Expatriação e Gestão de Pessoas Internacional em uma Multinacional Outros Idiomas

ID:
48474
Autores:
Resumo:
A expatriação é um processo corrente na condução dos negócios internacionais, auxiliando na interface e no alinhamento de políticas e práticas da Gestão de Pessoas (GP). Há, assim, a necessidade de gerir as pessoas globalmente, como se o mundo constituísse um grande mercado e, simultaneamente, gerir localmente, como se o mundo fosse formado por diversos mercados separados, mas levemente ligados. Tal perspectiva contempla diversos desafios para a GP frente às diversas configurações da área (estratégica, doméstica, internacional e global). Para tanto, foi realizado um estudo de caso em uma empresa brasileira e na sua subsidiária portuguesa a fim de analisar as configurações da GP a fim de atender as estratégias da organização e gerir o processo de expatriação no que concerne aos negócios internacionais. O estudo é de caráter qualitativo e contemplou 23 entrevistas, as quais foram realizadas por meio de um roteiro semiestruturado e analisadas pela técnica de análise de conteúdo com o auxílio do software Max-Qda (2007) na organização das categorias de análise. Os dados sinalizam que a empresa ainda precisa se desenvolver em termos de GP e internacionalização; ela é internacional, mas não é internacionalizada. A empresa estudada está amadurecendo internacionalmente, mas está focada nas decisões tomadas na matriz, apresentando uma GP etnocêntrica, a qual envia as diretrizes para as subsidiárias no exterior, pois a GP da subsidiária portuguesa desenvolve atividades burocráticas e operacionais e depende das decisões tomadas na matriz. Em função disso e da perspectiva multinacional da empresa, não foi identificado uma GP global faltando, assim, desenvolver um papel mais colaborativo para a empresa de maneira global. Isso implica em políticas e práticas de gestão centralizadoras e etnocêntricas, ou seja, não leva em consideração a aprendizagem internacional da empresa. Isso acarreta em uma expatriação como uma prática pontual e não como um processo. A expatriação tem foco na missão em si, ou seja, não se preocupa com as contribuições organizacionais que a expatriação envolve, principalmente, no momento de definir o objetivo da expatriação e da repatriação. Esse processo é entendido como a transferência de um empregado entre unidades, com contribuições pontuais. Sem objetivos e estratégias, a empresa se torna dependente do processo de expatriação para a sua expansão internacional, visto a sua perspectiva etnocêntrica e centralizadora. Fica evidente que a GP internacional tem um papel operacional e que a empresa não está preparada para atender as demandas globais de GP, como a gestão de equipes multiculturais que o amadurecimento internacional propicia nas organizações.
Citação ABNT:
GALLON, S.Expatriação e Gestão de Pessoas Internacional em uma Multinacional . Caderno Profissional de Administração da UNIMEP, v. 7, n. 2, p. 82-100, 2017.
Citação APA:
Gallon, S.(2017). Expatriação e Gestão de Pessoas Internacional em uma Multinacional . Caderno Profissional de Administração da UNIMEP, 7(2), 82-100.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/48474/expatriacao-e-gestao-de-pessoas-internacional-em-uma-multinacional-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
SCHULER, R. S.; BUDHWAR, P. S.; FLORKOWSKI, G. W. International human resource management: review and critique. International Journal of Management Reviews, v. 4, n. 1, p. 4170, 2002.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa, Portugal: Edições 70, 2009.

BARTLETT, C. A.; GHOSHAL, S. Going global: lessons from late movers. Harvard Business Review, v. 78, n. 2, p. 133-142, 2000.

BARTLETT, C. A.; GHOSHAL, S. Managing Across Borders: The Transnational Solution. London: Random House, 1998.

BOXALL, P.; PURCELL, J.; WRIGHT, P. M. human resource management: Scope, analysis and significance. In: BOXALL, P.; PURCELL, J.; WRIGHT, P. M. (Eds). The Handbook Of Human Resource Management. Oxford: Oxford University Press, 2007.

CYRINO, A. B.; BARCELLOS, E. P. Estratégias de Internacionalização: evidências e reflexões sobre as empresas brasileiras. In: TANURE, B.; DUARTE, R. G. (Orgs). Gestão Internacional. São Paulo: Saraiva, 2006.

DE RÉ, C. A.; DE RÉ, M. A. Processos do Sistema de Gestão de Pessoas. In: BITENCOURT. C. (org.) Gestão Contemporânea de Pessoas. Porto Alegre: Bookman, 2011.

DERESKY, H. Administração global: estratégica e interpessoal. Porto Alegre: Ed. Bookman, 2004.

EMPRESA ELÉTRICA, 2014. Acesso em 03 jun. 2014.

GALLON, S. Repatriação e carreira: possibilidades e desafios, 2011. Dissertação (mestrado em Administração), Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

LIMA, M. B.; BRAGA, B. M. Práticas de Recursos Humanos do Processo de Repatriação de Executivos Brasileiros. Revista de Administração Contemporânea, v. 14, n. 6, p. 1031-1053, 2010.

NOGUEIRA, A. J. F. M.; BARRETO, S.; DELGADO, M. P. Gestão de recursos humanos no processo de internacionalização. In: Seminários Em Administração, 12, 2009. São Paulo. Anais… .

QUINTANILLA, J. Dirección de recursos humanos em empresas multinacionales: las subsidiarias al descubierto. Madrid: Prentice Hall, 2002.

RICHEY, B.; WALLY, S. Strategic Human Resource Strategies For Transnationals in Europe. Human Resource Management, v. 8, n. 1, p. 79-97, 1998.

SCHULER, R. S. The internationalization of human resource management. Journal of International Management, v. 6, p. 239-260, 2000.

SCHULER, R. S.; DOWLING, P. J.; DE CIERI, H. An integrative framework of strategic international human resource management. Journal of Management. v. 19, n. 2, p. 419-459, 1993.

SMALE, A. Global HRM integration: a knowledge transfer perspective. Personnel Review, v. 37 n. 2, p. 145-164, 2008.

TANURE, B.; EVANS, P.; PUCIK, V. A Gestão de Pessoas no Brasil. Virtudes e Pecados Capitais. Estudos de Caso. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

TAYLOR, S.; BEECHLER, S.; NAPIER, N. Toward an Integrative Model of Strategic International Human Resource Management. Academy of Management Review, v. 21, p. 959-985, 1996.

ULRICH, D. Introdução. In: ULRICH, D. (org). Recursos Humanos Estratégicos. Novas perspectivas para os profissionais de RH. São Paulo: Editora Futura, 2000.

VANCE, C. M.; PAIK, Y. Managing a Global Workforce: Challenges and Opportunities in International Human Resource Management. New York: M. E. Sharpe, 2006.

VIANNA, N. P. Uma análise sobre os processos de expatriação e repatriação em organizações brasileiras, 2008. 127f. Dissertação (mestrado em Administração), Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2008.

YIN, R. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2010.