Comitê de Auditoria e Gerenciamento de Resultados em Empresas Reguladas e Empresas Não Reguladas Outros Idiomas

ID:
48820
Resumo:
Os diversos códigos de boas práticas de governança corporativa em todo o mundo recomendam a presença de órgãos técnicos, conhecidos como comitês, para assessorar o conselho de administração. Nesse contexto, destaca-se o comitê de auditoria, que deve ser constituído por membros independentes, com conhecimento na área, e tem, entre outras, a finalidade de inibir a prática de gerenciamento de resultados. O presente estudo analisa a correlação entre as características do comitê de auditoria e a prática de gerenciamento de resultados nas empresas listadas no IGCX, da BM&FBovespa. As 66 empresas do IGCX com comitê de auditoria foram distribuídas em dois grupos, sendo 30 reguladas e 36 não reguladas, levando em conta que as empresas participantes de setores regulados por agências governamentais seguem normas e diretrizes que as diferenciam das demais. Analisaram-se os dados, utilizando-se o teste de diferença entre médias, o teste de correlação e o método de detecção de interação automática do qui-quadrado (Chaid). Os resultados indicam que não há diferenças entre as características dos comitês de auditoria das empresas reguladas e as dos comitês das não reguladas. Constatouse, ainda, que não há correlação entre as características dos comitês de auditoria e as práticas de gerenciamento de resultados nas empresas da amostra. Contudo, conclui-se, por meio da análise da árvore de segmentação, que as empresas de grande porte apresentam baixo nível de gerenciamento de resultados, são reguladas e possuem pequeno número de membros independentes no comitê de auditoria.
Citação ABNT:
SILVA, D. S. C.; VASCONCELOS, A. C.; LUCA, M. M. M. Comitê de Auditoria e Gerenciamento de Resultados em Empresas Reguladas e Empresas Não Reguladas . Sociedade, Contabilidade e Gestão, v. 12, n. 3, p. 25-43, 2017.
Citação APA:
Silva, D. S. C., Vasconcelos, A. C., & Luca, M. M. M. (2017). Comitê de Auditoria e Gerenciamento de Resultados em Empresas Reguladas e Empresas Não Reguladas . Sociedade, Contabilidade e Gestão, 12(3), 25-43.
DOI:
http://dx.doi.org/10.21446/scg_ufrj.v12i3.14164
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/48820/comite-de-auditoria-e-gerenciamento-de-resultados-em-empresas-reguladas-e-empresas-nao-reguladas-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
ALMEIDA, J. E. F.; ALMEIDA, J. C. G. Auditoria e earnings management: estudo empírico nas empresas abertas auditadas pelas Big Four e demais firmas de auditoria. Revista Contabilidade & Finanças, v. 20, n. 50, p. 62-74, 2009.

ALMEIDA, J. E. F.; LOPES, A. B.; CORRAR, L. J. Gerenciamento de resultados para sustentar a expectativa do mercado de capitais: impactos no índice market-to-book. Advances in Scientific and Applied Accounting, v. 4, n. 1, p. 44-62, 2011.

ALVES, C. A. M.; ZANON, R. S.; SAVOIA, J. R. F.; ROCHA, K. C.; MACHADO FILHO, C. A. P. Governança corporativa e conselhos de administração de bolsas com atuação internacional: similaridades e distinções. Gestão & Regionalidade, v. 26, n. 76, 2010.

ALVES, C. F.; VICENTE, E. F. R. Does the latin model of corporate governance perform worse than other models in preventing earnings management?. Applied Financial Economics, v. 23, n. 21, p. 1663-1673, 2013.

BAIOCO, V.; ALMEIDA, J. E.; RODRIGUES, A. Incentivos da regulação de mercados sobre o nível de suavização de resultados. Contabilidade Vista & Revista, v. 24, n. 2, p. 110-136, 2014.

BECKER, C. L.; DEFOND, M. L.; JIAMBALVO, J.; SUBRAMANYAM, K. R. The effect of audit quality on earnings management. Contemporary Accounting Research, v. 15, n. 1, p. 1-24, 1998.

