A Reputação do Departamento de Marketing nas Instituições Comunitárias de Ensino Superior Brasileiras e sua Influência na Orientação para o Mercado Outros Idiomas

ID:
47904
Resumo:
Este artigo buscou averiguar os fatores que influenciam a reputação do Departamento de Marketing (DM) nas Instituições Comunitárias de Ensino Superior (ICES), assim como se essa reputação influencia na orientação ao mercado dessas instituições. Este assunto é relevante, uma vez que o ambiente competitivo do mercado educacional exige que os departamentos de marketing das ICES sejam atuantes e orientados para o mercado, acompanhando as mudanças e agindo diante das ameaças e oportunidades que surgem no setor. A reputação do departamento de marketing influencia no nível de atuação de uma instituição para enfrentar os constantes desafios. A pesquisa foi do tipo quantitativa-descritiva, via questionário estruturado enviado eletronicamente. Os resultados demonstraram que A Reputação do DM está no ponto médio da escala e que o grau de Conhecimento de marketing do Reitor/Mantenedor e o nível de Responsabilidade do DM são seus principais influenciadores. Por meio de uma adaptação da escala MARKOR, verificou-se que a orientação ao mercado das ICES também está no ponto médio da escala. O modelo estatístico demonstrou que a reputação do DM influencia positivamente na orientação de mercado e que também pode trazer muitos benefícios para as ICES. Por fim, constatou-se que o apoio da alta gestão é fundamental para que o DM tenha uma atuação mais colaborativa e eficaz na organização.
Citação ABNT:
SILVA, R. L.; CASAS, A. L. L. A Reputação do Departamento de Marketing nas Instituições Comunitárias de Ensino Superior Brasileiras e sua Influência na Orientação para o Mercado. Revista Organizações em Contexto, v. 14, n. 27, p. 305-343, 2018.
Citação APA:
Silva, R. L., & Casas, A. L. L. (2018). A Reputação do Departamento de Marketing nas Instituições Comunitárias de Ensino Superior Brasileiras e sua Influência na Orientação para o Mercado. Revista Organizações em Contexto, 14(27), 305-343.
DOI:
http://dx.doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v14n27p305-343
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/47904/a-reputacao-do-departamento-de-marketing-nas-instituicoes-comunitarias-de-ensino-superior-brasileiras-e-sua-influencia-na-orientacao-para-o-mercado/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ABRUC. Relatório de Gestão, 2009-2013. Brasília, 2013. Disponível em: http://www.abruc.org.br/. Acessado em: 02/12/2013.

ACHROL, Ravi S.; KOTLER, Philip. Marketing in the Network Economy. Journal of Marketing, v. 63 (Special Issue, 1999), p. 146-163.

ANDERSON, Paul F. Marketing, strategic planning, and the theory of the firm. In: Journal of Marketing, 46, (2), 1982, 15-26, Chicago, III.

ANDRADE, Carlos Frederico de. Marketing: O que é? Quem faz? Quais as tendências? Curitiba: IBPEX, 2009.

ANTONI, V. L.; DAMACENA, C.; LEZANA, A. G. R. L. Um modelo preditivo de orientação para o mercado: um estudo no contexto do ensino superior brasileiro. In: Encontro Nacional da Associação dos Programas de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, 28, 2004, Curitiba. Anais. Curitiba: ANPAD, 2004.

APPOLINÁRIO, F. Dicionário de metodologia científica: um guia para a produção do conhecimento científico. São Paulo, Atlas, 2009.

COBRA, Marcos. BRAGA, Ryon. Marketing educacional: ferramentas de gestão para instituições de ensino. São Paulo: Cobra: Hoper, 2004.

CRESWELL J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto, 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

DAY, G. Market Driven Strategy: Process for Creating Value. New York: Free Press, 1990.

DENG, Shengliang; DART, Jack. Measuring market orientation: a multi‐factor, multi-item approach. Journal of marketing management, v. 10, n. 8, p. 725-742, 1994.

DESHPANDE, Rohit; FARLEY, John U.; WEBSTER JR, Frederick E. Corporate culture, customer orientation, and innovativeness in Japanese firms: a quadrad analysis. Journal of Marketing, p. 23-37, 1993.

ENSINO Superior 2015. Guia do Estudante. São Paulo: Ed. Abril, s.d.

