Governança Corporativa e Desempenho Empresarial: Uma Análise nas Empresas Brasileiras de Construção e Engenharia Outros Idiomas

ID:
48946
Resumo:
Este estudo teve por objetivo identificar a relação entre as práticas de governança corporativa e o desempenho nas empresas de capital aberto do subsetor construção e engenharia, do setor construção e transporte, da BM&FBovespa. Para tanto, reúne dados financeiros de 30 empresas, referentes a 2013, coletados no website da BM&FBovespa e na base Economática®. No que tange à governança corporativa, foi utilizado um índice calculado a partir de um checklist proposto pela literatura, também referente a 2013. Os resultados da pesquisa mostram que o índice de governança corporativa influencia positivamente o desempenho empresarial – econômico (ROE), operacional (Ebtida/Ativo) e de valor (Q de Tobin). Desse modo, o estudo oferece evidências empíricas do impacto da governança corporativa no desempenho empresarial no subsetor construção e engenharia da BM&FBovespa, sugerindo que as boas práticas de governança corporativa são fundamentais para a organização, devendo, portanto, ser encorajado o interesse dos investidores e de outros stakeholders.
Citação ABNT:
ALMEIDA, F. T.; PARENTE, P. H. N.; LUCA, M. M. M.; VASCONCELOS, A. C. Governança Corporativa e Desempenho Empresarial: Uma Análise nas Empresas Brasileiras de Construção e Engenharia . Gestão & Regionalidade, v. 34, n. 100, p. 110-126, 2018.
Citação APA:
Almeida, F. T., Parente, P. H. N., Luca, M. M. M., & Vasconcelos, A. C. (2018). Governança Corporativa e Desempenho Empresarial: Uma Análise nas Empresas Brasileiras de Construção e Engenharia . Gestão & Regionalidade, 34(100), 110-126.
DOI:
10.13037/gr.vol34n100.3594
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/48946/governanca-corporativa-e-desempenho-empresarial--uma-analise-nas-empresas-brasileiras-de-construcao-e-engenharia-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AGUILERA, R. V.; JACKSON, G. The cross-national diversity of corporate governance: dimensions and determinants. Academy of Management Review, New York, v. 28, n. 3, p. 447-465, 2003.

ALBUJA, C. D.; GARCIA, F. G.; MOREIRAS, L. M. F.; TAMBOSI FILHO, E. Onde investir nos BRICs? Uma análise sob o prisma da organização industrial. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 51, n. 4, p. 349-369, 2011.

ALVES, C. A. M.; MACHADO FILHO, C. A. P. Governança corporativa, responsabilidades dos órgãos de controle e ouvidorias: estudo em bancos no Brasil. Gestão & Regionalidade, São Paulo, v. 30, n. 90, p. 89-103, 2014.

ANHALT, A. A. Guidance: entre o risco e a segurança. Revista Relações com Investidores, Rio de Janeiro, n. 110, p. 31-33, 2007.

ASSAF NETO, A. Finanças corporativas e valor. São Paulo: Atlas, 2008.

CATAPAN, A.; COLAUTO, R. D.; BARROS, C. M. E. A relação entre a governança corporativa e o desempenho econômico-financeiro de empresas de capital aberto do Brasil. Contabilidade, Gestão e Governança, Brasília, DF, v. 16, n. 2, p. 16-30, 2013.

CATAPAN, A.; COLAUTO, R. D. Governança corporativa: uma análise de sua relação com o desempenho econômicofinanceiro de empresas cotadas no Brasil nos anos de 2010-2012. Contaduría y Administración, Amsterdam, v. 59, n. 3, p. 137-164, 2014.

CHANG, K. H.; PRUITT, S. W. A simple approximation of Tobin’s q. Financial Management, Memphis, v. 23, n. 3, p. 70-74, 1994.

CORREIA, L. F.; AMARAL, H. F.; LOUVET, P. Um índice de avaliação da qualidade da governança corporativa no Brasil. Revista Contabilidade & Finanças, São Paulo, v. 22, n. 55, p. 45-63, 2011.

DAMI, A. B. T.; ROGERS, P.; RIBEIRO, K. C. S. Estrutura de propriedade no Brasil: evidências empíricas do grau de concentração acionária. Contextus: Revista Contemporânea de Economia e Gestão, Fortaleza, v. 5, n. 2, p. 21-30, 2007.

