Relação do Desempenho Financeiro e dos Riscos Operacionais na Remuneração de Executivos de Empresas Brasileiras com ADRs Outros Idiomas

ID:
49100
Resumo:
Este estudo objetiva identificar a influência do desempenho financeiro e dos riscos operacionais na remuneração de executivos de empresas brasileiras com ADRs. Parte-se de uma pesquisa com 38 empresas no período de 2010 a 2015. Foi empregada a modelagem estatística de regressão com dados em painel pelo modelo dos Efeitos Aleatórios com Erros-Padrão Robustos Clusterizados. Os resultados da pesquisa indicam que o desempenho financeiro tem a capacidade de influenciar na remuneração dos executivos. A maior implicação do estudo está na não significância da variável risco operacional e do seu efeito negativo na remuneração dos executivos. Contribuindo assim, para a pluralidade de cenários que já permeiam a questão estudada neste trabalho. Como resposta, espera-se maior atenção dos pesquisadores quanto à adoção e mensuração de variáveis pertencentes a um sistema social. Uma vez que, utilizar dados de arquivos para determinar a influência dos riscos operacionais na remuneração dos executivos é talvez mais adivinhação do que ciência. A pesquisa ainda evidencia a necessidade de integração do desempenho financeiro e dos riscos operacionais na estruturação do sistema de remuneração de executivos, uma vez que todas essas construções conceituais da atualidade são concebidas para não serem medidas puras das variáveis, mas sim, para desenvolver insights no que concerne a geração de conhecimento. É valido destacar que, não se busca com o avanço da pesquisa, homogeneizar a triangulação remuneração - desempenho – risco, mas sim evoluir e contribuir para a ascensão da prática juntamente com os profissionais de mercado, professores, pesquisadores e discentes.
Citação ABNT:
LOPES, I. F.; GASPARETTO, V.; SCHNORRENBERGER, D.; LUNKES, R. J. Relação do Desempenho Financeiro e dos Riscos Operacionais na Remuneração de Executivos de Empresas Brasileiras com ADRs . Contabilidade Vista & Revista, v. 28, n. 3, p. 22-52, 2017.
Citação APA:
Lopes, I. F., Gasparetto, V., Schnorrenberger, D., & Lunkes, R. J. (2017). Relação do Desempenho Financeiro e dos Riscos Operacionais na Remuneração de Executivos de Empresas Brasileiras com ADRs . Contabilidade Vista & Revista, 28(3), 22-52.
Link Permanente:
http://www.spell.org.br/documentos/ver/49100/relacao-do-desempenho-financeiro-e-dos-riscos-operacionais-na-remuneracao-de-executivos-de-empresas-brasileiras-com-adrs-/i/pt-br
Tipo de documento:
Artigo
Idioma:
Português
Referências:
AGGARWAL, R. K.; SAMWICK, A. A. The Other Side of the Trade-off: The Impact of Risk on Executive Compensation. Journal of Political Economy, v. 107. N. 6634, p. 65-105, 1999

AURELI, S.; SALVATORI, F. An investigation on possible links between risk management, performance measurement and reward schemes. Accounting and Management Information Systems, v. 11, n. 3, p. 306, 2012.

BEATTY, R. P.; ZAJAC, E. J. Managerial incentives, monitoring, and risk bearing: A study of executive com pensation, ownership, and board structure in initial public offerings. Administrative Science Quarterly, v. 39, n. 2, p. 313-335, 1994.

BLOOM, M.; MILKOVICH, G. T. Relationships among risk, incentive pay, and organizational performance. Academy of Management journal, v. 41, n. 3, p. 283-297, 1998.

BORGERTH, V. M. C. SOX: Entendendo a Lei Sarbanes-Oxley. São Paulo: Thomson Learning, 2007.

BRASIL. A Lei nº 10.101, de 19 de dezembro de 2000. Dispõe sobre a participação dos trabalhadores nos lucros ou resultados da empresa e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 02 maio, 2016.

CAMARGOS, M. A.; HELAL, D. H.; BOAS, A. P. Análise empírica da relação entre a remuneração de executivos e o desempenho financeiro de empresas brasileiras. In: Encontro Nacional de Engenharia de Produção. Anais do Encontro Nacional de Engenharia de Produção, Foz do Iguaçu, PR, Brasil, v. 27, 2007.

CARLON, D. M.; DOWNS, A. A.; GRAY, S. W. The Case of Financial Performance Measeres and Executive Compensation. Organizations Research Methods. v. 9 n. 4, p 475-490. 2006.

CARR, Linda L. Strategic determinants of executive compensation in small publicly traded firms. Journal of Small Business Management, v. 35, n. 2, p. 1-12, 1997.

CHAPMAN, C.; WARD, S. Constructively simple estimating: a project management example. Journal of the Operational Research Society, v. 54 , n.10, p. 1050-1058, 2003.

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS (CVM). Instrução CVM n. 480, de 07 de dezembro de 2009. Dispõe sobre o registro de emissores de valores mobiliários admitidos à negociação em mercados regulamentados de valores mobiliários. Disponível em: . Acesso em: 19 nov. 2015.

