O Consumo de Homens Homossexuais no Brasil e as Marcas de Grife Other Languages

ID:
48472
Abstract:
In the last decades, the insertion of homosexuals in society, through a conquest of rights and the labor market, generating an increase in their purchasing power, has caused this historically marginalized public to enter the consumer society and awaken economic interests. This descriptive work analyzed, through an online questionnaire, 203 Brazilian homosexual men from different socioeconomic profiles and through a theoretical basis, if the collective identity of this group generated preference for certain clothing brands. He also proposed to find out if Brazilian homosexual men see fashion labels as part of the process of forming their identity as well as reaffirming their lifestyle. Therefore, the present study is one more way to better understand this consumer. The results point to a collective identity, which believes that the brand can influence the construction of an identity and is a means to reaffirm their lifestyle. Thus, they consume fashion and are willing to pay more for a particular brand that matches their expectations and meets their desire to buy.
ABNT Citation:
SANTOS, S. P. D.; COSTA, B. R. L.; ARAUJOA, R. M. O Consumo de Homens Homossexuais no Brasil e as Marcas de Grife . Caderno Profissional de Administração da UNIMEP, v. 7, n. 2, p. 41-61, 2017.
APA Citation:
Santos, S. P. D., Costa, B. R. L., & Araujoa, R. M. (2017). O Consumo de Homens Homossexuais no Brasil e as Marcas de Grife . Caderno Profissional de Administração da UNIMEP, 7(2), 41-61.
Permalink:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/48472/o-consumo-de-homens-homossexuais-no-brasil-e-as-marcas-de-grife-/i/en
Document type:
Artigo
Language:
Português
References:
BACCEGA, Maria Aparecida. Inter-relações comunicação e consumo na trama cultural: o papel do sujeito ativo. Animus: revista interamericana de comunicação midiática. Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Sociais e Humanas. Vol. VIII, n, 15 (jan-jun 2009). Santa Maria, NedMídia.

DE MELLO, Sérgio C Benício; FONSÊCA, Francisco Ricardo Bezerra. COMPREENDENDO O RELACIONAMENTO MARCA-CONSUMIDOR. Revista de Administração FACES Journal, v. 6, n. 1, 2007.

FRANÇA, Isadora Lins. Cada macaco no seu galho?: poder, identidade e segmentação de mercado no movimento homossexual. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 21, n. 60, p. 104-115, 2006. http://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v21n60/29763.pdf.

KOTLER, Philip. Administração de Marketing. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2000.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. A. Técnicas de Pesquisa. São Paulo: Atlas, 2006.

MASLOW, Abraham H. Motivation and personality. New York, Harper & Brothers, 1954.

SOUSA, Isa. Mercado é cego para potencial de consumo do público LGBT. Revista Exame, 18 ago. 2012. http://exame.abril.com.br/marketing/mercado-e-cego-para-potencial-deconsumo-do-publico-lgbt/.

AAKER, David. Marcas: “brand equity” gerenciando o valor da marca. São Paulo: Negócio Editora, 1998.

ABIT. Pesquisa de usos, hábitos e costumes do consumidor de vestuário. Publicado em: 2011.

ANDRADE, Diogo de Calasans Melo. A inserção social dos homossexuais nos padrões de consumo. 2008. www.diogocalasans.com/artigos/insercao.doc

BAUDRILLARD, Jean. O Sistema dos Objetos. São Paulo: Perspectiva, 1997.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: J. Zahar Ed. 2001.

BORGES, F. M.; LIMA, E. O Consumidor Saindo do Armário: o público gay e a mídia. L2 Pesquisas e Comunicação, 1999.

CHASIN, A. Selling Out: the gay & lesbian movement goes to market. New York: St. Martins Press, 2000.

CHURCHILL JR, Gilbert A; PETER, J. Paul. Marketing: criando valor para os clientes. São Paulo: Saraiva, 2000.

COBRA, Marcos; BREZZO, Roberto. O novo marketing. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

COMSCORE. Brazil Digital Future In Focus 2013: Principais Insights de 2012 e o que Eles Significam para o Novo Ano. [Apresentação em ppt]. Março, 2013.

