Agenda de Pesquisa em Empreendedorismo Social e Negócios Sociais Outros Idiomas

ID:
48547
Resumo:
Este estudo busca investigar os resultados e as lacunas assinalados em pesquisas sobre Empreendedorismo Social e Negócios Sociais, com o propósito de estabelecer uma agenda futura de pesquisa. Realizou-se uma pesquisa mista, qualitativa quanto à análise de conteúdo dos resultados e lacunas e quantitativa quanto ao uso de estatística descritiva. Foi proposto um modelo bibliométrico de pesquisa que contempla essas duas metodologias. Constatou-se que existem, conforme os autores pesquisados, cinco principais oportunidades de agenda de pesquisa sobre a temática: (i) aspectos empíricos: ampliação de amostras e referências práticas; (ii) limitações teóricas: diferentes abordagens na compreensão do fenômeno; (iii) métricas e indicadores de impacto social; (iv) governança corporativa e relação com outros setores, governos, universidades e ONGs; (v) análise de discurso sobre o empreendedorismo social, negócios sociais e empresas sociais. Dentre estas oportunidades, a necessidade de estudos que tratem da ampliação de experiências práticas foi a mais recorrente na literatura.
Citação ABNT:
ROMANI-DIAS, M.; IIZUKA, E. S.; WALCHHUTTER, S.; BARBOSA, A. D. S. Agenda de Pesquisa em Empreendedorismo Social e Negócios Sociais. Revista de Administração, Contabilidade e Economia da FUNDACE, v. 8, n. 3, p. 1-15, 2017.
Citação APA:
Romani-dias, M., Iizuka, E. S., Walchhutter, S., & Barbosa, A. D. S. (2017). Agenda de Pesquisa em Empreendedorismo Social e Negócios Sociais. Revista de Administração, Contabilidade e Economia da FUNDACE, 8(3), 1-15.
DOI:
http://dx.doi.org/10.13059/racef.v8i3.156
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/48547/agenda-de-pesquisa-em-empreendedorismo-social-e-negocios-sociais/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALBAGLI, S.; MACIEL, M. L. Capital social e empreendedorismo local. In: Proposição de políticas para a promoção de sistemas produtivos locais de micro, pequenas e médias empresas. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, Redesist, 2002.

ARAÚJO, C. A. Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em Questão, v. 12, n. 1, 2006.

BARDIN, L. Análise de conteúdo (L. de A. Rego & A. Pinheiro, Trads.). Lisboa: Edições 70, 2006.

BERTERO, C. O.; CALDAS, M. P.; WOOD JR.; T. (Org.). Produção Científica em Administração no Brasil, v. 1, p. 1-17. São Paulo: Editora Atlas S/A, 2005.

BERTERO, C. O.; VASCONCELOS, F. C.; BINDER, M. P. Estratégia Empresarial: a produção científica brasileira entre 1991 e 2002. Revista de Administração de Empresas, v. 43, n. 4, p. 48-62, 2003.

BILLIS, David. Towards a Theory of Hybrid Organizations. In: David Billis (ed.), Hybrid Organizations and the Third Sector: Challenges for Practice and Theory, New York: Palgrave Macmillan, 2010.

BORZAGA, C.; DEPEDRI, S.; GALERA, G. Interpreting social enterprises. Revista de Administração – RAUSP, v. 47, n. 3, p. 389-409, jul./set. 2012.

COMINI, G.; BARKI, E.; AGUIAR, L. T. A threeepronged approach to social business: a Brazilian multi-case analysis. Revista de Administração – RAUSP, v. 47, n. 3, p. 385-397, jul./set. 2012.

COOPER, H. M.; LINDSAY, J.J. Research synthesis and meta-analysis. In: Bickman, L.; Rog, D. J. Handbook of applied social research methods. (p. 315-342). London: Sage Publications, 1998.

DACIN, P. A.; DACIN, M. T.; MATEAR, M. Social Entrepreneurship: Why we Don’t Need a New Theory and How We Move Forward from Here. Academy of Management Perspectives, v. 24, n. 3, p. 37-57, 2010.

