A Indústria Vinícola no Vale do São Francisco e as Estratégias de Inserção no Mercado Nacional: Uma Revisão Bibliográfica Outros Idiomas

ID:
48842
Resumo:
O termo estratégia tem se tornado um assunto muito utilizado pelas organizações, sendo a mesma realizada de diversas maneiras pelos gestores da organização que define e implanta as estratégias nas empresas. (FERNANDES et al., 2013). Assim observado, no ambiente empresarial de hoje as empresas que conseguem atuar com qualidade como forma de satisfazer o cliente terão uma maior competitividade no mercado em que atuam, garantindo assim sua sobrevivência e permanência e talvez até expansão no mercado. Logo, o objetivo central deste artigo foi estudar, a partir da revisão da literatura, as estratégias de inserção no mercado brasileiro e as barreiras enfrentadas pelas as vinícolas do Vale do São Francisco pernambucano. Tal investigação se deu com base nos conceitos de Cadeias Agroindustriais e Coordenação de Cadeias Produtivas, os quais abrangem as relações entre fornecedores e clientes e as estratégias competitivas. Pôde-se concluir que apesar de ser um setor consolidado no Mercado local, a indústria vinícola ainda enfrenta diversas barreiras que comprometem seu desenvolvimento a nível Nacional.
Citação ABNT:
SANTOS, P. V. S.A Indústria Vinícola no Vale do São Francisco e as Estratégias de Inserção no Mercado Nacional: Uma Revisão Bibliográfica . Future Studies Research Journal: Trends and Strategies, v. 9, n. 3, p. 39-69, 2017.
Citação APA:
Santos, P. V. S.(2017). A Indústria Vinícola no Vale do São Francisco e as Estratégias de Inserção no Mercado Nacional: Uma Revisão Bibliográfica . Future Studies Research Journal: Trends and Strategies, 9(3), 39-69.
DOI:
10.24023/FutureJournal/2175-5825/2017.v9i3.317
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/48842/a-industria-vinicola-no-vale-do-sao-francisco-e-as-estrategias-de-insercao-no-mercado-nacional--uma-revisao-bibliografica-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BARBOZA, S. I. S; ALMEIDA, P. L. P; ALMEIDA, S. F. (2009). Composto de marketing: um estudo multicaso entre empresas do setor de restaurantes de Campina Grande - PB. In: XXIX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO: Salvador, BA, Brasil, 06 a 09 de outubro de 2009.

BATEMAN, T. S. SNELL, S. (1998). Administração: construindo vantagem competitiva. São Paulo: Atlas.

BHALLA, A.; LAMPEL, J.; HENDERSON, S.; WATKINS, D. (2009). Exploring alternative strategic management paradigms in high-growth ethnic and non-ethnic family firms. Small Business Economics, v. 32, n. 1, pp. 77-94.

BIASOTO, A. C. T.; PEREIRA, G. E.; OLIVEIRA, J. B.; MENEZES, T. R.; LEÃO, P. C. S. (2014). Efeitos da desfolha e desponte de ramos sobre a composição físico-química de Syrah elaborados em dois ciclos de produção no Vale do São Francisco. In: Congresso Brasileiro de Fruticultura, 23, Cuiabá. Anais. Cuiabá: SBF.

BUCHERONI, F. (2015). Planejamento estratégico: Curso Online Endeavor.

CAMPOS, V. F. (2004). TQC: controle da qualidade total: no estilo japonês. 8. ed. Nova Lima: INDG Tecnologia e Serviços, 256p.

CARLTON, D. (2004). Why Barriers to Entry Are Barriers to Understanding, ‖ 94 American Economic Review, Papers and Proceedings 466, 467.

CARLTON, D.; PERLOFF, J. (1994). Modern industrial organization. New York: HarperCollins College Publishers.

CHIAVENATO, I. (2007). Administração: Teoria, Processo e Prática. Rio de Janeiro: Elsevier.

CHURCHILL, G. A. (2000). Marketing: criando valor para os clientes. São Paulo: Saraiva.

CORRÊA, R. M; MURINI, L. T; BECKER, D. V. Becker; BOLIGON, J. A. R. (2012). Análise do composto de marketing segundo a visão dos consumidores na ferragem rio branco. Disciplinarum Scientia. Série: Ciências Sociais Aplicadas, Santa Maria, v. 8, n. 1, p. 1-17.