ESTEVÃO, Cristina; MAINARDES, Emerson; RAPOSO, Mario. Orientação para o Mercado no Segmento Hoteleiro: o caso português. Turismo em análise, p. 446-468, 2009.

FENG, Hui, MORGAN, Neil A., REGO, Lopo L. Marketing Department Power and Firm Performance. Journal of Marketing, v. 79, p. 1-20, 2015.

FRANCO, Gilmar de Souza. Orientação para o Mercado em Instituições de Ensino Superior, 2014, 181 p. Tese de Doutorado. Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.

GÖK, Osman; PEKER, Sinem; HACIOGLU, Gungor. The marketing department’s reputation in the firm. European Management Journal, v. 33, p. 366-380, 2015.

GOMES, Giancarlo; SILVEIRA, Amelia; DE SOUZA, Maria José Barbosa. Plano de marketing: um olhar mais acurado sobre a adoção em instituições de ensino superior brasileiras. Revista Gestão Universitária na América Latina-GUAL, v. 6, n. 2, p. 185-209, 2013.

GRUCA, Thomas S.; REGO, Lopo L. Customer satisfaction, cash flow, and shareholder value. Journal of Marketing, v. 69, n. 3, p. 1-130, 2005.

HOMBURG, Christian et al. The loss of the marketing department’s influence: is it really happening? And why worry? Journal of the Academy of Marketing Science, v. 43, n. 1, p. 1-13, 2015.

HOMBURG, Christian; WORKMAN JR, John P.; KROHMER, Harley. Marketing’s influence within the firm. Journal of Marketing, p. 1-17, 1999.

HUBERMAN, B.A.; LOCH, C. H.; ÖNÇULER, A. Status as valued resource. Social Psychology Quarterly, 67 (1), p. 103-114. In: GÖK, Osman; PEKER, Sinem; HACIOGLU, Gungor. The marketing department’s reputation in the firm. European Management Journal, v. 33, p. 366-380, 2015.

KAHN, K. B. Department status: An exploratory investigation of direct and indirect effects on product development performance. Journal of Product Innovation Management, 22 (6), p. 515-526.

KAUR, Gurjeet; GUPTA, Mahesh C. A perusal of extant literature on market orientation–concern for its implementation. The Marketing Review, v. 10, n. 1, p. 87-105, 2010.

KOHLI, Ajay K.; JAWORSKI, Bernard J. Market orientation: the construct, research propositions, and managerial implications. Journal of Marketing, p. 1-18, 1990.

KOHLI, Ajay K.; JAWORSKI, Bernard J.; KUMAR, Ajith. MARKOR: a measure of market orientation. Journal of Marketing research, p. 467-477, 1993.

KOTLER, Philip e KELLER, Kevin L. Administração de Marketing. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2006.

KOTLER, Philip. FOX, K. F. A. Strategic Marketing for Educational Institutional. New York: Prentice-Hall, 1995.

KOTLER, Philip; ARMSTRONG, Gary. Princípios de Marketing. São Paulo: Pearson Education – Br, 2014.

KOTLER, Philip; REIBSTEIN, David. Does your company really need a marketing department? Marketing News, p. 20-21, 2013.

KUMAR, V.; SHAH, D. Expanding the role of marketing: from customer equity to market capitalization. Journal of Marketing, 73, 119-136, 2009.

LANGE, Donald; LEE, Peggy M.; DAI, Ye. Organizational reputation: A review. Journal of Management, v. 37, n. 1, p. 153-184, 2011.

MENNA, H. L. Orientação para o mercado e performance: evidências em empresas gaúchas de varejo de confecções masculinas. In: Encontro Nacional da Associação dos Programas de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, 25., 2001, Campinas. Anais. Campinas: ANPAD, 2001.

MEYER JR., Vitor; MURPHY, J. Patrick. Dinossauros, gazelas e tigres: novas abordagens da administração universitária. Florianópolis: Insular, 2003.

NARVER, John C.; SLATER, Stanley F. The effect of a market orientation on business profitability. The Journal of marketing, p. 20-35, 1990.

NATH, Pravin; MAHAJAN, Vijay. Chief Marketing Officers: A Study of Their Presence in Firm’s Top Management Teams. Journal of Marketing, v. 72, p. 65-81, 2008.

NUNES, G. T. et al. Emergência do Marketing nas Instituições de Ensino Superior: Um estudo exploratório. In: Análise, v. 19, n. 1, p. 173-198. Porto Alegre, jan/jun. 2008.