DAMODARAN, A. Finanças corporativas: teoria e prática. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2004.

DAROSI, G. C. M. Governança corporativa e desempenho financeiro nas sociedades de energia elétrica brasileira. Caderno profissional de administração: Unimep, Piracicaba, v. 4, n. 2, p. 1-18, 2014.

DURNEV, A.; KIM, E. H. Corporate stability and economic growth. William Davidson Institute Working Papers Series nº 554. Michigan: William Davidson Institute, 2003.

EHIKIOYA, B. I. Corporate governance structure and firm performance in developing economies: evidence from Nigeria. Corporate Governance: The international Journal of Business in Society, Bingley, v. 9, n. 3, p. 231243, 2009.

ENGENHO – Engenho Editora Técnica Ltda. Crescimento do setor de construção tem impacto direto nas vendas de caminhões Iveco. Brasil engenharia, São Paulo, 2013. Disponível em: . Acesso em: 13 ago. 2015.

ERTUGRUL, M.; HEGDE, S. Corporate governance ratings and firm performance. Financial Management, Hoboken, v. 38, n. 1, p. 139-160, 2009.

FERREIRA, R. N. et al. Governança corporativa, eficiência, produtividade e desempenho. Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 14, n. 4, p. 134-164, 2013.

GOMPERS, P.; ISHII, J.; METRICK, A. Corporate governance and equity prices. Quarterly Journal of Economics, Cambridge, v. 118, n. 1, p. 107-156, 2003.

GOTARDELO, D. R. Estudo das práticas de governança corporativa e o desempenho organizacional: uma análise envolvendo rentabilidade, volatilidade e valor de mercado. 2006. 140 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2006.

HIMMELBERG, C. P.; HUBBARD, R. G.; LOVE, I. Investor protection, ownership, and the cost of capital. Policy Research Working Paper nº 2834. Washington, DC: World Bank, 2002.

IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. Código das melhores práticas de governança corporativa. 4. ed. São Paulo: IBGC, 2009.

ITANI, A. F. Transportes, globalização e as questões da qualidade e produtividade. Revista dos Transportes Públicos, São Paulo, v. 8, n. 4, p. 19-31, 1995.

JENSEN, M. C.; MECKLING, W. H. Theory of the firm: managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of Financial Economics, Amsterdam, v. 3, n. 4, p. 305-360, 1976.

KLAPPER, L. F.; LOVE, I. Corporate governance, investor protection, and performance in emerging markets. Journal of Corporate Finance, Hoboken, v. 10, n. 5, p. 703-728, 2004.

KLOTZLE, M. C.; COSTA, L. A. Governança corporativa e desempenho dos bancos no Brasil. Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, Recife, v. 4, n. 4, p. 243-252, 2006.

KRAFFT, J.; QU, Y.; QUATRATO, F.; RAVIX, J. Corporate governance, value and performance of firms: new empirical results on convergence from a large international database. Industrial and Corporate Change, Cambridge, v. 23, n. 2, p. 361-397, 2013.

LAMEIRA, V. J. As relações entre governança e risco nas companhias abertas brasileiras. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, São Paulo, v. 14, n. 42, p. 7-25, 2012.

LA PORTA, R.; SHLEIFER, A.; LOPEZ-DE-SILANES, F.; VISHNY, R. Investor protection and corporate governance. Journal of Financial Economics, Amsterdam, v. 58, n. 1-2, p. 3-27, 2000.

LEAL, R. P. C.; CARVALHAL-DA-SILVA, A. L. Corporate governance and value in Brazil (and Chile). Social Science Research Network, Amsterdam, 2005. Disponível em: . Acesso em: 19 set. 2014.

LEAL, R. P. C. Governance practices and corporate value: a recent literature survey. Revista de Administração de Empresas da USP, São Paulo, v. 39, n. 4, p. 327-337, 2004.

LIU, C.; UCHIDA, K.; YANG, Y. Corporate governance and firm value during the global financial crisis: evidence from China. International Review of Financial Analysis, Amsterdam, v. 21, p. 70-80, 2012.

MARTIN, N. C.; SANTOS, L. R.; DIAS FILHO, J. M. Governança empresarial, riscos e controles internos: a emergência de um novo modelo de controladoria. Revista Contabilidade & Finanças, São Paulo, v. 15, n. 34, p. 7-22, 2004.