CRISÓSTOMO, A. P. SICSÚ, A. B. (2009). Inovação Tecnológica Competitiva no Semiárido do Vale do São Francisco: um estudo das empresas vinícolas. In: Anais do Congresso de Desenvolvimento Regional de Cabo Verde. Praia.

DEBASTIANI, G. LEITE, A. C. JUNIOR, C. A. W. BOELHOUWER, D. I. (2015). Cultura da uva, produção e comercialização de vinhos no Brasil: origem, realidades e desafios. Revista Cesumar Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, v. 20, n. 2, p. 471-485.

DIAS, S. R. (2003). Gestão de Marketing. São Paulo: Saraiva.

FERNANDES, I. et al. (2013). Planejamento Estratégico: Análise SWOT. Três Lagoas-MS.

FERRELL, O. C.; HARTLINE, M. D. (2009). Estratégica de Marketing. Tradução: All Tasks; Marleine Cohen. 4 ed. São Paulo: Cengage Learning.

FILHO, V. A. V; PERESIN, G.L. (2011). Vantagem competitiva: uma releitura teórica de Porter. Área Temática: Estratégia Empresarial. In: VIII Convibra Administração - Congresso Virtual Brasileiro de Administração.

G1 - Portal de notícias. (2017). Produção de vinhos está em alta nas vinícolas do Vale do São Francisco. .

GOUVÊA, M. A. NIÑO, F. M. (2010). A diferenciação no processo de posicionamento de marketing e o setor de turismo. Gestão & Regionalidade, v. 26, n. 76, jan-abr.

GUETTA, A. et al. (2013). Franchising: Aprenda com os especialistas. Bilíngue. Rio de Janeiro: ABF-Rio.

HOOLEY, G. (2011). Estratégia de marketing e posicionamento competitivo. 4 ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

HOOLEY, G. J.; SAUNDERS, J. A.; PIERCY, N. F. (2005). Estratégia de marketing e posicionamento competitivo. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

IBRAVIN - INSTITUTO BRASILEIRO DO VINHO. Regiões produtoras. . Acesso em 21 mai.2017.

JUNIOR, A. B.; BORNIA. A. C. (2011). Proposta de instrumento de medida para avaliar a satisfação de clientes de bancos utilizando a teoria da resposta ao item. São Carlos.

KOTLER, P. (2000). Administração de marketing: a edição do novo milênio. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

KOTLER, P. (2009). Administração de marketing: análise, planejamento, implementação e controle. 5 ed. São Paulo: Atlas.

KOTLER, P. ARMSTRONG, G. (2003). Princípios de marketing. 9 ed. São Paulo: Prentice Hall.

KOTLER, P. KELLER, K. L. (2006). Administração de marketing. São Paulo: Pearson Education do Brasil.

KOTLER, P. KELLER, K. L. (2012). Administração de marketing. 14. ed. São Paulo: Pearson Education do Brasil.

LIMA, J. P. R. (2006). Cachaça Artesanal e Vinhos Finos no Nordeste: Desafios, Potencialidades e Indicações de Políticas. Revista Econômica do Nordeste, Fortaleza, v. 37, n. 4.

LINS, H. S. SILVA, M. M. N; ABREU, H. J. L. F. M; COSTA, A. C. S. (2010). Estratégias de marketing utilizadas por comerciantes informais: o caso do churrasquinho. In: XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. São Carlos, SP, Brasil, 12 a 15 de outubro de 2010.

LUZ, G. I. (2014). Posicionamento e construção de imagem através do facebook: estudo de caso da fanpage da prefeitura municipal de Curitiba. Trabalho de conclusão de curso. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre.

McCARTHY, E. J. (1978). Basic marketing: a manageriaI approach. 6 ed. Richard D. Irwin, Homewood.

MINTZBERG, H.; AHLSTRAND, B.; LAMPEL, J. (1998). Strategy safari: A guided tour through the wilds of strategic management. New York: Free Press.

NEVES, M. F; CASTRO, L.T. (2011). Marketing e estratégia em agronegócios e alimentos. 1 ed. São Paulo: Atlas.

NÓBREGA, I. N. S. F. (2004). Crescimento e desenvolvimento da fruticultura irrigada no vale do São Francisco. 2004. 59 f. Monografia (Graduação em Ciências Econômicas) - Universidade Católica de Pernambuco, Recife.

OLIVEIRA, L. M.; PEREZ JR, J. H.; SILVA, C. A. S. (2005). Controladoria Estratégica. 3 ed. São Paulo: Atlas.

