Implementação de Políticas Públicas de Assistência Estudantil: Estratégias Organizacionais na Perspectiva da Efetividade Outros Idiomas

ID:
47897
Resumo:
O objetivo deste artigo é discutir, descrever e propor estratégias organizacionais de implementação de políticas públicas de assistência estudantil ancoradas na efetividade. A perspectiva da efetividade de Sandfort e Moulton (2015) proporciona a implementação de políticas orientadas pela mudança almejada e enfrentamento prático dos desafios encontrados. A metodologia desta pesquisa é de abordagem qualitativa, apoiada em estudo de casos de Instituições Federais de Ensino Superior. A coleta de dados foi obtida por meio de documentos, entrevistas semiestruturadas e observações diretas. As análises das informações foram realizadas a partir dos principais processos de implementação: estabelecer opções viáveis, identificar a lógica da mudança, coordenação das atividades, fluxos do processo e avaliação das políticas na implementação da assistência estudantil. Os resultados da pesquisa discutem e fornecem um conjunto de estratégias para cada um desses processos, mantendo-se a aderência ao contexto da assistência estudantil. Essas estratégias organizacionais, suas implicações e aplicações em outros contextos são apresentadas e discutidas.
Citação ABNT:
LIMA, W. A. S.; DAVEL, E. Implementação de Políticas Públicas de Assistência Estudantil: Estratégias Organizacionais na Perspectiva da Efetividade . Revista Organizações em Contexto, v. 14, n. 27, p. 53-91, 2018.
Citação APA:
Lima, W. A. S., & Davel, E. (2018). Implementação de Políticas Públicas de Assistência Estudantil: Estratégias Organizacionais na Perspectiva da Efetividade . Revista Organizações em Contexto, 14(27), 53-91.
DOI:
http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v14n27p53-91
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/47897/implementacao-de-politicas-publicas-de-assistencia-estudantil--estrategias-organizacionais-na-perspectiva-da-efetividade-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BARBOSA VICENTE, V. M. A análise de políticas públicas na perspectiva do modelo de coalizões de defesas. Revista de Políticas Públicas. São Luís, v. 19, n. 1, p. 77-90, jan./jun. 2015.

BARDIN, L. Análise de conteúdo, 2. reimp., 1. ed. São Paulo: Edições 70, 2011.

BATEMAN, T. S.; SNELL, S. A. Administração: novo cenário competitivo, 2. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

BERGUE, S. T. Gestão estratégica e políticas públicas: aproximações conceituais possíveis e distanciamentos necessários. Contabilidade, Gestão e Governança. Brasília, v. 16, n. 2, p. 77-93, mai./ago., 2013.

BERGUE, S.T. Cultura e mudança organizacional. Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração / UFSC; [Brasília]: CAPES: UAB, 2010.

BRASIL. Decreto nº. 7.234, de 19 de julho de 2010, que institui o Programa Nacional de Assistência Estudantil – PNAES. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília,

CELLARD, A. A análise documental. In: POUPART, Jean. A Pesquisa Qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis: Vozes, 2008, p. 295-316.

COLBARI, A. A análise de conteúdo e a pesquisa empírica qualitativa. In: SOUZA, E. M. (Org.). Metodologias e analíticas qualitativas em pesquisa organizacional: uma abordagem teórico conceitual. Vitória: EDUFES, 2014.

D7234.htm>. Acesso em: 5 abr. 2016. CARVALHO, M. L.; BARBOSA, T. G. C. G.; SOARES, J. B. Implementação de política pública: uma abordagem teórica e crítica. In: X Coloquio Internacional sobre Gestión Universitaria en América del Sur. 2010, Mar del Plata, Argentina. Anais... Mar del Plata: Universidad Nacional de Mar del Plata, dez. 2010.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. O Planejamento da pesquisa qualitativa teorias e abordagens, 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.

DIAS, A. A. Da educação aos direitos humanos como princípio educativo. In: SILVEIRA et al. (Orgs.). Educação em Direitos Humanos: fundamentos teóricos-metodológicos. João Pessoa: Universitária, 2007, p. 441-456.