MIRANDA, K. F. Capacidade inovativa, seus antecedentes e o desempenho de empresas brasileiras inovadoras. 2012. 109 f. Dissertação (Mestrado em Administração e Controladoria) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2012.

PEDRUZZI, P. Construção civil será o grande destaque da economia brasileira em 2012, prevê entidade do setor. Agência Brasil, Brasília, DF, 8 dez. 2011. Disponível em: . Acesso em: 12 ago. 2015.

RAJAN, R.; ZINGALES, L. The governance of the new enterprise. The National Bureau of Economic Research, Cambridge, 2000. Disponível em: . Acesso em: 19 jul. 2015.

RANGEL, L. P. P. Aplicação do EVA na análise de desempenho: estudo de caso. 2008. 108 f. Dissertação (Mestrado em Contabilidade e Auditoria) – Universidade de Aveiro, Aveiro, 2008.

ROGERS, P.; RIBEIRO, K. C. S. Mecanismos de governança corporativa no Brasil: evidências do controle pelo mercado de capitais. Revista Contemporânea de Economia e Gestão, Fortaleza, v. 4, n. 2, p. 17-28, 2006.

ROSSETTI, J. P.; ANDRADE, A. Governança corporativa: fundamentos, desenvolvimento e tendências. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

ROSSONI, L.; MACHADO-DA-SILVA, C. L. Legitimidade, governança corporativa e desempenho: análise das empresas da BM&FBovespa. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 53, n. 3, p. 272-289, 2013.

SAMI, H.; WANG, J.; ZHOU, H. Corporate governance and operating performance of chinese listed firms. Journal of International Accounting, Auditing and Taxation, Amsterdam, v. 20, n. 2, p. 106-114, 2011.

SILVEIRA, A. D.; BARROS, L. A. B. C. Determinantes da qualidade da governança corporativa das companhias abertas brasileiras. Revista Eletrônica de Administração, Porto Alegre, v. 14, n. 3, p. 512-540, 2008.

SILVEIRA, A. D. Governança corporativa e estrutura de propriedade: determinantes e relação com o desempenho das empresas no Brasil. 2004. 254 f. Tese (Doutorado em Administração) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

SILVEIRA, A. D.; LEAL, R. P. C.; BARROS, L. A. B. C.; CARVALHAL-DA-SILVA, A. L. Evolution and determinants of firm-level corporate governance quality in Brazil. Revista de Administração de Empresas da Universidade de São Paulo, São Paulo, v. 44, n. 3, p. 173-189, 2009.

SOPEÑA, M. B.; ALMEIDA, F. Estruturas de governança no setor de transporte rodoviário de cargas: o caso dos portos secos do Rio Grande do Sul. Gestão & Regionalidade, São Paulo, v. 30, n. 89, p. 20-34, 2014.

SOUZA, F. C.; MURCIA, F. D.; MARCON, R. Bonding hypothesis: análise da relação entre disclosure, governança corporativa e internacionalização de companhias abertas no Brasil. Contabilidade, Gestão e Governança, Brasília, DF, v. 14, n. 2, p. 62-81, 2011.

SOUZA, G. H. S. et al. Corporate governance and performance of the stocks of companies from the Brazilian electricity sector listed in Bovespa. Revista de Negócios, Blumenau, v. 20, n. 1, p. 13-28, 2015.

VALADARES, S. M.; LEAL, R. P. C. Ownership and control structure of Brazilian companies. Revista Abante, Santiago, v. 3, n. 1, p. 29-56, 2000.

VIEIRA, K. M.; VELASQUEZ, M. D. P.; LOSEKANN, V. L.; CERETTA, P. S. A influência da governança corporativa no desempenho e na estrutura de capital das empresas listadas na Bovespa. Revista Universo Contábil, Blumenau, v. 7, n. 1, p. 49-67, 2011.

WERNKE, R. Gestão financeira: ênfase em aplicações e casos nacionais. São Paulo: Saraiva, 2008.

ZAGORCHEV, A.; GAO, L. Corporate governance and performance of financial institutions. Journal of Economics and Business, Amsterdam, v. 82, p. 17-41, 2015.

ZYLBERSZTAJN, D. Economia das organizações. In: ZYLBERSZTAJN, D.; NEVES, M. F. (Orgs.). Economia e gestão dos negócios agroalimentares. São Paulo: Pioneira, 2010.