BEUREN, I. M.; NASS, S.; THEISS, V.; CUNHA, P. R. Caracterização proposta para o comitê de auditoria no código de governança corporativa do Brasil e de outros países. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, v. 7, n. 4, p. 407-423, 2013.

BM&FBOVESPA – Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros. Índice de ações com governança corporativa diferenciada – IGCX. 2015. Disponível em: . Acesso em: 28 out. 2015.

BRUÈRE, A. J.; MENDES-DA-SILVA, W.; SANTOS, J. F. Aspectos da governança corporativa de empresas listadas na Bovespa: um estudo exploratório sobre a composição e perfil dos conselhos de administração. Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, v. 4, n. 2, p. 149-159, 2007.

CAIXE, D. F.; KRAUTER, E. A influência da estrutura de propriedade e controle sobre o valor de mercado corporativo no Brasil. Revista Contabilidade & Finanças, v. 24, n. 62, p. 142-153, 2013.

CARCELLO, J. V.; HOLLINGSWORTH, C. W.; KLEIN, A.; NEAL, T. L. Audit committee financial expertise, competing corporate governance mechanisms, and earnings management. Competing Corporate Governance Mechanisms, and Earnings Management, v. 20, n. 4, p. 351-37, 2006.

CHOI, D. Y.; SAITO, R.; SILVA, V. A. B. Capital structure and staff salary: empirical evidence in Brazil. Revista de Administração Contemporânea, v. 19, n. 2, p. 249-269, 2015.

CUNHA, P. R.; HILLESHEIM, T.; FAVERI, D. B.; RODRIGUES JÚNIOR, M. M. Características do comitê de auditoria e o gerenciamento de resultados: um estudo nas empresas listadas na BM&FBovespa. Revista de Contabilidade e Organizações, v. 8, n. 22, p. 15-25, 2014.

CUNHA, P. R.; SANT’ANA, S. V.; THEIS, M. B.; KRESPI, N. T. Características do comitê de auditoria e os reflexos no gerenciamento de resultados nas empresas listadas na BM&FBovespa. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, v. 18, n. 3, p. 2-19, 2013.

DELOITTE. Centro de Governança Corporativa. Guia prático para os comitês de auditoria das empresas brasileiras: da visão à operação. Reino Unido: Deloitte, 2013.

DE LUCA, M. M. M.; MARTINS, L. C.; MAIA, A. B. G. R.; COELHO, A. C. D. Os mecanismos de auditoria evidenciados pelas empresas listadas nos níveis diferenciados de governança corporativa e no Novo Mercado da Bovespa. Contabilidade Vista & Revista, v. 21, n. 1, p. 101-130, 2010.

FIRMINO, J. E.; DAMASCENA, L. G.; PAULO, E. Qualidade da auditoria no Brasil: um estudo sobre a atuação das auditorias independentes denominadas Big Four. Sociedade, Contabilidade e Gestão, v. 5, n. 3, p. 40-50, 2010.

FREGUETE, L. M.; NOSSA, V.; FUNCHAL, B. Responsabilidade social corporativa e desempenho financeiro das empresas brasileiras na crise de 2008. Revista de Administração Contemporânea, v. 19, n. 2, p. 232-248, 2015.

FURUTA, F.; SANTOS, A. Comitê de auditoria versus conselho fiscal adaptado: a visão dos analistas de mercado e dos executivos das empresas que possuem ADRs. Revista Contabilidade & Finanças, v. 21, n. 53, p. 1-23, 2010.

GONÇALVES, R. S.; MEDEIROS, O. R.; NIYAMA, J. K.; WEFFORT, E. F. J. Social disclosure e custo de capital próprio em companhias abertas no Brasil. Revista Contabilidade & Finanças, v. 24, n. 62, p. 113-124, 2013.

HEALY, P. M.; WAHLEN, J. M. A review of the earnings management literature and its implications for standard setting. Accounting Horizons, v. 13, n. 4, p. 365-383, 1999.

IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. Código das melhores práticas de governança corporativa. 4. ed. São Paulo: IBGC, 2009.

KLEIN, A. Audit committee, board of director characteristics, and earnings management. Journal of Accounting and Economics, v. 33, n. 3, p. 375-400, 2002.

LIN, J. W.; HWANG, M. I. Audit quality, corporate governance, and earnings management: A meta‐analysis. International Journal of Auditing, v. 14, n. 1, p. 57-77, 2010.

LIN, J. W.; LI, J. F.; YANG, J. S. The effect of audit committee performance on earnings quality. Managerial Auditing Journal, v. 21, n. 9, p. 921-933, 2006.

MACHADO, D. G.; BEUREN, I. M. Política de remuneração de executivos: um estudo em empresas industriais brasileiras, estadunidenses e inglesas. Gestão & Regionalidade, v. 31, n. 92, p. 4-24, 2015.

MARQUES, T. A.; GUIMARÃES, T. M.; PEIXOTO, F. M. A concentração acionária no Brasil: análise dos impactos no desempenho, valor e risco das empresas. Revista de Administração Mackenzie, v. 16, n. 4, p. 100-133, 2015.

MARTINEZ, A. L. Detectando earnings management no Brasil: estimando os accruals discricionários. Revista Contabilidade & Finanças, v. 19, n. 46, p. 7-17, 2008.

MERCADO, R. M. E. Las aplicaciones del análisis de segmentación: el procedimiento Chaid. Empiria – Revista de Metodología de Ciencias Sociales, n. 1, p. 13-49, 1998.

MOTA, R. H. G.; SILVA FILHO, A. C. C.; OLIVEIRA, A. F.; PAULO, E. Previsão de lucro por analistas e gerenciamento de resultados: evidências empíricas no mercado acionário brasileiro. In: CONGRESSO USP DE CONTROLADORIA E CONTABILIDADE, 15., 2015. Anais... São Paulo: USP, 2015.

NASCIMENTO, A. M.; REGINATO, L. Controladoria: instrumento de apoio ao processo decisório. São Paulo: Atlas, 2010.

NIYAMA, J. K.; RODRIGUES, A. M. G.; RODRIGUES, J. M. Algumas reflexões sobre contabilidade criativa e as normas internacionais de contabilidade. Revista Universo Contábil, v. 11, n. 1, p. 69-87, 2015.

PARENTE, P. H. N.; VASCONCELOS, A. C.; DE LUCA, M. M. M. Influência da estrutura de propriedade horizontal e da estrutura de propriedade piramidal na governança das maiores empresas de capital aberto do Brasil. In: CONGRESSO USP DE CONTROLADORIA E CONTABILIDADE, 14., 2014. Anais... São Paulo: USP, 2014.

PAULO, E.; LEME, J. R. Gerenciamento de resultados contábeis e o anúncio dos resultados contábeis pelas companhias abertas brasileiras. Revista Universo Contábil, v. 5, n. 4, p. 2743, 2009.

PEIXOTO, F. M.; BUCCINI, A. R. A. Separação entre propriedade e controle e sua relação com desempenho e valor de empresas brasileiras: onde estamos?. Revista de Contabilidade e Organizações, v. 7, n. 18, 2013.

PELEIAS, I. R; SEGRETI, J. B.; COSTA, C. A. Comitê de auditoria ou órgãos equivalentes no contexto da Lei Sarbanes-Oxley: estudo da percepção dos gestores de empresas brasileiras emitentes de American Depositary Receipts – ADRs. Contabilidade Vista & Revista, v. 20, n. 1, p. 41-65, 2009.

PINTO, P. D. Tribunal de Contas da União, agências reguladoras e um diálogo na construção de melhores resultados regulatórios. Revista Eletrônica do Mestrado em Direito da UFAL, v. 5, n. 1, p. 183-223, 2014.