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS TÉCNICOS – CPC CPC 41 Resultado por Ação. Brasília, agos. 2010. Disponível: Acesso em: 14 maio, 2016.

DELOACH, J. W. Administração Corporativa de Risco: Estratégia para Relacionar Risco e Oportunidade. New York: Pearson Educação. 2001.

DEVERS, C. E.; CANNELLA, A. A.; REILLY, G. P.; YODER, M. E. Executive compensation: A multidisciplinary review of recent developments. Journal of Management, v. 33, n. 6, p. 1016-1072, 2007.

DIXON, M. R.; HAYES, L. J.; STACK, J. Changing conceptions of employee compensation. Journal of Organizational Behavior Management, v. 23, n. 3, p. 95116, 2004.

DUARTE Jr, A. M. Riscos: definições, tipos, medição e recomendações para seu gerenciamento gestão de risco e derivativos. São Paulo: Atlas, 2001.

DUTRA, J. S. Gestão de pessoas: modelo, processos, tendências e perspectivas. São Paulo: Atlas. 2002.

FAMA, E. F. Agency Problems and the Theory of the Firm. The journal of political economy, v. 88, n. 2, p. 288-307, 1980.

FÁVERO, L.; BELFIORE, P.; SILVA, F.; CHAM, B. Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisão. São Paulo: Campus. 2009.

FÁVERO, L. P. Análise de dados: modelos de regressão com EXCEL®, STATA® e SPSS®. São Paulo, Atlas, 2015.

FÁVERO, L. P. L. Dados em painel em contabilidade e finanças: teoria e aplicação. BBR-Brazilian Business Review, v. 10, n. 1, p. 131-156, 2013.

FERNANDES, F. C.; MAZZIONI, S. A Correlação entre a Remuneração dos Executivos e o Desempenho de Empresas Brasileiras do Setor Financeiro. Contabilidade Vista & Revista, v. 26, n. 2, p. 41-64, 2015.

FLORICEL, S.; MILLER, R. Strategizing for anticipated risks and turbulence in largescale engineering projects. International Journal of project management, v. 19, n. 8, p. 445-455, 2001.

FUNCHAL, J. A.; TERRA, P. R. S. Remuneração de executivos, desempenho econômico e governança corporativa: um estudo empírico em empresas latinoamericanas. In: Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, 30. Salvador, BA, 2006

GHENO, R.; BERLITZ, J. Remuneração estratégica e pacote de benefícios: um estudo de caso aplicado ao nível operacional de uma multinacional. Revista de Administração da UFSM, v. 4, n. 2, p. 268-287, 2011.

GIDDENS, A. Runaway world: how globalization is reshaping our lives. London: Routledge, 2003

GRAY, S. R.; CANNELLA, A. A. The role of risk in executive compensation. Journal of Management, v. 23, n. 4, p. 517-540, 1997.

GUIMARÃES, I. C.; PARISI, C.; PEREIRA, A. C. Análise das práticas de gestão de riscos nas empresas não-financeiras de capital aberto da cidade de São Paulo: uma percepção dos gestores de riscos e controllers. In: Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, 30. Salvador, BA, 2006. Disponível em: < http://www.anpad.org.br/enanpad/2006/dwn/enanpad2006-ficc-0963.pdf>. Acesso: 14 maio, 2016.

GUJARATI, D. N. Econometria Básica. 5ª ed. Porto Alegre : AMGH, 2011.

HALL, B. J.; MURPHY, K. J. Stock options for undiversified executives. Journal of accounting and economics, v. 33, n. 1, p. 3-42, 2002.

HANASHIRO, D. M. M.; MARCONDES, R. C. Sistema Estratégico de Recompensas para Executivos: Oportunidades e Desafios. Gestão e Sociedade, v. 3, n. 5, p. 4874, 2009.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA (IBGC). Guia de orientação para o gerenciamento de riscos corporativos. São Paulo: IBGC, 2007.

JENSEN, M. C.; MECKLING, W. H. Theory of the firm: Managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of financial economics, v. 3, n. 4, p. 305360, 1976.

JENSEN, M. C.; MURPHY, K. J. Performance pay and top-management incentives. Journal of political economy, p. 225-264, 1990.

KASSAI, J. R.; SANTOS, A. D.; ASSAF NETO, A. Retorno de investimento. São Paulo: Atlas. 2005.

KLANN, R. C.; BEUREN, I. M.; HEIN, N. Impacto das diferenças entre as normas contábeis brasileiras e americanas nos indicadores de desempenho de empresas brasileiras com ADRs. BBR-Brazilian Business Review, v. 6, n. 2, p. 154173, 2009.

KLANN, R. C.; KREUZBERG, F.; BECK, F. Fatores de Risco Evidenciados pelas Maiores Empresas Listadas na BM&FBOVESPA. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, v. 3, n. 3, p. 78-89 2014.

KRAUTER, E. Remuneração de Executivos e Desempenho Financeiro: um Estudo com Empresas Brasileiras. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC), v. 7, n. 3, p, 259-273, 2013.

