Avaliação Multicritério do Mercado de Capitais de Empresas do Brics Outros Idiomas

ID:
48566
Resumo:
Este estudo objetiva avaliar o ranking de empresas pertencentes ao BRICS considerando os indicadores de mercado de capitais. Realizou-se uma pesquisa descritiva, documental e quantitativa. A população do estudo compreendeu todas as empresas pertencentes ao grupo BRICS. A amostra constituiu-se de 299 empresas do Brasil, 636 da Rússia, 1.195 da Índia, 1.807 da China e 271 empresas da África do Sul. O período de análise compreendeu os anos de 2011 a 2015. Para a análise dos dados aplicou-se o método multicritério MOORA. Os resultados revelaram que as empresas que lideraram o ranking foram: Ferrovia Centro Atlântica (Brasil), Enel Rossiya (Rússia), Tide Water Oil Co India (Índia), Tonghua GoldenHorse Pharmaceutical Industry (China) e Indequity Group (África do Sul). Esta pesquisa comprovou a aplicabilidade, potencialidade e flexibilidade do método MOORA, visto que foi possível identificar as posições das empresas frente à análise dos indicadores de mercado de capitais e ainda, resolver um problema de tomada de decisão em um cenário complexo, como é o caso do mercado de capitais. Este estudo pode contribuir para os analistas de mercado, corretoras, gestores de carteiras e fundos globais que estão diretamente envolvidos na avaliação de ações e no desenvolvimento de estratégias globais de alocação de ativos e reguladores financeiros.
Citação ABNT:
DEGENHART, L.; HEIN, N.; HEIN, A. K.; VOGT, M. Avaliação Multicritério do Mercado de Capitais de Empresas do Brics . Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, v. 22, n. 2, p. 76-91, 2017.
Citação APA:
Degenhart, L., Hein, N., Hein, A. K., & Vogt, M. (2017). Avaliação Multicritério do Mercado de Capitais de Empresas do Brics . Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, 22(2), 76-91.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/48566/avaliacao-multicriterio-do-mercado-de-capitais-de-empresas-do-brics-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALBUJA, C. D.; GARCIA, F. G.; MOREIRAS, L. M. F.; TAMBOSI FILHO, E. Onde investir nos BRICS? Uma análise sob o prisma da organização industrial. Revista de Administração de Empresas, v. 51, n. 4, p. 349-369, 2011.

ALMEIDA, J. R. de; EID JÚNIOR, W. Estimando o Retorno das Ações com Decomposição do Índice Book-to-Market: Evidências na Bovespa. Revista Brasileira de Finanças, v. 8, n. 4, p. 417-441, 2010.

ASSAF NETO, A. Finanças Corporativas e Valor. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

BODIE, Z.; KANE, A.; MARCUS, A. J. Investimentos. 10. ed. Porto Alegre: AMGH, 2015.

BOND, P.; EDMANS, A.; GOLDSTEIN, I. The real effects of financial markets. Annual Review of Financial Economics, v. 4, n. 1, p. 339-360, 2012.

BRAGA‐ALVES, M. V.; SHASTRI, K. Corporate governance, valuation, and performance: evidence from a voluntary market reform in Brazil. Financial Management, v. 40, n. 1, p. 139-157, 2011.

BRAUERS, W. K. M. Multi-objective seaport planning by MOORA decision making. Annals of Operations Research, v. 1, n. 206, p. 39-58, 2013.

BRAUERS, W. K. M.; ZAVADSKAS, E. K. The MOORA method and its application to privatization in a transition economy. Control and Cybernetics, v. 35, n. 2, p. 445-469, 2006.

CESARI, A. de; HUANG-MEIER, W. Dividend changes and stock price informativenes. Journal of Corporate Finance, v. 35, n. 1, p. 1-17, 2015.

