“Sair ou Ficar no Armário”? Eis a Questão! Estudo sobre as Razões e os Efeitos do Coming Out no Ambiente de Trabalho Outros Idiomas

ID:
49078
Resumo:
Este trabalho se propõe a investigar o Coming Out no ambiente de trabalho considerando os motivos que levam os trabalhadores homossexuais a revelarem sua orientação sexual no trabalho. Para tanto foi realizada uma pesquisa qualitativa em que foram entrevistados trabalhadores homossexuais que atuam em organizações públicas ou privadas, buscando-se apreender suas histórias de vida. Os dados foram colhidos por meio de entrevistas em profundidade com roteiro semiestruturado e analisados com base no método análise de conteúdo de Bardin (2006). Os depoimentos sugerem que o coming out traz melhorias para as relações interpessoais e satisfação com o ambiente de trabalho. Entretanto, não se trata de uma escolha isenta de riscos, tendo-se em vista que, em determinados ambientes, a assunção da identidade sexual no trabalho pode impactar negativamente na qualidade do relacionamento com a chefia e diminuir as chances de promoção.
Citação ABNT:
RABELO, A. M.; NUNES, S. C. “Sair ou Ficar no Armário”? Eis a Questão! Estudo sobre as Razões e os Efeitos do Coming Out no Ambiente de Trabalho . Revista Economia & Gestão, v. 17, n. 48, p. 82-97, 2017.
Citação APA:
Rabelo, A. M., & Nunes, S. C. (2017). “Sair ou Ficar no Armário”? Eis a Questão! Estudo sobre as Razões e os Efeitos do Coming Out no Ambiente de Trabalho . Revista Economia & Gestão, 17(48), 82-97.
DOI:
http://dx.doi.org/10.5752/P.1984-6606.2017v17n48p82-97
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/49078/---sair-ou-ficar-no-armario-----eis-a-questao--estudo-sobre-as-razoes-e-os-efeitos-do-coming-out-no-ambiente-de-trabalho-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2006.

BENTO, B. A reinvenção do corpo: sexualidade e gênero na experiência transexual. Rio de Janeiro: Garamond, 2006.

BICALHO, R. A.; DINIZ, A. P. R. Violência simbólica e homossexualidade: um estudo em capitais brasileiras. In: ENCONTRO DA ANPAD, 33.; 2009, São Paulo. Anais... São Paulo: ANPAD, 2009.

BOWEN, F.; BLACKMON, K. Spirals of silence: the dynamic effects of diversity on organizational voice. Journal of Management Studies, v. 40, n. 6, p. 1393-1417, sep. 2003.

CAPRONI NETO, H. L.; SARAIVA, L. A. S.; BICALHO, R. A. Diversidade sexual nas organizações: um estudo sobre coming out. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, v. 8, n. 1, p. 86-103, 2014.

CARRIERI, A. P. ; SOUZA, E. M.; AGUIAR, A. R. C. Trabalho, violência e sexualidade: estudo de lésbicas, travestis e transexuais. Revista de Administração Contemporânea, v. 18, n. 1, p. 78-95, 2014.

CECARELLI, P. R.; FRANCO, S. Homossexualidade: verdades e mitos. Bagoas - Estudos gays: gênero e sexualidade, v. 4, n. 5, p. 119-129, 2010.

COLGAN, F. et al. Equality and diversity policies and practices at work: lesbian, gay and bisexual workers. Equal Opportunities International, v. 26, n. 6, p. 590-609, 2007.

COLLINS, J. C. Characteristics of “masculinized” industries: gay men as a provocative exception to male privilege and gendered rules. Human Resource Development Review, v. 14, n. 4, p. 415-441, 2015.

CROTEAU, J. M. Research on the work experiences of lesbian, gay, and bisexual people: an integrative review of methodology and findings. Journal of Vocational Behavior, v. 48, p. 195-209, 1996.

DAY, N. E.; SCHOENRADE, P. Staying in the closet versus coming out: Relationships between communication about sexual orientation and work attitudes. Personnel Psychology, v. 50, p. 147-163, 1997.

FREITAS, M. E. O sexo do trabalho intelectual. In: FREITAS, M. E.; DANTAS, M. (Orgs.). Diversidade sexual e trabalho. São Paulo: Cengage Learning, 2011, v. 1. p. 203-236.

GARCIA, A.; SOUZA, E. M. Sexualidade e trabalho: estudo sobre a discriminação de homossexuais masculinos no setor bancário. Revista de Administração Pública, v. 44, n. 6, p. 1353-1377, 2010.