MACEDO, M. A. S.; SANTOS, R. M.; SILVA, F. F. Desempenho organizacional no setor bancário brasileiro: uma aplicação da análise envoltória de dados. Revista de Administração Mackenzie, v. 7, n. 1, 2008.

MARRAS, J. P. Administração da remuneração. São Paulo: Thomson. 2002

MARTINS, G. D. A.; THEÓPHILO, C. R.. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas. 2007.

MATARAZZO, D. C. Análise Financeira de Balanços: abordagem básica. São Paulo, Atlas, 2010.

MILLER, J. S.; WISEMAN, R. M.; GOMEZ-MEJIA, L. R. The fit between CEO compensation design and firm risk. Academy of Management Journal, v. 45, n. 4, p. 745-756, 2002.

MURPHY, K. J. Corporate performance and managerial remuneration: An empirical analysis. Journal of accounting and economics, v. 7, n. 1, p. 11-42, 1985.

NASCIMENTO, L. P. do. Administração de cargos e salários. São Paulo: Pioneira. 2001.

OLIVEIRA, M. C.; LINHARES, J. S. A implantação de controle interno adequado às exigências da Lei Sarbanes-Oxley em empresas brasileiras. BASE – Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos v.4, n. 2, p. 160-170, 2006.

OYADOMARI, J. C. T. Uso do sistema de controle gerencial e desempenho: um estudo em empresas brasileiras sob a ótica da VBR (Visão Baseada em Recursos). 2008. Tese (Doutorado em Controladoria e Contabilidade) – Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da FEA/USP, São Paulo, 2008.

PALMER, T. B.; WISEMAN, R. M. Decoupling risk taking from income stream uncertainty: A holistic model of risk. Strategic Management Journal, v. 20, n. 11, p. 1037-1062, 1999.

PANDHER, G.; CURRIE, R. CEO compensation: A resource advantage and stakeholder‐bargaining perspective. Strategic Management Journal, v. 34, n. 1, p. 22-41, 2013.

PIAZZA, M. C. Bem vindo à bolsa de Valores. São Paulo, Saraiva. 2010.

PINHEIRO, J. L. Mercado de Capitais: fundamentos e técnicas; Rio de Janeiro, Atlas. 2014

PRATT, J. W.; ZECKHAUSER, R. J. Principals and agents: The structure of business. Boston: Harvard Business School Press. 1985.

RAHMAN, M. M.; KUMARASWAMY, M. M. Joint risk management through transactionally efficient relational contracting. Construction Management & Economics, v. 20, n. 1, p. 45-54, 2002.

RAJGOPAL, S.; SHEVLIN, T. Empirical evidence on the relation between stock option compensation and risk taking. Journal of Accounting and Economics, v. 33, n. 2, p. 145-171, 2002.

RASMUSSEN, J. Risk management in a dynamic society: a modelling problem. Safety science, v. 27, n. 2, p. 183-213, 1997.

SILVA, A. L. C.; CHIEN, A. C. Y. Remuneração Executiva, Valor e Desempenho das Empresas Brasileiras Listadas. Revista Brasileira de Finanças, v. 11, n. 4, p. 481, 2013.

SILVA, M. Z.; MAZZIONI, S.; BEUREN, I. M. Análise da relação entre remuneração dos executivos e desempenho das empresas brasileiras de capital aberto. In Anais do Congresso Brasileiro de Custos-ABC. 19, 2012. Anais do 19º Congresso Brasileiro de Custos. Bento Gonçalves, RS, 2012.

TEIXEIRA, A.J. C.; FORTUNATO, G. X.; TEIXEIRA, A. M. C.; PIZETTA, K. C. Sistemas de incentivos gerenciais e o risco das empresas do Estado do Espírito Santo. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC), v. 5, Edição Especial, art. 2, p. 23-44, 2011.

TSAI, P. Y.; YAMAMOTO, M. M. Governança corporativa: análise comparativa entre o setor privado e o terceiro setor In: Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, 5., 2005, São Paulo. Anais do 5º Congresso USP de Controladoria e Contabilidade. São Paulo: 2005. Disponível em: < http://www.congressousp.fipecafi.org/web/artigos22005/589.pdf >. Acesso em: 15 maio, 2016.

VENKATRAMAN, N. u; RAMANUJAM, Vasudevan. Measurement of business economic performance: An examination of method convergence. Journal of management, v. 13, n. 1, p. 109-122, 1987.

VRETTOS, D. Are relative performance measures in CEO incentive contracts used for risk reduction and/or for strategic interaction? The Accounting Review, v. 88, n. 6, p. 2179-2212, 2013.

WERNKE, R. Gestão financeira: ênfase em aplicações e casos nacionais. Saraiva. 2008.

WOOD JR. T.; PICARELLI FILHO, V. Remuneração estratégica: a nova vantagem competitiva. São Paulo: Atlas. 1999.

ZONATTO, V. C. S.; BEUREN, I. M.. Categorias de Riscos Evidenciadas nos Relatórios da Administração de Empresas Brasileiras com ADRs. Revista Brasileira de Gestão de negócios, v. 12, n. 35, p. 141, 2010.