O’SULLIVAN, Don; ABELA, Andrew V. Marketing performance measurement ability and firm performance. Journal of Marketing, v. 71, n. 2, p. 79-93, 2007.

PERIN, M. G.; SAMPAIO, C. H. Orientação empresarial, porte empresarial e performance. Revista de Administração de Empresas, v. 44, n. 3, p. 76-88, 2004.

PFEIFER, J.; SALANCIK, G. The External Control of Companies: A Resource Dependence Perspective. 1978.

PUPO, Fabricio Palermo; BOTELHO, Delane. Conhecimento e uso de métricas de marketing. Revista pensamento contemporâneo em administração, v. 5, n. 1, p. 38-55, 2011.

SAMPAIO, C. H. Relação entre Orientação para o Mercado e Performance Empresarial em Empresas de Varejo de Vestuário no Brasil. 2000. p. 234.Tese de Doutorado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

SAMPAIO, C. H.; PERIN, M. G., HENRIQSON, E. Orientação para o mercado, orientação para aprendizagem e porte empresarial como antecedentes das dimensões da performance. In: Encontro Nacional da Associação dos Programas de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, 28, 2004, Curitiba. Anais. Curitiba: ANPAD, 2004.

SHAPIRO, Benson P. What the hell is market oriented?. HBR Reprints, 1988.

SILVA, F. A. C.; DAMACENA, C.; MELO, L. M. R. Orientação para o mercado e performance organizacional: um estudo na indústria vinícola do Rio Grande do Sul. In: Congresso Coppead de Administração, 9. 2002, Rio de Janeiro. Anais. Coppead/UFRJ, 2002.

SINGH, Nirmal. Strategic Marketing for Higher Education. In: Tecnia Journal of Management Studies, v. 4, n. 2, October 2009-March 2010.

TAVASSOLI, N. T.; SORESCU, A.; Chandy, R. Employee-based brand equity: Why firms with strong brands pay their executives less. Journal of Marketing Research, 2014.

THOMPSON, J. D. 1967 Organizations in action. New York: McGraw-Hill. 1967.

TSUI, Anne S. A multiple-constituency model of effectiveness: An empirical examination at the human resource subunit level. Administrative science quarterly, p. 458-483, 1990.

TURPIN, Dominique. The CMO Is Dead. Forbes – On Marketing. Disponível em: http:// www.forbes.com/sites/onmarketing/2012/10/03/the-cmo-is-dead/print/. Publicado em: out. 2012. Acessado em: 13/03/2016.

VARADARAJAN, P. Rajan. Marketing’s contribution to strategy: the view from a different looking glass. Journal of the Academy of Marketing Science, v. 20, n. 4, p. 335-343, 1992.

VERHOEF, Peter C.; LEEFLANG, Peter S.H.; Understanding the marketing department’s influence within the firm. Journal of Marketing, v. 73, p. 14-37, 2009.

WALSH, Gianfranco; BEATTY, Sharon E.; SHIU, Edward MK. The customer-based corporate reputation scale: Replication and short form. Journal of Business Research, v. 62, n. 10, p. 924-930, 2009.

WASHINGTON, Marvin; ZAJAC, Edward J. Status evolution and competition: Theory and evidence. Academy of Management Journal, v. 48, n. 2, p. 282-296, 2005.

WEBSTER, Frederick E., MALTER, Alan J.; GANESAN, Shankar. Can Marketing Regain Its Seat at the Table? Marketing Science Institute Reports. Boston, n. 3, mar. 2003.

WEBSTER, Frederick E.; MALTER, Alan J.; GANESAN, Shankar. The decline and dispersion of marketing competence. MIT Sloan Management Review, v. 46, n. 4, p. 35, 2005.

WHETTEN, David A.; MACKEY, Alison. A social actor conception of organizational identity and its implications for the study of organizational reputation. Business & Society, v. 41, n. 4, p. 393-414, 2002.

WIND, Yoram; ROBERTSON, Thomas S. Marketing strategy: new directions for theory and research. Journal of Marketing, p. 12-25, 1983.

YANAZE, Mitsuru Higuchi. Gestão de comunicação e marketing: avanços e aplicações, São Paulo: Saraiva, 2011.

YU, Kang Yang Trevor; CABLE, Daniel M. Exploring the identity and reputation of departmental groups: whose opinions matter most to their members? Human Resource Management Journal, v. 21, n. 2, p. 105-121, 2011.