Análise do Perfil Inovador das Empresas do Vale do Rio dos Sinos Outros Idiomas

ID:
48486
Resumo:
A acirrada competição entre os agentes econômicos pode oferecer condições favoráveis à diferenciação, com destaque para a inovação, que pode oportunizar lucratividade acima da média de mercado, no entanto continua a polêmica sobre como introduzir as práticas de inovação. Com o propósito de evidenciar as formas de inovação adotadas pelas organizações industriais localizadas no Vale do Rio dos Sinos, foi conduzida esta pesquisa qualitativa e quantitativa, cujos resultados evidenciam a priorização de estratégias com foco na inovação, gestão do conhecimento, bem como a busca de recursos não reembolsáveis junto ao governo, para reduzir o risco e custo do investimento para a inovação.
Citação ABNT:
SCHREIBER, D.; ASSUNÇÃO, D. M.; SCHMIDT, S. Análise do Perfil Inovador das Empresas do Vale do Rio dos Sinos . Desenvolvimento em Questão, v. 16, n. 42, p. 209-237, 2018.
Citação APA:
Schreiber, D., Assunção, D. M., & Schmidt, S. (2018). Análise do Perfil Inovador das Empresas do Vale do Rio dos Sinos . Desenvolvimento em Questão, 16(42), 209-237.
DOI:
http://dx.doi.org/10.21527/2237-6453.2018.42.209-237
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/48486/analise-do-perfil-inovador-das-empresas-do-vale-do-rio-dos-sinos-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALCHIAN, A. A.; DEMSETZ, H. Produção, custos de informação e organização econômica. Revista de Administração de Empresas - RAE, v. 45, n. 3, p. 70-92, 108, 2005.

BARNEY, J. Firm resources and sustained competitive advantage. Journal of Management, v. 17, n. 1, p. 99-120, 1991.

BOURDIEU, P.; CHAMBOREDON, J.; PASSERON, J. Ofício de sociólogo: metodologia da pesquisa na sociologia. Petrópolis: Ed. Vozes, 2004.

CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A. Metodologia científica. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1978.

CHAHARBAGHI, K.; NEWMAN, V. Innovating: towards an integrated learning model. Management Decision, London, v. 34, n. 4, p. 5-13, 1996.

CHANDLER, A. D. Organizational Capabilities and the Economic History of the Industrial Enterprise. The Journal of Economic Perspectives (1986-1998), v. 6, n. 3, p. 79-100, 1992.

CHESBROUGH, H. W. Open services innovation: rethinking your business to grow and compete in a new era. 1 ed. San Francisco, CA: Jossey Bass. 2011.

CHRISTENSEN, C. M.; RAYNOR, M. E. O crescimento pela inovação - como crescer de forma sustentada e reinventar o sucesso. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

CHRISTENSEN, J. F. Corporate strategy and the management of innovation and technology. Industrial and Corporate Change, v. 11, n. 2, p. 263-288, 2002.

DAGNINO, R. A relação universidade-empresa no Brasil e o “Argumento da Hélice Tripla”. Revista Brasileira de Inovação, v. 2, n. 2, p. 267-307, 2003.

DOSI, G. Technical change and industrial transformation. London: Macmillan, 1988.

DOSI, G. Technological paradigms and technological trajectories. Research Policy, v. 11, n. 3, p. 147-162, 1982.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre, RS: Bookman, 2009.

FOSS, N. J.; FOSS, K. The Next Step in the Evolution of the RBV: Integration with Transaction Cost Economics. Management Review, v. 15, n. 1, p. 107, 2004.

FREEMAN, C.; PEREZ, C. Structural crises of adjustment: business cycles and investment behaviour. In: DOSI et al. (Ed.). Technical Change and Economic Theory. Londres: Pinter Publishers. 1988.

FREEMAN, C. The economics of industrial innovation. Cambridge: The MIT Press. 1989.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GRANT, R. M. The Resource-Based Theory of Competitive Advantage: Implications for Strategy Formulation. California Management Review, v. 33, n. 3, p. 114-133, 1991.

HAIR, JR., J. F. et al. Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman, 2005.

HUBERMAN, L. História da riqueza do homem. Rio de Janeiro: Zahar Editores. 1977. p. 30.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Pesquisa de Inovação - Pintec. 2008. . Acesso em: 14 set.2012.

KIM, W. C.; MAUBORGNE, R. A estratégia do Oceano Azul - como criar novos mercados e tornar a concorrência irrelevante. 5. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

LANGLOIS, R. N. The vanishing hand: the changing dynamics of industrial capitalism. Industrial and Corporate Change, v. 12, n. 2, p. 351-885, 2003.

LOASBY, B. J. The organisation of capabilities. Journal of Economic Behavior & Organization, v. 35, p. 139-160, 1998.

MADHOK, A. The organization of economic activity: transaction costs, firm capabilities, and the nature of governance. Organization Science, v. 7, n. 5, p. 577-590, 1996.

MAIOR, A. S. História geral. São Paulo: Ed. São Paulo, 1967.

MALHOTRA, N. K. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 6. ed. Porto Alegre, R.S.: Bookman, 2012.

MILLER, W. L.; MORRIS, L. 4th Generation R&D: Managing Knowledge, Technology, and Innovation. Nova York: John Wiley & Sons, Inc. 1998.

NELSON, R. R.; WINTER, S. G. An evolutionary theory of economic change. Cambridge: Belknap Press, 1982.

O´CONNOR, G. C.; AYRES, A. D. Building a Radical Innovation Competency. Research Technology Management, v. 48, n. 1, p. 23, 2005.

ORGANIZAÇÃO PARA A COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO; FINANCIADORA DE ESTUDOS E PROJETOS (OCDE; Finep). Manual de Oslo. Rio de Janeiro, 2005. .

PETERAF, M. A. The Cornerstones of Competitive Advantage: A Resource Based View. Strategic Management Journal, v. 14, n. 3, p. 179-191, 1993.

RODNEY, M. Knowledge management as a catalyst for innovation within organizations: a qualitative study. Knowledge and Process Management, v. 7, n. 4, p. 233, 2000.

ROESCH, S. M. A. Projetos de estágio e de pesquisa em administração: guia para estágios, trabalhos de conclusão, dissertações e estudos de caso. 3. ed. São Paulo, SP: Atlas. 2005.

SCHUMPETER, J. A. Teoria do desenvolvimento econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico. São Paulo: Abril Cultural, 1982.

STOKES, D. E. O quadrante de Pasteur: a ciência básica e a inovação tecnológica. Campinas: Ed. Unicamp, 2005.

SVEIBY, K. E. A nova riqueza das organizações. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

TIDD, J.; BESSANT, J.; PAVITT, K. Managing innovation: integrating technological, market and organizational change. 3. ed. Chichester: John Wiley & Sons, 2005.

VOLPE, L.; BIFERALI, D. Edith Tilton Penrose, The Theory of the Growth of the Firm, John Wiley & Sons, New York, 1959. Springer Science+Business Media, LLC., v. 12, n. 1, p. 119-125, 2008.

WERNERFELT, B. A resource-based view of the firm. Strategic Management Journal, v. 5, n. 2, p. 171-180, 1984.