ETZIONI, A. Reexame da estratégia mista de decisão. In: HEIDEMANN, Francisco G.; SALM, José Francisco (Orgs.). Políticas públicas e desenvolvimento: bases epistemológicas e modelos de análise. 3.ed. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2014, pp. 243-259.

FARAH, M. F. S. Administração pública e política pública. Revista de Administração Pública, v. 45, n. 3, p. 813-836, 2011.

FARIA, C. A. P. (Org.). Implementação de políticas públicas: teoria e prática, 1. ed. Belo Horizonte: Editora PUC MINAS, 2012.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. Tradução Joice Elias Costa, 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FLIGSTEIN, N.; McADAM, D. A theory of fields. Oxford: Oxford University Press, 2012.

FLIGSTEIN, N.; McADAM, D. Toward a General Theory of Strategic Action Fields. Sociological Theory, v. 26, n. 1, p. 1-26, 2011.

FREY, K. Políticas públicas: um debate conceitual e reflexões referentes à prática da análise de políticas públicas no Brasil. Planejamento e Políticas Públicas. Brasília, n. 21, p. 211-259, jun., 2000.

GASKELL, G. Entrevistas Individuais e Grupais. In: BAUER, M. W.; GASKELL, G. (Orgs.). Pesquisa Qualitativa com Texto, Imagem e Som: Um manual Prático, 9. ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa, 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

HILL, M. The policy process: a reader. Hertforsdhire: Harvester Wheatsheaf, 1993.

HILL, M.; HUPE, P. Implementation Public Policy: an introduction to the study operational governance, 3. ed. London: Sage Publications, 2014.

LEMAN, C. K. Direct government. In: SALAMON, L. The tools of government: a guide to the new governance. Oxford: Oxford University Press, 2002, p. 48-79.

LIMA, L. L.; D’ASCENZI, L. Implementação de Políticas Públicas: perspectivas analíticas. Revista de Sociologia e Política. Curitiba, v. 21, n. 48, p. 101-110, dez. 2013.

LIMA, W. A. S.; DAVEL, E. Implementação de Política Pública de Assistência Estudantil nas IFES: a perspectiva da efetividade e suas virtudes. In: XVI Colóquio Internacional de Géstion Universitaria – CIGU, 2016. Arequipa, Peru. Anais... Arequipa: UFSC, 2016. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2017.

OLLAIK, L. G.; MEDEIROS, J. J. Instrumentos governamentais: reflexões para uma agenda de pesquisas sobre implementação de políticas públicas no Brasil. Revista de Administração Pública. Rio de Janeiro, v. 45, n. 6, p. 1943-1967, 2011.

PEREZ, J. R. R. Por que pesquisar implementação de políticas educacionais atualmente? Educação & Sociedade. Campinas, v. 31, n. 113, p. 1.179-1.193, 2010.

PRESSMAN, J. L.; WILDAVSKY, A. Implementation: how great expectations in Washington are dashed in Oakland, 3. ed. Berkeley: University of California, 1984.

SAMPARI, R. H.; COLLADO, C. F.; LUCIO, P. B. Metodologia de Pesquisa, 3. ed. São Paulo: McGraw-Hill, 2006.

SANDFORT, J. R.; MOULTON, S. Effective Implementation in Practice: Integrating Public Policy & Management. San Francisco, CA.: Jossey-Bass, 2015.

SARAIVA, E.; FERRAREZI, E. (Orgs.). Políticas Públicas. Brasília: ENAP, 2006.

SAUNDERS, R. P. Implementation monitoring and process evaluation. Los Angeles: University of South Carolina Press, 2016.

SECCHI, L. Políticas públicas: conceitos, esquemas de análise, casos práticos, 2. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2014.

SUBIRATS, J.; KNOWEPFEL, P.; LARRUE, C.; VARONE, F. Análisis y gestión de políticas públicas, 2. ed. Barcelona: Editorial Planeta, 2012.

WU, X.; RAMESSH, M.; HOWLETT, M. FRITZEN, S. Guia de políticas públicas: gerenciando processos. Brasília: Enap, 2014.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos, 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2015.