POPOVIC, D. (2006). Modelling the Marketing of High-Tech Start-Ups. Journal of Targeting, Measurement and Analysis for Marketing, 14(3), 260-276.

PORTER, M. E. (1999). Competição: estratégias competitivas essenciais. 14. ed. Rio de Janeiro: Campus.

PORTER, M. E. (2004). Estratégia competitiva: técnicas para análise de indústrias e da concorrência. 2. ed. Rio de Janeiro: Campus.

ROSA, S. E. S; SIMÕES, P. M. (2004). Desafios da vitivinicultura brasileira. BNDES Setorial, n. 19, p. 67-90, mar.

SATO, G. S. (2006). Vinhos brasileiros: é possível a internacionalização? Revista Eletrônica de Negócios Internacionais da ESPM, v. 1, n. 1, p. 243-259, jul./dez.

SCHULTZ, D. E. (2001). Marketers: Bid Farewell To Strategy Based on Old 4Ps. Marketing News, 35(2), 7.

SILVA, D. O. da; BAGNO, R. B.; SALERNO, M. S. (2014). Modelos para a gestão da inovação: revisão e análise da literatura. Production, v. 24, n. 2, p. 477-490. http://www.scielo.br/pdf/prod/2013nahead/aop_0750-12.pdf.

SILVA, P. C. G da. (2001). Articulação dos interesses públicos e privados no pólo PetrolinaPE/Juazeiro-BA. Tese (Doutorado em Economia), Campinas, Curso de doutorado em Economia do Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas, São Paulo.

SOUZA, A. C. R. (2009). O “Circuito da Cultura” e a estruturação de um discurso: fazendo sentido do vinho do Vale do São Francisco. / Angela Cristina Rocha de Souza. - Recife: O Autor, 2009. 268 folhas: quadro. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de Pernambuco. CCSA. Administração.

SOUZA, A. C. R.; MACEDO, J. S.; Sérgio Carvalho Benício Mello. (2011). A Representação do Vinho do Vale do São Francisco na Mídia Revista de Administração e Inovação, São Paulo, v. 8, n. 3, p. 6-32, jul./set.

SOUZA, A. C. R; MACÊDO, J. S; MELLO, S. C. B. (2011). A representação do vinho do vale do São Francisco na mídia. Revista de Administração e Inovação, v. 8, n. 3, p. 6-32, jul./set.

THOMÉ, R. B. M.; HEXSEL, A. E; TONI, D.; MILAN, G. S. (2013). Estrutura e posicionamento estratégico da indústria de vinhos de mesa do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Estratégia - REBRAE, v. 6, n. 2.

TOLEDO, M. L; FERREIRA, K. A. (2016). Adoção da estratégia de postponement em uma empresa vitivinícola de minas gerais. In: XXXVI ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCÃO: João Pessoa/PB, Brasil, de 03 a 06 de outubro de 2016.

VITAL, T. (2009). Vitivinicultura no Nordeste do Brasil: Situação Recente e Perspectivas. Documentos Técnico-Científicos: Revista Econômica do Nordeste. v. 40, n. 03.

VITAL, T. W.; MORAES, F. R.; FERRAZ, F. Z. E. (2005). Vitivinicultura no Nordeste do Brasil: um arranjo produtivo em expansão. In: CONGRESSO DA SOBER, 43, 2005, Ribeirão Preto. Anais. Ribeirão Preto.

ZEN, A. C.; DALMORO, M.; FENSTERSEIFER, J. E.; WEGNER, D. (2013). Desenvolvimento de recursos em redes interorganizacionais e o processo de internacionalização: o caso Wines of Brasil. Revista Ibero-Americana de Estratégia, v. 12, n. 1, p. 107-130.

ZIKMUND, W. G. 2003. Business Research Methods. 7 ed. Ohio: Thomson South Western.

Azevedo, P. F. (2007). Comercialização de produtos agroindustriais. In: BATALHA, M. O. (Coord.). Gestão Agroindustrial. 3. ed. São Paulo: Atlas, p. 63-112. 2007

BARNEY, J. (2001). Resource-based theories of competitive advantage: A ten years retrospective on the resource based view. Journal of Management, v. 27, n. 1, pp. 643-650.

FINK, A. (2005). Conducting Research Literature Reviews: From Internet to Paper. 2 ed. Sage Publications: Thousand Oaks.