Viabilização de uma Empresa de Plásticos entre uma Empresa Chinesa e Paraguaia a Partir das Vantagens do “Maquila” Satisfazendo um Cliente Brasileiro Outros Idiomas

ID:
48470
Autores:
Resumo:
Grandes marcas para se manterem competitivas em seus mercados buscam reduções de custos nos processos de produção para adequação de custos de seus produtos. Uma das maneiras para atingir isso, é seguir com seu processo produtivo para países emergentes e com políticas de crescimento focadas em atrair entrada de capital estrangeiro. Por anos, essa ideia se concentrou na China e Ásia, essa ideia continuará a reinar neste âmbito por muito tempo. Porém, os chineses já buscam mercados para expandir suas operações visando à internacionalização de suas marcas e maior domínio geral de mercado. Uma marca brasileira de peças de reposição para motocicletas, que atualmente produz 100% de seus itens em fornecedores na China, vem sofrendo com aumentos constantes de custos que os chineses não conseguem mais evitar devido aos custos que vem subindo principalmente relacionados à mão de obra e aos custos de fretes que devido a distancia do Brasil para a China, são altamente considerados. Assim surge a ideia de mover sua produção para o Paraguai com ajuda do próprio fornecedor chinês, uma vez que o mesmo detém máquinas, ferramentas e conhecimento e deste modo, garantindo sua continuidade no mercado brasileiro que atualmente é significativo para o fornecedor em questão. Para isso, considera-se a linha de piscas, faróis e lanternas como piloto, uma vez que está linha de produtos é manufaturada a partir de máquinas e moldes. O Paraguai surge como opção uma vez que possui uma estratégia para atrair empresas de todo o mundo para produzirem em seu território, este plano se chama “Maquila” e é similar ao plano que foi usado pelo México nos anos 90, é carente de infraestrutura e conhecimento técnico relacionado à indústria manufatureira. Sem contar a distancia entre o Brasil e o Paraguai. Contudo, o artigo demonstrará a possibilidade de cooperação de empresas Chinesas formarem parcerias com empresas Paraguaias, garantindo ao cliente brasileiro preços competitivos por meio da estratégia “Maquila”, que vem sendo considerado pelo governo paraguaio, como a maior aposta para com o desenvolvimento do país.
Palavras-chave:
Citação ABNT:
SCHLEI, E.Viabilização de uma Empresa de Plásticos entre uma Empresa Chinesa e Paraguaia a Partir das Vantagens do “Maquila” Satisfazendo um Cliente Brasileiro . Caderno Profissional de Administração da UNIMEP, v. 7, n. 2, p. 1-16, 2017.
Citação APA:
Schlei, E.(2017). Viabilização de uma Empresa de Plásticos entre uma Empresa Chinesa e Paraguaia a Partir das Vantagens do “Maquila” Satisfazendo um Cliente Brasileiro . Caderno Profissional de Administração da UNIMEP, 7(2), 1-16.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/48470/viabilizacao-de-uma-empresa-de-plasticos-entre-uma-empresa-chinesa-e-paraguaia-a-partir-das-vantagens-do----maquila----satisfazendo-um-cliente-brasileiro-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES. Transporte rodoviário internacional de cargas. . Acesso em: 16 jan.2017.

ASSUNPÇÃO, Rossandra Mara. Exportação e Importação – Conceitos e Procedimentos Básicos. 1. ed. São Paulo: Ibpex, 2007

BANCO MUNDIAL. Paraguay: panorama general. . Acesso em: 16 jan.2017.

BRASIL COMEX. Portal brasileiro de comércio exterior. . Acesso em: 16 jan.2017.

CEMAP. Câmara de Empresas Maquiladoras. . Acesso em: 16 jan.2017.

EL PAÍS. Empresas brasileiras migram para o Paraguai atraídas por baixos custos. . Acesso em: 22 jan.2017.

FIEP.Federação das Indústrias do Estado do Paraná. . Acesso em: 16 jan.2017.

KEEDI, Samir. ABC do Comércio Exterior. 4. ed. São Paulo: Aduaneiras, 2012.

LOPES, José M. C.; GAMA, Marilza. Comércio exterior competitivo. 4. ed. São Paulo: Aduaneiras, 2013.

PIERRE, A. David. International Logistics: The Management of International Trade Operations. 4. ed. Ohio: Baldwin Wallace University 2015.

RODRÍGUEZ, Rodolfo. Mercosul: um processo de integração. . Acesso em: 16 jan.2017.