GODOY, A. S. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 2, p. 57-63, 1995.

GOFFMAN, E. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. Rio de Janeiro: LTC, 1988.

GRIFFITH, K. H.; HEBL, M. R. The disclosure dilemma for gay men and lesbians: “coming out” at work. Journal of Applied Psychology, v. 87, n. 6, p. 1191-1199, 2002.

HARAWAY, D. “Gênero” para um dicionário marxista: a política sexual de uma palavra. Cad Pagu, v. 22, p. 201-246, jun. 2004.

HUFFMAN, A. H.; WATROUS-RODRIGUEZ, K. M.; KING, E. B. Supporting a diverse workforce: what type of support is most meaningful for lesbian and gay employees? Human Resource Management, v. 47, n. 2, p. 237-253, 2008.

IRIGARAY, H. A. R.; SARAIVA, L. A. S.; CARRIERI, A. P. Humor e discriminação por orientação sexual no ambiente organizacional. Revista de Administração Contemporânea, v. 14, n. 5, p. 890-906, 2010.

LUCAS, J.; KAPLAN, M. Unlocking the corporate closet. Training e Development, v. 48, p. 34-38, jan. 1994.

MADERA, J. M. The cognitive effects of hiding one’s homosexuality in the workplace, Industrial & Organizational Psychology, v. 3, n. 1, p. 86-89, 2010.

NUNAN, A. Homossexualidade: do preconceito aos padrões de consumo. Rio de Janeiro: Caravansarai, 2003.

PAULILO, M. A. S. A pesquisa qualitativa e a história de vida. Serviço Social em Revista, Londrina, v. 1, n. 1, p. 135-148, 1999.

QUEIROZ, M. I. P. Relatos orais: do “indizível” ao “dizível”. In: SIMSON, O. M. V. (Org.). Experimentos com histórias de vida (Itália-Brasil). São Paulo: Vértice, 1988. p. 14-43.

RAGINS, B. R. Disclosure disconnects: antecedents and consequences of disclosing invisible stigmas across life domains. Academy of Management Review, v. 33, n. 1, p. 194-215, 2008.

SARAIVA, L. A. S. Métodos narrativos de pesquisa: uma aproximação. GESTÃO.Org - Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, v. 5, n. 2, p. 118-134, 2007.

SILVA. A. P. et al. Conte-me sua história: reflexões sobre o método de história de vida. Mosaico: Estudos em Psicologia, v. 1, n. 1, p. 25-35, 2007.

SINGH, B. R. R. R.; CORNWELL, J. M. Making the invisible visible: fear and disclosure of sexual orientation at work. Journal of Applied Psychology, v. 92, n. 4, p. 1103-1118, 2007.

SIQUEIRA, M. V. S, et al. Homofobia e violência moral no trabalho no Distrito Federal. Organizações & Sociedade, v. 16, n. 50, p. 447-461, 2009.

SIQUEIRA, M. V. S.; ANDRADE, A. Em busca de uma pedagogia gay no ambiente de trabalho. In: FREITAS, M. E.; DANTAS, M. (Orgs.). Diversidade sexual e trabalho. São Paulo: Cengage Learning, 2011, v. 1, p. 203-236.

SPINDOLA, T.; SANTOS, R. S. Trabalhando com a história de vida: percalços de uma pesquisa(dora?) Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 37, n. 2, jun. 2003.

TAUCHES, K. Transgendering: challenging the “normal”. In: SEIDMAN, S.; FISCHER, N. ; MEEKS, C. (Orgs.). Handbook of the new sexuality studies. New York: Routledge, 2006. p. 186-1982.

TRAU, R. N. C. The impact of discriminatory climate perceptions on the composition of intraorganizational developmental networks, psychosocial support, and job and career attitudes of employees with an invisible stigma. Human Resource Management, v. 54, n. 2, p. 345-366, 2015.

TROIDEN, R. R. Homosexual Identity Development. Journal of Adolescent Health Care, v. 9, p. 105-113, 1988.

VINUTO, J. A amostragem em bola de neve na pesquisa qualitativa: um debate em aberto. Revista Temáticas, Campinas, v. 22, n. 44, p. 203-220, ago/dez. 2014.

WARD, J.; WINSTANLEY, D. Coming out at work: performativity and the recognition and renegotiation of identity. The Sociological Review, p. 447-475, 2005.