REZENDE, G. P.; NAKAO, S. H. Gerenciamento de resultados e a relação com o lucro tributável das empresas brasileiras de capital aberto. Revista Universo Contábil, v. 8, n. 1, p. 06-21, 2012.

ROSSETTI, J. P.; ANDRADE, A. Governança corporativa: fundamentos, desenvolvimento e tendências. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2014.

SAN MARTIN REYNA, J. M. Interacción entre mecanismos internos y externos de gobierno como elemento detonante de la creación de valor: un estudio internacional. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, v. 14, n. 43, p. 143-158, 2012.

SCHIPPER, K. Commentary on earnings management. Accounting Horizon, v. 3, p. 91-102, 1989.

SEIDLER, J. C. O. Índice de earnings quality das empresas listadas no mercado de capitais no Brasil. 2015. 93 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2015.

SILVA, A.; PLETSCH, C. S.; VARGAS, A. J.; FASOLIN, L. B.; KLANN, R. C. Influência da auditoria sobre o gerenciamento de resultados. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, v. 19, n. 3, p. 59-69, 2014.

SILVA, E. C. Governança corporativa nas empresas: guia prático de orientação para acionistas e conselho de administração. São Paulo: Atlas, 2006.

SILVA, J. O.; BEZERRA, F. A. Análise do gerenciamento de resultados e o rodízio de firmas de auditoria nas empresas de capital aberto. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, v. 12, n. 36, p. 304, 2010.

SILVA, K. L.; OLIVEIRA, M. C.; DE LUCA, M. M. M; ARAÚJO, O. C. A Implementação dos controles internos e do comitê de auditoria segundo a lei SOX: o caso Petrobras. Contabilidade Vista & Revista, v. 20, n. 3, p. 39-63, 2009.

SILVA, M. S.; GALDI, F. C.; TEIXEIRA, A. M. C. Estudo sobre o efeito das eleições presidenciais no gerenciamento de resultados de empresas atuantes em setores regulados. Contabilidade Vista & Revista, v. 21, n. 2, p. 45-68, 2010.

SILVEIRA, A. D. M.; BARROS, L. A. B. C. Determinantes da qualidade da governança corporativa das companhias abertas brasileiras. Revista Eletrônica de Administração, v. 14, n. 3, p. 1-29, 2008.

SILVEIRA, A. D. M.; BARROS, L. A. B. de C.; FAMÁ, R. Estrutura de governança e desempenho financeiro nas companhias abertas brasileiras: um estudo empírico. Caderno de Pesquisas em Administração, v. 10, n. 1, jan./mar. 2003.

SORRENTINO, M. S. A. S.; TEIXEIRA, B.; VICENTE, E. F. R. Comitê de auditoria: adequação às regras da SOX, Bacen, Susep e IBGC. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC), v. 10, n. 3, 2016.

SUN, J.; LAN, G.; LIU, G. Independent audit committee characteristics and real earnings management. Managerial Auditing Journal, v. 29, n. 2, p. 153-172, 2014.

TEIXEIRA, B.; CAMARGO, R. V. W.; VICENTE, E. F. R. Relação entre as características do comitê de auditoria e a qualidade da auditoria independente. Revista Catarinense da Ciência Contábil (CRCSC), v. 15, n. 44, p. 60-74, 2016.

THIRUVADI, S.; HUANG, H. W. Audit committee gender differences and earnings management. Gender in Management: An International Journal, v. 26, n. 7, p. 483-498, 2011.

VAN DER WALT, N.; INGLEY, C.; SHERGILL, G. S.; TOWNSEND, A. Board configuration: are diverse boards better boards? Corporate Governance: The International Journal of Business in Society, v. 6, n. 2, p. 129-147, 2006.

XIE, B.; DAVIDSON III, W. N.; DADALT, P. J. Earnings management and corporate governance: the role of the board and the audit committee. Journal of Corporate Finance, v. 9, n. 3, p. 295-316, 2003.

YANG, J. S.; KRISHNAN, J. Audit committees and quarterly earnings management. International Journal of Auditing, v. 9, n. 3, p. 201-219, 2005.