CORSO, R. M.; KASSAI, J. R.; LIMA, G. A. F. S. Distribuição de dividendos e de juros sobre o capital próprio versus retorno das ações. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, v. 6, n. 2, p. 154169, 2012.

DAL VESCO, D. G.; BEUREN, I. M. Do the board of directors composition and the board interlocking influence on performance?. Brazilian Administration Review, v. 13, n. 2, p. 1-26, 2016.

DAMODARAN, A. Avaliação de empresas. 2. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

GADAKH, V. S.; SHINDE, V. B.; KHEMNAR, N. S. Optimization of welding process parameters using MOORA method. The International Journal of Advantage Manufacturing Technology, v. 69, n. 1, p. 2031-2039, 2013.

GOLDSTEIN, A. The Political Economy of Global Business: The Case of the BRICs. Global Policy, v. 4, n. 2, p. 162-172, 2013.

LÓPEZ-DELGADO, P.; DIÉGUEZ-SOTO, J. Lone founders, types of private family businesses and firm performance. Journal of Family Business Strategy, v. 6, n. 2, p. 73-85, 2015.

MENSI, W.; HAMMOUDEH, S.; YOON, S-M.; NGUYEN, D. K. Asymmetric linkages between BRICS stock returns and country risk ratings: Evidence from dynamic panel Threshold models. Review of International Economics, v. 24, n. 1, p. 1-19, 2016.

PANDEY, A. Price to earnings versus price to sales: a comparative study for Indian capital market. Abhigyãn, v. 30, n. 1, p. 44-52, 2012.

PARK, Y. S.; LEE, J.-J. An empirical study on the relevance of applying relative valuation models to investment strategies in the Japanese stock market. Japan and the World Economy, v. 15, n. 3, p. 331339, 2003.

RASTOGI, S. Volatility Spillover Effect Acrossbric Nations: An Empirical Study. Paradigm, v. 14, n. 1, p. 1-6, 2010.

ROBINSON, W. I. The transnational state and the BRICS: A global capitalism perspective. Third World Quarterly, v. 36, n. 1, p. 1-21, 2015

RODRIGUES, M. A.; HYBNER, B. R. O mercado acionário brasileiro é eficiente? Uma contribuição empírica por painéis de dados. A Economia em Revista, v. 18, n. 1, p. 75-90, 2010.

ROSS, S. A.; WESTERFIELD, R. W.; JAFFE, J. F.; LAMB, R. Administração Financeira: Versão brasileira de Corporate Finance. 10. ed. Porto Alegre: AMGH, 2015.

SAID, A.; HARPER, A. The Efficiency of the Russian Stock Market: A Revisit of the Random Walk Hypothesis. Academy of Accounting and Financial Studies Journal, v. 19, n. 1, p. 42-48, 2015.

SANTOS, J. O. dos; COELHO, P. A. Análise da relação risco e retorno em carteiras compostas por índices de bolsa de valores de países desenvolvidos e de países emergentes integrantes do bloco econômico BRIC. Revista Contabilidade & Finanças, v. 21, n. 54, p. 23-37, 2010.

SYRIOPOULOS, T.; MAKRAM, B.; BOUBAKER, A. Stock market volatility spillovers and portfolio hedging: BRICS and the financial crisis. International Review of Financial Analysis, v. 39, n. 1, p. 718, 2015.

VIEIRA, F. V.; VERÍSSIMO, M. P. Crescimento econômico em economias emergentes selecionadas: Brasil, Rússia, Índia, China (BRIC) e África do Sul. Economia e Sociedade, v. 18, n. 3, p. 513-546, 2009.

WILSON, J. D. Resource powers? Minerals, energy and the rise of the BRICS. Third World Quarterly, v. 36, n. 2, p. 223-239, 2015.

ZHANG, J.; JIANG, C.; QU, B.; WANG, P. Market concentration, risk-taking, and bank performance: Evidence from emerging economies. International Review of Financial Analysis, v. 30, n. 1, p. 149157, 2013.