de Administração da Universidade de São Paulo, 42(3), 338-348. Recuperado em 24 Novembro, 2015, de http://www.revhosp.org/ojs/index.php/hospitalidade/article/viewFile/528/549

Fundação Getúlio Vargas. (2015). Pesquisa anual de conjuntura econômica do turismo. Ministério do Turismo. 11a ed. Rio de Janeiro. Recuperado em 5 Agosto, 2015, de http://www.dadosefatos.turismo.gov.br/export/sites/default/dadosefatos/conjuntura_economica/downloads_conjuntura/Pesquisa_Anual_Conjuntura_Economica_do_Turismo_PACET_201 5_Final.pdf

Gil, A. C. (1999). Métodos e técnicas de pesquisa social. 5a ed. São Paulo: Atlas.

Godoy, A. S. (1995). Pesquisa qualitativa tipos fundamentais. Revista Administração de Empresa, 35(3), 20-29.

Goeldner, C. R.; Ritche, J. R. B.; Mcintosh, R. W. (2002). Turismo: princípios, práticas e filosofias. 8a ed. São Paulo: Bookman.

Instituto Brasileiro do Turismo. (2016). Brasil avança em ranking mundial de competitividade do turismo. Recuperado em 11 Junho, 2016, de http://www.embratur.gov.br/piembratur-new/opencms/salaImprensa/artigos/arquivos/Brasil_avanca_em_ranking_mundial_de_compet itividade_do_turismo_.html

Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte. (2014). Perfil do Rio Grande do Norte. Recuperado em 6 Agosto, 2015, de http://www.seplan.rn.gov.br/arquivos/download/PERFIL%20DO%20RN.pdf

Kotler, P.; Keller, K. (2006). Administração de marketing. 12a ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Laudon, K. C.; Laudon, J. P. (1999). Sistemas de informação com internet. 4a ed. Rio de Janeiro: LTC.

Lickorish, L.; Jenkins, C. L. (2000). Introdução ao turismo. Rio de Janeiro: Campus.

Marujo, M. N. N. V. (2008). A internet como novo meio de comunicação para os destinos turísticos: o caso da Ilha da Madeira. Turismo em Análise, 19(1).

Matoso, J. M. G. (1996). A informática na hotelaria e turismo. 1a ed. Lisboa: Plátano Edições Técnicas.

Mendes, L. A. M. Filho; Ramos, A. S. M. (2001). Panorama e impactos decorrentes da utilização da internet na hotelaria: estudo de múltiplos casos em hotéis de Natal-RN. In XXI Encontro Nacional de Engenharia de Produção [ENEGEP]. Anais. Recuperado em 20 Agosto, 2015, de http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP2001_TR82_0797.pdf

Mendes, L. A. M. Filho; Ramos, A. S. M. (2002). Percepção do uso da internet e seus efeitos: um survey em hotéis de Natal. In V Simpósio de Administração da Produção, Logística e Operações Internacionais, Fundação Getúlio Vargas [FGV], São Paulo.

Mondo, T. S.; Costa, J. I. P. (2013). A influência da promoção de vendas na captação de clientes: um estudo na hotelaria catarinense. REMark - Revista Brasileira de Marketing, 12(2), 87-107.

Mota, K. C. N. (2001). Marketing turístico: promovendo uma atividade sazonal. São Paulo: Atlas.

Moysés, G. L. R.; Moori, R. G. (2006). A prática do overbooking como estratégia para a gestão da demanda por hospedagem. XIII SIMPEP, Bauru.

Namasivayam, K.; Enz, C. A.; Siguaw, J. A. (2000). How wired are we?The selection and use of new technology in US hotels. The Cornell Hotel and Restaurant Administration Quartely. Nova York: Cornell University.

Oliveira, R.; Felizola, M. P. M. (2012). Ações de marketing nas pequenas e médias empresas do setor hoteleiro em Aracaju. Revista Temática, 8(8). Recuperado em 24 Novembro, 2015, de http://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/tematica/article/view/23603.

Pereira, F. R.; Behr, A.; Farias, E. S.; Corso, K. B. (2013). Internet no setor hoteleiro: uma investigação sobre o uso da internet por hotéis e pousadas de Sant’ana do Livramento/RS. Revista acadêmica de São Marco, 3(2).

Petrocchi, M. (2001). Gestão de polos turísticos. São Paulo: Futura.

Phillips, P. A.; Moutinho, L. (1998). Strategic planning systems in hospitality and tourism. CAB International, Wallingford, UK.

Pozo, H. (2010). Administração de recursos materiais e patrimoniais: uma abordagem logística. 6a ed. São Paulo: Atlas.

Roesch, S. M. A. (2010). Projetos de estágio e de pesquisa em administração: guia para estágios, trabalhos e conclusão, dissertações e estudos de caso. 3a ed. São Paulo: Atlas.

Ruschmann, D. (1995). Marketing turístico: um enfoque promocional. 2a ed. Campinas: Papirus.

Sant’anna, A. L. P.; Jardim, G. S. (2007). Turismo on-line: oportunidades e desafios em um novo cenário profissional. Observatório de Inovação do Turismo, II(3). Recuperado em 6 Agosto, 2015, de http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/oit/article/view/5671/4386

Scheuer, L.; Bahl, M. (2011). Sazonalidade do turismo no município de Guaratuba, Paraná, Brasil. RA e GA - O Espaço Geográfico em Análise. Recuperado em 6 Agosto, 2015, de http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs/index.php/raega/article/view/24841

Sheldon, P. (1997). Tourism information technology. CAB International, Wallingford, UK.

Silva, W. A.; Teixeira, R. M. (2014). Adoção de tecnologia da informação pelas micro e pequenas empresas do setor hoteleiro de Sergipe. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 8(1), 59-77.

Swarbrooke, J.; Horner, S. (2002). O comportamento do consumidor no turismo. São Paulo: Aleph.

Tachizawa, T.; Pozo, H.; Vicente, A. J. (2013). O uso de tecnologias da informação em hotéis de pequeno porte: um estudo multicaso. Organizações em contexto, 9(17).

Tomazzoni, E. L.; Costa, J. S. (2015). Ações estratégicas e visões dos atores do cluster de turismo da cidade de São Paulo. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 9(1).

Vicentin, I. C.; Hoppen, N. (2002). Tecnologia da informação aplicada aos negócios de turismo no Brasil. Turismo - Visão e Ação, (11), 83-94.