COSTA, Barbara Regina Lopes. Manifestaciones consumeristas realizadas em lãs redes sociales: Evidencias de que lãs empresas desconocen lãs demandas de los consumidores del siglo 21. 2016. 299 f. Tese (Doutorado) – Universidad de la empresa facultad de ciências empresariales montevideo – Uruguay, Montevideo, 2016.

COSTA, Barbara Regina Lopes; MIRANDA JUNIOR, João Lucas. A visão do público heterossexual a respeito de marcas preferidas e/ou assumidas gays: Calvin Klein, Diesel, Sergio K. Bagoas-Estudos gays: gêneros e sexualidades, v. 10, n. 15, 2017.

COSTA, Barbara; JENSEN, Anelise. Marketing aplicado à gestão. São Paulo: Aymará, 2010.

DE ANDRADE, Hanrrikson. Segundo IBGE, 47,4% dos casais homossexuais se dizem católicos, 20,4% não têm religião. 2012. .

GARCIA LIMA, Paula. Moda, necessidade e consumo. Diseño en Palermo. V Encuentro Latinoamericano de Diseño 2010. Comunicaciones Académicas. Año V, Vol. 9, Julio 2010. Buenos Aires: Argentina. 264 p.

GAUGE (Brasil). Faces do Facebook. São Paulo, 2013. 207 slides, color, 26.67 x 15.00. Publicado em 16/02/2013. . Acesso em: 16 abr. 2013.

GIDDENS, Anthony. Modernidade e Identidade. Rio de Janeiro: Zahar Ed. 2002.

GOBÉ, M. A emoção das marcas: conectando marcas às pessoas. Rio de Janeiro: Campus, 2002.

IBGE. Síntese de indicadores sociais - uma análise das condições de vida da população brasileira. Rio de Janeiro, 2013.

KAPFERER, Jean-Noël. As marcas, capital da empresa: criar e desenvolver marcas fortes. Porto Alegre: Bookman, 2003.

KARSAKLIAN, Eliane. Comportamento do Consumidor. São Paulo: Editora Atlas, 2000.

MARTINS, L. B. A cidade Sai do Armário. Jornal do Brasil, Revista Programa, 8 de jun. p. 26-30. Rio de Janeiro, v. 17, n. 11, 2001.

MOCELLIM, Alan. A questão da identidade em Giddens e Bauman. Revista Eletrônica dos Pós-Graduandos em Sociologia Política da UFSC, v. 5, n. 1, 2008.

MUNIZ, Karlan Müller; MARCHETTI, Renato. Dimensões da personalidade da marca: análise da adequação da escala de Aaker (1997) ao contexto brasileiro. ANPAD 2005. .

NETO, Dario. Geração Y - Perfil, Motivadores e Relacionamento. 2012. Acesso em: 15 Nov. 2012.

NUSSBAUMER, Gisele Marchiori. Cultura e identidade gay: a diferença do múltiplo. In: Anais do XXIV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Campo Grande/MS, setembro. 2001.

PADULA, Willian Vasconcelos; COSTA, Barbara Regina Lopes. Perfil e comportamento do usuário/cliente diante de uma campanha viral. Iniciacom, v. 5, n. 1, 2013. http://portcom.intercom.org.br/revistas/index.php/iniciacom/article/view/1638. Acesso em: 25 mai. 2017.

PNAD – Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio.Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. IBGE _ Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Rio de Janeiro, v. 33, p. 1-133, 2013.

QUALMAN, Erik. Socialnomics: como as mídias sociais estão transformando a forma como vivemos e fazendo negócios. São Paulo: Saraiva, 2011.

SCRIVANO Roberta; SOBRIMA NETO, João. Potencial de compras LGBT é estimado em R$ 419 bilhões no Brasil. O Globo, 05/04/2015.

SIMÕES, Júlio Assis; FACCHINI, Regina. Na trilha do arco-íris: Do movimento homossexual ao LGBT. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2008.

STRUNK, G. Como criar identidade visual para marcas de sucesso: Um guia sobre marketing das marcas e como representar graficamente seus valores. Rio de Janeiro: Rio Books, 2001.

TAVARES, Mauro Calixta. Gestão de marcas: construindo marcas de valor. São Paulo: Harbra, 2008.

VIGITEL. Brasil 2013: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2014.

VIVAN, Luiz Alberto. O consumo simbólico da marca: seu jogo de subjetividades, sensibilidades e emoções. Curitiba, 2006. . Acesso em: 24 mai. 2017.