Estressores: Um Estudo com Discentes do Curso de Direito de uma Faculdade Particular Paranaense Outros Idiomas

ID:
48558
Resumo:
Este estudo tem como objetivo identificar os fatores de estresse em estudantes do curso de Direito de uma faculdade paranaense. Trata-se de estudo descritivo e quantitativo. Utilizou-se o Instrumento para Avaliação de Estresse em Estudantes de Enfermagem de Costa e Polak (2009). A amostra de 82 participantes caracterizou-se por indivíduos do gênero feminino, na faixa etária dos 21 aos 25 anos, que além de estudar também realizam outras atividades. Verificou-se que a média no domínio ambiente indicou o maior nível de estresse, bem como do desgaste percebido pelos discentes referente aos meios de transporte utilizados.
Citação ABNT:
MACHADO, P. I. S.; LAAT, E. F.; KÜHL, M. R. Estressores: Um Estudo com Discentes do Curso de Direito de uma Faculdade Particular Paranaense . Revista de Carreiras e Pessoas, v. 8, n. 1, p. 97-112, 2018.
Citação APA:
Machado, P. I. S., Laat, E. F., & Kühl, M. R. (2018). Estressores: Um Estudo com Discentes do Curso de Direito de uma Faculdade Particular Paranaense . Revista de Carreiras e Pessoas, 8(1), 97-112.
DOI:
10.20503/recape.v8i1.33160
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/48558/estressores--um-estudo-com-discentes-do-curso-de-direito-de-uma-faculdade-particular-paranaense-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BENAVENTE, S. B. T.; SILVA, R. M.; HIGASHI, A. B.; GUIDO, L. A.; COSTA, A. L. S. (2014) Influência de fatores de estresse e características sociodemográficas na qualidade do sono de estudantes de enfermagem. Rev. Esc. Enferm. USP. v. 48, n.3, p. 514-520.

BONIFÁCIO, S. P.; SILVA, R. C. B.; MONTESANO, F. T.; PADOVANI, R. C. (2011) Investigação e manejo de eventos estressores entre estudantes de psicologia. Revista Brasileira de Terapias Cognitivas. Rio de Janeiro, v. 07, n. 01, jun., p. 15-20.

BUBLITZ, S.; FREITAS, E. de O.; KIRCHHOF, R. S.; LOPES, L. F. D.; GUIDO, L. de A. (2012) Estressores entre acadêmicos de enfermagem de uma universidade pública. Rev. Enfermagem UERJ, Rio de Janeiro, dez, v. 20, n. 6, p. 739-745. Disponível em: . Acesso em: 17 abr.2015

COOPER, D. R.; SCHINDLER, P. S. (2011) Métodos de pesquisa em Administração. 10 ed. Porto Alegre: Bookman.

COSTA, A. L. S.; POLAK, C. (2009) Construção e validação de instrumento para avaliação de estresse em estudantes de enfermagem (AEEE). Revista da Escola de Enfermagem da USP. v. 43 (esp), p. 1017-1026. Disponível em: . Acesso em: 17 abr. 2015.

COSTA, E. S.; LEAL, I. P. (2006) Estratégias de coping em estudantes do Ensino Superior. Análise Psicológica,v. 24, n.2, p. 189-199. Disponível em: . Acesso em: 12 maio 2015.

FIELD, A. (2009) Descobrindo a estatística usando o SPSS. Trad. Lorí Viali. 2 ed. Porto Alegre: Artmed.

FREITAS, E. O. (2012) Estresse, coping, burnout, sintomas depressivos e hardiness entre discentes de enfermagem. (Dissertação) Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Enfermagem, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem. Santa Maria (RS), p. 141. Disponível em: . Acesso em: 05 maio 2015.

IBGE. Censo 2010: mulheres são mais instruídas que homens e ampliam nível de ocupação. Disponível em: < http://censo2010.ibge.gov.br/noticiascenso?id=1&idnoticia=2296&t=censo-2010-mulheres-sao-mais-instruidas-que-homensampliam-nivel-ocupacao&view=noticia> Acesso em: 20 mai. 2015.

LIMONGI FRANÇA, A. C.; RODRIGUES, A. L. (2007) Stresss e trabalho: uma abordagem psicossomática. Colaboradores: SAMPAIO, Jáder dos Reis; GALASSO, Leonilde M. R.; RIBEIRO, Silas da Cunha. São Paulo: Atlas, 4 ed., 2ª reimpressão, p. 191.

LIPP, M. E. N.; ARANTES, J. P.; BURITI, M. S.; WITZIG, T. (2002) O estresse em escolares. Psicologia Escolar e Educacional. v. 06, n. 01, p. 51-56. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2015.

MALHOTRA, N.K. (2006) Pesquisa de Marketing: Uma orientação aplicada. 4 ed. Trad. Laura Bocco. Porto Alegre: Bookman.

MEIRELES, G. O. A. B. (2002) A vivência do estresse no último ano de um curso de enfermagem. (Dissertação). Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Mestrado em Ciências Ambientais e Saúde. Goiânia. p. 100. Disponível em:

PINOTTI, S. A. G. (2005/2006) Stress no professor: fontes, sintomas e estratégias de controle. Revista Uniara, n. 17/18, p. 207-216. Disponível em: . Acesso em: 29 abr. 2015.

PROBST, E. R. (2003) A evolução da mulher no mercado de trabalho. Instituto Catarinense de de Pós-Graduação – ICPG, Gestão Estratégica de Recusos Humanos. Disponível em: Acesso em: 20 mai. 2015.

QUINTANA, A. M.; RODRIGUES, A. T.; ARPINI, D. M.; BASSI, L. A.; CECIM, P. S.;

SOUZA, R. S.; TRIGUEIRO, R. P. C.; ALMEIDA, T. N. V.; OLIVEIRA, J. A. (2010) A pós-graduação e a síndrome de burnout: estudo com alunos de mestrado em administração. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração – RPCA, Rio de Janeiro, v. 4, n.3, set/dez, p. 12-21. Disponível em: . Acesso em: 15 abr. 2015.

STEFANO, S. R., BONANATO, F. M., RAIFUR, L. (2013) Estresse em funcionários de uma instituição de ensino superior: diferenças entre gênero. Revista Economia e Gestão – E&G. v. 13, n. 31, p. 73-92, jan./abr. Disponível em: . Acesso em: 07 abr. 2015.

ZANELLA, L. C. H. (2009) Metodologia de Estudo e de Pesquisa em Administração. Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração/UFSC; (Brasília): CAPES: UAB.