A Armadilha da Baixa Complexidade em Minas Gerais: O Desafio da Sofisticação Econômica em um Estado Exportador de Commodities Outros Idiomas

ID:
48271
Resumo:
Minas Gerais convive, há décadas, com o desafio da sofisticação econômica. Na tentativa de construir caminhos para a transformação de sua economia, o governo de Minas Gerais lançou a plataforma Dataviva, possibilitando a aplicação da abordagem da complexidade econômica no âmbito de políticas públicas de desenvolvimento. O artigo visa contribuir para essa reflexão, por meio da análise da complexidade econômica dos estados brasileiros no período entre 2002 e 2014, com foco em Minas Gerais. A pesquisa revela que a economia mineira está presa em uma “armadilha de baixa complexidade”, o que demanda uma intensa colaboração entre os setores público e privado para a descoberta e investimento em atividades que contribuam para a sofisticação econômica.
Citação ABNT:
SALLES, F. C.; ROCHA, E. P.; PORTO, I. V. B.; VASCONCELOS, F. L. V. A Armadilha da Baixa Complexidade em Minas Gerais: O Desafio da Sofisticação Econômica em um Estado Exportador de Commodities. Revista Brasileira de Inovação, v. 17, n. 1, p. 33-62, 2018.
Citação APA:
Salles, F. C., Rocha, E. P., Porto, I. V. B., & Vasconcelos, F. L. V. (2018). A Armadilha da Baixa Complexidade em Minas Gerais: O Desafio da Sofisticação Econômica em um Estado Exportador de Commodities. Revista Brasileira de Inovação, 17(1), 33-62.
DOI:
10.20396/rbi.v17i1.8650857
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/48271/a-armadilha-da-baixa-complexidade-em-minas-gerais--o-desafio-da-sofisticacao-economica-em-um-estado-exportador-de-commodities/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BDMG - Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais. Diagnóstico da economia mineira: diagnóstico. Belo Horizonte: BDMG, 1968.

BDMG - Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais. Economia mineira 1989: diagnóstico e perspectivas. Belo Horizonte: BDMG. 1989.

BDMG - Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais. Minas Gerais do século XXI. Belo Horizonte: Rona Editora. 2002.

BRESSER-PEREIRA, L. C. Reflecting on new developmentalism and classical developmentalism. Revista de Economia Política, v. 36, n. 2, p. 237-265, 2016.

BRESSER-PEREIRA, L. C.; GALA, P. Macroeconomia estruturalista do desenvolvimento. Revista de Economia Política, v. 30, n. 4, p. 663-686, 2010.

CAMARGO, J.; GALA, P. The resource curse reloaded: revisiting the Dutch disease with economic complexity analysis. São Paulo: Fundação Getúlio Vargas, 2017 (Working Paper, n. 448).

CAMPOLINA, B.; CAVALCANTE, A. Economia minerária e seu impacto urbano: desafios e contradições na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Redes - Santa Cruz do Sul: Universidade de Santa Cruz do Sul, v. 22, n. 1, 2017.

CORDEN, W. M. Booming sector and Dutch disease economics: survey and consolidation. Oxford Economic Papers, v. 36, n. 3, p. 359-380, 1984.

FJP - Fundação João Pinheiro. Perfil de Minas Gerais 2013. Belo Horizonte, 2013. .

FJP - Fundação João Pinheiro. Produto Interno Bruto de Minas Gerais. Relatório Anual de 2014. .

FREITAS, E. E.; PAIVA, E. A. Diversificação e sofisticação das exportações: uma aplicação do product space aos dados do Brasil. Revista Econômica do Nordeste, v. 46, n. 3, p. 79-98, 2016.

FURTADO, C. Desenvolvimento e subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1961.

HARTMANN, D. et al. Linking economic complexity, institutions, and income inequality. World Development, v. 93, p. 75-93, 2017.

HAUSMANN, R.; ESPINOZA, L.; SANTOS, M. A. Diagnostico de crecimiento de Chiapas: la trampa de la baja productividad. Cambridge, MA: Center for International Development, Harvard University, 2015. (CID Working Paper, n. 304).

HAUSMANN, R.; HIDALGO, C. A. The network structure of economic output. Journal of Economic Growth, v. 16, n. 4, p. 309-342, 2011.

HAUSMANN, R.; HWANG, J.; RODRIK, D. What you export matters. Journal of Economic Growth, v. 12, p. 1-25, 2007.

HAUSMANN, R.; KLINGER, B. The structure of the product space and the evolution of comparative advantage. Cambridge, MA: Center for International Development, Harvard University, 2007. (CID Working Paper, n. 146).

HAUSMANN, Ricardo et al. The atlas of economic complexity: mapping paths to prosperity. Cambridge, MA: MIT Press, 2014.

HIDALGO, C. A. et al. The product space conditions the development of nations. Science, v. 317, n. 5837, p. 482-487, 2007.

HIDALGO, C. A.; HAUSMANN, R. The building blocks of economic complexity. Proceedings of the National Academy of Sciences, v. 106, n. 26, p. 10570-10575, 2009.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia E Estatística. Contas Regionais do Brasil: 2010-2014. Rio de Janeiro: IBGE. 2016. (Contas Nacionais, n. 53). .

JANKOWSKA, A.; NAGENGAST, A.; PEREA, J. R. The middle-income trap: comparing Asian and Latin American experiences. OECD Development Centre Policy Insights, n. 96, 2012.

KALDOR, N. Causes of the slow rate of economic growth of the United Kingdom. Cambridge: Cambridge University Press, 1966.

LALL, S. Technological capabilities and industrialization. World Development, v. 20, n. 2, p. 165-186, 1992.

MEDEIROS, C. Natural resources nationalism and development strategies. Circus, jun. 2012. .

MISSIO, F.; JAYME, F. OREIRO, J. L. The structuralist tradition in economics: methodological and macroeconomics aspects. Brazilian Journal of Political Economy, v. 35, n. 2, p. 247-266, 2015.

NU.CEPAL Naciones Unidas. Comisión Económica para América Latina y el Caribe. Recursos naturales: situación y tendencias para una agenda de desarrollo regional en América Latina y el Caribe. Cepal. 2013.

PALMA, G. Four sources of “de-industrialisation” and a new concept of the “Dutch disease”. In: OCAMPO, J. A. (ed.). Beyond reforms: structural dynamics and macroeconomic vulnerability. New York: Stanford University Press and World Bank, 2005.

PREBISCH, R. O desenvolvimento econômico da América Latina e seus principais problemas. Revista Brasileira de Economia, v. 3, n. 3, p. 47-111, 1949.

RODRIK, D. Structural change, Fundamentals, and Growth: an overview. 2013b (Working paper). .

RODRIK, D. The past, present, and future of economic growth. Global Citizen Foundation, June 2013. (Working Paper, n. 1). .

SACHS, J. D.; WARNER, A. M. Natural resource abundance and economic growth. National Bureau of Economic Research, 1995 (NBER Working Paper Series, n. 5398).