DEES, J. G. The meaning of social entrepreneurship. Original Draft: October 31, 1998; reformatted and revised: May 30, 2001. http://www. caseatduke.org/documents/dees_sedef.pdf.

GAWELL, M. Social entrepreneurship: action grounded in needs, opportunities and/or perceived necessities? Voluntas, v. 24, p. 1071-1090, 2013.

GODOI, C. K.; BANDEIRA-DE-MELLO, R.; SILVA, A. B. S. Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos, Saraiva, 2010.

GODÓI-DE-SOUSA, E.; FISCHER, R. M. The succession process at social enterprises in Brazil. São Paulo: Revista de Administração, v.47, n.3, p.473488, jul./ago/set.; 2012.

GRASSL, W. Business Models of Social Enterprise: A Design Approach to Hybridity. ACRN Journal of Entrepreneurship Perspectives, v. 1, n. 1, p. 37-60, 2012.

IIZUKA, E. S.; SANO, H. O Terceiro Setor e a Produção Acadêmica: Uma Visita aos Anais dos EnANPAD´s de 1990 a 2003. Anais EnANPAD, 2004.

JAIN, M. Social entrepreneurship- Using Business Methods to Solve Social Problems: The Case of Kotwara. Decision, v. 39, n. 3 , December, 2012.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. 7. ed.; 2010.

MAIR, J.; MARTÍ, I. Social entrepreneurship research: A source of explanation, prediction and delight. Journal of World Business, v. 44, n. 1, p. 36-44, 2006.

MASSETTI, B. The Duality of Social Enterprise: A Framework for Social Action. New York: 6th Annual Symposium of the Financial Services Institute, International Dimensions of New Regulations: Effects on Consumers, Corporate Governance, Financial Markets and Accounting Practice, 2011.

OMAR, A. R. C.; OTHMAN, A. S.; AHMAD, A. Business Venture of the Poor: Performance and Problems. Malaysia: International Journal of Business and Social Science, v. 3, n. 16, Special Issue, 2012.

PAULA, M. B.; OLIVERO, S. M.; MURITIBA, P. M.; MURITIBA, S. N. Produção sobre terceiro setor no Brasil: pontualidade, dispersão e lacunas teóricas. Anais EnANPAD, 2010.

PRAHALAD, C. K. The fortune at the bottom of the pyramid. Upper Saddle River: Wharton School Publishing, 2005.

RICHARDSON, R. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

SASSMANNSHAUSEN, S. P.; VOLKMANN, C. A Bibliometric Based Review on Social Entrepreneurship and its Establishment as a Field of Research. Germany: Schumpeter School of Business and Economics; Schumpeter Discussion Paper, 2013.

SEN, A. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

SMITH, W. K.; GONIN, M.; BESHAROV, M. L. Managing Social-Business Tensions: A Review and Research Agenda for Social Entreprise. Business Ethics Quartely, v. 23, n. 3, p. 407-442, 2013.

SMITH, W. K.; LEWIS, M. W. Toward a theory of paradox: A dynamic equilibrium model of organizing. Academy of Management Review, v. 36, n. 2, p. 381-403, 2011.

TEODÓSIO, A. S. S.; COMINI, G. Inclusive business and poverty: prospects in Brazilian context. Revista de Administração – RAUSP, v. 47, n. 3, p. 410-421, jul/set. 2012.

THOMPSON, J.; DOHERTY, B. The diverse world of social enterprise: A collection of social enterprise stories. International Journal of Social Economics, v. 33, n. 5/6; p. 361-375, 2006.

TISCOSKI, G. P.; ROSOLEN, T.; COMINI, G. M. Empreendedorismo Social e Negócios Sociais: Um Estudo Bibliométrico da Produção Nacional e Internacional. Rio de Janeiro. Anais do XXXVII EnANPAD, 2013.

TREXLER, J. Social Entrepreneurship as an Algorithm: Is Social Enterprise Sustainable? E:CO Issue, v. 10, n. 3, p. 65-85, 2008.

YIN, R. K. Estudo de Caso: planejamento e métodos. 2nd edition. Porto Alegre: Bookman, 2001.

YUNUS, M. Creating a world without poverty: social business and the future of capitalism. New York: Public Affairs, 2007.